Revista Statto

CULTO AO POLÍTICO OU GOVERNO

19/08/2020 às 09h16

 

Toda forma de radicalização de algo é perigoso. Vemos isso com pessoas que idolatram seu time, sua religião, como exemplo temos o catolicismo na Idade Média, que matavam quem pensava diferente, enfim, toda forma de radicalização de algo é perigoso.

Analisemos então, politicamente, aí o “caldo” engrossa de verdade. Estamos vivendo outra era de culto a um governante. Na época do PT, os seus militantes, idolatravam-nos, tanto Lula, quanto Dilma, pois era isso o que eles queriam. Diferente desse governo, o governo Bolsonaro.

Bolsonaro, nunca previu um culto a ele, – Isso é com base em evidências na sua conduta – mas um movimento, chamado Bolsonarismo, tem feito isso. E porque isso é tão perigoso!?

Primeiramente, vamos começar com alguns exemplos e fatos:

Fato 1. Quando você cultua um governante, automaticamente você vai começar a passar pano para todos os erros desse político, por exemplo, temos vários ditadores que são “cultuados”, mas que fizeram coisas tenebrosas. Primeiro, temos Benedito Mussolini, foi o autor do fascismo na Itália, liderou lá entre os anos de 1922 a 1943. Foi responsável por milhões de mortes. Segundo o jornal The Guardian, o culto a sua figura está ressurgindo na Itália. Segundo, temos Joseph Stalin, um dos fundadores do socialismo, junto com Trotsky e Lênin, e também um dos fundadores da União Soviética. Seu governo na Rússia, foi responsável, por pelo menos 20 milhões durante o seu governo. Prendeu é executou milhares de pessoas durante os anos de 1934 a 1939. Segundo uma pesquisa feita pela Carnegie Endowmenet For International Peace em 2011, 45 por cento dos russos tem uma visão positiva do ditador. Na Geórgia, seu país natal, isso sobe para quase 70 por cento.

Fato 2. Você apoia tudo, inclusive erros inadmissíveis, que não deveriam ser apoiados, por exemplo, quando você questiona um “petista” sobre os roubos de Lula, e ele retruca dizendo “Ele roubou, mas fez.”. Portanto, apoiam tudo, inclusive atos inadmissíveis. Sempre procuram justificativa para cultuar o seu “político de estimação”.

Fato 3. Você transforma o seu “político de estimação” em um “deus” e acaba cultivando a ele, independentemente de qualquer ato. Você acaba tolerando tudo como normal. Por exemplo, as manifestações agressivas e usurpadoras a favor do PT. Os manifestantes batiam em policiais, quebravam bancos e maltratavam pessoas que pensavam diferente. No Bolsonarismo, tem ocorrido coisas quase parecidas.

Portanto, um “culto” a qualquer governante, é perigoso. Aconteceu com os ditadores antigos, ocorreu com Dilma e Lula, e estão acontecendo parecidas com o governo Bolsonaro.

Por fim, não seja um devoto de governantes, seja apoiador de ideias. E se essas ideias estiverem coerentes com um governante, apoio-o, só não seja devoto!