Revista Statto

QUAL É SEU PROPÓSITO?

10/02/2020 às 23h04

O discurso do ator Joaquin Phoenix após receber o Oscar 2020 de melhor ator no filme Coringa me fez pensar ainda mais sobre o propósito que uma pessoa pode ter no mundo.

Ser terapeuta, médico ou médica, psicólogo ou psicóloga são profissões que ajudam pessoas a se tratarem das suas doenças físicas e emocionais e isso faz com que essas pessoas tenham um ótimo propósito de vida. Porém apenas uma parcela pequena da população mundial tem condições financeiras de contratar um ou uma profissional desse tipo.

Pensando assim, como podemos ajudar um número maior de pessoas e animais na natureza? Tendo atitudes sustentáveis como: evitar comer em excesso carnes e derivados, separar o lixo orgânico dos materiais recicláveis, dar o destino correto a esses resíduos, usar água e energia de maneira consciente, recusar embalagens e descartáveis plásticos, ser gentil com as pessoas e tratá-las de maneira igual independente da sua religião, raça, tribo, orientação sexual ou identidade de gênero.

Uma das maiores necessidades do ser humano é ter o direito de pertencer. Logo não podemos excluir ninguém. Quando excluímos violamos a lei sistêmica “Todas as pessoas tem o direito de pertencer” do alemão Bert Hellinger (criador das constelações sistêmicas familiares).

Quando incluímos com amor saudável e respeitamos todas as pessoas, a natureza e os animais conhecidos ou desconhecidos estamos vivenciando um propósito com hábitos sustentáveis independente da profissão que escolhemos.

Esta atitude nos aproxima do que é natural e está ao alcance de grande parcela da população mundial e vale a pena pensar e praticar ao levantar da cama pela manhã.

DICAS PARA EVITAR ‘BUGS’ NA MENTE EM 2020

27/01/2020 às 21h51

 

No mês de janeiro escreva em um caderno ou meio digital quais foram seus principais sentimentos ou comportamentos que aconteceram em 2019 que você se arrepende e que não quer repetir em 2020.

Para desbugar a mente é preciso ampliar a consciência de maneira contínua para descobrir a origem dos traumas que causaram ansiedade excessiva, raiva, mágoa, angústia, vazio no peito, medo, dificuldade de relacionamento, compulsão por comida, vício, por exemplo.

Escolha apenas um desses sentimentos ou comportamentos e reflita para descobrir em que momento eles começaram. Acontecem desde a infância? Passaram a acontecer após algum fato específico? Que fato foi esse? Estes pensamentos ou comportamentos são de alguém da família que veio antes (pai, mãe, irmão, irmã, tio, tia, avô, avó, por exemplo)? Você acha que herdou isso de quem?

A visão sistêmica familiar mostra que experiências ocorridas com antepassados são passadas para os que vieram depois por meio de marcações epigenéticas. Por isso a importância de descobrir de onde vem esse desconforto emocional.

Agora feche os olhos, inspire e expire profundamente 3 vezes, imagine esta pessoa atrás de você e diga a ela mentalmente.

Eu honro você e aceito tudo do jeito que foi sem julgamento. Deixo com você o que é seu, fico apenas com o que é meu. Agora posso pensar e agir diferente e continuar pertencendo ao nosso sistema familiar. Aceito o seu destino e vivo com mais consciência a partir de agora.

Assim você se conecta com esse ente querido, dá um bom lugar para ele no seu coração, amplia sua consciência com relação a esse sentimento ou comportamento e começa a jornada de agir diferente a partir de agora.

Importante ressaltar que é o processo de “desbugar” a mente do método Inner Dev é contínuo, pois as etapas são Sonhar, Investigar, Desenvolver, Realizar e Acompanhar.

Elis Borsoi, Terapeuta Sistêmica Familiar, Consteladora Sistêmica Familiar, Escritora do livro: ‘Inner Dev – Como Desbugar sua Mente’ (Ed. Albatroz: 2019) e Palestrante.