Revista Statto

AOS AMIGOS

14/12/2020 às 09h50

Não há fortuna maior neste mundo que seja capaz de comprar a amizade. A riqueza humana não devia ser medida em carros, joias ou propriedades, mas no brilho que olhos podem ter, no sorriso largo e franco que você pode dar a vida e nos amigos que você conquista ao longo da existência. Notem, senhoras e senhores, amigos não se têm como móvel para antiquário, mas se conquistam, pois ao todo momento, somos tocados por eles que sempre nos fazem melhor. Por mais caprichoso que o tempo e o destino podem ser, sempre, teremos dívidas de gratidão para com eles, carinho, ternura, lembranças e aprendizado.

A minha maior riqueza são os amigos que a vida me presenteou, realmente eles são para qualquer hora. Há amigos que são ótima companhia para aquele fim de tarde, naquele domingo tedioso, estão prontos para o sorvete na praça ou apenas para contemplar aquela vida besta de interior e mesmo assim a gente se diverte vendo a vida passar e fazendo atualização das fofocas.

Há outros amigos de festa, que tem um astral inigualável e um fôlego para balada que não se pode comparar e ainda te dão carona e leva para comer frango na feira de madrugada. Há outros que são seus psicanalistas gratuitos que apenas te escutam quando tem o coração partido, estão carentes ou mesmo bêbados. Esse tipo de amigo não há preço que paga, ele é tão bondoso que compra doce para curar a sua ressaca e cachaça com música de corno para curar a sua dor de cotovelo.

Há os amigos tropa de elite, esses te defendem do mal, estão prontos a bater em quem te magoar, põe na parede aquele cara que está tem enrolando, te mantém longe de confusão e são sua razão quando você quer correr atrás de quem não presta e ele sabe que essa pessoa vai te magoar, por que ela não te merece mesmo.

Os amigos professores, que te ensinam qualquer coisa e te encantam: sabe aquele amigo que te ensina a fazer baliza, num domingo à tarde, ou aquele que deita no seu sofá e é capaz de ler Foucault de um jeito tão dele e tão simples que te faz entender algo tão complexo. Você coloca as mãos no queixo e se deleita só com o jeito que ele fala. ”Nossa como ele é tão inteligente e fofo”. Outros tem aquelas amigas que ensinam a se vestir, melhoram nosso português ruim e outros vão nos ensinar coisas que a escola nunca vai lecionar, como exemplo, como se livrar de cafajeste ou reconhecer um.

Nem tudo é só tragédia nessa epopeia grega, há os amigos guindastes, que te colocam para cima em segundos quando elogiam o seu perfume, ou dizem, Uau! Que gata, se me der moral, eu pego. Mal sabe um homem o poder de um elogio para uma mulher. Amigo não é só para horas boas, amigo de verdade é para as horas ruins: está ali sempre quando você está de fossa ou com o coração partido, ajuda na mudança, carrega peso, vira filho da sua mãe e já está integrado ao serviço de casa. Mas nunca é aquele que divide os lençóis e o tesão com você. Convenhamos, conhecer o outro bem, desde qualidades e defeitos e gostar dele mesmo assim, merece algo bem especial. Por que brincar com o sentimento alheio, isso a gente faz com estranho, amigo a gente namora mesmo, e se não queremos misturar as coisas é melhor ficarmos só amigo. Amizade sempre vale ouro e o coração e a carne sempre são vagabundos e traiçoeiros.

Não nos esqueçamos dos amigos parceiros, que são loucos de pedra, mas a gente ama, nos divertimos com pouco e não desejamos mal a ninguém, mas eles perdem a festa para levar você no hospital para tomar glicose, só para ter história para contar e mentir um pouco sobre o que você fez e simplesmente ri com você.

E para terminar essa lista há os amigos advogado do diabo que vão cutucar as nossas feridas, apontar nossos erros, porque realmente se importam, abalam nosso jeito de pensar, ficamos bravos, mas no fundo é para o nosso bem. Pedem-nos calma e paciência quando não queremos ter, querem nos matar quando a confusão é anunciada e mesmo assim a gente se mete sabendo que vai dar errado.

Os amigos são a família que gente escolhe e eu acrescentaria mais, o melhor que essa família seria o bando, pois ser de um bando significa: Não ser a família perfeita, mas ter família, estar mais perto que puder, cuidarmos um do outro, receber todas a forma de amor e ser tão abençoado com isso e fazer dos nossos momentos vividos um lar, cuidar e ser cuidado, importar-se.