Revista Statto

10 HÁBITOS DE FAMÍLIAS EMOCIONALMENTE SAUDÁVEIS

16/03/2020 às 16h15

Família. É provável que a própria menção da palavra evoque emoções contraditórias na maioria de nós: paz e ressentimento, felicidade e raiva, ciúme e alegria, ansiedade e segurança.

Os membros da família têm uma maneira peculiar de nos enervar e, simultaneamente, são algumas das nossas pessoas favoritas no mundo.

Então, como você vivencia o complicado processo de promover a saúde e o bem-estar a longo prazo de sua família? Isso exige esforço contínuo, reflexão, ajuste e flexibilidade.

Contudo, aqui estão enunciados 10 hábitos vitais e fundamentais praticados por famílias que funcionam bem e são especialmente felizes:

  1. Adoção de limites claros: Existem poucas coisas mais importantes na vida do que decidir como você deseja ser tratado pelos outros – que tipo de comportamento você vai ou não aceitar. Famílias saudáveis têm limites muito claros sobre como seus membros tratam uns aos outros. Mesmo as crianças devem saber estabelecer limites entre si e os demais. Embora possam não ser capazes de afirmar muito quando jovens, devem receber oportunidades crescentes de criar e estabelecer limites pessoais quanto mais velhos e mais independentes se tornarem. Uma das melhores coisas que podemos ensinar para as gerações mais jovens é o modo como eles desejam ser tratados por outras pessoas.
  2. Prática de bondade e compaixão: A maioria concorda que as pessoas com quem realmente podem contar na vida são seus próprios familiares. Fazemos isso porque, do ponto de vista mental, acreditamos que eles “sempre estarão lá”, pois passamos muito tempo com eles, dia após dia. Embora isso seja perfeitamente normal até certo ponto, famílias saudáveis prestam atenção umas às outras. Elas estão fisicamente, psicologicamente e emocionalmente disponíveis umas para as outras. Seus membros escutam e discutem as coisas quando necessário, demonstram o fato de que se importam e têm compaixão e empatia um pelo outro.
  3. Exercício da inteligência emocional na resolução de conflitos: O conflito entre indivíduos em famílias saudáveis é esperado e considerado uma realidade normal da vida familiar. Quando ocorrem, os métodos para resolver conflitos respeitam os limites mencionados anteriormente e o “espírito de equipe” da família. As intervenções entre os membros da disputa são reduzidas ao mínimo e somente ocorrem quando necessário.
  4. Expressão das emoções de maneira inteligente: Em famílias saudáveis, as pessoas aprendem e praticam, de maneira ativa e consciente, a regulação emocional. Nenhum dos membros “fica junto” o tempo todo, mas mesmo quando alguém “se perde”, famílias saudáveis não recorrem a comentários ligados a desprezo, verbal, emocional, reacional ou de abuso físico, moral ou mental ao expressar suas emoções.
  5. Inexistência de favoritos: Provavelmente todos conhecemos uma família em que uma pessoa ou criança é tratada melhor que as outras. Podemos até ter crescido em uma família assim – é extremamente comum. É bastante normal ter preferência por determinados membros da família em detrimento de outros. É até comum os pais se sentirem mais próximos de um filho do que de outro. Como seres humanos, tendemos a gravitar psicologicamente e emocionalmente para aqueles com quem sentimos que temos mais afinidades. Famílias saudáveis, no entanto, não deixam isso influenciar as maneiras básicas pelas quais eles tratam e interagem com outros membros do grupo. Nessas famílias, o valor de cada pessoa é visto como igual.
  6. Celebração das realizações individuais e aceitação das diferenças: Famílias saudáveis não competem entre si. Ponto final! A competição e a rivalidade entre as pessoas podem ser consideradas normais dentro de parâmetros muito específicos. Mas, em geral, nunca é bom para o bem-estar de uma família se ela está tentando se unir. Para que isso seja possível, cada membro da família se beneficia do reconhecimento e identificação com um “papel” específico que desempenha – tanto na família quanto em sua vida e no mundo em geral.
  7. Trabalho em equipe: Uma família é uma espécie de negócio, não se engane. Famílias saudáveis veem a si mesmas como uma “equipe” – sua própria mini corporação, se você quiser pensar desse modo. E todos contribuem de alguma forma para mantê-la funcionando sem problemas e permanecer no verde. Os pais representam os CEOs e o CFOs. Em famílias saudáveis, todos os membros podem se expressar e opinar sobre os assuntos e as decisões da família, mesmo que o CEO e o CFO deem a palavra final.
  8. Promoção e prática da aceitação – de si e dos outros: Famílias saudáveis reconhecem que seus membros não são perfeitos, cometerão erros e podem pelo menos aceitar, se não se associarem, às imperfeições dos outros. Uma boa refeição em torno da mesa da sala, da copa ou da cozinha, em clima de união, pode e deve resolver a promoção e prática da aceitação de si e dos demais membros da família com uma boa conversa.
  9. Entender o que cada membro pode e não pode controlar: Em famílias saudáveis, os membros dela têm uma profunda consciência de quando algo está além do controle deles e que é hora de se afastar. Mesmo que isso signifique deixar ir aquele terceiro irmão que se enveredou por caminhos ruins e abandonou os outros dois irmãos. Ou deixar partir aquele tio e aquele primo que simplesmente não parecem se dar bem, ou uma tia que – sem falhar em todas as reuniões da família – pergunta porque você ainda não se casou. Aprender a se distanciar das pessoas que fazem você se sentir mal é uma resposta saudável afinal de contas!
  10. Adoção de um sistema de valores compartilhados: Pegue um par de irmãos em quase todas as famílias – aqueles que cresceram juntos no mesmo ambiente doméstico, com os mesmos pais e muitas das mesmas experiências de infância – e você verá o poder da genética em jogo. Suas personalidades, temperamentos, gostos pessoais e disposição geral podem ser totalmente opostos!

Dito isso, famílias saudáveis tendem a compartilhar alguns valores-chave, como companheirismo social regular, e a se manterem como membros da sociedade bem ajustados e com bom funcionamento. Esses valores compartilhados lhes dão uma noção de como percorrer o mundo e um sentido. O sentido de pertencer à sua família.

O sentido de ser saudável enquanto individuo funcional dentro de uma sociedade que exige cada vez mais a manutenção de um equilíbrio extremamente necessário no contexto do continuum processo de saúde coletiva e mental.

DICAS DE RECUPERAÇÃO PARA O PÓS-PARTO CESÁREO

12/02/2020 às 11h18

Você acabou de passar por uma cesariana? Pois aqui está uma lista útil de dicas de recuperação que você precisa experimentar. Descubra hoje o que você deve fazer após uma cesariana!

Você teve uma cesariana não planejada ou planejada? Ou você está planejando passar por uma cesariana e quer se preparar com antecedência? A cura de uma cesariana pode ser difícil.

Mas existem algumas medidas que você pode tomar para tornar o processo de recuperação no pós-parto cesáreo muito mais fácil. Quer aprender? Leia o artigo!

11 dicas rápidas e realistas de recuperação de cesarianas que você precisa experimentar

1. Aceite ajuda: A recuperação de uma cesariana é difícil e, às vezes dolorosa. Você precisa aceitar ajuda ou até pedir ajuda o mais rápido possível. Não há problema em deixar que os outros cuidem de você. Se sua família e amigos quiserem ajudá-la a limpar a casa, lavar a louça suja e lavar a roupa, apenas deixe. Você não pode estar se esforçando neste momento. Você precisa descansar o máximo que puder para se curar rápida e adequadamente.

2. Descanse bastante: Sei que essa é, provavelmente, a última coisa que você tem em mente após o parto. Você está muito empolgada em abraçar seu bebê e receber visitantes. Mas, na realidade, você precisa de todo o repouso que puder obter desde o início, começando durante a sua estadia no hospital. Você precisa disso para sua saúde mental e física, pois seu corpo passou por uma grande cirurgia abdominal e precisa de tempo para se curar.

2. Ideias para facilitar o descanso: Se você estiver no hospital, pode ter um horário definido para sua família e amigos visitarem você e seu bebê. Não faça uma abertura de 24 horas por dia para receber visitas. Em vez disso, estipule um horário para que as pessoas venham te ver. Envie convites formais ou pelo WhatsApp com o horário de sua predileção ou com o horário de visitas estipulado pelo hospital. Isso lhe dará tempo para descansar e apreciar seus momentos com seu recém-nascido. Se você estiver em casa, faça o possível para descansar quando seu bebê estiver tirando uma soneca. Tente usar um travesseiro confortável e tire uma soneca de 30 minutos sempre que puder, pois isso ajudará você a se recarregar e descansar.

3. Tome analgésicos: Sei que algumas mulheres são cautelosas em tomar analgésicos e não as culpo. Contudo, passar por uma cesariana é muito difícil e doloroso, por isso recomendo tomar seus analgésicos pelo menos nos dois primeiros dias após a cirurgia. Isso te ajudará a controlar a dor e fará você se sentir muito melhor. Sempre pergunte a seus Enfermeiros e médicos quais opções de medicamento para dor eles têm e depois escolha a partir daí!

Alguns medicamentos comuns para dor incluem, entre outros: Ibuprofeno (Advil) – Acetaminofen (Tylenol)

4. Proteja sua incisão: É superimportante proteger sua incisão, pois, se você não o fizer, ela poderá ser infectada e você não deseja isso. Proteger e cuidar de sua incisão ou cicatriz pode promover uma cura mais rápida e sem dor. Você pode começar não coçando sua cicatriz se ela começar a coçar. Eu sei que a coceira pode ocorrer e o desejo de massagear ou esfregar para aliviar a sensação pode ser tentador. Faça o seu melhor para não a tocar! Você também pode usar roupas largas, de preferência vestidos confortáveis, pois isso ajuda a não pressionar a área da incisão. Sempre mantenha sua cicatriz limpa e seca para curar mais rápido e adequadamente.

5. Use uma cinta: É recomendável usar cinta após a cirurgia de cesariana. Ajuda a promover o suporte muscular e mantém os pontos no lugar.

6. Ande: Uma das primeiras coisas que seus Enfermeiros e médicos te aconselharão a fazer enquanto estiver no hospital é andar e se movimentar. Caminhar ajudará a reduzir os riscos de coágulos sanguíneos e outros problemas relacionados após a cirurgia. Caminhar também ajuda os movimentos intestinais e reduz a constipação. Tente caminhar alguns passos de cada vez, pois levantar e se mover ajudará a acelerar a recuperação da cesariana.

7. Não realize nenhum trabalho pesado: Se você deseja obter uma recuperação boa e rápida da cesariana, não pode colocar pressão na sua área de incisão. Não levante objetos pesados, não se abaixe e tenha cuidado ao pegar seu bebê para carregá-lo. Se você for espirrar ou tossir, coloque um travesseiro sobre a barriga e exerça uma leve pressão.

8. Combate à constipação: Dois dos efeitos colaterais mais comuns após uma cesariana são constipação e gases. Neste caso, é crucial que você use o banheiro dentro de 24 horas após a cirurgia para garantir que seus movimentos e órgãos intestinais estejam funcionando corretamente.

Maneiras simples de combater a constipação:

-Coma mais vegetais e frutas.

-Tome probióticos.

-Comece com uma dieta branda.

-Evite frituras e bebidas carbonadas.

-Consuma alimentos ricos em fibras.

-Beba bastante água.

 

9. Amamente com cuidado: Você pode começar a amamentar assim que seu médico lhe der o “ok” para fazê-lo. Tudo depende do tipo de anestesia a que você foi submetida e como você se sentir depois do parto. A amamentação pode ser um pouco mais difícil, pois você está tentando se recuperar da cirurgia e controlar a dor associada a ela. Se precisar de ajuda para pegar seu bebê para amamentar, peça ao seu parceiro ou enfermeiras para te ajudar. Se a amamentação se tornar desconfortável por causa da cesariana, peça às enfermeiras ou consultora de lactação para que te ajude e ensine as melhores maneiras de amamentar após a cesariana. Ter uma bombinha pode ajudá-la a aliviar a dor nos seios – algumas mulheres sentem mais dor do que outras. As bombinhas também ajudam a estimular os seios para maior produção de leite. Uma vez em casa, você pode usar um travesseiro de amamentação para amamentar com mais facilidade, colocar seu bebê em cima dele e garantir que não exerça pressão sobre a área de incisão. Não se esqueça de estocar creme para os mamilos para acalmar e proteger os mamilos doloridos e as conchas ou protetores de seios para proteção contra vazamentos.

10. Tome banho com cuidado: Tomar banho depois de uma cesariana pode ser um desafio. Você não pode esfregar a incisão porque corre o risco de pegar uma infecção e abrir a cicatriz. Para uma cura mais rápida e eficaz, recomendo que você use um sabonete neutro ao tomar banho. Simplesmente aplique água e sabão com cuidado na área de incisão. Após o banho, procure secar com cuidado, exercendo leve pressão até ter certeza de que tudo ficou devidamente limpo e seco.

11. Cuidado com alguma área infectada: Se você suspeitar que sua incisão pode estar infectada, chame seu médico imediatamente. Veja os sinais que você deve observar para saber se sua incisão está infectada:

-Febre alta.

-Vermelhidão ao redor e na incisão.

-Presença de pus.

-Inchaço.

-Dor.

Como você pode ver, passar por uma cesariana e se recuperar dela não é brincadeira. Você acabou de passar por uma cirurgia de grande porte, mesmo que você não pense que foi lá grande coisa. Algumas mulheres podem ser mais resistentes, outras menos. Mas o fato é que uma cesariana é coisa séria e todos esses cuidados devem ser observados muito bem! Recuperar-se de uma cesariana pode ser simples e fácil de fazer. Para ter um processo rápido de cicatrização, você precisa cuidar da área da incisão e cuidar de si mesma. É simples assim! Sei que agora você pode não estar se sentindo em sua melhor forma, mas com o tempo você se sentirá muito melhor. A dor desaparecerá lentamente e você poderá fazer as coisas que deseja. Coisas como tomar um banho adequadamente, segurar seu bebê sem sentir desconforto e rir livremente de novo sem sentir que há um corte em seu abdome que pode se abrir a qualquer momento.

Sim, pode ser assustador! Mas basta ter cuidado e você vai poder passar por cada uma das fases de uma cesariana sem maiores problemas. Feliz recuperação, mamãe!

PERGUNTAS A FAZER NA SUA PRÓXIMA VISITA AO GINECOLOGISTA

26/12/2019 às 16h44

Se você é sexualmente ativa, provavelmente já foi ao ginecologista pelo menos uma vez na vida. Se ainda não foi, você precisará fazer isso o mais rápido possível e, se não o fizer pelo menos uma vez por ano durante o ano, precisará colocar isso na sua agenda também. Não importa o quão desconfortável seja ou o quão estranho você se sinta, essa é sua obrigação para com a sua saúde. Também é sua obrigação manter-se informada sobre o que está acontecendo lá embaixo em suas partes íntimas. É claro que não se espera que você saiba tudo, mas você deve ter uma boa noção de da maior parte disso – e o que você não sabe, você definitivamente deve perguntar. Assim sendo, aqui estão algumas sugestões de perguntas para você fazer durante a sua próxima incursão ao consultório do ginecologista.

20 perguntas a fazer na sua próxima visita ao ginecologista:

  1. QUE TIPO DE ANTICONCEPCIONAL DEVO TOMAR?

Se você já está no controle da natalidade ou está pensando em mudar seu método, esta é uma discussão importante a ter com seu médico, especialmente se você não está amando o que quer que esteja usando agora.

  1. TUDO BEM ME DEPILAR COM CERA?

Os ginecologistas têm opiniões diferentes sobre isso, principalmente quando se trata dos médicos brasileiros. Mas não se preocupe! Seu médico te guiará na direção certa, especialmente sobre quando é cedo demais para fazer sexo depois de uma depilação.

  1. COMO SEI SE TENHO UMA DST?

Super importante que você conheça os sintomas destas doenças. Algumas DSTs causam danos ao longo da vida. Assim sendo, informe-se bastante. Quando você estiver no consultório do seu ginecologista, não tenha vergonha de levantar esta pergunta.

  1. COMO SEI SE TENHO UMA INFECÇÃO URINÁRIA?

A micção dolorosa pode ser um sintoma de várias coisas, por isso é melhor acabar com a dúvida e perguntar ao ginecologista se você pode ter uma infecção de urina. Assim, seu médico irá solicitar os exames necessários para tirar suas dúvidas.

  1. COMO FAZER UM AUTO-EXAME DE MAMA?

Embora menos de 5% dos casos de câncer de mama sejam em mulheres com menos de 40 anos, você ainda deve ter o hábito regular de fazer um autoexame. O seu ginecologista pode mostrar exatamente como fazer isso.

 

  1. TODAS AS VAGINAS TÊM AQUELE CHEIRINHO?

Resposta curta: sim. E, embora haja uma variação na potência do cheiro, dependendo de hormônios e dieta, seu ginecologista pode verificar e debelar qualquer medo sobre o cheiro da sua vagina.

  1. O QUE HÁ COM MEUS PEQUENOS E GRANDES LABIOS?

Semelhante à nossa preocupação com o cheiro da vagina, muitas de nós estamos preocupadas com a aparência dela, principalmente dos lábios.

Se você está se perguntando como seus lábios são avaliados, pergunte ao seu ginecologista. Você não será a primeira mulher a perguntar sobre isso.

  1. POSSO FICAR GRÁVIDA DURANTE O SEXO PERÍODO?

Talvez! Mas o seu ginecologista pode te ajudar a descobrir a probabilidade disso, porque geralmente são mulheres com ciclos curtos que mais correm esse risco.

  1. QUAL A QUANTIDADE NORMAL DE CORRIMENTO?

Certifique-se de saber a diferença entre colheres de chá e colheres de sopa antes de começar a contar o que está acontecendo com a sua calcinha.

Caso tenha dúvidas, pergunte ao ginecologista se você tem corrimento anormal ou não.

  1. COMO SEI QUE TENHO UMA INFECÇÃO POR FUNGOS?

Só porque você tem coceira não significa que tenha uma infecção por fungos.

Outros microrganismos podem também provocar sintomas similares. Portanto, certifique-se de esclarecer se aquela coceirinha é um desequilíbrio na flora natural da vagina ou se você tem algum outro problema mais sério.

  1. QUANTAS VEZES DEVO FAZER TESTES DE DST?

Isso depende da sua vida sexual e dos seus fatores de risco, então pergunte definitivamente. Você quer ficar por dentro disso com certeza.

  1. EXISTE ALGO A SER ADOTADO PARA TPM?

Porque às vezes o bom e velho buscopam simplesmente não acaba com as cólicas e a sua alimentação e demais hábitos de vida podem estar afetando o modo como a sua TPM se apresenta.

  1. QUAL É O MELHOR MOMENTO DO MEU CICLO PARA NÃO ENGRAVIDAR?

Embora a maioria dos ginecologistas aconselhe contra o método do coito interrompido como uma forma de controle da natalidade, ainda é bom saber quando você está ou não na zona de segurança.

  1. QUAL É A MELHOR HORA PARA ENGRAVIDAR?

Você sabe, caso esteja pronta para embarcar no trenzinho do bebê, faça esta pergunta e que reine a alegria!

  1. POR QUE NÃO TENHO ORGASMOS DURANTE O SEXO?

As estatísticas mostram que até 30% das mulheres lutam para atingir o orgasmo

Embora na maioria dos casos seja apenas uma questão de aprender a trabalhar com seu corpo ou mostrar a outra pessoa como trabalhar com ele adequadamente, às vezes este problema se deve à DSF (disfunção sexual feminina).

Por isso, não se esqueça perguntar sobre a quantidade e qualidade de seus orgasmos, pois é algo que você deve mencionar.

  1. DEVO EU USAR DUCHAS VAGINAIS?

A vagina faz um bom trabalho em se limpar sozinha, mas algumas mulheres querem se sentir “mais limpas”. Seu ginecologista pode ajudar.

Pergunte sobre duchas e limpeza do canal vaginal para que você possa ser orientada sobre os melhores métodos de higiene intima no seu caso.

  1. O QUE PODE SER DOR NA VAGINA?

Pode ser uma de várias coisas, mas você não saberá até que você a traga a questão à tona.

  1. O QUE SIGNIFICA SE MINHA VAGINA COÇAR?

Novamente, pode ser uma infecção, sua dieta ou algo do seu corpo. Somente seu ginecologista pode lhe dizer com certeza.

  1. POR QUE O SEXO MACHUCA ÀS VEZES?

Isso é mais comum do que você imagina, portanto, não tenha medo de perguntar. Você pode estar ficando tensa durante o ato sexual ou pode ter algum outro tipo de problema que precisa ser avaliado!

  1. QUE TESTES E / OU EXAMES EU DEVO FAZER ESTE ANO?

Dependendo da sua idade, da saúde da sua vagina e da atividade sexual, isso realmente varia para todos.