Revista Statto

MITOLOGIA E À RELIGIÃO

11/12/2020 às 10h41

Quando pensamos em Mitologia, não pensamos que um dia ela foi uma Religião, que foi seguida por milhares de pessoas. E depois vemos as Religiões de agora, podemos perceber grandes diferenças entre esses dois períodos. Na Antiga Grécia, eles eram politeístas, ou seja, tinham vários Deuses um para cada fenômeno ou explicação. Por exemplo, eles explicavam o fato da amora ter essa cor pelo seguinte: Um casal foi proibido de se casar, por isso planejaram fugir, mas ambos acabaram se matando e o sangue se infiltrou na amoreira fazendo com que ela tivesse essa cor características. E muitos outros Mitos, explicam o surgimento de Animais ou Fenômenos como resultado de mortais sofrendo uma grande perda, ou dos Deuses fazendo um grande castigo. Mas sempre tinha algo em comum, que era o fato dos mortais tentarem desafiar os Deuses. Seja diretamente, ou indiretamente. Como Aracne, ele foi dizendo que era melhor Tecelão que Atena, e por isso acabou numa competição com a própria Atena e como castigo por desafiar os Deuses. Ela foi transformada em uma Aranha, e obrigada a tecer para sempre suas teias. Isso acabava formando um medo divino, e uma lição para os Gregos. Que deviam sempre agradar os Deuses, se não seriam castigados.

Mas vamos ao tempo de hoje, podemos perceber que esse medo diminuiu, mas não sumiu. Temos histórias religiosas de milagres, que mostram como o Divino é bom e misericordioso. Ao contrário do que acontecia no passado, o Deus de hoje é monoteista. Pelo menos a maioria das religiões têm somente um Deus, o qual se deve a qualquer acontecimento bom. Enquanto que os acontecimentos ruins, são devidos a uma entidade contrária a Deus e que está sempre num tipo de disputa sobre quem se deve o controle dos humanos. Ao contrário que na Mitologia, não existia uma entidade totalmente boa ou totalmente ruim. Elas eram as duas coisas, podendo ter grande irá ou grande benevolência. Alguns acreditam, que a entidade Hades, que era Deus dos Mortos e das Riquezas. Era ruim, uma versão mais antiga que hoje temos como Lúcifer. Acontece que esse pensamento, não é completamente correto. Hades de modo algum era bom, mas também não era ruim. Ele simplesmente era uma Entidade que lidava com os mortos, e pelo motivo que os Mortais temem a morte, consequente temiam Hades. Sendo que na verdade, o Deus da Morte era Tânatos, enquanto que Hades era somente que regia aquele Reino.

Enquanto que hoje temos uma visão diferente da morte, alguns a temem por pensam que o depois é um lugar horrível, ou que não existe nada além da morte. Enquanto que aqueles que seguem uma religião, têm uma visão mais simples da morte, que se seguir aquelas regras descritas em sua Religião vão para o Céu. Acontece que às vezes às Regras não são claras, ou até mesmo se contradizem entre si. E pensando de forma Mitológica, podemos perceber que no passado importava ser respeitoso com os Deuses, da mesma forma que se tentava marcar a história. Se você fosse conhecido por ser uma pessoa ruim, acabava indo para o Tártaro, e se fosse uma boa pessoa iria para Elísios. As únicas regras, era ser bom, marcar toda a sua vida por bondade e se fosse realmente bom se tivesse a chance de renascer. Às Religiões de agora, prezam os humanos que estão acima de tudo e de todos. Enquanto que às religiões mais antigas, que hoje são consideradas Mitologias, prezava acima de tudo a natureza e estar em paz com ela. Por isso podemos ver como o pensamento humano mudou, de pensar na natureza ao pensar no humano como acima de todos.