Revista Statto

COMO VOCÊ PENSA DETERMINA A SUA VIDA

12/11/2020 às 16h37

De forma bem generalista, existem dois tipos de pessoas: as que veem o lado bom de tudo, que conseguem perceber o que já têm com gratidão e sabedoria, mesmo desejando mais, sendo no aspecto pessoal ou profissional, são muito gratas e reconhecem uma oportunidade, seja através de novas pessoas que vão conhecendo, um novo negócio, um novo relacionamento que a vida lhes apresenta como possibilidade, enfim, estão abertas às mudanças; e há as que veem o mundo através da falta, do que ainda não foi conquistado na vida, um afeto que não foi dado, um abraço não compartilhado, uma promoção, um carro zero, uma viagem, outros desejos e sonhos que não alcançaram ainda.

Se diz, também, que são pessoas que enxergam o copo meio cheio ou meio vazio. Com qual delas você se identifica? Quem delas você é? A reflexão é necessária.

Quando você sente felicidade e satisfação com o que já tem (bens materiais, estados emocionais equilibrados, mente em crescimento), principalmente sendo pelo seu próprio mérito de trabalho e realização pessoal, você já está criando à sua volta toda uma aura favorável para que mais coisas boas aconteçam, por causa da sua vibração positiva. Não estou falando aqui de força do pensamento para “atrair” o que quer, de religiosidade ou algo assim, embora tudo isso tenha um papel de grande relevância na sua vida, conforme as suas crenças e valores. Estou falando de estudos científicos, publicados em muitos artigos de instituições sérias, que provam que a gratidão tem a frequência (entenda como ondas de rádio FM, por exemplo) mais alta que a do amor, inclusive, o que é até espantoso, pois se entende o amor como força maior de tudo sendo, então o hábito da gratidão, imensamente impactante na vida de quem o experiência.

Praticar a gratidão é um ato de amor a si mesmo, de respeito por quem você é e pelo que já construiu na vida até aqui. Para os próximos passos, você pode criar um planejamento, pode ir colocando cada tijolinho com os olhos no futuro e, certamente, vai alcançar os seus objetivos.

A questão é que você estará aproveitando o caminho, a jornada, cada passo, cada tombo e arranhão. Até mesmo as feridas que sangraram, mas o tornaram mais fortes e valentes para os desafios que irão surgir.

Você vive treinando a mente para ser melhor, mais resiliente. Você vive enquanto treina e treina enquanto vive. O que o torna um “jogador” com muito mais vantagens em relação àqueles que só deixam a vida os levar.

Tiger Woods já dizia: “quanto mais eu treino, mais sorte eu tenho“!

Todo ser humano passa por grandes processos de decisões difíceis, que podem parecer intransponíveis até, no momento. Procure olhar de fora os seus, finja que é com um amigo.

O que diria para ele fazer? Coma aconselharia que ele encarasse tudo? E você, tem feito assim? Enfrenta com coragem para superar o obstáculo ou se coloca no papel de vítima? Você é grato pelas suas dificuldades, vendo-as como oportunidades de crescimento que a vida está lhe oferecendo? Ou escolhe ver o copo meio vazio sempre, como foco no que falta para ser feliz?

Lembre-se, sempre, que as escolhas são suas. O seu castelo está sendo erguido por você, mais ninguém. Com autorresponsabilidade, você fundamenta com alicerces sólidos, duradouros. Com a culpa nos outros, você faz um castelo de cartas, frágil, débil, prestes a ruir. O resultado é certo e coerente com as suas escolhas, o seu comportamento e as suas ações.

Faça valer a pena essa maravilha que é a vida, com todas as suas imperfeições, sendo perfeita. Porque é a sua vida.

Se não souber por onde começar, peça ajuda, pesquise, vá em busca do melhor para você. Pare de esperar, ninguém vai fazer isso em seu lugar. Ninguém. E se alguém fizer, você perde o mérito e fica mais insatisfeito ainda.

Reaja agora, lute agora, mude seus pensamentos e veja a mágica acontecer. Nada muda, você muda, tudo muda. O mundo muda porque você mudou! Seja feliz hoje!

A PRIMEIRA IMPRESSÃO

11/10/2020 às 16h05

Certamente, você já ouviu falar daquela expressão “a primeira impressão é a que fica”, não é mesmo? E isso faz sentido para você? Concorda?

Por mais que possa até parecer injusto, pois nem sempre se está preparado para ser apresentado a alguém novo ou se está bem distraído em um trabalho ou tarefa diária, quando um ser humano que você nunca viu antes dá um olá, é a mais pura verdade.

A neurociência explica isso de forma bem simples: são nos primeiros dois ou três segundos que a sua mente faz toda uma interpretação e um juízo de valor da outra pessoa, com base em todas as crenças e valores que você tem. E vice-versa. Todas as pessoas são assim, pois essa é a forma mais básica que o cérebro tem de “registrar” alguém na memória.

Então, quer dizer que essa primeira impressão é fixa e não pode mais ser modificada depois, caso tenha sido negativa, por exemplo? Quase isso! Você precisa se esforçar muito para muda-la, posteriormente.

Quando você pensar e entender que todo esse processo acontece de forma automática e inconsciente, ou seja, você não sabe que está gravando essas informações no momento exato em que está conhecendo alguém, acaba ficando sem controle sobre quais dessas informações serão armazenadas para poder escolher as que mais lhe interessam, por isso as suas crenças básicas é que entram em ação e “salvam os arquivos” para posterior consultas, quando pensar na pessoa, em outro momento.

É mais ou menos assim: se você aprendeu que pessoas com tatuagem e cabelos exóticos, fora do padrão, são pessoas perigosas, que devem ser afastadas por serem “más”, automaticamente, você vai “sentir” uma certa antipatia em relação a alguém com tais características, quando a conhece, mesmo sem ter conversado ainda para “testar” se é verdade ou não. Você, simplesmente, não gosta dela e nem sabe explicar por que razão.

Já se, para você, pessoas com tal descrição são muito criativas e gostam de se destacar por serem diferentes e oferecerem novidades ao mundo, você vai “gostar” dela, vai ter curiosidade para saber mais a seu respeito e se “sentir bem” próxima a ela, mesmo sem saber por que também. Apenas sente uma simpatia que, logicamente, acaba sendo recíproca, pois todo mundo consegue perceber se é bem quisto ou não em um ambiente ou por uma pessoa.

Então, para mudar uma primeira impressão negativa, você precisa ter consciência disso, precisa se esforçar para querer mudar a imagem registrada pela outra pessoa, caso isso seja importante, por qualquer motivo. Um cliente que interesse ao seu negócio, por exemplo.

E você conseguirá mudar essa imagem através de um segundo momento, em que poderá apresentar outras características suas, a inteligência e a competência, por exemplo. Claro que é bem mais difícil conseguir essa segunda oportunidade com alguém, principalmente, se este alguém, por qualquer razão, não gostou de você, anteriormente. Vai precisar de muito empenho seu e um certo interesse do outro em lhe ouvir. Caso contrário, não acontece.

Dessa forma, a melhor opção é estar sempre atento ao seu comportamento em público, à sua imagem pessoal agradável e alinhada com quem você é, com a sua profissão e todos os papéis que desempenha na sociedade. Ser você mesmo é estar consciente de si, dos seus valores e de como todo esse conjunto pode impactar nos outros. Quanto mais cuidar da sua postura, melhor será a receptividade de quem está à sua volta, considerando que isso seja importante para você.

Seja uma pessoa que transmite algo bom, através do seu sorriso natural, de um português bem falado, de bons conteúdos e leituras para conversas significativas e de valor. Ninguém está feliz o tempo todo, isso seria utopia. No entanto, manter o cuidado consigo mesmo, um sorriso simpático e ótima educação, sempre abrem portas e outros sorrisos!

A PRIMEIRA IMPRESSÃO

09/10/2020 às 09h46

Certamente, você já ouviu falar daquela expressão “a primeira impressão é a que fica”, não é mesmo? E isso faz sentido para você? Concorda?

Por mais que possa até parecer injusto, pois nem sempre se está preparado para ser apresentado a alguém novo ou se está bem distraído em um trabalho ou tarefa diária, quando um ser humano que você nunca viu antes dá um olá, é a mais pura verdade.

A neurociência explica isso de forma bem simples: são nos primeiros dois ou três segundos que a sua mente faz toda uma interpretação e um juízo de valor da outra pessoa, com base em todas as crenças e valores que você tem. E vice-versa. Todas as pessoas são assim, pois essa é a forma mais básica que o cérebro tem de “registrar” alguém na memória.

Então, quer dizer que essa primeira impressão é fixa e não pode mais ser modificada depois, caso tenha sido negativa, por exemplo? Quase isso! Você precisa se esforçar muito para muda-la, posteriormente.

Quando você pensar e entender que todo esse processo acontece de forma automática e inconsciente, ou seja, você não sabe que está gravando essas informações no momento exato em que está conhecendo alguém, acaba ficando sem controle sobre quais dessas informações serão armazenadas para poder escolher as que mais lhe interessam, por isso as suas crenças básicas é que entram em ação e “salvam os arquivos” para posterior consultas, quando pensar na pessoa, em outro momento.

É mais ou menos assim: se você aprendeu que pessoas com tatuagem e cabelos exóticos, fora do padrão, são pessoas perigosas, que devem ser afastadas por serem “más”, automaticamente, você vai “sentir” uma certa antipatia em relação a alguém com tais características, quando a conhece, mesmo sem ter conversado ainda para “testar” se é verdade ou não. Você, simplesmente, não gosta dela e nem sabe explicar por que razão.

Já se, para você, pessoas com tal descrição são muito criativas e gostam de se destacar por serem diferentes e oferecerem novidades ao mundo, você vai “gostar” dela, vai ter curiosidade para saber mais a seu respeito e se “sentir bem” próxima a ela, mesmo sem saber por que também. Apenas sente uma simpatia que, logicamente, acaba sendo recíproca, pois todo mundo consegue perceber se é bem quisto ou não em um ambiente ou por uma pessoa.

Então, para mudar uma primeira impressão negativa, você precisa ter consciência disso, precisa se esforçar para querer mudar a imagem registrada pela outra pessoa, caso isso seja importante, por qualquer motivo. Um cliente que interesse ao seu negócio, por exemplo.

E você conseguirá mudar essa imagem através de um segundo momento, em que poderá apresentar outras características suas, a inteligência e a competência, por exemplo. Claro que é bem mais difícil conseguir essa segunda oportunidade com alguém, principalmente, se este alguém, por qualquer razão, não gostou de você, anteriormente. Vai precisar de muito empenho seu e um certo interesse do outro em lhe ouvir. Caso contrário, não acontece.

Dessa forma, a melhor opção é estar sempre atento ao seu comportamento em público, à sua imagem pessoal agradável e alinhada com quem você é, com a sua profissão e todos os papéis que desempenha na sociedade. Ser você mesmo é estar consciente de si, dos seus valores e de como todo esse conjunto pode impactar nos outros. Quanto mais cuidar da sua postura, melhor será a receptividade de quem está à sua volta, considerando que isso seja importante para você.

Seja uma pessoa que transmite algo bom, através do seu sorriso natural, de um português bem falado, de bons conteúdos e leituras para conversas significativas e de valor. Ninguém está feliz o tempo todo, isso seria utopia. No entanto, manter o cuidado consigo mesmo, um sorriso simpático e ótima educação, sempre abrem portas e outros sorrisos!