Revista Statto

MERCADO FINANCEIRO: EVENTO GRATUITO APRESENTARÁ OPORTUNIDADES DA CARREIRA DE AAI

17/10/2020 às 07h46

Série “O novo dono do mercado financeiro” acontece de 20 a 26/10 e será transmitida ao vivo pelo canal da escola Eu Me Banco no Youtube

Destaque no ranking de profissões em alta no Brasil do Linkedln (11º da lista em 2020), os agentes autônomos de investimentos (AAI) despertam curiosidade entre as pessoas que trabalham ou pensam em seguir carreira no mercado financeiro. Para esclarecer dúvidas, apresentar as oportunidades e preparar o público para o exame de certificação da Ancord, a Eu Me Banco promove gratuitamente de 20 a 26/10 o evento “O novo dono do mercado financeiro”, que terá cinco painéis transmitidos ao vivo pelo Youtube. As inscrições estão abertas no site

https://materiais.eumebanco.com.br/onovodonodomercadofinanceiro.

Segundo dados divulgados em junho pela Ancord (Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários, Câmbio e Mercadorias) hoje existem apenas 10.400 AAIs em atividade no país – um aumento de 30% em comparação ao mesmo período em 2019. Nos Estados Unidos há mais de um milhão de pessoas trabalhando como assessor de investimentos – o que mostra o enorme potencial a ser explorado no mercado brasileiro.

Para Fabio Louzada, economista e CEO da Eu Me Banco, a escalada dos agentes autônomos representa uma grande mudança no setor de investimentos. Se antes os grandes bancos concentravam a contratação dos especialistas na área, hoje existe um universo maior de oportunidades para quem trabalha como autônomo para corretoras e escritórios de investimentos.

O profissional que tem certificações, sobretudo a Ancord, obrigatória para atuar como AAI, e que domina as competências práticas para prestar assessoria de investimentos, tem o mercado aos seus pés. Entre todos os profissionais habilitados para atuar no setor, o que tem maior potencial de crescimento é o agente autônomo“, afirma Louzada, que recentemente lançou o projeto Você AAI (@voceaai), que fomenta a capacitação e estimula o intercâmbio de conhecimento entre os profissionais da área.

Além do evento “O novo dono do mercado financeiro”, a Eu Me Banco abre no dia 27/10 as inscrições para a segunda turma do programa de Formação AII. Os alunos terão acesso ao programa pelo período de um ano e poderão fazer online os cursos para a Certificação Ancord, de HP 12c e o AAI na Prática – com mais de 40 horas de conteúdo voltados para o ensino das capacidades técnicas, comerciais, de planejamento patrimonial e de empreendedorismo fundamentais para o sucesso do agente autônomo.

Além da ementa de cursos, o programa oferece consultoria de carreira com Ronaldo Cerqueira e tem como mentores Eduardo Silva Vieira (EQI Investimentos), Felipe Martins Passero (sócio do InvestSmartXP), João Guilherme Penteado (sócio fundador e diretor da Apollo Investimentos), Rodrigo Azevedo (gestor da GT Capital) e Thiago Kurth Guedes (ex-sócio da XP Investimentos, hoje responsável pela área de expansão da plataforma de assessores do Banco Digital Modalmais).

Programação “O novo dono do mercado financeiro”

20/10 – Formação AAI

Os inscritos irão participar de uma imersão do programa junto aos mentores parceiros do SafraInvest, XP Investimentos, Guide, Modalmais e BTG Pactual.

21/10 – Oportunidades da carreira como agente autônomo de investimentos.

22/10 – Construindo com quem constrói

Apresentação de profissionais que começaram do zero e hoje exercem a profissão de AAI.

25/10 – Preparação para a certificação Ancord

Transmissão ao vivo durante 7 horas com foco na preparação para o exame da Ancord (correção da prova e tira-dúvidas com professores).

26/10 – Onde e como trabalhar no mercado financeiro

Orientações para quem quer seguir carreira no mercado financeiro, com apresentação de oportunidades para profissionais de diferentes níveis de capacitação.

INAITEC OFERECE CRÉDITO DE ATÉ R$ 50 MIL PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

16/10/2020 às 09h19

No mês que o Instituto de Apoio à Inovação, Ciência de Tecnologia de Palhoça (INAITEC) completa 10 anos, mais um auxílio ao empreendedorismo chega às empresas em crescimento da região Sul.  Serão R$ 50 milhões em crédito para capital de giro para micro e pequenas empresas sem a necessidade de garantia.

O valor vem de um convênio com o Banco Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e os empreendedores não têm necessidade de garantia para adquirir empréstimos que variam de R$ 20 mil a R$ 50 mil por empresa. “A taxa de juros é atrativa (0,61% ao mês) e nosso objetivo é dar suporte para as empresas inovarem, crescerem e passarem pela crise. São 30 meses de prazo para pagamento e são 18 meses de carência. É uma maneira de aliviar o empreendedor e mantê-lo a salvo em um momento tão complexo. É um começo para retomada da economia“, explica Diego Chierighini, diretor executivo do Inaitec.

A inscrição para aderir ao plano é feita de forma digital para facilitar o acesso por meio do site http://inaitec.aplicativo.digital/#. Contudo, algumas exigências básicas precisam ser cumpridas pelas empresas: regularidade cadastral aplicável, ter mais de dois anos de constituição, estar livre de débitos pendentes e não constar pedido de falência ou recuperação judicial.

O Crédito Digital Inaitec faz parte das ações dos 10 anos do Instituto. Precisamos ajudar a alavancar os negócios no país, preservando as portas abertas para uma economia sustentável pós pandemia“, finaliza Diego. Para mais informações, basta enviar um e-mail para creditodigital@inaitec.com.br

Sobre o Inaitec

Inserido no ambiente inovador do bairro Cidade Pedra Branca, o Instituto de Apoio à Inovação, Ciência e Tecnologia (INAITEC) apoia a criação de negócios de impacto na Grande Florianópolis.

Em uma década de existência, o INAITEC já atendeu mais de 250 empresas. Além disso, mantém ações educacionais e empresariais, com parcerias com a Prefeitura de Palhoça, Sebrae/SC e a Fundação de Apoio à Pesquisa Científica e Tecnológica do Estado de Santa Catarina, para a consolidação da Incubadora e crescimento do Parque Tecnológico Pedra Branca.

STARTUP INVESTE EM CONTEÚDO PARA AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTOS

07/10/2020 às 13h32

Projeto Você AAI estimula intercâmbio de conhecimento entre profissionais e fomenta a capacitação a partir de conteúdos gratuitos

O crescimento das corretoras de valores e estímulo ao empreendedorismo no mercado financeiro ampliou a área de atuação dos agentes autônomos de investimentos (AAI). Certificados pela Ancord – Associação Nacional de Corretoras e Distribuidores de Títulos e Valores Mobiliários, Câmbio e Mercadorias, esses profissionais sabem as regras dos produtos de investimentos, esclarecem dúvidas e aconselham os clientes que querem investir. A questão é: o número de profissionais qualificados é compatível com a demanda crescente do mercado brasileiro?

Com foco na construção de autoridade dos AAI em atividade, capacitação e formação de novos profissionais, a startup de educação Eu Me Banco lança em outubro o Você AAI (@voceaai). Usando o Instagram como plataforma, a iniciativa vai estimular o intercâmbio de conhecimento entre agentes autônomos em lives de segunda a sexta, e também fará publicações diárias com conteúdo voltado para o ensino de competências que integram a rotina do agente autônomo.

A profissão vem ganhando destaque à medida que os recursos dos investidores, antes concentrados nos grandes bancos, passaram a migrar cada vez mais para as corretoras. Bancos como Bradesco e Safra, inclusive, investiram em corretoras próprias (Ágora Investimentos e Safra Invest) para acompanhar as mudanças no mercado. A movimentação fez crescer o número de vagas destinadas aos agentes autônomos, cujo regime de remuneração (feito com base no desempenho do profissional) é visto como o modelo do futuro.

Fabio Louzada, economista e CEO da Eu Me Banco, explica que 10 professores (todos oriundos do PAAP – Programa Advisor de Alta Performance) cuidarão da produção de conteúdo e da mediação das lives com representantes de corretoras, profissionais de recursos humanos e AAIs que são referência no país.

“Queremos dar voz para que todas as corretoras e escritórios de investimentos possam compartilhar suas rotinas e percepções sobre o mercado, criar oportunidades para que os nossos alunos e pessoas que desejam crescer como agentes autônomos possam trocar ideias e ampliar seu conhecimento específico sobre o tema”, afirma Louzada ao explicar a dinâmica do Você AAI.

Programa de formação de AAI abre nova turma

Além do lançamento do Você AAI, a Eu Me Banco abrirá na segunda quinzena de outubro a nova turma do programa de formação de AAI. Os participantes terão acesso às aulas pelo período de um ano e poderão fazer online o curso preparatório para a Certificação Ancord, o curso de HP12C (calculadora essencial para quem atua no mercado financeiro) e o curso AAI na Prática – com mais de 40 horas de conteúdo voltados para o ensino da capacidade técnica, comercial, de planejamento patrimonial e de empreendedorismo fundamentais para o sucesso do agente autônomo.

Além da ementa de cursos, o programa oferece consultoria de carreira com Ronaldo Cerqueira e tem como mentores Eduardo Silva Vieira (EQI Investimentos), Felipe Martins Passero (sócio do InvestSmartXP), João Guilherme Penteado (sócio fundador e diretor da Apollo Investimentos), Rodrigo Azevedo (gestor da GT Capital) e Thiago Kurth Guedes (ex-sócio da XP Investimentos, hoje responsável pela área de expansão da plataforma de assessores do Banco Digital Modalmais).

Sobre a Eu Me Banco

A Eu Me Banco, fundada em março de 2019, tinha como propósito inicial preparar bancários e interessados em ingressar no mercado para exames de certificações financeiras. Atenta às demandas do setor, em pouco mais de um ano a startup mudou de endereço e ampliou seu espaço físico, fez novas contratações e lançou o Programa Advisor de Alta Performance (PAAP) e o programa de formação de AAI (agente autônomo de investimentos), que integram cinco pilares da formação do profissional de investimentos: cursos preparatórios para certificações, carreira, prática profissional, acompanhamento com tutores especializados e networking.

O CEO e cofundador da Eu Me Banco, o economista Fabio Louzada, é o profissional com mais certificações nacionais em investimentos (CPA-10, CPA-20, CEA, CFP®, CGA, CNPI, PQO e AAI) e membro da comissão de educação da Associação Brasileira de Planejadores Financeiros (Planejar). Com mais de 12 anos de carreira, acumula passagens como assessor de investimentos na área de alta renda nos bancos Bradesco Prime, Santander Select, Citigold e Itaú Personnalité. Está entre os perfis do mercado de investimentos de maior influência no LinkedIn Brasil e soma, juntamente com seu perfil no Instagram e canal no Youtube, mais de 115 mil seguidores.

Para mais informações sobre cursos e acesso a conteúdo exclusivos voltados para mercado financeiro e carreira na área de investimentos, acesse www.eumebanco.com.br.

MOBILIDADE ELÉTRICA NO TEDXSAVASSI COUNTDOWN

07/10/2020 às 09h42

Mahatma Marostica, fundador da Mobilis, apresentará o veículo elétrico Li e suas percepções sobre o carro como serviço

A startup catarinense  Mobilis Veículos Elétricos está entre as empresas confirmadas na mostra de tecnologia e iniciativas contra a mudança climática do TEDxSavassi Countdown, que acontece no próximo dia 10. O engenheiro mecânico Mahatma Marostica, fundador da Mobilis, apresentará um pitch de 7 minutos sobre mobilidade elétrica e as soluções desenvolvidas pela empresa que contribuem para redução das emissões de GHG (gases do efeito estufa), apoiando no combate contra as mudanças climáticas.

O TEDx é uma das maiores vitrines de ideias ‘fora da caixa’, criadas por empreendedores que usaram a inovação para desenvolver produtos e serviços alinhados com um projeto de futuro mais limpo e combatente às mudanças do clima. Vou apresentar o Li, nosso veículo elétrico, e falar sobre como a trajetória da Mobilis mudou nossa percepção sobre a posse do automóvel. A mobilidade do futuro está muito mais alinhada ao conceito do carro como serviço“, explica Marostica.

Countdown é uma menção a contagem regressiva que busca responder a cinco perguntas fundamentais interconectadas que ajudam a informar um plano para um futuro mais limpo nas áreas de energia, transporte, materiais, alimentação e natureza.

A programação reunirá cientistas, ativistas, empreendedores, planejadores urbanos, fazendeiros, CEOs, investidores, artistas, funcionários do governo e outros para encontrar soluções ousadas e inovadoras, baseadas em evidências e viáveis para ativação.

O TEDxSavassi Countdown ocorre neste sábado, 10 de outubro, às 7 horas. Os ingressos custam a partir de R$ 30 e podem ser adquiridos na plataforma  Doity. Para mais informações, basta acessar o site. https://www.tedxsavassi.com/countdown.

FEAT GASTRONÔMICO NA SERRA CATARINENSE

22/09/2020 às 13h22

A equipe do Lūdum sobe a Serra no próximo final de semana para servir um menu especial em parceria com o chef Pedro Soares – que vem de temporadas bem-sucedidas na Dinamarca, Espanha, México, Suécia e Noruega.

Ao lado do anfitrião, o empório Quintal di Catarina, os chefs criaram uma experiência em 15 tempos, com pratos preparados com produtos artesanais sustentáveis da Serra catarinense. Destaque para receitas inéditas com queijos, charcutaria e cogumelos fornecidos pela casa, além de surpresas que prometem despertar o sabor afetivo da cozinha regional.

O menu será servido nos dias 25 e 26 de setembro, a partir das 18 horas, no espaço do Quintal di Catarina em Bom Retiro (SC). Devido à pandemia de Covid-19, os lugares são limitados.

Para mais informações e reservas, basta entrar em contato pelo Instagram @ludumcozinha ou pelo WhatsApp (48) 99173-0926.

Serviço

O quê? Quintal di Catarina recebe Lūdum & Pedro Soares

Quando: 25 e 26/09, às 18h

Onde: BR-282, Bom Retiro/SC

Quanto: R$ 279 por pessoa

Menu: Pão de cúrcuma e pato; tortinha de ricota trufada; pão de queijo de ovelha; cannoli de truta; sonho de cogumelo; cracker e tartare de frescal; kombucha de araçá; ostra defumada; ovo e milho criolo; Quintal di Catarina; pescado com dashi; porco com marmelo; smile; cuca; bombom.

Reservas: @ludumcozinha | (48) 99173-0926

BANCÁRIOS BUSCAM CERTIFICAÇÕES PARA SOBREVIVER ÀS MUDANÇAS DO MERCADO

18/09/2020 às 11h30

Equipes de bancos e cooperativas investem em cursos preparatórios para exames de certificações financeiras. “Selo de qualidade” é visto como diferencial por gestores e abre portas na carreira.

O avanço da tecnologia, bem como as demandas cada vez mais personalizadas de atendimento, configuram um caminho sem volta no mercado de investimentos. Para sobreviver, o profissional deve buscar conhecimento e se antecipar às tendências, que apontam mudanças estruturais importantes no setor.

De acordo com Ronaldo Cerqueira, consultor de carreiras, “em breve cargos que atuam na linha de frente em agências tradicionais deixarão de existir e descortinarão oportunidades em outras áreas“. E os bancários sabem disso, ou melhor, sabem exatamente onde devem mirar para impulsionar a carreira: nas certificações.

No Brasil, diferente do que ocorre nos Estados Unidos, as certificações não são obrigatórias para quem trabalha dentro dos bancos, mas existe um movimento de valorização dos profissionais certificados dentro das instituições.

Há pouco mais de dois anos, a Caixa passou a exigir a CPA-20 para todos os gerentes de contas das agências, independente do segmento em que atuam. No Bradesco, o programa #certificaBRA incentiva gerentes de varejo e Prime (que atendem clientes de alta renda) para que busquem as certificações CPA-20 e CEA, destinada para aqueles que prestam consultoria em planejamento de aplicações – os chamados especialistas de investimentos.

Equipes de outras instituições também se articulam para incluir a certificação no currículo. Em agosto, nove colaboradores do SICOOB participaram do curso preparatório para certificações da EMB Escola de Investimentos. Em setembro, uma turma com 30 alunos do Itaú também se reunirá com professores da EMB para focar nos estudos e passar nas provas aplicadas pela Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais).

O economista Fabio Louzada, da EMB Escola de Investimentos, é egresso do setor bancário e viu na própria saga em busca das certificações uma oportunidade. “Na minha época, há 12 anos, não existia incentivo, notei a escassez de materiais que preparassem os profissionais para os exames de certificação. Criei a Eu Me Banco em 2019 com esse propósito, inicialmente dando suporte para quem, assim como eu, percebeu a importância de ter esse selo de qualidade para se diferenciar no mercado“.

Com o tempo cresceu também a demanda das próprias instituições por cursos para preparar funcionários para certificações. Para realizar os atendimentos B2B, Louzada fundou em agosto a EMB Escola de Investimentos, que leva a expertise da Eu Me Banco – que já atendeu mais de 5 mil alunos – para equipes de bancos e cooperativas de todos os estados do Brasil.

128 mil profissionais têm CPA-20 e CEA no país!

Segundo o Sumário Estatístico de Certificação da Anbima, no Brasil pouco mais de 119 mil profissionais têm a certificação CPA-20 e outros 9.212 possuem CEA (dados obtidos em junho de 2020). O número de certificações emitidas é um pouco maior, porém, uma parte dos profissionais deixou a certificação vencer.

Os anúncios de fechamento de agências e tendência à extinção de vagas no sistema bancário deu início a uma corrida por capacitação para pleitear promoções internas ou recolocação profissional em vagas destinadas a especialistas de investimentos.

É questão de tempo até as certificações deixarem de ser um plus para se tornarem obrigatórias nos bancos. Fora do sistema bancário, as certificações CFP e ANCORD já são obrigatórias para planejadores financeiros e agentes autônomos de investimentos. A mudança está acontecendo e as instituições tradicionais precisam rever a política de certificações. Os investidores estão mais bem informados do que nunca e precisam de especialistas qualificados para perceber valor no atendimento“, argumenta Fabio Louzada.

Por conta da pandemia de Covid-19, a EMB realiza aulas ao vivo pela plataforma Zoom, com data e hora marcadas, onde os alunos interagem com dois professores. A ideia é também realizar o atendimento in loco nas instituições que desejarem ver seus colaboradores à frente da concorrência, certificados com CPA-20 ou CEA.

Além das aulas, a escola fornece acesso à plataforma de estudos com videoaulas e simulados pelo período de três meses e suporte com professores no Telegram. Para mais informações, acesse http://materiais.eumebanco.com.br/emb-escola-de-investimentos.

INTERVENÇÃO GASTRONÔMICA É CARRO-CHEFE DO LŪDUM COZINHA

25/08/2020 às 17h26

Espaço dos chefs Matheus Emerick, Eduardo Capela e Tiago Soar provoca os sentidos: lança mão da cozinha criativa e alimenta corpos famintos por comida e arte

A casa n° 77 da estreita Rua Fernando José de Andrade pode passar despercebida por quem transita pelo charmoso bairro do Sambaqui, em Florianópolis (SC). Sem fachada, nem alarde, o Lūdum Cozinha abriu as portas para ser um refúgio de aromas e sabores em meio ao isolamento social.

Juntos, os chefs Matheus Emerick e Eduardo Capela estruturaram um espaço que une vivências gastronômicas, artísticas e de aprendizagem, onde a liberdade de criação e interatividade entre público e anfitriões dão o tom da experiência.

Cozinhar, assim como tudo que mexe com os sentidos, é uma manifestação artística. Faz parte da nossa cultura – ou deveria ser – manter um relacionamento saudável com o alimento que servimos à mesa“, explica Matheus, cozinheiro profissional desde os 15 anos e recentemente apresentado ao grande público no programa Top Chef Brasil.

O respeito pelos alimentos e a cozinha criativa são pontos que Matheus e Eduardo Capela têm em comum – e que atraiu recentemente para o projeto o chef Tiago Soar. Capela, também à frente dos almoços secretos do projeto Farm Citizen, é um dos expoentes do conceito da fazenda à mesa em Santa Catarina. “Temos vários parceiros aqui no Lūdum, logo, sabemos de onde vem nossos peixes, frutos do mar, chocolates, sorvetes, frutas, verduras e tudo mais. Para nós essa cadeia direta é muito importante”, comenta o chef.

Além dos jantares servidos de quinta-feira a sábado, a casa serve almoço aos domingos – sempre com menus inéditos a cada semana. Para participar da experiência, as reservas prévias pelo Instagram @ludumcozinha são obrigatórias – no momento, a casa está operando com metade da sua capacidade, ou seja, recebe até 16 pessoas.  O  Lūdum serve exclusivamente menu degustação, com valores a partir de R$ 210 para os jantares e R$ 139 para os almoços (o preço varia de acordo com a proposta do cardápio).

“Não somos um restaurante”

O ambiente aconchegante e equipe enxuta tornam o clima intimista para quem entra no Lūdum Cozinha. As cinco mesas e a lareira sempre acesa se fundem com as intervenções artísticas dispostas nas áreas externa e interna.

“O Lūdum também é uma galeria de artes, com exposição e venda de trabalhos de artistas locais”, destaca o chef Matheus Emerick. No local é possível conhecer as esculturas e pendentes de  Anna Moraes (@anmoraess), as cerâmicas utilitárias do Tily (@t00dless), e quadros de Bruno Brasil (@tudix_ist) e Augusto Vanin Roglio (@spyke_opc).

As louças do acervo da casa elevam o nível das apresentações e provocam quem come a interagir de outras formas com as delícias do menu. Alguns pratos são finalizados na mesa enquanto os chefs apresentam pessoalmente os ingredientes e processos de preparo de cada iguaria.

Nossas refeições são feitas para degustar sem pressa, os jantares têm em média 10 tempos e os almoços, quatro. Tudo no menu, desde a criação dos pratos à seleção dos ingredientes, tem um porquê. Não somos um restaurante tradicional, o que propomos é uma intervenção gastronômica para quem busca imergir em novas formas de se relacionar com a comida“, instiga Eduardo Capela.

Agenda Lūdum: cursos, entretenimento e chefs convidados

Enquanto aguardam a vacina contra Covid-19, os gestores do Lūdum Cozinha focam em concluir a reforma dos espaços que serão futuramente usados para dar cursos presenciais de capacitação voltados para gastronomia e artes.

Também estão nos planos o lançamento do Lūdum Cast no Spotify (com ASMR e áudios capturados na cozinha), e gravação de cursos em vídeo para divulgação no Youtube e em plataformas de cozinheiros parceiros.

Nos dias 28 e 29 de agosto, Emerick, Capela e Tiago Soar promovem mais uma edição do Lūdum Convida, com participação do chef Rafael Terrassi (@rafaelterrassi), residente em Curitiba (PR) e conhecido pela alquimia saborosa feita com produtos clássicos da cuisine francesa. Ainda não sabemos ao certo quais serão os pratos, nem o valor por pessoa para este menu, mas para o público (aparentemente) isso não faz diferença, o que importa é estar lá: as reservas já estão esgotadas.

Serviço – Lūdum Cozinha

Onde: Rua Fernando José de Andrade, n.° 77, Sambaqui, em Florianópolis (SC).

Reservas: @ludumcozinha

Mais informações: (48) 99173-0926

Crédito fotos: Linda Laranja Fotografia

ACELERAÊ: AGÊNCIA CAPACITA PORTA-VOZES PARA FALAR SOBRE INVESTIMENTOS

19/08/2020 às 11h15

Com estúdios em SP e SC, agência dará treinamento e visibilidade para alunos da startup Eu Me Banco que criam conteúdo sobre mercado financeiro

As redes sociais abriram portas para que todos tivessem voz e espaço para compartilhar rotinas e conhecimento. Com tanto material disponível na rede, a relevância do autor e do conteúdo são o que separam “o joio do trigo”, servem como garantia para quem lê ou assiste algo em busca de informação.

Ao contrário do que prega o core de muitas agências, a Aceleraê não vai partir para o mercado para vender conteúdo para empresas. A ideia é valorizar a prata da casa, no caso, os especialistas e assessores de investimentos formados pela startup de educação Eu Me Banco. “A agência vai impulsionar esses talentos e ajudá-los nessa caminhada no meio digital“, conta a CEO da Aceleraê, a administradora Francielly Vieira Louzada.

A princípio, a Aceleraê dará mentoria para alunos do Programa Advisor de Alta Performance (PAAP), principal projeto de formação da Eu me Banco, atualmente com 550 profissionais matriculados.

Muitos deles produzem artigos e postagens sobre o mercado financeiro, mas não dominam questões técnicas de redação e design, nem sabem como distribuir esse conteúdo ou como aprimorá-lo para impactar mais pessoas. O objetivo final é que abasteçam os pontos de contato da Eu Me Banco (blog e perfis nas redes sociais) e participem do desenvolvimento dos cursos da startup. Todos serão remunerados com uma porcentagem do faturamento: a intenção é que agência e aluno cresçam juntos.

Francielly explica que investidores e profissionais de investimentos estão buscando novos conhecimentos na internet. A demanda existe, mas a oferta precisa de mais qualificação para atingir o objetivo de informar com credibilidade. “Ensinando boas práticas para os nossos alunos contribuímos para o processo de construção de autoridade. Nosso intuito é dar o treinamento e suporte necessários para que tenham segurança para atender novos investidores, para que se comuniquem melhor com o público“.

Estúdios ficarão em SP e SC

A agência Aceleraê prestará atendimento 100% online e contará com estúdios para gravação de cursos e conteúdo para redes sociais em São Paulo (SP) e Florianópolis (SC).

Com início das atividades previstas para setembro, a agência vai atuar com um time formado por três mentores: o economista Fabio Louzada, que identificará os talentos a serem assessorados entre os alunos do PAAP, Bruno Fontes Chapeton Samayoa, assessor de investimentos que irá focar no ensino técnico e acompanhamento, e Ronaldo Cerqueira, consultor de carreiras especialista em mercado financeiro que dará assessoria em aspectos comportamentais. Francielly cuidará dos processos internos e também vai compartilhar sua experiência como gestora de projetos da Eu Me Banco – a empresária é a responsável por alavancar o faturamento médio da empresa de R$ 20 mil para R$ 200 mil.

Apesar do foco principal ser capacitar porta-vozes para falar e produzir conteúdo sobre investimentos, futuramente não está descartada a possibilidade de ampliar a mentoria para pautas relacionadas a outras áreas. “Podemos ter especialistas ligados a business e comportamento, vamos acompanhar o desempenho dos alunos e da própria agência para ampliar nosso nicho de atuação“, conclui a CEO Francielly.

Para mais informações sobre a Aceleraê, acompanhe @agenciaacelerae nas redes sociais ou entre em contato pelo e-mail contato@aceleraelancamentos.com.br.

MODA PARA DURAR

13/08/2020 às 10h10

Pequenas marcas fortalecem o slow fashion brasileiro e usam as redes sociais como plataforma para venda e conscientização

Na esteira do minimalismo e dos debates cada vez mais frequentes sobre consumo consciente, o mercado da moda passa por um momento de reflexão.

De um lado, gigantes do mercado revisitam seu modus operandi em busca de inovações que transpareçam o “novo”, mas ainda preso às metas de manutenção do market share. O fast fashion quer ser light.

Do outro, um coletivo de pequenas marcas ganha espaço nas redes sociais e divide com o público um olhar mais gentil sobre a cadeia de produção que transforma a matéria-prima na roupa que nos veste no dia a dia.

O slow fashion ganha corpo e movimenta núcleos de costureiras e estilistas em polos de Norte a Sul do Brasil. Em Santa Catarina, o Vale do Itajaí há décadas é a Meca do setor têxtil na região, assim como a Serra Gaúcha e Cianorte, no Paraná.

Marcas como Aisla (@shopaisla), Bonnie (@bonniestudio_), Mandah (@mandahstore), Sóror Clothing Co. (@sororclothingco), Tipo Clari (@tipoclari), Seed (@seed_market) e Catharina Brand (@catharinabrandbr), entre tantas outras, prezam pela produção em escala artesanal, quase que on demand, e ofertam peças feitas para durar.

Educam os consumidores ao mesmo tempo que avançam num mercado dominado por grandes marcas e importações de origem duvidosa, usando como moeda de troca a personalização no atendimento, autenticidade e mood atemporal – desapegado dos frenesis da temporada.

Siomara Amorim, nome à frente da Catharina Brand, cuida pessoalmente dos processos da marca, desde a concepção das peças, passando pela escolha dos tecidos, confecção e vendas.

Como faço curso de costura, sempre fui de pesquisar muito pela internet, desde desfiles de moda, Pinterest, Instagram, arte. Ali surgiam as minhas ideias para costurar as peças, comecei a postar no meu Instagram pessoal e muita gente vinha perguntar de onde era a peça X. Na realidade, era eu quem fazia“, conta a empresária, formada em Comércio Exterior pela Universidade do Vale do Itajaí.

Batizada em homenagem ao estado de SC, a Catharina Brand está em atividade desde outubro de 2019, faz vendas pelo Instagram e no site www.catharinabrand.com.br – estratégia compartilhada por boa parte das pequenas marcas Brasil afora.

Sustentabilidade no centro do negócio

Há 4 anos descobri lojas incríveis de tecidos aqui na região do Vale do Itajaí. Duas especificamente trabalham com o retalho no varejo. Tecidos ótimos que são descartados pelas grandes empresas têxteis, alguns por conter pequenos defeitos e outros por serem sobras dos cortes. Hoje, as peças da Catharina são todas confeccionadas com retalhos destas lojas“, explica Siomara Amorim.

Lu Faria, CEO da Tipo Clari, compartilha com Siomara o mesmo respeito pela matéria-prima. Além das peças próprias, capricha na curadoria das marcas que comercializa em sua loja física, localizada em Blumenau, e virtual (www.tipoclari.com.br). A proposta da Tipo Clari é valorizar a moda autoral, estimular o consumo responsável e o empreendedorismo local – sobretudo de negócios encabeçados por mulheres.

A ideia sempre foi entregar uma moda com mais afeto, cada vez mais eu vi isso crescendo. Até que não ficou só com a Tipo Clari, agora a gente agrega outras marcas autorais que trabalham com esse conceito, com produção em menor escala e respeito a cadeia produtiva como um todo. Existe um cuidado não só com o meio ambiente, mas também com as pessoas que fazem parte do processo para que a peça chegue ao cliente“, afirma Lu Faria.

Lu finaliza destacando que para o ciclo ficar completo, é preciso expandir a consciência do slow fashion entre os consumidores. “Estamos educando as pessoas para esse novo mundo. Tem gente que já conhece e apoia, outras entram em contato com a loja sem saber, mas explicamos o conceito e elas entendem, abraçam a história. Essa questão da pandemia deu uma mudada na questão de valorizar o que é local, as pessoas estão querendo consumir marcas daqui. Eu prezo muito a energia que vem do que é artesanal. Tu sentes na roupa, em quem faz, e quem consome acaba fazendo parte disso“.

EU ME BANCO ADOTA FRANCHISING E ANUNCIA NOVA SEDE EM FLORIANÓPOLIS

06/08/2020 às 23h09

Além da abertura de franquias, startup fará capacitação de equipes de corretoras e bancos parceiros na EMB Escola de Investimentos

A startup educacional Eu Me Banco está dando um novo passo nos negócios. A empresa, fundada em março de 2019 pelo economista Fabio Louzada, anunciou que vai adotar a franchising como estratégia para expansão nos próximos meses.

Louzada explica que a medida é resultado de um primeiro semestre positivo.  “Tivemos que ampliar a nossa operação em meio à pandemia para atender a demanda de novos alunos no ensino a distância (EaD). Fizemos novas contratações, aumentamos o time de parceiros e, após estudar o mercado, estamos certos de que o sistema de franquias é um passo necessário para capacitar mais especialistas em investimentos de Norte a Sul do país”, afirma o economista.

A Eu Me Banco tinha como propósito inicial preparar bancários e profissionais autônomos para exames de certificações financeiras. Atenta às demandas do setor, em pouco mais de um ano a startup mudou de endereço e ampliou seu espaço físico, fez novas contratações e lançou o Programa Advisor de Alta Performance (PAAP), que integra cinco pilares da formação do especialista de investimentos: cursos preparatórios para certificações, carreira, prática profissional, acompanhamento com tutores especializados e networking.

Além do PAAP, a empresa criou um projeto de formação para agentes autônomos de investimentos (AAI), inédito no país, e lançará na fase de pré-abertura de franquias a EMB Escola de Investimentos, que dará aulas via Zoom (ao vivo e online) para capacitar equipes de corretoras e bancos parceiros.

Até dezembro, a nova sede administrativa da Eu Me Banco será inaugurada em Florianópolis (SC). Com a expansão via franquias e seguindo os protocolos de prevenção ao coronavírus, a empresa também planeja retomar a oferta de cursos presenciais, começando pelo Curso Advisor na Prática, com duração de 60 horas divididas entre atividades online e dez encontros na sala de aula.

Vamos capacitar os professores do PAAP para garantir que as franquias tenham a mesma qualidade de ensino que entregamos na nossa matriz, em São Paulo. Será um marco importante para o mercado de investimentos brasileiro, quanto mais profissionais forem certificados e capacitados com métricas de alto nível, melhor para os investidores e para a economia como um todo“, finaliza Fabio Louzada, CEO da startup.

Sobre a Eu Me Banco

A Eu Me Banco, fundada em março de 2019, tinha como propósito inicial preparar bancários e interessados em ingressar no mercado para exames de certificações financeiras. Atenta às demandas do setor, em pouco mais de um ano a startup mudou de endereço e ampliou seu espaço físico, fez novas contratações e lançou o Programa Advisor de Alta Performance (PAAP), que integra cinco pilares da formação do especialista de investimentos: cursos preparatórios para certificações, carreira, prática profissional, acompanhamento com tutores especializados e networking.

O CEO e co-fundador da Eu Me Banco, o economista Fabio Louzada, é o profissional com mais certificações nacionais em investimentos (CPA-10, CPA-20, CEA, CFP®, CGA, CNPI, PQO e AAI). Com mais de 12 anos de carreira, acumula passagens como assessor de investimentos na área de alta renda nos bancos Bradesco Prime, Santander Select, Citigold e Itaú Personnalité.

Para mais informações sobre cursos e acesso a conteúdos exclusivos voltados para mercado financeiro e carreira na área de investimentos, acesse www.eumebanco.com.br.

Serviço

Eu Me Banco

Onde: Av. Ataliba Leonel, 2442, Carandiru. São Paulo/SP.

Contato: (11) 99162-9277 | contato@eumebanco.com.br

EU ME BANCO INVESTE NA FORMAÇÃO DE AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTOS

17/07/2020 às 18h59

Com alta demanda no mercado de trabalho e pouca oferta de profissionais qualificados, startup reúne mentores em projeto de formação de AAI inédito no Brasil

A expansão das corretoras e distribuidoras de valores mobiliários é uma realidade no Brasil, um caminho irreversível. Vide transações como a recente aquisição da MN Investimentos pela Monte Bravo, um dos maiores escritórios de agentes autônomos do país, ligado à XP Investimentos – que após a compra soma 360 profissionais no seu time e almeja ampliar ainda mais esse número para absorver a demanda crescente de investidores.

A Eu Me Banco, criada pelo economista e professor Fabio Louzada, está sentindo os reflexos desta movimentação no mercado. A startup educacional viu aumentar não somente o número de alunos em busca da Certificação ANCORD, obrigatória para agentes autônomos de investimentos (AAI), mas também a corrida das corretoras em busca de profissionais qualificados.

Buscando preparar os alunos ao mercado do futuro, a Eu Me Banco lança no dia 28 de julho um projeto de formação de AAI inédito no Brasil, com foco na capacitação global do agente autônomo de investimentos nas habilidades exigidas pelo mercado.

Muitos profissionais oriundos dos bancos enxergam na Certificação ANCORD o início de uma nova fase na carreira, uma oportunidade de empreender no mercado financeiro assessorando investidores e intermediando a negociação dos produtos ofertados pelas corretoras“, explica Louzada, que compartilha com os alunos a experiência de mais de 10 anos como especialista em investimentos.

Os profissionais matriculados no projeto terão acesso às aulas da Eu Me Banco pelo período de um ano e poderão participar, via ensino a distância (EaD), do curso preparatório para a Certificação ANCORD, do curso de HP12C (calculadora essencial para quem atua no mercado financeiro) e do inédito curso AAI na Prática – com mais de 40 horas de conteúdo voltados para o ensino da capacidades técnicas, comerciais, de planejamento patrimonial e de empreendedorismo fundamentais para o sucesso do agente autônomo.

O projeto é grande, necessário para consolidar o mercado de AAI no Brasil. Estamos anos luz atrás de países como os Estados Unidos, onde a prática do agente autônomo é mais consolidada“, pontua o professor Louzada.

Mentoria e assessoria de carreira como diferenciais

A Eu Me Banco é atualmente a startup educacional com maior oferta de cursos e conteúdos voltados para formação de profissionais na área de investimentos no Brasil.

Porém, segundo Fabio Louzada, não é o volume de aulas que torna o projeto de formação de AAI inédito: são as entregas além dos cursos. “Os alunos receberão mentoria de grandes nomes do mercado de AAI no Brasil, como Eduardo Silva Vieira (EQI Investimentos), Felipe Martins Passero (sócio do InvestSmartXP), João Guilherme Penteado (sócio fundador e diretor da Apollo Investimentos), Rodrigo Azevedo (gestor da GT Capital) e Thiago Kurth Guedes (ex-sócio da XP Investimentos, hoje responsável pela área de expansão da plataforma de assessores do Banco Digital Modalmais)”.

Além da mentoria, os participantes do projeto de formação de AAI receberão serão acompanhados de perto pelos professores e profissionais associados a Eu Me Banco, que semanalmente estarão em contato com os alunos em reuniões via Zoom e compartilharão insights do mercado no grupo do projeto no Telegram.

Em parceria com Ronaldo Cerqueira, consultor de carreiras especializado no mercado financeiro, a Eu Me Banco busca fazer a conexão dos AAI formados com o mercado, fechando assim o ciclo que se inicia pela Certificação ANCORD, passa pela capacitação no curso AAI na Prática e encerra na entrevista e posterior vinculação do aluno com as corretoras de valores.

Live e simulados antecedem a abertura de vagas

Na semana que antecede o lançamento do projeto de formação de AAI, a Eu Me Banco fará um “esquenta” no seu site e no canal da startup no YouTube.

No dia 20, a Eu Me Banco vai reabrir os simulados para exames de certificação financeira no endereço www.eumebanco.com.br

No dia 25, às 20 horas, o economista Fabio Louzada, juntamente com o time de professores, da Eu Me Banco, fará uma maratona de 12 horas de live no Youtube compartilhando muito conhecimento para quem busca a Certificação ANCORD para ser um agente autônomo de investimentos.

Por fim, no dia 28, serão abertas as matrículas para o projeto de formação de AAI. Para cadastro na lista de espera e mais informações, os interessados devem acessar o site http://materiais.eumebanco.com.br/formacaoaai

MERCADO FINANCEIRO: TENDÊNCIA É DE ALTA NAS CONTRATAÇÕES

14/07/2020 às 11h17

Bancos e instituições financeiras retomam processos seletivos e geram oportunidades para profissionais que investiram em capacitação durante a quarentena

Boa notícia para profissionais do mercado financeiro em busca de oportunidades de trabalho: a reabertura de processos seletivos e anúncio de novas vagas mostram que bancos e demais instituições do segmento estão à procura de talentos para reforçar o quadro de colaboradores.

A tendência está sendo acompanhada de perto por startups como a  Eu Me Banco, de São Paulo (SP), que atua na formação de especialistas em investimentos e na preparação para obtenção de certificações financeiras. As certificações, consideradas um selo de qualidade para profissionais da área, é pré-requisito para vagas estratégicas com possibilidade de melhor remuneração.

A Eu Me Banco faz o acompanhamento de carreira dos alunos matriculados no Programa Advisor de Alta Performance (PAAP) e notou o crescimento da oferta de vagas entre o final de junho e início de julho.

“São bancos de grande e pequeno porte, cooperativas e corretoras que estão sentindo no dia a dia a necessidade de ampliar o atendimento qualificado ao cliente com profissionais especializados em investimentos. Quem usou o primeiro semestre para buscar certificações e se capacitar para atuar como consultor na área, está largando na frente da concorrência”, afirma o CEO da Eu Me Banco, o economista e professor Fabio Louzada.

Ronaldo Cerqueira, consultor de carreiras especialista em mercado financeiro, acompanha a janela de oportunidades que se abre para bancários de todo o Brasil. “O isolamento social trouxe demandas de atendimento que forçaram o mercado a investir em novas tecnologias para transpor a crise. Mais do que isso, as instituições perceberam que precisam de profissionais qualificados para prestar a melhor consultoria em todas as interfaces com o cliente, seja na área de investimentos ou em outras que compõem a estrutura dos bancos”, pontua o consultor.

Cerqueira, que é parceiro da Eu Me Banco no PAAP, mantém contato direto com o departamento de recursos humanos de diversas instituições financeiras do país. Com base nas conversas de bastidores, o especialista acredita que os segmentos que mais buscam profissionais neste momento são os de serviços financeiros, mercado de capitais e bancos.

“Ter conhecimento sobre investimentos, mercado de capitais, mercado financeiro, renda fixa e análise financeira é primordial para quem objetiva alavancar a carreira no setor. É hora de manter o currículo e perfil em redes sociais como o LinkedIn atualizados para aproveitar as oportunidades de contratação neste segundo semestre”, orienta Ronaldo Cerqueira.

Fabio Louzada compartilha o otimismo. “Quem tem certificação e aproveitou os últimos meses para se capacitar não pode perder tempo. Indico o cadastro do currículo nos canais internos das instituições e acompanhamento do cenário econômico para ampliar o repertório durante as entrevistas”, indica o economista.

Para quem não tem certificação, Louzada anuncia que ampliou a oferta de conteúdos de estudo gratuitos nas redes sociais e no  canal da Eu Me Banco no YouTube. “Nossos professores estão 100% comprometidos em acompanhar todos dispostos a estudar para dar um upgrade na carreira. Desde simulados a bate-papos sobre o mercado, tudo que é abordado nos nossos materiais tem como foco preparar profissionais para a nova fase do mercado financeiro brasileiro”, conclui Fabio.

Profissões em alta* no mercado financeiro pós-pandemia

  • Gestor de mídias sociais e operador de tráfego nas mídias sociais.
  • Programador.
  • Consultor de investimentos.
  • Especialista em sucesso do cliente.

*Fonte: Ronaldo Cerqueira, consultor de carreiras e parceiro da Eu Me Banco

CADASTRO DE CURRÍCULOS

Itaú Unibanco – https://trabalheconosco.vagas.com.br/itauunibanco

Bradesco – https://banco.bradesco/html/classic/sobre/trabalhe-conosco/cadastro-curriculo.shtm

Santander – https://www.santander.com.br/institucional-santander/trabalhe-conosco

Safra – https://trabalheconosco.vagas.com.br/safra

BTG Pactual – https://www.btgpactual.com/trabalhe-conosco/recrutamento-e-selecao

SICOOB – https://www.sicoob.com.br/o-sicoob/trabalhe-conosco

Banco Votorantim –https://www.bancovotorantim.com.br/web/site/pt/banco/institucional/trabalhe-conosco/

Sicredi – https://www.sicredi.com.br/site/trabalhe-conosco

Citibank – https://corporateportal.brazil.citibank.com/trabalhe-no-citi.htm

BMG – https://site.vagas.com.br/PagEmpr.asp?e=BMG

Banco Inter – https://jobs.kenoby.com/bancointer

Modal – https://www.modal.com.br/carreiras/

Sobre a Eu Me Banco

A Eu Me Banco, fundada em março de 2019, tinha como propósito inicial preparar bancários e interessados em ingressar no mercado para exames de certificações financeiras. Atenta às demandas do setor, em pouco mais de um ano a startup mudou de endereço e ampliou seu espaço físico, fez novas contratações e lançou o Programa Advisor de Alta Performance (PAAP), que integra cinco pilares da formação do especialista de investimentos: cursos preparatórios para certificações, carreira, prática profissional, acompanhamento com tutores especializados e networking.

O CEO e cofundador da Eu Me Banco, o economista Fabio Louzada, é o profissional com mais certificações nacionais em investimentos (CPA-10, CPA-20, CEA, CFP®, CGA, CNPI, PQO e AAI). Com mais de 12 anos de carreira, acumula passagens como assessor de investimentos na área de alta renda nos bancos Bradesco Prime, Santander Select, Citigold e Itaú Personnalité.

Para mais informações sobre cursos e acesso a conteúdo exclusivos voltados para mercado financeiro e carreira na área de investimentos, acesse www.eumebanco.com.br

Serviço

Eu Me Banco

Onde: Av. Ataliba Leonel, 2442, Carandiru. São Paulo/SP.

Contato: (11) 99162-9277 | contato@eumebanco.com.br

15 DICAS FUNDAMENTAIS PARA NÃO SER DEVORADO PELO MERCADO

07/07/2020 às 17h54

Ronaldo Cerqueira, consultor de carreiras parceiro da Eu Me Banco, lista dicas cruciais para bancários que buscam relevância no mercado de trabalho

O consultor de carreiras Ronaldo Cerqueira divulgou uma lista de 15 dicas fundamentais para não ser devorado pelo mercado de trabalho e dar relevância ao currículo e planos profissionais.

Ronaldo tem expertise na assessoria de carreira voltada para o mercado financeiro e é parceiro da Eu Me Banco no Programa Advisor de Alta Performance (PAAP), que integra cinco importantes pilares da formação profissional na área de investimentos: cursos preparatórios para certificações, carreira, prática, acompanhamento com tutores especializados e apoio dos membros do projeto e da equipe Eu Me Banco.

Confira a seguir as dicas do especialista.

  • Entender que concorrente não é quem faz o que faz, mas quem pode fazer seu cliente deixar de querer ou precisar do que você faz.
  • Cada vez mais as funções repetitivas serão reduzidas, logo, invista em cargos que exijam habilidades como criatividade, senso colaborativo, resiliência, proatividade, empatia, autonomia, poder de comunicação, inteligência emocional, entre outras consideradas vitais para o crescimento profissional.
  • Aos cargos que exigem as habilidades mencionadas no item anterior, a tecnologia será aliada. Aos que não precisam delas, a tecnologia é uma real ameaça.
  • Os grandes empregos podem vir de pequenos empregadores. Sentimento de pertencimento e oportunidade de crescimento com propósito são frequentes em pequenos players.
  • O mercado financeiro vai além dos bancos. Busque entender tudo sobre os players e tenha a dimensão do quanto o mercado é imenso.
  • Não pense duas vezes antes de começar um curso de inglês, por mais que hoje lhe pareça inútil.
  • Conhecer os produtos e serviços do mercado financeiro é uma validação para quem está interessado em desenvolver sua carreira no setor.
  • Entenda a fundo os conceitos de fintechs, techfins, bigtechs, inteligência artificial (IA), internet das coisas (IoT), open banking e blockchain.
  • O cliente não precisa de um banco, ele precisa de soluções. Ser fundamental na vida do cliente passa pela velha máxima: “Sem entender, não é possível atender o cliente”.
  • Entenda o básico sobre todas as áreas de um banco. Sem entender cada parte da engrenagem, fatalmente você terá dificuldade para compreender as inúmeras mudanças que virão pela frente.
  • Não rejeite oportunidades PJ. CLT e benefícios não podem ser os fatores de escolha por uma ou outra instituição. O mercado financeiro está nesse caminho de forma irreversível.
  • Você não precisa ser expert em TI, mas deve entender como a tecnologia impacta sua carreira, seu banco e a relação com o cliente.
  • Participe de eventos, cursos e tudo que for ligado à inovação, tecnologia, investimentos e banking.
  • Esteja aberto e aprenda habilidades para atender a nova realidade do mercado financeiro. Muito provavelmente, o que você aprendeu nos últimos anos será desconstruído.
  • O LinkedIn será a fonte de seus próximos empregos, fato. Pratique o networking enquanto trabalha para contar com ele quando precisar de novas oportunidades no mercado. E aqui a via é de mão dupla: deve-se não apenas focar em colher oportunidades para si, mas, também, de ajudar colegas sempre que possível.

Sobre a Eu Me Banco

A Eu Me Banco, fundada em março de 2019, tinha como propósito inicial preparar bancários e interessados em ingressar no mercado para exames de certificações financeiras. Atenta às demandas do setor, em pouco mais de um ano a startup mudou de endereço e ampliou seu espaço físico, fez novas contratações e lançou o Programa Advisor de Alta Performance (PAAP), que integra cinco pilares da formação do especialista de investimentos: cursos preparatórios para certificações, carreira, prática profissional, acompanhamento com tutores especializados e networking.

O CEO e cofundador da Eu Me Banco, o economista Fabio Louzada, é o profissional com mais certificações nacionais em investimentos (CPA-10, CPA-20, CEA, CFP®, CGA, CNPI, PQO e AAI). Com mais de 12 anos de carreira, acumula passagens como assessor de investimentos na área de alta renda nos bancos Bradesco Prime, Santander Select, Citigold e Itaú Personnalité.

Para mais informações sobre cursos e acesso a conteúdo exclusivo voltados para mercado financeiro e carreira na área de investimentos, acesse www.eumebanco.com.br

Serviço

Eu Me Banco

Onde: Av Ataliba Leonel, 2442, Carandiru. São Paulo/SP.

Contato: (11) 99162-9277 | contato@eumebanco.com.br

STARTUP DE EDUCAÇÃO NA ÁREA FINANCEIRA CRESCE NA CONTRAMÃO DA CRISE

19/06/2020 às 14h49

No fluxo da expansão do EaD no Brasil, startup educacional Eu Me Banco amplia equipe e oferta de conteúdos para atender crescente demanda de alunos

Na esteira do isolamento social imposto pela pandemia do novo coronavírus, a startup educacional Eu Me Banco precisou antecipar os seus planos de expansão para absorver o público que acessa os seus pontos de contato em busca de conhecimento sobre investimentos. Em vista do novo panorama, apostou na produção de conteúdo qualificado para formação de especialistas de investimentos, profissionais do mercado financeiro e também para pessoas interessadas em ampliar o conhecimento sobre o cenário econômico atual.

Para garantir a qualidade dos materiais e atender a crescente demanda de novos alunos, a empresa investiu na ampliação da equipe de colaboradores e professores, está prospectando novos parceiros e aumentou a quantidade de postagens nas redes sociais @eumebanco_, @fabioalouzada e no canal do YouTube do professor, economista e CEO da Eu Me Banco, Fabio Louzada.

O ensino a distância permitiu que mais pessoas utilizassem o ambiente virtual para se capacitar de maneira efetiva para lidar com o mercado de trabalho após a pandemia de Covid-19. Aumentamos a frequência das lives no YouTube e convidamos gestores de instituições financeiras e autoridades em investimentos para participarem dos bate-papos com os alunos. As conversas têm sido enriquecedoras e atraíram um novo público para a Eu Me Banco“, comenta Louzada.

A startup registrou desde março 548 matrículas em programas pagos e ofertou 2 mil bolsas gratuitas do curso CPA-10 e do simulado do exame para Certificação de Especialista em Investimentos Anbima (CEA) – ambos voltados para o público bancário. Nas redes sociais, em decorrência da maior oferta de conteúdo didático e dicas de carreira específicas para a área de investimentos, 9 mil pessoas passaram a integrar a audiência da empresa no Youtube e no Instagram.

Brasil tem gap de profissionais de investimentos certificados

Com a crise econômica global instaurada pelo novo coronavírus, mais investidores estão buscando consultoria nos bancos e corretoras para saber como proteger e gerenciar as suas aplicações.

Ao contrário do que acontece em outros setores da economia, o mercado de trabalho para especialistas de investimentos está em alta. As instituições financeiras estão com dificuldade para encontrar profissionais certificados e habilitados para desenvolver as melhores estratégias para proteger e otimizar os recursos dos investidores“, alerta Fabio Louzada.

Segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), em 2018, o país tinha 450 mil bancários em atividade. Destes, o número de profissionais com certificações financeiras é extremamente baixo. A Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) estima que em fevereiro de 2020, 151.006 pessoas tinham a certificação CPA-20, necessária para gerentes que atendem clientes de alta renda, e pouco mais de oito mil detinham o CEA, destinado aos especialistas de investimentos.

“Poucos bancários têm certificações financeiras, ainda existe muito espaço para profissionais qualificados. Neste ponto o papel da Eu Me Banco é fundamental para capacitar bancários e agentes autônomos que querem ser acima da média, que desejam se tornar especialistas de investimentos. Seja nas redes sociais, no nosso ambiente de ensino online ou no aplicativo, queremos colocá-los na trilha certa para que sejam contratados e se posicionem como autoridade na carreira”, conclui o CEO da Eu Me Banco.

Sobre a Eu Me Banco

A Eu Me Banco, fundada em março de 2019, tinha como propósito inicial preparar bancários e interessados em ingressar no mercado para exames de certificações financeiras. Atenta às demandas do setor, em pouco mais de um ano a startup mudou de endereço e ampliou seu espaço físico, fez novas contratações e lançou o Programa Advisor de Alta Performance (PAAP), que integra cinco pilares da formação do especialista de investimentos: cursos preparatórios para certificações, carreira, prática profissional, acompanhamento com tutores especializados e networking.

O CEO e co-fundador da Eu Me Banco, o economista Fabio Louzada, é o profissional com mais certificações nacionais em investimentos (CPA-10, CPA-20, CEA, CFP®, CGA, CNPI, PQO e AAI). Com mais de 12 anos de carreira, acumula passagens como assessor de investimentos na área de alta renda nos bancos Bradesco Prime, Santander Select, Citigold e Itaú Personnalité.

Para mais informações sobre cursos e acesso a conteúdo exclusivos voltados para mercado financeiro e carreira na área de investimentos, acesse www.eumebanco.com.br

Eu Me Banco

Onde: Av Ataliba Leonel, 2442, Carandiru. São Paulo/SP.

Contato: (11) 99162-9277 | contato@eumebanco.com.br

MOBILIS VEÍCULOS ELÉTRICOS OFERECE CONSULTORIA PARA PROJETOS DE MOBILIDADE

18/06/2020 às 17h00

Mob.Fab e Mob.Labs surgem como incentivo para empreendedores que precisam de estrutura para transformar projetos em negócios

Pouco antes do isolamento social imposto pela pandemia de Covid-19, a Mobilis Veículos Elétricos estruturava na sua sede, em Florianópolis/SC, novas frentes de atuação além da produção do Li, veículo elétrico de vizinhança com três lotes de produção 100% vendidos.

Sempre oferecemos forte apoio às universidades para o desenvolvimento da mobilidade elétrica no Brasil e constantemente éramos procurados por startups para consultorias pontuais voltadas para projetos de inovação no setor“, conta o sócio e co-fundador da startup, Mahatma Marostica.

Com a demanda crescente de empreendedores com boas ideias em mente e pouca verba para colocá-las em prática, a Mobilis lançou o Mob.Fab e o Mob.Labs. Os dois projetos oferecem know-how e infraestrutura para impulsionar negócios.

O Mob.Fab presta consultoria, análise de produto e faz a conexão entre empreendedor e rede de fornecedores. Além disso, disponibiliza a fábrica localizada no bairro Carianos, ao lado do antigo Aeroporto Internacional Hercílio Luz, para produção em baixa escala.

As startups que buscarem assistência no Mob.Labs encontrarão a estrutura necessária para desenvolver protótipos e fazer os aprimoramentos necessários até chegar à validação final – tudo sob a supervisão da equipe de engenheiros da Mobilis.

Sempre vimos na Mobilis vocação para ser uma propulsora de inovação, não apenas com foco no nosso negócio, mas também com vistas para ajudar mais empreendedores que acreditam que o futuro da mobilidade brasileira está no modal elétrico“, declara Erico S. dos Reis, sócio e diretor comercial da Mobilis.

De acordo com o departamento comercial da fabricante de veículos elétricos, a procura pelo Mob.Fab e Mob.Labs aumentou entre os meses de abril e junho – um sinal de que investir no empreendedorismo é a melhor estratégia para virar o jogo em tempos de crise.

Para mais informações sobre os projetos de consultoria Mob.Fab e Mob.Labs, basta entrar em contato com a Mobilis Veículos Elétricos pelo telefone (48) 3024-3519 ou pelo e-mail contato@mobilis.me

*Crédito foto: Ivor Braga

EAD: SETOR SE FORTALECE DURANTE A PANDEMIA DE CORONAVÍRUS

09/06/2020 às 20h05

Busca por aprendizagem durante o isolamento social impulsiona resultados de instituições de ensino e startups que oferecem ensino a distância

Uma nova forma de se relacionar com o tempo – e torná-lo produtivo – fez com que os brasileiros abrissem os olhos para a necessidade de adquirir novos conhecimentos ou de aperfeiçoar habilidades para se manterem competitivos no mercado de trabalho num cenário pós-pandemia de coronavírus.

Muitos estão aproveitando o período de isolamento social para se qualificar usando a internet e dispositivos como computador e smartphone em substituição à tradicional sala de aula. Matriculados em cursos de EaD pagos ou gratuitos, os alunos enriquecem o currículo e fortalecem instituições de ensino e startups que apostam no modelo de educação a distância como negócio.

O crescimento exponencial foge dos padrões do mercado e prenuncia que o futuro da educação em suas diferentes etapas está desenhado em interfaces multitelas. Segundo uma pesquisa feita pelo Google, a procura por cursos de especialização online cresceu 130% entre os meses de março e maio. Já em estudo recente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), foi constatado que cerca de 1,7 milhão de brasileiros realizou matrículas em cursos de EaD durante a quarentena.

A Fundação Getúlio Vargas (FGV), enquadrada no rol de instituições tradicionais de ensino, colaborou para as estatísticas: teve aumento de 400% na adesão de cursos de EaD gratuitos de especialização no comparativo com janeiro e fevereiro de 2020. Já a startup Eu Me Banco, especializada na formação de profissionais de investimentos e cursos a preparatórios para certificações financeiras, registrou desde março 548 matrículas em programas pagos e ofertou 2 mil bolsas gratuitas do curso CPA-10 e do simulado do exame para Certificação de Especialista em Investimentos Anbima (CEA) – ambos voltados para o público bancário.

Em comum, notamos que os novos alunos têm a vontade de se capacitar de maneira efetiva para lidar com o mercado de trabalho após a pandemia. Neste ponto, o EaD se mostra como aliado para quem deseja usar o tempo em casa para enriquecer o currículo, fugir do desemprego e pleitear melhores oportunidades no futuro que se aproxima“, comenta o economista Fabio Louzada, CEO e fundador da Eu Me Banco.

Contratações e recorde de matrículas em meio à pandemia

Os dados deixam claro o interesse dos brasileiros em buscar capacitação pela internet. A flexibilidade de horários e variedade de cursos à disposição, que já eram atrativos para o público antes da pandemia, agora contribuem para o crescimento profissional de quem desejar aproveitar o período de reclusão para adquirir mais conhecimento – seja por meio de cursos ou consumindo conteúdos entregues via apostilas e lives.

Fabio Louzada, cuja carreira engloba passagens como assessor de investimentos nos bancos Bradesco Prime, Santander Select, Citigold e Itaú Personnalité, detém o maior número de certificações financeiras no Brasil e por meio das lives transmitidas no seu canal no YouTube, inspirou muitos profissionais do mercado financeiro no mês de maio, quando lançou a série Bancário Mão na Massa.

Nas lives tenho a oportunidade de interagir com alunos e não alunos da Eu Me Banco, é uma troca muito rica de experiência que só é possível graças à tecnologia. Com conteúdo relevante sobre o mercado financeiro, simulados de exames de certificações ao vivo, insights de carreira e bate-papos motivacionais com base na minha trajetória, tive 3 mil novos inscritos no canal no Youtube e 6 mil novos seguidores no Instagram nos últimos dois meses“, relata o economista.

A startup Eu Me Banco, fundada pelo professor Louzada em março de 2019, investiu em geração de conteúdo para atender a demanda crescente de profissionais em busca de capacitação à distância durante a pandemia: o número de lives aumentou de uma para três por semana, novos professores e tutores foram contratados para dar suporte aos alunos e uma nova turma do consagrado Programa Advisor de Alte Performance (PAAP) foi aberta.

As 150 vagas da nova turma do PAAP esgotaram em uma semana. As matrículas nos outros cursos que disponibilizamos na plataforma Eu Me Banco também estão num crescente desde março. Os resultados são impressionantes, tanto que batemos nosso recorde de alunos e de faturamento em meio à pandemia“, conta Fabio Louzada.

Para o segundo semestre, a startup segue investindo em conteúdo como estratégia para capacitar profissionais que buscam crescer na área de investimentos ou que planejam obter certificações na área para ampliar o leque de oportunidades na carreira, seja de forma autônoma ou dentro de bancos e corretoras. Acesse os cursos, conteúdos gratuitos e outras informações relevantes para quem trabalha no mercado financeiro no site da Eu Me Banco –  www.eumebanco.com.br

EU ME BANCO ABRE VAGAS PARA O PROGRAMA ADVISOR DE ALTA PERFORMANCE

26/05/2020 às 16h46

Lançado em março deste ano, o PAAP atende 400 alunos em processo de formação para atuarem como especialistas de investimentos no mercado financeiro. Inscrições começam no dia 01 de junho.

A crise deflagrada pela pandemia de Covid-19 expôs o despreparo de milhares de investidores leigos Brasil afora. Por falta de conhecimento, muitos fizeram escolhas equivocadas na hora de investir e agora lidam com prejuízos que teriam sido evitados se tivessem contado com suporte especializado. Não à toa, bancos e corretoras buscam especialistas de investimentos para atender a demanda, porém, esbarram na escassez de profissionais certificados.

Atenta à necessidade do mercado de trabalho, a startup Eu Me Banco lançou em março o Programa Advisor de Alta Performance (PAAP), que atualmente atende 400 alunos que buscam formação para atuarem como especialistas de investimentos no mercado financeiro. O programa abrirá uma nova turma em junho e iniciará no dia 01 a fase de inscrições. A lista de espera está aberta e os interessados podem se cadastrar desde já no site https://materiais.eumebanco.com.br/paap

O PAAP integra cinco importantes pilares da formação do especialista de investimentos: cursos preparatórios para certificações, carreira, prática profissional, acompanhamento com tutores especializados e apoio dos membros do projeto e da equipe Eu Me Banco.

Fabio Louzada, mentor do projeto e CEO da Eu Me Banco, anunciou a ampliação do escopo programático que será oferecido para a segunda turma. “Criamos o Comitê do Programa Advisor de Alta Performance (COPAAP), que toda segunda-feira promoverá reuniões online na quais, durante duas horas, os alunos terão a oportunidade conversar com gestores da área de investimentos dos principais bancos do Brasil”, explica o economista.

Além do COPAAP, outra novidade é o aumento no número de lives com o professor Louzada. Agora os alunos poderão acompanhar três aulas ao vivo por semana, voltadas para o esclarecimento de dúvidas e ensino das atribuições teóricas, técnicas e comerciais necessárias para quem busca relevância na carreira como especialista de investimentos.

Sobre o PAAP

O Programa Advisor de Alta Performance (PAAP) oferece cursos completos para quem está se preparando para obter as certificações CPA-20, CEA e Ancord, além de aulas para ensinar os alunos como utilizar a calculadora HP12C – imprescindível para o dia a dia nas instituições financeiras.

Na área de carreira, os participantes recebem assessoria completa do consultor Ronaldo Cerqueira para serem mais competitivos no mercado de trabalho, com dicas de preparação para entrevistas, reestruturação do currículo e revisão do perfil no LinkedIn.

Fabio Louzada, profissional com o maior número de certificações financeiras do Brasil, é o mentor do programa e mostra como ser um advisor na prática, além de ensinar os alunos a operarem na plataforma Comdinheiro, a mais utilizada nas instituições financeiras para análise de investimentos.

Além dos conteúdos, o PAAP disponibiliza tutoria e acompanha o alcance das metas profissionais de cada aluno. Todos os membros do programa têm acesso ao grupo da Comunidade Louzada no Facebook e participam do canal secreto do PAAP no Telegram, fortalecendo assim o seu networking.

Mais informações sobre o PAAP estão disponíveis no site https://materiais.eumebanco.com.br/paap e no Instagram do professor Fabio Louzada (@fabioalouzada).

COMO PROTEGER OS INVESTIMENTOS DURANTE A PANDEMIA DE CORONAVÍRUS?

15/05/2020 às 14h55

Economista dá dicas para profissionais de investimentos e investidores colocarem em prática em tempos de grande oscilação no mercado.

Muitos brasileiros aprenderam da pior maneira possível que aplicar todo o capital em apenas uma classe de investimentos expõe o patrimônio a grandes riscos, sobretudo em cenários de oscilações econômicas. Que o diga a crise do coronavírus, considerado o batismo de fogo para 1,2 milhão de brasileiros novatos na Bolsa.

O economista Fabio Louzada, especialista de investimentos e CEO da startup Eu Me Banco, desde dezembro estuda os efeitos do novo coronavírus na economia. Seja nas aulas que leciona para profissionais de investimentos ou nas páginas do livro que lançará no segundo semestre, voltada para investidores leigos, Louzada é pragmático: proteger os investimentos é “dever de casa”, é mais complexo salvar o estrago depois que a crise está instaurada.

“A proteção de investimentos não é feita em momentos como o que vivemos agora, em meio à pandemia, é um passo anterior. Para quem teve prejuízo, o momento é de apagar o incêndio e analisar o perfil de investidor. É hora de os conservadores saírem da Bolsa e dos arrojados avaliarem a relação risco versus retorno, com perspectivas de que em longo prazo a Bolsa voltará a subir”, orienta o economista.

Para profissionais de investimentos autônomos ou de instituições financeiras, o período turbulento exige uma relação mais próxima com o cliente para manter o perfil de investidor atualizado e fazer as alocações necessárias na carteira. “Com base no perfil o profissional tem segurança para fazer alocações assertivas, seja para defender a carteira dos investidores conservadores ou aumentar o risco para os mais arrojados, que podem aproveitar o momento de queda dos ativos”, avalia Fabio Louzada.

O especialista, que por mais de 10 anos atuou como assessor de investimentos na área de alta renda nos bancos Bradesco Prime, Santander Select, Citigold e Itaú Personnalité, alerta que o investidor deve ter uma reserva de emergência para usar em caso de imprevisto. “Para quem não tem, é hora de se desfazer de alguns ativos e aplicar o dinheiro em investimentos de baixa liquidez. Aos que perderam emprego e contam apenas com as economias durante a crise, o ideal é que não peguem créditos, a não ser que a necessidade seja muito grande. A crise passa, mas a dívida pode perdurar por muito tempo. É hora de economizar cada centavo para não se endividar”.

Confira outras recomendações do economista e CEO da Eu Me Banco, Fabio Louzada, para profissionais de investimentos e investidores colocarem em prática em tempos de grande oscilação no mercado.

Como avaliar se é preciso mudar a composição da carteira de investimentos para não perder dinheiro durante a pandemia?

Entender o perfil de investidor é a chave para saber se é preciso mudar a composição da carteira. Se o investidor está desconfortável com a oscilação da Bolsa, é hora de diminuir o capital em renda variável e partir para um fundo de renda fixa mais conservador. Se o investidor aguenta oscilações, deve entender que todas as ações de empresas boas e ruins perderam valor. Cabe avaliar se a empresa não perdeu os fundamentos por conta da crise, se tem potencial para voltar a crescer. Se os fundamentos se foram, é uma boa hora para fazer mudanças na carteira de investimentos.

Existe uma fórmula segura para diversificar a carteira em momentos de crise?

Infelizmente não. A única forma de eliminar quase todo o risco da carteira é fazendo 100% das aplicações em uma Letra Financeira do Tesouro (LFT), como Tesouro Selic ou Renda Fixa Simples. Haverá risco em qualquer outro investimento, seja de mercado, de crédito ou de liquidez. Quem busca retornos mais atrativos deve estar ciente de que o risco aumentará cada vez mais.

O risco de entrar na Bolsa de Valores é maior ou menor do que era no início de 2020?

O risco é menor se o foco do investidor for longo prazo, já que no curto prazo a previsão de quedas persiste. Ao entrar na Bolsa agora, com 80 mil pontos, o potencial de alta é muito maior do que com 120 mil pontos.

Tesouro Selic ainda é a melhor opção para aplicar a reserva de emergência?

Sim, com certeza. Indico também como boa opção os fundos de investimento em renda fixa.

Considerando o cenário atual, existem segmentos de empresas a serem evitados na Bolsa numa recomendação de investimentos?

Sim. O setor aéreo foi o mais afetado, é hora de ficar de fora. Por outro lado, o setor de turismo poderá se sair melhor, já que o custo fixo é muito menor do que o das empresas aéreas.

Aplicar em dólar ou ouro, por exemplo, é pertinente neste momento?

Em tempos de estabilidade, é interessante ter dólar na carteira para se proteger, mas neste momento o dólar e o ouro subiram muito. Seria pertinente se a aplicação tivesse sido feita antes da crise.

______________________________________________

 

Mais informações:

Eu Me Banco

Site: www.eumebanco.com.br

Redes sociais: @eumebanco_ / @fabioalouzada

E-mail: contato@eumebanco.com.br

CORONAVÍRUS: TIRE DÚVIDAS SOBRE SINTOMAS, CONTÁGIO E PREVENÇÃO

27/03/2020 às 17h04

 

Desde dezembro de 2019, acompanhamos atentos a propagação do coronavírus e a escalada da doença Covid-19 – que rapidamente acometeu Ásia, Europa, África, Oceania e agora se alastra num ritmo alarmante na América. O Covid-19, identificado pela primeira vez em Wuhan, na província de Hubei, na China, hoje é uma pandemia em curso de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) e exige medidas extremas de prevenção e isolamento social para preservar ao máximo a população e evitar o colapso dos sistemas de saúde locais.

Para esclarecer dúvidas sobre o coronavírus, a Revista Statto conversou com o Dr. Júlio César Stobbe (CRM 24821), Diretor do Campus Passo Fundo/RS, da Universidade Federal Fronteira Sul (UFFS), com especialidade em Clínica Médica e subespecialidade em Medicina de Urgência/Emergência. Stobbe é preceptor da Residência Médica de Geriatria do Hospital São Vicente de Paulo (HSVP) de Passo Fundo (RS), é médico da Equipe volante da SESAI, diretor do Campus Passo Fundo da UFFS e tutor do programa Mais Médicos para o Brasil pela UFFS.

Desde que a OMS declarou o novo coronavírus (Covid-19) como “emergência de saúde internacional”. O que mudou até agora?

A principal mudança é a expansão da doença que chegou praticamente a todos os países e a indicação de medidas de isolamento, ou seja, para as pessoas ficarem isoladas. Além, da sugestão de testes em massa para diagnóstico precoce dos casos infectados, principalmente os assintomáticos e que podem manter a transmissão sustentada por vários dias.

Realmente quem são as pessoas mais vulneráveis e porquê?

Aparentemente os idosos constituem-se no grupo de risco de maior vulnerabilidade. Pessoas com doenças crônicas e imunodeprimidos por doença ou uso de medicamentos. Aparentemente porque aqueles que já tem duas patologias de base (mesmo não sendo idosos), por exemplo pneumopatas, hepatopatas, cardiopatas, terão, além das complicações do Covid-19 agravo e descompensação de suas doenças de base e, dessa forma, aumento de morbi mortalidade.

Já está comprovado a real propagação da doença à nível mundial e muitas pessoas não creem nesta realidade o que fazer para mudar isso? 

Às pessoas falta conscientização. É normal, nesses casos, um ideário meio coletivo de certa “magia protetora”, ou seja, se Deus quiser não vai acontecer nada. Nosso país e “os nossos” serão protegidos. A realidade somente virá à tona quando os casos surgirem próximos. Portanto para mudar a realidade em termos de prevenção teremos que ter um apoio midiático educativo muito forte.

Por que na Itália está acontecendo um número expressivo de óbitos devido a essa epidemia de coronavírus (Covid-19)?

A Itália fez medidas de mitigação inicial, depois cedeu, relaxou as medidas, em função de pressões da economia. A circulação de pessoas aumentou e disseminou a doença para uma população idosa numerosa.

Qual a sua recomendação para as pessoas que não acreditam que se trata de uma pandemia?

Ouçam os exemplos, se informem com profissionais de saúde sérios e preocupados com a saúde da população. Cuidem com as fake news. E, vejam os exemplos, dos países por onde a pandemia já está em fase avançada.

Existe algo a fazer para reforçar a imunidade (remédio ou alimentos) e evitar que seja acometido com mais gravidade pelo vírus?

Não. Reforço, NÃO caiam na onda de que algo possa reforçar o sistema imunológico de forma a proteção. Nenhum estudo sério no mundo conseguiu prova isso. O que auxilia são hábitos saudáveis de vida: não fumar, não usar bebidas alcoólicas em excesso, boa hidratação, atividade física moderada, boa alimentação, períodos de sono adequados, manter convívio com as pessoas (atualmente à distância), trabalhar ou no caso de aposentados engajar-se em alguma ação para manter-se ocupado, usar medicamentos para tratar doenças crônicas, manter a fé como preferirem.

Como se transmite o novo coronavírus (Covid-19)?

A entrada do vírus no organismo se dá principalmente pelas mucosas do olho, nariz ou boca. Seja por perdigotos (pequenas partículas do espirro ou tosse) de indivíduos infectados ou por contaminação de superfícies onde tocamos e depois, inadvertidamente colocamos a mão nessas mucosas.

Quais os principais sintomas ao contrair o coronavírus (Covid-19)?

O espectro da doença é amplo. Desde assintomático (principalmente em crianças e jovens), ou com quadro gripal leve, até quadro graves de insuficiência respiratória que culmina com falência de múltiplos órgãos e óbito. Via de regra, os sintomas mais comuns são: febre (T° ≥ 37,8 °C), tosse, dor de garganta e falta de ar. Podem ter outros sintomas como dor muscular, dor articular, coriza nasal.

As informações divulgadas sugerem que o coronavírus (Covid-19) é mais virulento ou agressivo do que outros vírus. Essa afirmação procede e por quê?

O Covid-19 tem uma taxa de letalidade média em torno de 2-3%, o H1N1 era em torno de 0,02-0,4%, o SARS-CoV 9,5%, o MERS-CoV 34,4% e outros como o EBOLA 63%. Então, a letalidade dele não é das maiores. No entanto, num país de 200 milhões e habitantes teria uma alta significância. Em relação à capacidade de transmissão, uma pessoa doente com o Covid-19 transmite o vírus a outras 2,74 pessoas em média. A taxa é maior que a observada na pandemia de influenza H1N1 em 2009 (1 pessoa transmite a outras 1,5), porém muito inferior ao sarampo (1 doente transmite a 15).

Em suspeita de ter contraído o coronavírus (Covid-19), como proceder?

Pode-se ligar para a vigilância epidemiológica do município que saberá orientar. Para não ficar circulando (caso realmente esteja com o vírus). Ou, procurar a unidade de atenção básica mais próxima de sua residência. Caso haja indicação, essa irá encaminhar para uma emergência. Cabe lembrar que cada município pode adotar fluxos com variações. No entanto, todos são unânimes em frisar que não se deve procura emergências de forma direta.

É possível ser infectado mais de uma vez?

Em raros casos algumas pessoas foram infectadas duas vezes.

O clima frio ou quente pode influenciar no combate e/ou na proliferação do novo coronavírus (Covid-19)?

Os estudos mostram que até o momento as temperaturas elevadas e a umidade influenciam na propagação. Assim, o grande temor é a chegada do inferno do hemisfério sul.

Na sua visão, o encurtamento das distâncias – com meios de locomoção de alcance global cada vez mais frequentes e baratos – traz consigo o risco de propagação deste vírus ou de outros? 

No final do século XIX a população mundial era escassa, predominantemente rural, dispersa e uma volta ao mundo demorava 1 ano. Hoje a população aumentou sobremaneira, concentrou-se em grandes aglomerados e uma viagem de volta ao mundo poderá ser feitam em menos de 24h. Isso, sem dúvida é uma forma rápida de propagação de pandemias.

No Brasil, temos notícias de casos de sarampo e febre amarela que estão sendo registrados em algumas regiões do país, a exemplo do que ocorreu no Rio de Janeiro, que acabou matando uma criança depois de 20 anos sem a incidência da doença no País. Por que essas doenças estão voltando? Essa é uma porta aberta para o alastramento do coronavírus (Covid-19)?

Essas doenças estão tendo aumento de casos por diversos fatores, mas o preponderante é a queda na vigilância epidemiológica em relação à vacinação. Ambas têm vacina e há certo desleixo quando os casos escasseiam e parecem não existir. Outras questões, como a expansão das fronteiras agrícolas, aumentaram a proximidade com os vetores (no caso da febre amarela) e, crises humanitárias, (no caso das imigrações da Venezuela), aumentaram os casos dessas doenças preveníveis. Mas essas doenças não se constituem em aumento de risco para o Covid-19.

Quais as orientações para os profissionais de saúde que estão na linha de frente, em contato com os pacientes? 

Os profissionais da saúde deverão ter cuidado triplicado: de si, dos seus familiares e de não se tornar um vetor de disseminação da doença para outras pessoas.

Por fim, faça as suas considerações que entender serem relevantes.

Vivemos uma época e uma situação sem precedentes. Teremos uma grande crise de saúde mundial e humanitária, teremos nossos limites testados e na sequência uma grande crise mundial em termos econômicos e talvez mudanças até no cenário da ordem econômica planetária. Uma verdadeira guerra biológica em que o inimigo foi uma partícula praticamente invisível.

 

BRASILEIROS INVESTIRAM R$ 3,3 TRILHÕES EM 2019

17/02/2020 às 17h19

Preferência pela caderneta de poupança é sinal de que os investidores precisam de orientação profissional para fazer escolhas mais rentáveis na hora de aplicar o dinheiro.

Dados divulgados pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) em fevereiro mostram o aquecimento da área de investimentos no Brasil. De acordo com a associação, os investimentos dos brasileiros chegaram a R$ 3,3 trilhões em 2019. O crescimento é o maior desde 2015 e 12% superior a 2018.

Uma informação que chama a atenção no estudo é o produto financeiro campeão entre os clientes de varejo. A caderneta de poupança, vista por especialistas como pior aplicação dentre as opções disponíveis no mercado, é preferência nacional e recebeu ao total R$ 783,2 bilhões em aportes.

A insegurança na hora de investir e falta de conhecimento são fatores que contribuem para a escolha, diz o economista Fabio Louzada. “É natural que a maioria opte pela caderneta de poupança, é uma questão cultural. Muitos enxergam na poupança uma forma de aplicar o dinheiro sem ter que passar por intermediários, com a facilidade de resgatá-lo a qualquer momento. Porém, quando falamos em rentabilidade, é a pior escolha, sobretudo agora com a Selic a 4,25% ao ano”.

Louzada, que atuou como consultor de investimentos nos bancos Bradesco Prime, Santander Select, Citigold e Itaú Personnalité, destaca que para fazer escolhas certeiras na hora de investir, o melhor para o investidor leigo é buscar orientação com um especialista.

“Não é preciso ser um expert em investimentos para ter melhores resultados com aplicações. Para evitar escolhas equivocadas, que não atendem o perfil e objetivos do investidor, o mais indicado é buscar ajuda de um profissional de investimentos. Os bancos disponibilizam acesso à área de investimentos e muitas pessoas desconhecem. Há também a opção de consultar agentes autônomos, planejadores financeiros e conteúdo específicos em plataformas digitais”, indica o economista.

Certificação é selo de qualidade dos profissionais de investimentos

Com a chegada de novos investidores no mercado, os bancos e corretoras estão cada vez mais exigentes quanto à capacitação dos profissionais que analisam o mercado e orientam os clientes que querem investir. Fabio Louzada, profissional com maior número de certificações financeiras no Brasil, enxergou o gap existente na formação destes profissionais e fundou em março de 2019 a startup Eu Me Banco.

As pessoas estão mais bem informadas, percebem quando o profissional não está preparado para esclarecer dúvidas e dar orientações assertivas. Na Eu Me Banco, capacito profissionais do `zero` para que sejam especialistas de investimentos, ensinando-os o fundamental para que saibam ler o mercado financeiro e conheçam a fundo cada produto. Só assim teremos mais diversificação nas carteiras dos investidores, com produtos aderentes ao perfil atendido”, explica Louzada.

O economista salienta que é importante para o investidor buscar saber mais sobre o profissional antes de dar início a jornada. “Ter certificação é um ponto determinante, um selo de qualidade que atesta a excelência do profissional de investimentos”.

Para cada cargo, existe uma certificação: Ancord para assessor de investimentos, CPA-20 e CEA para consultor de investimentos; CNPI para analista de investimentos; CGA para gestor de investimentos; CEA para o especialista de investimentos; CFP para o gerente que atende clientes Private e planejadores financeiros; CPA-10, CPA-20 ou CEA para gerentes de relacionamento.

Investidores e profissionais que quiserem mais informações sobre o mercado financeiro, cenário econômico e carteiras recomendadas pelo economista Fabio Louzada podem assinar a Coluna Acorda Mercado, que fornece o primeiro research do Brasil voltado para quem trabalha com investimentos.

Para mais informações, acesse

acesse materiais.eumebanco.com.br/assineoacordamercado ou entre em contato com a startup pelo e-mail contato@eumebanco.com.br.

EDUCAÇÃO FINANCEIRA AGORA É DISCIPLINA OBRIGATÓRIA NO BRASIL

23/01/2020 às 10h30

Escolas infantil e fundamental devem incorporar a educação financeira como disciplina transversal na grade curricular em 2020

A educação financeira chega às escolas infantil e fundamental em 2020, de acordo com as normas da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Na prática, redes de ensino públicas e privadas de todo o Brasil devem obrigatoriamente ajustar o currículo e abordar o tema de forma transversal na volta às aulas.

A medida deve impactar positivamente o futuro de milhares de brasileiros, que aprenderão desde a infância o hábito de poupar e terão o conhecimento necessário para tomar decisões mais conscientes enquanto consumidores e avaliar quais produtos financeiros são mais adequados dentro do seu perfil e objetivos.

Para Fabio Louzada, economista e especialista de investimentos, investir em educação financeira é importante para que no futuro o ato de economizar seja algo comum e prazeroso – e não um tormento, como é encarado por boa parte da população.

“Quando a criança entender que muitas vezes um sonho tem que ser adiado para não comprometer o presente e o futuro, é sinal de que ela já incorporou os preceitos da educação financeira na sua vida. Isso deve refletir numa próxima geração de adultos com qualidade de vida muito maior, além de beneficiar a economia como um todo”, avalia.

Papo sobre finanças

Em 2019, a Associação de Educação Financeira do Brasil (AEF-Brasil) em parceria com Serasa Consumidor e Serasa Experian divulgou uma pesquisa que mostra que um a cada três estudantes afirmou ter aprendido a importância de poupar dinheiro depois de participar de projetos de educação financeira. Outros 24% passaram a conversar com os pais sobre o tema e 21% aprenderam mais sobre como usar melhor o dinheiro.

Com a entrada da educação financeira como disciplina transversal nas escolas, os índices avaliados na pesquisa tendem a melhorar. O papo sobre finanças não será exclusividade da matemática, mas também será tratada em áreas como geografia e história.

“As crianças têm acesso mais precoce ao dinheiro, mesadas, compras de créditos para o celular, até cartões de crédito fazem parte da sua rotina. A alfabetização financeira vai contribuir para que saibam lidar com as finanças com os pés no chão e planejamento”, explica Fabio Louzada.

Se hoje o baixo conhecimento econômico prejudica a tomada de decisões relacionadas à poupança ou investimentos, a faixa de crianças com idade entre 6 e 14 anos tem tudo para movimentar o mercado de investimentos no futuro. “A médio e longo prazo o impacto será muito grande. Teremos novos investidores com uma leitura mais dinâmica do mercado, com aptidão para entender os reflexos das taxas de juros e as consequências para o bem e para o mal dos juros compostos, por exemplo. Uma nação de investidores está por vir”, conclui o especialista.

SEMANA DO ESPECIALISTA DE INVESTIMENTOS

06/01/2020 às 19h07

O ano novo vai começar com oportunidade gratuita para profissionais que atuam no mercado financeiro e buscam capacitação para se tornarem especialistas de investimentos. A startup Eu Me Banco promove de 12 a 14 de janeiro a Semana do Especialista de Investimentos (EI), com programação exclusiva de webinários ministrados pelo economista Fabio Louzada.

A inscrição é gratuita, pode ser feita online no site da Semana EI e libera o acesso a programação composta por três webinários. No dia 12, será transmitido um simulado completo de Certificação de Especialista ANBIMA (CEA), que certifica profissionais que assessoram os gerentes de conta de clientes pessoas físicas em investimentos, podendo indicar produtos.

No dia 13, o tema será “O que um coordenador da área de investimentos do Itaú espera de um candidato?”. Por fim, no dia 14 de janeiro, será apresentado um case de entrevista para área de investimentos do banco Santander.

Novo mercado financeiro exige conhecimento qualificado

Louzada vai compartilhar com os participantes o conhecimento adquirido ao longo dos 11 anos que atuou como consultor de investimentos nos bancos Itaú, Santander, Citibank e Bradesco, e como CEO e professor da Eu Me Banco – que além de oferecer cursos preparatórios para certificações financeiras, forma profissionais do ‘zero’ para trabalharem como especialistas de investimentos em bancos e corretoras.

“Os bancos cada vez mais priorizam a contratação de especialistas de investimentos para suprir o gap que existe no segmento, principalmente agora o brasileiro está buscando conhecimento em diferentes mídias para investir cada vez mais e melhor”, explica Fabio Louzada.

Para o economista, um especialista de investimentos deve ter segurança para abordar temas relacionados ao mercado e produtos financeiros, conhecimento apurado sobre a nova concorrência (corretoras e fintechs), sabe analisar as características do cliente e planejar um portfólio assertivo de investimentos adequado ao perfil do investidor.

“A capacitação é urgente para acompanhar a evolução do mercado financeiro. Vejo muitos casos de funcionários com mais de 15 anos de carreira em banco que me procuram por não conseguir uma recolocação profissional. Por isso vou sempre provocar essa evolução, incentivar mais pessoas a buscarem as certificações e conhecimento necessários para chegar ao nível de especialista”, finaliza o CEO da Eu Me Banco.

DATA: 12 e 14 de janeiro

LOCAL: Webinários

VALOR: Inscrições gratuitas

AÇÃO SOLIDÁRIA EU ME BANCO

18/12/2019 às 08h37

Casa Lar, Serte e outras duas instituições recebem mais de R$ 28 mil arrecadados na Black Friday

Ação solidária da startup Eu Me Banco reverteu 100% das vendas promocionais para instituições beneficentes de SC, RS e SP

A Eu Me Banco participou da Black Friday de um jeito diferente em 2019. Foi além da oferta de desconto e decidiu reverter 100% das vendas para quatro instituições beneficentes dos estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e São Paulo. Em Florianópolis, a Casa Lar Luz do Caminho e o Educandário Lar de Jesus da Serte receberam parte dos R$ 28.065,28 arrecadados entre os dias 26 e 30 de novembro.

Ao total, 487 pessoas contribuíram para a causa e adquiriram com 90% de desconto o curso preparatório para a certificação CPA-20 (que certifica profissionais para atuarem na venda de produtos de investimento ou na manutenção de carteiras nos segmentos varejo alta renda, Private banking, Corporate e investidores institucionais, em bancos ou plataformas de atendimento).

Fabio Louzada, economista e CEO da startup, ficou surpreso com a repercussão. A ação foi lançada no dia 26 de novembro e em menos de 48 horas mais de 250 pessoas já tinham contribuído.

“Essa foi a forma que encontramos de retribuir à sociedade tudo que conquistamos em 2019, foi um ano muito positivo para a Eu Me Banco em todos os sentidos. Ajudamos a certificar e capacitar centenas de profissionais na área de investimentos, que hoje usam o seu know-how apurado para ajudar os brasileiros a investirem cada vez mais e melhor”, comenta Louzada.

A entrega formal das arrecadações está acontecendo durante o mês de dezembro. Na última semana, a Casa Lar Luz do Caminho recebeu a doação – direcionada para pintura do imóvel e para cobrir os gastos mensais com necessidades básicas. No dia 17, o Educandário Lar de Jesus da Serte recebeu o Papai Noel da Eu Me Banco, além de 290 brinquedos para utilização nos momentos de lazer e nas atividades lúdicas.

Outras duas instituições, uma do município de Três de Maio (RS) e outra de São Paulo (SP) receberão o restante do valor arrecadado durante a Black Friday solidária promovida pela startup.

BLACK FRIDAY PARA INVESTIDORES

29/11/2019 às 10h12

Bancos, gestoras e fintechs aderem à promoção

Economista dá dicas para quem deseja aproveitar a Black Friday investindo em produtos financeiros

A Black Friday já não é mais vista como estratégia exclusiva do setor varejista para alavancar as vendas na reta final do ano. Nesta sexta-feira, dia 29, o consumidor que está de olho no mercado de investimentos encontrará boas “pechinchas” no portfólio de produtos financeiros de diversos bancos, gestoras e fintechs, bem como de relatórios e cursos voltados para educação na área.

As oportunidades variam de opções de investimentos com rendimentos maiores, redução do aporte inicial, isenção da taxa de corretagem, entre outros benefícios. Fabio Louzada, economista e CEO do startup Eu Me Banco, dá dicas para quem deseja ser investidor (e não gastador) nesta Black Friday.

“Antes de aplicar é preciso se informar sobre investimentos, por isso aproveitar as ofertas de cursos e relatórios é uma boa forma de aprender mais sobre o mercado. Para os investidores experientes terão ótimas opções de investimentos com rendimentos maiores e valor de aplicação mais acessível. Para não cometer erros, a dica é se atentar ao perfil investidor. Não adianta um cliente conservador querer aplicar em ações só porque está com taxa zero, agora, se o investimento for aderente ao seu perfil, invista sem medo, é uma ótima oportunidade!”, garante Louzada, que atuou como consultor de investimentos no Bradesco Prime, Santander Select, Citibank e Itaú Personalité.

Corretagem zero, cashback e aportes reduzidos

O Banco do Brasil está oferecendo corretagem zero para compra e venda de ações. O Bradesco está dando ao público a oportunidade de comprar moedas estrangeiras com recurso de cashback em parceria com a Livelo.

O Banco Inter está focando nos produtos de renda fixa, com aportes a partir de R$ 100 em LCIs (letras de crédito imobiliário) com prazos e 720 dias e 1.080 dias receberão, respectivamente, 98% e 100% do CDI. A Easynvest ofertou ao longo da semana fundos de investimentos e de previdência, além de outros títulos e CDBs com aporte mínimo reduzido em 50% e rendimento de 130% do CDI. Fabio Louzada destaca outras oportunidades desta edição da Black Friday.

“A Infomoney está com promoções em cursos e relatórios. A Suno Research e a Eleven, que são casas de análises, também estão com promoção. Elas geram relatórios diários sobre o mercado financeiro e fazem recomendações de forma isenta, já que podem recomendar qualquer produto do mercado financeiro sem viés”, explica.

A Eu Me Banco está participando da Black Friday com um diferencial: realizando em conjunto uma ação solidária. Até 30 de novembro, a startup está dando 90% de desconto no curso preparatório para a certificação CPA-20 (de R$ 577 por R$ 57,70) e destinará 100% da renda para um Lar de Crianças a definir.

*A CPA-20 é destinada aos profissionais que atuam na distribuição de produtos de investimento para clientes dos segmentos varejo alta renda, private, corporate e investidores institucionais em agências bancárias ou plataformas de atendimento.

FARM CITIZEN EXPERIENCE

25/11/2019 às 13h52

Encontro secreto com sabores da Ilha: conheça o Farm Citizen Experience

Projeto conecta produtores locais, apaixonados por comida e gastronomia em experiência inédita – e secreta.

Você conhece a história do alimento servido na sua mesa? E a diversidade de produtos nativos de Florianópolis, produzidos por mãos que respeitam o meio ambiente e a integridade dos alimentos? O Farm Citizen traz essas respostas e combinações surpreendentes ao paladar num encontro inédito, que reunirá um grupo apaixonado por comida de verdade.

Juntos, o Chef Eduardo Capela e a cervejaria Ratones Craft Beer realizam uma verdadeira incursão nos sabores ilhéus para criar o menu e as harmonizações que compõem uma declaração de amor à Ilha – que será servida aos participantes em 7 tempos.

Segundo o Chef, no projeto o mise en place não começa na cozinha, começa na horta lado a lado com o produtor. Eduardo Capela tem feito visitas semanais aos parceiros, desenvolvendo pratos autorais e releituras da gastronomia manezinha com a participação de diversas mãos.

“Dou liberdade para que os produtores vejam qual é o ingrediente mais interessante dentro da proposta do menu. O interesse é modificar o menos possível o alimento, que já é interessante por si só. Eu sou só o intermediário entre o produtor e o cliente final, vamos mostrar que os produtos locais devem ser valorizados, que podem entrar no mercado da alta gastronomia”, explica Capela, chef com 10 anos de experiência e passagem por cozinhas de diversos países – no mais recente, Chile, assinou eventos secretos com vistas para a Cordilheira dos Andes.

A lista de produtores e parceiros locais do Farm Citizen ainda está em formação. Até o momento, estão confirmados Leve Orgânicos Ratones, a fazenda urbana CEPIA Floripa, Sítio Vale Encantado (e a cultura dos engenhos de farinha), Toca Cerâmica, DUCA Charcutaria, UMA Padaria Artesanal, Mu Gelato Artesanal (que prepara sorvetes com ingredientes frescos de origem local), Browneria, Black Horse Coffee CO, Strappa Kombucha e Ratones Craft Beer – que assina a produção executiva junto com o Chef.

Harmonizações com cervejas artesanais, lugar secreto & outras experiências

A intenção era cumprimentar o chef após um jantar em Coqueiros. Mas Daniel Esteves e Eduardo prolongaram o papo sobre o cenário gastronômico em Florianópolis e o apetite do público por experiências fora do lugar comum.

“O Farm Citizen surgiu de forma inesperada, espontânea! Conversamos sobre formatos diferentes dentro da gastronomia e o quanto seria legal ter por aqui uma série de jantares e almoços secretos, feitos com insumos aqui da nossa terra. O Chef se animou muito, já tinha muitas referências sobre o tema, foi fácil para a gente elaborar o restante da ideia”, revela o empresário.

Daniel tinha o parceiro perfeito para colocar a ideia em prática. Responsável pelo marketing da Ratones Craft Beer, propôs o projeto ao proprietário da cervejaria, Vitor Capella, que abraçou o conceito na hora. A cervejaria Ratones traz para a experiência a expertise em cervejas artesanais com harmonizações surpreendentes para servir à mesa no dia 15, adianta Daniel. “Nos bastidores os preparativos estão a todo vapor. O Chef Eduardo provou e gostou muito das cervejas selecionadas para o Farm Citizen, aprovou toda a identidade da Ratones e a possibilidade de relacionar esse DNA às suas criações. É importante a cerveja estar em eventos assim, principalmente com gastronomia, comida boa!”.

A revelação do lugar secreto será feita para os participantes no dia 13 de dezembro, por e-mail e WhatsApp. Vitor garante que a mesa será posta em um cenário paradisíaco em meio à natureza – e antecipa que o futuro reserva novos encontros do Farm Citizen, com mais sabores manezinhos em lugares inusitados de Floripa.

“Para o dia do evento a gente está preparando algo especial para o público em geral e amantes da boa cerveja. Na parte da gastronomia, teremos algum prato com as cervejas da Ratones. Além disso, tem a produção de uma Catharina Sour, parceria da Ratones com o cervejeiro Chico Milani da Cervejaria Andanzas, que tem algumas medalhas no currículo e foi premiado várias vezes neste estilo. No mais, só quem participar dessa experiência com a gente vai conferir!”, garante Vitor.

Não haverá cobrança de taxa de rolha e o menu poderá ser adaptado para participantes vegetarianos, com alergia ou intolerâncias alimentares.

Os ingressos para a primeira edição do Farm Citizen estão à venda na plataforma Eventbrite a partir de R$ 130,00. Estão inclusos na experiência o menu em 7 tempos assinado pelo Chef Eduardo Capela com a colaboração de produtores locais, água saborizada, kombucha por Strappa, cerveja artesanal por Ratones Craft Beer e café Black Horse Coffee CO. por Luis Filippe de Simas.

  • SERVIÇO
  • FARM CITIZEN EXPERIENCE
  • Quando: 15 de dezembro 2019
  • Horário: 12h às 16h
  • Onde: Lugar secreto (será revelado aos participantes no dia 13 de dezembro).
  • Quanto: Ingresso único – R$ 130,00 / Ingresso casal – R$ 240,00 (limitados)
  • Ingressos: https://bit.ly/2rNVtIx

Informações: farmcitizenexperience@gmail.com / (48) 99668-3503

MASSAS DELLARINI

22/11/2019 às 10h47

Nova marca e resgata a alegria das refeições em família

Empresa planeja expandir sua participação no mercado com novas embalagens, diversificação do portfólio com massas integrais e contato mais próximo com o consumidor

Mangiare felice! É em clima de celebração que a Massas Dellarini, tradicional fabricante de massas caseiras há 30 anos, com sede em Içara (SC), apresenta ao mercado sua nova marca e embalagens – que em breve poderão ser vistas em empórios e supermercados da região Sul.

Com a entrada das novas embalagens no mercado e lançamento da Massa Caseira Integral 400g, a Dellarini inicia seu plano de expansão, que engloba mais interações com os clientes nas redes sociais @massasdellarini, ampliação do número de pontos de venda e diversificação do portfólio com produção de massas especiais e outros ingredientes para preparo da verità pasta italiana.

“Há três décadas nos preocupamos com a integridade das massas feitas a partir de receitas caseiras, sempre atentos à segurança alimentar e qualidade dos nutrientes que servimos aos nossos clientes. Precisávamos de uma identidade visual que ampliasse a nossa mensagem e aproximasse o público que reconhece o valor da comida de verdade, feita com temperos afetivos. Boas refeições vão além da saciedade, elas trazem felicidade!”, afirma Elivaine Dellabruna, filha do fundador da marca.

O projeto de reposicionamento leva assinatura da Move – Design Estratégico, que buscou nas origens italianas e no sabor das massas caseiras as diretrizes da nova marca.

“Desde o início do projeto, percebemos que reunir pessoas para celebrar bons momentos era algo latente no propósito da marca, que nasceu dentro da casa da família Dellarini. Essa atmosfera agregadora precisava ser evidenciada nos pontos de contato da marca e criamos um universo que incentiva a relação mais próxima com o consumidor”, explica Caique Lopes, gestor de desenvolvimento e sócio da Move.

As novas embalagens trazem dicas de preparo e sugestões de consumo para que todos tenham a experiência completa à mesa, com ares da nostra Itália. Nas redes sociais, em fase de implementação, o público encontrará conteúdos que vão além do institucional: dicas de gastronomia, bem-estar e muita cultura italiana estarão no cardápio da Dellarini para encantar o consumidor.

COMUNIDADE π (PI) PARA PROFISSIONAIS DE INVESTIMENTOS

01/11/2019 às 16h51

Comunidade π (Pi) mira em capacitação 360º para profissionais de investimentos

Startup inova e dá suporte completo, da certificação à entrada no mercado de trabalho, para quem investe em uma das carreiras mais promissoras da área financeira.

Poucos mercados no Brasil oferecem tantas oportunidades para crescer como o de investimentos. Os brasileiros estão mais atentos quando o assunto é o rendimento das suas aplicações nos bancos e estão abertos a alternativas mais rentáveis. Para que tudo seja feito com segurança, com apostas adequadas ao perfil de cada cliente, a figura do assessor de investimentos é fundamental. Mais do que isso: quanto mais qualificado for o assessor, melhor para o correntista e também para a economia.

Pensando nas necessidades dos profissionais que atuam ou planejam seguir carreira nesta profissão, a startup Eu Me Banco ampliou sua gama de serviços e investiu num projeto pioneiro e arrojado. Em outubro, lançou em formato trial a comunidade dos profissionais de investimentos, batizada como Comunidade π (Pi).

“Nós vamos pegar o profissional na mão e entregá-lo para o banco 100% preparado. Estruturamos um fluxo que atende tanto um profissional cru para transformá-lo em um especialista de investimentos, quanto àquele que sabe sobre investimentos, mas não consegue tirar a certificação ou ir bem nas entrevistas. Toda a prática e o   conhecimento necessários para lançar profissionais verdadeiramente qualificados no mercado fazem parte da Comunidade π”, explica o economista Fabio Louzada, CEO da Eu Me Banco e idealizador do projeto.

A Comunidade π abriu inscrições para a primeira turma durante 48 horas no início de outubro. “Foi o primeiro teste de aceitação dos alunos e o resultado foi muito surpreendente, 104 pessoas se inscreveram e já estão com acesso ao material pelo período de um ano”, revelou Louzada. A busca por novas turmas está grande: até o momento, a lista de espera conta com mais de 1.000 interessados.

CURSOS, CAPACITAÇÃO PARA ENTREVISTAS E NETWORKING

A oferta da Comunidade π é atrativa não só pelo know-how compartilhado por Fabio Louzada, profissional com o maior número de certificações financeiras no Brasil e ex-consultor de investimentos do Bradesco Prime, Santander Select, Citibank e Itaú Personalité.

A sacada do projeto está em reunir não apenas os cursos preparatórios para certificações, mas também preparar os alunos para serem especialistas em investimentos desde a prática operacional e estratégica, passando pelos conhecimentos gerais necessários ao bom desempenho em entrevistas, ensinamentos técnicos e networking – com acesso a oportunidades de trabalho alinhadas ao perfil do profissional e conexões com corretoras consagradas no mercado.

Integram o escopo da Comunidade π os cursos preparatórios para CPA 10, CPA 20, CEA e Ancord e o recém-lançado Curso de Matemática Financeira, criado para ajudar profissionais com dificuldades na operação da calculadora HP.

Além dos cursos, os inscritos têm acesso ao Closed Friends do professor Fabio Louzada no Instagram (@fabioalouzada), onde são compartilhadas questões técnicas do assessor de investimentos na prática – tais como montar um portfólio de investimentos, comparação de investimentos, análise de métricas e cenários etc.

Já no Telegram, um grupo exclusivo foi criado para fomentar o networking dos alunos, com dicas sobre como se portar em entrevistas, conexões com recrutadores e divulgação de vagas de trabalho na área de investimentos.

“Para que o encontro entre profissionais e mercado seja assertivo, criamos o API – Atributos do Profissional de Investimentos. Consiste em um formulário preenchido pelo aluno assim que ele entra na Comunidade π, pelo qual mapeamos sua graduação, certificação, enfim, o necessário para direcioná-lo às vagas certas”, pontua Fabio Louzada.

PARCERIAS ESTRATÉGICAS

“Com o objetivo de preencher o suporte em 100% dos pré-requisitos para formar especialistas em investimentos, contamos com a ajuda de parceiros estratégicos”, destaca o professor Fabio Louzada.

Para ajudar nos insights técnicos, a Eu Me Banco vai disponibilizar aos membros da comunidade o acesso gratuito durante seis meses à plataforma Comdinheiro, usada pelos consultores nos bancos. “A ideia é ensinar os alunos a montarem portfólios na prática, farei o passo a passo junto com eles para que aprendam e solucionem suas dúvidas na hora, de fato”, explica Fabio.

Outra parceria de peso é com o consultor de carreira Ronaldo Cerqueira, peça fundamental na preparação dos profissionais para a entrada no mercado de trabalho. O consultor entrará numa etapa onde o profissional já tem a certificação e o conhecimento técnico, dando orientações sobre como montar um currículo vencedor, compartilhando insights sobre recrutamento e dicas para um bom desempenho nas entrevistas.

Com quatro semanas de operação, a Eu Me Banco tem recebido o contato de recrutadores e instituições financeiras interessadas em incluir vagas no grupo da Comunidade π no Telegram por ser um espaço ímpar que reúne os profissionais mais qualificados na área de investimentos no Brasil.

“Entre os parceiros formalizados temos a MN Investimentos, escritório credenciado a XP Investimentos. Os alunos com certificação Ancord que pretendem atuar como agentes autônomos têm a oportunidade de receber todo o treinamento diretamente do sócio do escritório, Lucas Ferrari, um grande diferencial! O profissional sairá da Comunidade π com um espaço para exercer suas atividades e capacitação específica”, conclui Louzada.

NOVA RODADA DE INSCRIÇÕES EM NOVEMBRO

Segundo a Eu Me Banco, novas inscrições para a Comunidade π serão abertas até 05 de novembro ou enquanto houver vagas.

Para não perder a oportunidade, os interessados devem acompanhar a divulgação da agenda de inscrições no site www.eumebanco.com.br ou nas redes sociais do professor Fabio Louzada (@fabioalouzada).

Para mais informações sobre vagas e valores, basta enviar um email para contato@eumebanco.com.br

SABORES LATINOS À MESA

14/10/2019 às 12h07

Após uma temporada no Chile, o chef manezinho Eduardo Capela, promove um menu autoral repleto de latinidades n’A Casa do Chef (Rua Emílio Meyer, 80,  Coqueiros) em Florianópolis.

O menu completo (R$ 74,90) traz sabores exóticos num jantar em três etapas com pinceladas portenhas, peruanas, entre outras referências marcantes do continente sul-americano.

Destaque para o Ceviche Peruano de Polvo e Peixe Branco, o excelente Polvo Grelhado com Polenta Cremosa, Chimichurry, Couve e Crispy de Batata Doce e a sobremesa Picarones com Molho de Melado e Sorvete de Chocolate com Laranja. Ao sorvete, cabe uma menção honrosa a Dolce Vita Gelateria Coqueiros, que produziu com maestria a criação do chef Capela.

A experiência pode ser conferida até 26 de outubro de quarta-feira a sábado, das 19h30 às 23h. Para reservas e mais informações, entre em contato pelo telefone (48) 99106-1852.

Fotografias: Linda Laranja Fotografia

A HORA E A VEZ DO ASSESSOR DE INVESTIMENTOS

10/10/2019 às 09h00

Profissão, até então pouco conhecida no Brasil, ganhou força na esteira da popularização das plataformas de investimentos. No País, apenas 6 mil assessores atendem o mercado.

O tamanho da última edição do Investor Day, realizado em setembro pela XP Investimentos em São Paulo, deixou claro que a profissão de assessor de investimentos é a bola da vez no mercado financeiro. Com um número cada vez maior de brasileiros dispostos a investir, a figura do assessor se faz essencial para buscar oportunidades e direcionar os melhores produtos para cada perfil investidor.

Durante entrevista para o canal Eu Me Banco (https://www.youtube.com/watch?v=Ro50IyfFy_I), Lucas Ferrari, sócio da MN Investimentos, escritório credenciado a XP Investimentos, falou sobre o cenário promissor para quem deseja seguir carreira como assessor autônomo, vinculado a corretoras.

“Hoje temos apenas 6 mil assessores de investimentos no Brasil, o oceano é muito vasto. Tem muita gente necessitando de investimentos, até porque há 4 ou 5 anos a gente conseguia dobrar o nosso capital em 4 anos de investimentos, existia uma taxa de juros elevada. Hoje, para dobrar um investimento demora 20, para dobrar na poupança a gente leva 45! Então, de fato, a figura do assessor é muito necessária no mercado brasileiro, primordial para fazer com que a economia rode cada vez mais no País”, revelou Ferrari.

A profissão, até então pouco conhecida no Brasil, ganhou força na esteira da popularização das plataformas de investimentos. Para começar, não é necessário ter uma graduação específica, mas é preciso estudar o mercado, conhecer os produtos de investimentos e obter certificações para ser relevante e atuar com carteiras mais robustas.

De olho na demanda crescente, o economista Fabio Louzada, fundou a startup Eu Me Banco em março de 2019, que forma profissionais para área de investimentos e os prepara para os exames de certificação via cursos online e presenciais. Em apenas seis meses, mais de 500 alunos já foram atendidos pela Eu Me Banco.

“Assessor de investimentos é a profissão do futuro. O brasileiro, pela primeira vez na história, está aberto para educação financeira e disposto a buscar bons investimentos para ser remunerado. É aqui que a figura do assessor se faz essencial, buscando opções mais rentáveis que ampliem o horizonte de investimentos do cliente”, conclui Louzada, profissional com mais certificações no Brasil (CPA-10, CPA-20, CEA, ANCORD, CFP, CGA, CNPI, PQO e CFA Level I).

CONTRAPONTO

Em países desenvolvimentos, como os Estados Unidos, a rede de profissionais que atuam assessorando investimentos é superior a 4 milhões, um mercado maduro onde 95% da população investe via corretoras. No Brasil, apenas 5% dos brasileiros aplicam dinheiro em fundos de investimentos (fonte: Anbima).