Revista Statto

NÃO ENTENDERÃO O SEU CAMINHO, MAS TUDO BEM, É O SEU, NÃO É O DELES

19/02/2020 às 21h19

Um dia desses, resolvi mudar meu cabelo, não pedi a opinião de ninguém, só enviei fotos depois da mudança. Como esperado, muitos gostaram, e outros preferiram como antes, algo comum, eu sei, mas que me levou à reflexão de que se nada, absolutamente nada, agrada a todos, por que eu preciso esperar a aprovação alheia para fazer aquilo que quero?

Eu sempre me importei com o que as pessoas mais próximas achariam disso ou daquilo, mas, sabe, às vezes, não temos o apoio nem mesmo daqueles que mais amamos, e isso não diz respeito a quem está certo e quem está errado, mas a pontos de vista diferentes. Então, se não é errado, por que me preocupar?

Ultimamente também tenho refletido sobre escolhas e prioridades, lamento o tempo que ficava questionando o porquê de atos de outras pessoas. Olha, eu até poderia fazer diferente, mas sou eu, tenho as minhas prioridades, as minhas responsabilidades, não há como definir escolhas sem entender o que é essencial para cada um.

Às vezes, por nos preocupar demais com opiniões alheias, estas passam a ditar o que iremos fazer, e acabamos por ser a realização de sonhos e superação de expectativas de outras pessoas, menos o que realmente queríamos nos tornar. Além de isso ser desgastante, furta a preciosa vida que Deus nos deu.

Como diz aquela canção do Lulu Santos “o que eu ganho, o que eu perco, ninguém precisa saber”.  Às vezes, canto essa música para mim mesma, para me lembrar que a vida continua sendo minha.

Cada um tem a própria história, ninguém é apenas uma página, e sim um livro inteiro. Você conhece a estrada que percorreu, então não precisa se preocupar com a opinião de quem não calçou os seus sapatos. Não gosto de generalismos, então vou ajeitar: opiniões são pedaços, pedaços de tempo e histórias que pessoas alheias veem com os olhos e pensamentos delas. Então não se prenda a conceitos limitados sobre você, o que eles conhecem é apenas uma ou algumas cenas, já você, o filme inteiro.

A BELEZA QUE VERDADEIRAMENTE IMPORTA É A DE DENTRO

07/02/2020 às 16h20

A beleza que verdadeiramente importa é a de dentro, e essa você tem, então, você é linda, de verdade

Você é mais do que as injúrias de alguém, você é uma flor preciosa. Se hoje não ouviu nenhum elogio, faça-o para si mesma. Amor-próprio sempre vem antes do amor de fora.

Você foi pensada, foi desejada, Deus não a trouxe ao mundo por acaso, você é amada, você é amada! Repita, quantas vezes for preciso: eu sou amada!

Sabia que as borboletas não podem ver as próprias asas?

Talvez, você seja uma borboleta, talvez se sinta inferior, não consiga ver as suas virtudes, porque olha apenas para os defeitos, assim não vê as suas asas, não vê o quanto é maravilhosa.

Aprenda isso: seus altos e baixos não a definem, seus defeitos são sinais da sua humanidade; não queira ser perfeita, queira ser melhor, por um mundo melhor. De gente fútil, que só se preocupa com a aparência, o mundo está cheio, precisamos de lindas princesas que saem do seu castelo para ajudar os plebeus.

E tem mais: você é forte só por continuar viva em um mundo perverso, cheio de padrões cruéis.

A beleza de fora dói, e também encanta, mas é temporária, depois de um tempo, nenhuma cirurgia retardará o processo de envelhecimento. A beleza que verdadeiramente importa é a de dentro, e essa você tem, então, você é linda, de verdade.

A verdade, na maioria das vezes, não é visível aos olhos, mesmo aqueles mais minuciosos, menos ainda aos olhos superficiais. Então, não acredite quando lhe falarem que a beleza exterior é a mais importante, na verdade, ela pode encobrir muitas faltas, inclusive, de caráter. Preze pela sua beleza interior, e quando estiver conhecendo alguém, procure saber se o seu interior é bonito.

Mas você pode se perguntar: “Como saberei, se não posso ver?” Bem, a beleza de dentro é como o vento, você não pode vê-lo, mas pode senti-lo.

QUEM CONHECE O PESO DAS PALAVRAS POR VEZES OPTA PELO SILÊNCIO

03/02/2020 às 18h04

Quando ouvimos “foi sem querer”, “não foi a minha intenção ter falado aquilo”, “eu falei sem pensar”, já perdi a conta de quantas vezes eu mesma falei isso. Sem dúvidas, não há como voltar ao passado e, como o dito popular “não adianta chorar pelo leite derramado”. É inegável que o que falou está falado e não se pode alterar, ou, com tamanha facilidade, apertar o botão “voltar” e consertar o estrago. Quem ouviu não esquece, mesmo se nos desculparmos um milhão de vezes, e até mesmo se formos agraciados pelo perdão não se pode anular o que foi dito.

Cremos que a sabedoria do silêncio é demais para nós, que cabe apenas às pessoas brilhantes que já nasceram iluminadas, porém a bíblia ensina que até os tolos passam por sábios quando se calam. Não é um calar no sentido de ser uma pessoa sem atitude e inerte, mas da sabedoria de quando se posicionar, ou seja, de saber discernir quando se deve e o que é necessário falar.

Há palavras mais duras de que uma agressão física, são verdadeiras agressões psicológicas, há palavras que marcam e que nas mentes mais vulneráveis se tornam verdades. Muitos delinquentes cresceram em ambientes que os próprios pais já diziam que não seriam “alguém na vida”, tais palavras se tornaram verdadeiras sentenças.

Apesar de reconhecermos o peso das palavras, nem sempre optamos pelo silêncio, quando temos a consciência de que o que queremos dizer irá machucar, por vezes preferimos falar, afinal, dói segurar e tem coisas que realmente precisam ser ditas. Tenho por mim que o que nos falta é sabedoria para em qual momento falar, quais palavras e o tom adequado de se usar.

Precisamos reeducar a nossa boca e usá-la para o bem, vivemos em sociedade e uma das regras básicas de urbanidade é o respeito, mesmo que não seja recíproco. Reagir da mesma forma grosseira de que às vezes somos tratados, é se igualar com os ignorantes.

Tudo o que plantamos colheremos, e acredito que com as palavras não é diferente. Elas têm poder, não voltam vazias, pare um pouco para refletir sobre o que tem semeado em sua vida e das demais pessoas.

Também, não são os muitos argumentos que nos garantirão êxito em meio as discussões, algumas vezes, basta uma só palavra, ademais, como outro dito popular: “quem muito fala muito erra”, tudo nos leva a afirmar que a sabedoria se encontra nas poucas palavras.

Há pessoas mais maduras e experientes do que outras, que sabem discernir se o que ouviu realmente foi intencional, ou se foi algo do momento, impensado e que se refletido, nunca deveria ter sido pronunciado, enfim, um erro. Para estas pessoas não são necessárias muitas explicações, um pedido de perdão sincero já resolve. Contudo, a grande maioria não é assim, e alguns, guardam mágoas profundas por palavras jogadas ao vento.

Damos enorme reconhecimento e admiração à quem pensa antes de falar, tem a prudência na escolha das palavras e sabe o momento certo de dizê-las. Podemos aprender com essas pessoas a sermos seres mais agradáveis e influentes, com o uso de nosso rico vocabulário com uma dose de sabedoria, reduzindo assim, drasticamente as ofensas e passando a mensagem que queremos de uma forma eficaz. Se refletirmos, grandes homens da história conquistaram direitos que gozamos hoje se posicionando, indo para as ruas com belíssimos discursos para expor seus ideais, disso podemos aprender que as palavras possuem desmedida influência, quando adequadamente usadas.