Revista Statto

QUANDO VOCÊ NÃO SABE O QUE FAZER E FICA EM CIMA DO MURO

13/02/2020 às 08h50

Já experienciou a sensação de não saber o que você quer para você? Claro que sim! Não me restam dúvidas de que todos nós, vez ou outra, não sabemos o que queremos, não sabemos o caminho que devemos tomar ou mesmo as consequências que estamos dispostos a suportar em decorrência da decisão que tomarmos.

Quando esse tipo de situação acontece, você sente como se estivesse em cima do muro. Um muro que possui o tamanho da importância da decisão que você precisa tomar. Com isso quero dizer que se a situação a qual sua indecisão se refere tiver uma importância enorme para sua vida, o tamanho desse muro será imenso. Se a situação a qual se refere a sua dúvida tiver uma relevância pequena para a sua vida, o tamanho do muro se torna pequenino.

Com essas imagens na cabeça é possível entender que quando você fica em cima do muro, ou seja, indeciso ou sem querer se posicionar a vida muito provavelmente lhe levará a cair em algum momento e, dependendo do tamanho do muro, o tombo irá doer mais ou menos; digamos até que ele pode ser um tombo que pode quebrar um ou outro pedacinho de você.

Mas, afinal de contas, quem subiu no muro?

A decisão de ficar em cima do muro é sempre nossa. Por mais que diferentes circunstâncias se componham, por mais que as pessoas a nossa voltam ajudem a criar a realidade que vivemos, quem se coloca de um lado, de outro ou em cima do muro somos nós mesmos.

Particularmente eu sempre preferi me posicionar. Acredito que posicionamento está relacionado a autoconhecimento, maturidade e inteligência emocional.

Nem sempre é fácil se posicionar, nem sempre é tranquilo, contudo, o fato de nos posicionarmos nos faz saber qual é o nosso lugar, e quando você sabe qual é o seu lugar você pode experimentar a paz de estar lá e usufruir tudo aquilo que existe ali.

Mas é um fato também que às vezes você fica em cima do muro. Você olha para um lado e para o outro e simplesmente, por questões suas (questões como medo, insegurança, por exemplo) você acredita que ficar lá em cima, paradinho é o melhor lugar.

Vale lembrar que todo processo de escolha requer renúncias. Renúncias são feitas em busca daquilo que é valioso para você. Quando você não sabe bem qual decisão tomar vale muito você ficar atento a quais são os seus valores de vida. Nossos valores de vida são aquilo que nos constituem e que servem como métrica para encontrarmos as decisões que irão gerar paz para a nossa vida.

Particularmente vejo pouca probabilidade de paz real na indecisão. Na verdade, vejo que na maioria das vezes a indecisão ou a falta de posicionamento gera ansiedade. Além disso, em algum momento, a probabilidade da indecisão é o tombo. É mais ou menos assim: se você não assumir a responsabilidade sobre aquilo que quer em sua vida, a vida vem e se encarrega de decidir ela mesma (e aqui, por “vida” podemos entender outra (s) pessoa (s), as próprias circunstâncias). Que tipo de vida você deseja ter? Uma vida em que seu autoconhecimento é tão desenvolvido que você sabe quem é e onde quer chegar ou outra vida na qual você se coloca em cima do muro para se sentir seguro e para ter tempo de descer para um lado ou para outro, correndo o risco de não conseguir e cair?

Cada um de nós tece as linhas da nossa história em cada decisão que tomamos. Cada linha define os contornos que a sua vida terá, e a responsabilidade por ser autor ou não da sua história é só sua quando você é adulto.

Então, por mais difícil que possa parecer busque compreender quem você é em essência, pois quanto mais você se conhecer mais irá se posicionar para encontrar a história que sempre desejou viver.

Eu desejo que esse texto possa fazer sentido para você. Se ele fizer, deixe o seu comentário.

O HOMEM QUE CARREGAVA O MUNDO EM SUAS COSTAS

06/02/2020 às 08h39

Era uma vez um homem (mas também poderia ser uma mulher, e talvez até já tenha sido você) que carregava o mundo em suas costas.

Ter o mundo em suas costas significa tentar resolver todos os problemas de todas as pessoas e se culpar por todas as coisas que não saem exatamente como o planejado. Certamente a vida sob essa perspectiva é muito pesada.

Existem pessoas que acreditam que se seguirem o caminho do seu coração, ou seja, aquilo que realmente desejam fazer, irão prejudicar a vida de outra pessoa a tal ponto que essa não conseguirá se reestabelecer.

Algumas pessoas deixam seus sonhos de lado por seus pais, namorados ou namoradas, e também por seus filhos.

Nós somos responsáveis pelas escolhas que fazemos e somos responsáveis pela vida que escolhemos viver e, à exceção de pais e mães enquanto seus filhos são crianças e adolescentes, nós não somos responsáveis pelas escolhas dos outros.

Sendo assim, o outro também é responsável pela vida dele, e você não irá conseguir viver uma vida plena se buscar agradar a todos e viver conforme as expectativas que os outros têm para você!

Entenda algo muito importante: a partir do momento em que você se torna adulto você é responsável por você e por escolher cada caminho que deseja seguir.

Durante esse caminho algumas pessoas irão com você e outras deixarão de ser sua companhia na jornada. Umas pessoas permanecem mais tempo, outras pessoas permanecem menos, mas o mais importante é você perceber que você sempre estará com você.

Sendo assim, cuide-se!

Como? Aprenda. Cada um de nós tem o seu tempo de aprendizagem para cada coisa que vive na vida. Se está difícil de saber fazer algo sozinho, procure ajuda. Todos nós precisamos de ajuda em diferentes aspectos ao longo de nossas vidas, e está tudo bem ser assim.

Quanto antes você decidir cuidar de você e carregar somente o peso que te compete, mais cedo começará a viver uma vida com muito mais qualidade e realização.

Além disso, é muito importante você saber que quando você escolhe carregar o outro em suas costas você está fazendo o papel de muleta para ele, e dificilmente alguém que te tem como muleta irá mudar, pois a situação se torna zona de conforto para o outro.

Quer mudança na sua vida e nas relações que você estabelece? Então comece por onde você pode, que é mudando você mesmo. Cuidar de você é o que te dá poder!

Lembre-se que aprender é parte de nossas vidas e que uma das mais importantes aprendizagens é você saber dizer sim para você. Assim, aprendemos a nos amar e a valorizar tudo aquilo de incrível que temos e que às vezes não conseguimos ver.

Acredite, a vida é muito mais leve quando você aprende a soltar o outro e começa a cuidar de você.

Se fizer sentido para você lembre-se daquilo que é dito por comissários de bordo nos aviões: “se algum problema acontecer, máscaras de ar cairão. Coloque primeiro a máscara em você e depois ajude a pessoa ao seu lado.”

Você sempre precisará estar bem com você em primeiro lugar para poder ser uma pessoa melhor para o outro. Por isso, cuide-se! Você não precisa carregar um peso extra que tira sua energia a vida toda. Você pode escolher diferente!

COMO EU ERA BOA EM PARECER BEM…

02/02/2020 às 12h14

Você já se sentiu boa em parecer bem sem realmente estar bem?

Isso já aconteceu comigo, acredito que já aconteceu com você! Não é nada bom!

Quando parecemos algo que não somos ou fingimos sentir o que não sentimos estamos mentindo para nós mesmos. E ao mentir para nós nos distanciamos da vida que podemos ter e que queremos viver.

Contudo, isso é comum: para responder às expectativas dos outros, você parece bem sem realmente estar. É aquele sorriso já ensaiado que aparece em fotos e mais fotos, nas quais o olhar não traduz aquilo que os lábios querem mostrar.

Talvez por não conseguir sair de uma situação que está vivendo, lá está você, parecendo bem sem estar.

Pode ser para agradar a outros, pode ser para se sentir aceito, pode ser para tentar não se incomodar e também pode ser por já ter se acostumado tanto a agir assim que você nem sabe mais como você é mesmo.

Vou te dizer que nossa fisiologia influencia nosso estado interno, mas quando você está tentando enganar sua mente para agradar os outros você está perdendo muito. Talvez esteja perdendo tudo, pois esse tempo não volta e as experiências que você vive ao fingir estar bem podem te levar ao sentimento de vazio e de estar só.

Ao se livrar das mentiras que você conta a você mesmo, ao não se forçar caber em locais que não são seus o sentimento é de alívio, e também de fertilidade. Você encontra um solo que pode ser preparado para receber a sua plantação, ou seja, você encontra possibilidades e, por mais que isso possa assustar e parecer desconfortável no início, nada mais é do que você vivendo conforme o seu propósito.

Lembre-se, caso faça sentido para você: quando iniciamos algo, isso funciona como uma plantação. Você precisa ter paciência, você precisa cuidar e se dedicar para ter a colheita que deseja.

Desejo que esse texto faça sentido para você.

#eudigosimparamim

ESSÊNCIA E APARÊNCIA: VOCÊ PRECISA DE COERÊNCIA.

28/01/2020 às 19h23

Você já teve um daqueles sonhos em que está frente a um espelho, você se olha, se aproxima e vê que a imagem do espelho lhe reflete diferente do jeito que você está? Como se ela tivesse vida própria e movimentos diferentes?

Simplesmente aterrorizante.

Todas as vezes que sonhei com algo assim eu acordei assustada.

Mas pense comigo, o pior não são os sonhos ou os pesadelos que você tem, o pior é quando essa situação acontece dentro da sua realidade. Isto é, quando você não reflete na sua vida tudo aquilo que você tem em seu interior. Quero dizer com isso que, quando você pensa muito, é muito criativo, por exemplo, mas seu potencial não aparece, você não consegue consolidá-lo para além do seu pensamento, certamente existe frustração, pois você sabe que pode muito mais do que aquilo que está vivendo, mas não sabe o caminho para chegar até lá, ou às vezes não sabe o que realmente quer, mas sabe que quer mais do que tem e que pode mais do que tem vivido.

Além desse movimento, um outro no qual podemos pensar, a partir do pesadelo do espelho, é o movimento inverso, o qual acontece quando a imagem refletida vai além do que a pessoa faz ou sente.

Seria esse o caso de pessoas as quais, para disfarçar um interior pouco desenvolvido, digamos assim, apostam em uma aparência grandiosa, como forma de mascarar o que elas realmente sabem, vivem, sentem.

Já pensou sobre isso?

De todas as formas, as duas situações descritas não são positivas e não são saudáveis.

Tais questões de diferenciação entre aparência e essência não são saudáveis porque nós buscamos coerência enquanto seres humanos. E isso é um princípio lógico e um gatilho mental que faz parte da nossa sobrevivência.

Nosso cérebro busca todas as formas de ser coerente com aquilo com que realmente se compromete.

Logo, se você é comprometido com você mesmo – e você deve ser – você precisa buscar a coerência entre você e a sua imagem, isto é, entre essência e aparência. Sendo assim, o potencial que você tem merece ser desenvolvido e compartilhado, pois viver sem essa coerência pode gerar insatisfação, frustração, a sensação de você ser um impostor frente a sua vida, ou, até mesmo, de que você vive uma vida muito rasa.

Nada disso precisa ser assim!

Eu acredito verdadeiramente que nós devemos aproveitar com maestria e sem mediocridade nosso tempo de vida. A aprendizagem sobre como viver o seu tempo com a qualidade que faz sentido para você pode mudar a sua vida.

Desejo que você possa encontrar a sua fórmula para garantir que a imagem que você reflete seja a mesma que te constitui, e que ela seja progressivamente grandiosa!

Desejo que esse texto faça sentido para você. Se ele fizer, por favor deixe o seu comentário.

Um forte abraço, Daniela Peroneo

POR QUE NÃO SOU FELIZ?

27/01/2020 às 08h59

A razão de você ainda não ser feliz

Mude sua vida: plante felicidade!

Você ainda não é feliz. Falta algo. Pode ser que você não se sinta feliz no seu relacionamento amoroso. Pode ser que você ainda não seja feliz na sua relação com seus filhos. Pode ser que você não se sinta feliz no seu trabalho.

A razão desse descontentamento está em você. E saber disso pode mudar tudo para melhor.

Para ser feliz você precisa se sentir feliz. E para se sentir assim precisa haver coerência entre aquilo que você diz, sente e faz.

Felicidade exige consistência. Felicidade vai além de estados de alegria e de tristeza. Felicidade é ciência. Felicidade pode ser desenvolvida, cultivada, aumentada e, inclusive, multiplicada!

Na sua vida ela começa com/em você!

É uma decisão simples, mas nem sempre fácil.

Felicidade depende de disciplina. E muitas vezes somos seduzidos pela antítese da disciplina. Talvez por parecer o caminho mais fácil! Talvez por você achar que não vai dar em nada. Talvez por se sentir sem energia.

Vamos partir de um exemplo: praticar exercícios constantemente aumenta o seu nível de felicidade. Isso está comprovado cientificamente. Contudo, muitas pessoas não praticam exercício físico. Algumas começam e desistem pouco tempo depois. Outras o fazem com inconstância e algumas outras pessoas possuem limitações que as impedem de fazer o exercício específico que desejavam (mas existem outros tipos!). Existe uma infinidade de possibilidades, mas às vezes você se foca naquilo que você não pode. Já analisou por quê? Já pensou nas histórias que você se conta para não realizar aquilo a que se propõe?

Então, por que será que as pessoas desistem tão facilmente daquilo que lhes traz mais felicidade, saúde e disposição?

A resposta é simples e nem sempre fácil de encarar: por falta de disciplina e também por suas crenças.

Sabe o que você precisa, em primeira instância, para se desenvolver? Precisa autoconhecimento e saber o que você realmente quer. Não em um nível superficial, mas em um nível profundo, que gere mudança.

Há algum tempo, conheci uma pessoa muito especial em minha vida, e ela dizia que o mais importante da vida é termos paz.

Hoje concordo com ela, pois paz é uma sensação muito relacionada com a felicidade. Mas é uma sensação que depende de um autoconhecimento crescente, de disciplina (para entender o que você sente, o que faz e por que faz de determinado modo) e também de você ser aquilo que diz ser.

Como a felicidade e a paz que você sente dependem somente de você, elas não estão relacionadas à ação dos outros ou aos acontecimentos. Esses podem te deixar triste, entretanto, se você estiver em unidade com você continuará sendo uma pessoa feliz.

Toda a felicidade que você deseja é parte do seu jardim chamado vida! Tenha disciplina para plantar momentos e realizar ações que qualificam a sua vida. Seja melhor diariamente e cuide desse jardim! Você é o jardineiro, por isso, lembre-se: se você plantar urtigas não colherá rosas!

Aquilo que você planta, você colhe: seja em palavras, ações ou sentimentos!

Que tal fazer mais por você, por esse dia e por sua vida?

Que tal uma vida muito mais feliz?

Você merece!

Se esse texto fizer sentido para você, deixe o seu comentário. Vou adorar saber o que você pensa.

Um grande abraço, Daniela Peroneo.

#eudigosimparamim

#aprendaadizersimparavocê