Revista Statto

SOCORRO, O BARULHO DO MUNDO ME SUFOCA

04/09/2020 às 08h41

O barulho do mundo tem atravessado as paredes das casas. Nos últimos meses, ouço gritos de socorro, manifestados de diversas formas, isso porque alguns estão incentivando o medo, terror e a maldade, enquanto outros, mais serenos e evoluídos, tentam apaziguar e solucionar.

A atmosfera está poluída. O ar que respiramos é insuficiente para manter a motivação em alta. O peso do caos emocional sufoca valentes e esperançosos. As pessoas de bem, que lutam para evitar a proliferação do mal, estão tendo suas casas invadidas pelos gritos da ignorância. Os muros e paredes, não abafam mais a insensatez e a falta de equilíbrio emocional daqueles que nunca investiram em aprimoramento pessoal.

A história mostra seres humanos tratando a coisa pública e a administração da vida coletiva, sem nenhum princípio ético.

Os gritos que ultrapassam os muros e as paredes dos sensatos, são provenientes dos que jamais se interessaram em saber qual é a relação de causa e efeito, tão pouco, sobre a interrelação das almas.

É preciso lembrar que a humanidade reside em uma única casa, sendo assim, o que se faz e como se faz, afeta os demais residentes. A terra oferece doses generosas de vacinas contra a maldade humana, mas boa parte, evita vacinar-se, preferem poluir e pesar o ambiente. O prazer de prejudicar é maior que o prazer de auxiliar.

As paredes que gritam o fazem por cansaço. Elas clamam por evolução humana.

Somos um só, apesar de haver uma diferença imensa de evolução, entre nós. Tenho consciência que a evolução espiritual, psicológica e emocional ajuda o planeta a não sucumbir à ignorância, porém, disseminar a maldade, mentira e crueldade é um ato de covardia que afeta profundamente a todos.

A sabedoria emocional e espiritual precisa de ajuda. Estamos sendo atingidos no que há de mais importante para cumprirmos nossa missão de amar, prosperar e cuidar. Os gritos da ignorância, dos que historicamente assaltaram nosso país, precisam mudar o alvo. É preciso que gritem por ajuda pessoal ao invés de assaltarem os sonhos das pessoas de bem.

Eu sei que as almas deles estão dilaceradas e amarguradas. Silenciar e evitar o barulho, fará o planeta liberar a energia do amor.        Quem estiver fazendo algo prejudicial, está cavando um destino pesado e amargo.

Consciência limpa, amor no coração, respeito pelo planeta e seus habitantes, positividade, interesse pela evolução, prosperidade para todos, incentivo a harmonia, benevolência, crescimento emocional e também financeiro, serão a vacina.

Sejamos fortes, mantemo-nos em oração e meditação, mesmo nos momentos mais difíceis. As paredes precisam de ajuda. O morador é responsável pelo que deixa entrar. Expanda seu silencio no amor assim, sentirá a energia e a autoestima se agigantar.

Vem comigo, preciso da sua ajuda, pois, nem sempre estou forte o suficiente.

Juntos, podemos elevar o estado de serenidade e silenciar o tormento externo, toda vez que as paredes gritarem.

http://www.irleiwiesel.com.br

http://Irlei Hammes Wiesel – Palestrante

POR FAVOR, NÃO SE CONFORME!

10/06/2020 às 21h12

A pandemia é um campo fértil para revelar emoções negativas, pensamentos pesados e a certeza da finitude. Você não acha?

Por isso sugiro que avaliemos com frequência nosso humor, o grau de irritação e o nível de esperança.

Alerte-se! Observe-se! 

É chegada a hora de dobrar os cuidados. Você merece sua companhia e sua ajuda. Observe também as pessoas mais próximas. Não economize na atenção e no cuidado.

Sabemos que conhecer-se e reconhecer-se pode impedir um desgaste emocional ainda maior. Para evitar depressões severas e fortes crises existenciais é preciso estar atento as reações emocionais.

Vivemos um tempo de alerta. Tanto você como eu, contribuímos para a energia do planeta. O medo de morrer ou a possibilidade de perder alguém para o vírus sufoca e diminui a luz do planeta.

A economia também está sendo sacudida. Assistimos atônitos um rolo compressor passando por cima de empresas sólidas eliminando, de uma só vez, empregos, sonhos, presente e futuro.  Sim, a situação é delicada.

Saiba que ao cuidar da sua energia você estará contribuindo para sufocar o peso destruidor da energia da pandemia.

Não sugiro mentir, sugiro não se conformar.

Não se conformar com a vontade de desistir e desejar a tristeza como companhia. Não se conformar com a negatividade do pensamento, não se conformar com a falta de esperança, não se conformar com o medo, não se conformar com a desesperança, não se conformar com o que está posto.

O que você me diz?

É possível?

O QUE IMPEDE O BEM-ESTAR?

12/03/2020 às 07h48

O destino trará de volta todas as pedras que nós arremessamos um dia”. Haroldo Dutra Dias

Somos viajantes em um cenário cheio de provações, com influências de toda ordem. O ambiente oferece riscos ou oportunidades.

Não há como higienizar um ambiente a tal ponto, que fique limpo de perigos e, por consequência, não ameace nossa forte convicção de seguirmos caminhos virtuosos.

O que são caminhos virtuosos?

São os escolhidos pela nossa alma. Aqueles que expandem nossa energia, nos fortalecendo.

Um lugar dentro de nós que fez a escolha pelo bem-estar próprio e do outro. Uma escolha pela integridade e justiça, uma opção por arremessar flores, abraços e carinho, ao invés de pedras e fardos aos caminhantes.

O que impede o acesso ao caminho virtuoso?

As tentações pela facilidade, impunidade terrena, sensação que ninguém saberá dos desvios de conduta, segurança de fazer tudo às escuras, tendência de compartilhar uma vitória pessoal suspeita, ganância e ego que buscam um tipo de sucesso aplaudido em círculos de convívio, certeza confortável que a consciência pesada é a única que poderá incomodar e, que dormir em lençóis de seda amenizam o seu peso corrosivo.

É bom salientar que quando o destino trouxer de volta as pedras arremessadas, nasce instantaneamente o famoso coitadinho, aquele que se vê injustiçado pela vida. Bem, é neste contexto, que a escolha fará a diferença. E, é justamente neste lugar, que se mede o valor do recomeço ou a teimosia da vitimização.

  • Você conhece esse lugar?
  • Qual foi ou está sendo sua resposta ao ensinamento da vida?

COMO CONQUISTAR A TRANSFORMAÇÃO PESSOAL?

31/01/2020 às 14h04

“Chega de tatuar a dor no corpo como castigo e como comprovação de que a vida é difícil” (Irlei Wiesel).

Questionar é desenvolver o espírito crítico, por isso é inevitável que, após minhas palestras, aconteçam questionamentos. O tema dessas questões geralmente é a transformação pessoal. Seguem alguns exemplos:

– Como posso começar minha transformação pessoal?

– Como posso ajudar minha família a dar os primeiros passos em direção a um novo estilo de vida?

– Como posso incentivar as pessoas a investir no cuidado com a saúde?

Na minha caminhada, aprendi que, para alguns, o caminho da transformação é mais fácil do que para outros e que, por vezes, transformar-se é uma questão de estratégia. Para entender isso melhor, é preciso lembrar das inúmeras dores emocionais experimentadas ao longo da nossa vida. Lembrar também dói, não é mesmo? Pois bem: a transformação pessoal, para aqueles que negam a dor, é mais difícil.

É preciso lembrar que é sempre mais saudável encarar a vida de frente, sem inventar histórias ou desculpas. Fugir da realidade é dificultar a transformação pessoal. Afinal, mentir para si mesmo é sempre a pior mentira (Música: Quase sem Querer – Legião Urbana).

Quem mente para si mesmo fecha portas para a aceitação e a resignação, o que dificulta inspiração para novas direções.

Quando essa porta representa o coração, fica fácil desconstruir verdades absolutas. O coração é menos resistente e aceita reconhecer a dor e, com isso, a sensibilidade aflora e novas conexões se tornam possíveis.

Pessoas que lacram a sensibilidade são amargas e inacessíveis, armazenam orgulho e prepotência. Nesse cenário fica difícil motivar uma mudança.

O amor, a felicidade, a aceitação e a mudança precisam coração com suas portas abertas, caso contrário o acesso não acontece.

Corações trancados costumam conter muitos obstáculos, entre eles crenças limitantes, padrões emocionais e programas mentais que roubam a energia e a esperança.

Então, como iniciar a transformação pessoal? Inicie respeitando a estratégia do seu coração e evolua para aceitação e resignação da dor. Cogite a possibilidade da transmutação de tudo que possa ter limitado a sua vida até o presente momento e, por último, desapegue-se das histórias pessoais e abra espaço para criar novas aventuras. Diga adeus a roteiros dramáticos. Vida nova, e, nesse caso, vida nova significa olhar para dor como se olha para alegria e é assim que se transmuta o que dói. Chega de tatuar a dor no corpo como castigo e como comprovação de que a vida é difícil.

Crenças pesadas criam realidades insanas. Desapegue-se e abra o portal do coração para a transformação fazer seu trabalho.