Revista Statto

SÓ DEMOSTRE SEUS SENTIMENTOS ONDE HOUVER RECIPROCIDADE

28/09/2020 às 08h45

Sempre fui a favor de expressar para o outro aquilo que sentimos. Seja contentamento dentro da relação ou pontos que, após um diálogo, podem ser melhorados.

No momento da conquista, não poderia ser diferente. Se a gente não falar para o outro o que sentimos, como ele vai saber? Mas acho que existe uma linha tênue entre a sinceridade e o bom senso para avaliar se devemos continuar investindo em algo ou não.

Se tem uma coisa na qual me arrependo nessa vida, foi perder tempo com pessoas que não tinham as mesmas intenções que as minhas. Não me arrependo de ter expressado meus sentimentos, mas me arrependo por ter insistido em situações que só existiam em minha cabeça.

O que é recíproco é fácil, é leve e a gente sente felicidade ao sentir. Quando não há reciprocidade, não é amor. Amor não tira o sono, não tira apetite, muito menos, paz de espírito.

Desejo que você tenha sabedoria para se amar ao ponto de não aceitar migalhas. Amor gostoso transborda nosso coração. E você merece ter o coração preenchido por alguém que fique por livre e espontânea vontade. Não por alguém que você tenha que implorar para ficar.

AMEI TE CONHECER, MAS NÃO SERIA FELIZ SE EU ME PERDESSE DE MIM PARA FICAR COM VOCÊ

14/09/2020 às 12h09

Já parou para pensar como seria se tivéssemos nos dado uma chance? No fundo, você e eu sabíamos que nosso relacionamento seria impossível. Queríamos ficar juntos, mas não queríamos ceder.

Você tem sua vida no campo. Eu sou uma garota da cidade. Você encontrou no silêncio as respostas que tanto procurava. Já eu, me sentiria deslocada diante de tanta tranquilidade. Você encontrou refúgio no campo. Eu encontro refúgio na fé. Você é desapegado da família. Eu não fico longe da minha. Você não precisa de muito para encontrar felicidade. Já eu preciso do mundo para ser feliz.

O problema não está em você, muito menos em mim. Mas para que investir em algo que no fundo sabíamos que não ia funcionar?

Você dizia que eu me acostumaria com a vida no campo. Ahh pretinho, se você soubesse.

Nada contra o campo, mas aquilo que te faz feliz, mataria a energia que tenho dentro de mim. Eu sou ligada nos trezentos e vinte e isso faz de mim o que sou. Uma garota cheia de energia, doida para viver.

Acredito que algumas histórias não são para acontecer. A gente se encontra, troca energia e segue adiante. Eu amei te conhecer, mas não seria feliz se eu me perdesse de mim para ficar com você.

ARREPENDIMENTO NÃO FAZ UMA HISTÓRIA QUE PODERIA SER LINDA, VOLTAR

31/08/2020 às 11h53

Eu sabia que ia se arrepender. Você era muito impulsivo e falava as coisas no calor do momento. Depois, se arrependia e pedia para voltar. Quantas vezes eu falei para você que uma hora eu ia cansar e não teria arrependimento que me fizesse voltar? Eu te avisei.

Você queria que as coisas fossem do seu jeito, sendo que o relacionamento era nosso. Você era 8 e 80, tudo ou nada e se as coisas não fossem do jeito que queria, era motivo de birra.

Quantas vezes você entrou naquele mesmo assunto porque não compreendia minha opinião? Você queria que eu me sacrificasse naquele momento para fazer sua vontade. Quantas brigas poderiam ter sido evitadas se você fosse mais compreensível? Nossos planos iam acontecer, era só questão de tempo.

O mesmo desejo que tinha de ser feliz, eu também tinha. Mas você queria dar um passo maior que a perna. Chegou uma hora, que era impossível te acompanhar. Você era domado pela ansiedade e descontava toda sua expectativa em mim, em nós.

Eu sabia que ia se arrepender. Soube quando dei ponto final em nossa história e você vomitou toda sua insatisfação em cima de mim.

Eu sabia que ia se arrepender. Era típico seu tomar decisões sem fazer prévia análise e voltar atrás porque sabia que no fundo, não era isso que queria.

Eu sabia que ia se arrepender. Você me magoava e me compensava com presentes como se aquilo fosse o suficiente para apagar as coisas que me dizia na hora da raiva.

Eu sabia que ia se arrepender. O tempo passou e você ainda não superou. Pediu para voltar como se eu sentisse falta das suas explosões por coisas que não estavam em nosso controle. Você fuça minhas redes sociais na esperança de reatar algo que já acabou. Procura minhas amigas para saber como estou e o que ando fazendo, como se o não que eu te dei não fosse o suficiente para seguir sua vida.

Eu sabia que ia se arrepender. Mas arrependimento não faz uma história que poderia ser linda, voltar.

SE ALGUÉM FOI CAPAZ DE CHEGAR EM ALGUM LUGAR, VOCÊ TAMBÉM PODE

28/08/2020 às 19h58

Tem uma frase que diz: “Se te faz feliz o vôo dos outros, você entendeu tudo“.

Às vezes, a gente planta uma sementinha e acha que vai brotar no dia seguinte. É lindo perceber que nem as dificuldades da vida é capaz de matar os sonhos do ser humano. E é isso que faz a gente levantar da cama com uma baita vontade de viver. Apesar da colheita não ser imediata, a gente segue acreditando que tudo vai dar certo.

A questão é que o sol não brilha todos os dias. Em algum momento, vamos enfrentar os dias de chuva e vai bater aquela ansiedade de ver o que plantamos dar fruto. O problema começa quando comparamos nossa vida com a vida de outras pessoas. Como se a vida fosse uma competição e o vencedor é aquele que alcança seu objetivo primeiro.

Ora, mas qual o sentido de comparar nossa vida com a vida alheia, se cada pessoa tem sua história?

Se alguém foi capaz de chegar em algum lugar, você também pode. Tudo depende da sua entrega. E se ainda não aconteceu, não quer dizer que não vai acontecer. Quer dizer que ainda não chegou o momento. Faça sua parte e deixe que a vida se encarregue de fazer o resto.

Enquanto isso, aprenda a pegar mais leve consigo mesmo. Não se cobre tanto e aprenda que a vitória do outro não te faz perdedor. Pare de achar que a grama do vizinho é mais verde que a sua e comece a cuidar da sua própria grama. Pode ter certeza que sua hora vai chegar. Enquanto isso, comemore com aqueles que venceram.

O sol brilha para todos e nesse mundão a fora também tem lugar para você.

UTOPIA É ACHAR QUE POR TRÁS DE UM SORRISO HÁ UMA PESSOA FELIZ O TEMPO TODO

24/08/2020 às 21h40

Vejo uma necessidade absurda de estar bem o tempo todo. Eu, você o João e a Maria. Todos nós “engolimos o choro” e seguimos em frente. “Ahhh, mas é feio chorar. Ser forte é guardar o choro para si e fingir que está tudo bem”. Que besteira. Utopia é achar que por trás de um sorriso há uma pessoa feliz o tempo todo.

A gente chora, sofre, e como sofre e ainda somos obrigados a engolir o choro. Quer dizer que minha vida tem que ser perfeita ao ponto de não ter um tropeço se quer? Impossível. A vida é uma eterna oscilação, cheia de altos e baixos. Quando a roda gigante da vida está girando e estou sentada lá em baixo, tenho o direito sim de chorar. E isso não vai fazer de mim um ser humano mais fraco. Pelo contrário, é através do meu choro que limpo minha alma e encontro forças pra seguir adiante.

Para de acumular sujeira no coração.  Bota para fora. Ora, onde já se viu, pular as etapas da vida? Tudo leva tempo. A lagarta só vira borboleta quando passa pelo processo de transformação. Não esqueça que durante cada processo, somos transformados.

Costumo dizer que a gente só consegue lidar com as coisas quando dançamos conforme a música. Esconder a dor em baixo do tapete não te livrará dela. É como machucado, se não cuidar do ferimento, piora.

Para, respira, ressignifica. Só não pira. Respeite seu tempo.

Ninguém é obrigado a ser forte o tempo todo. Se tiver que chorar, chore mesmo. E lembre-se, um momento ruim não decreta quem você é.

JAMAIS PROMETA O QUE NÃO PODE CUMPRIR!

27/07/2020 às 11h41

Se tem uma coisa que me deixa brava, é quando alguém me promete algo, e não cumpre. Prometer, quando não se pode cumprir, é não honrar as próprias palavras.

Assim como eu, tenho certeza que você já foi vítima de promessas que foram feitas da boca para fora.

Meu objetivo não é atingir ninguém. Quero apenas expressar minha

Indignação sobre tal fato.

Sou radialista. Quando terminei o curso, um dos professores prometeu que iria me ajudar a produzir meu piloto “demonstração de trabalho”. Pedi o contato dele para que combinássemos o dia. Quando cheguei em casa, a primeira coisa que fiz, foi o chamar via Facebook conforme o combinado. Ele visualizou minha mensagem, e não respondeu.

Alguns dias depois, o chamei novamente. Ele simplesmente não retornou nenhuma das minhas mensagens.

Ninguém faz nada sozinho. Creio que quando iniciou sua carreira, precisou de ajuda para entrar em alguma emissora. Até porque, quanto mais contatos você tiver, mais chances você tem de conseguir algo.

Hoje ele trabalha em uma das maiores emissoras de rádio de São Paulo, mas a roda gigante da vida gira, e um dia, ele precisará de ajuda.

Tive sorte de começar em rádio cedo, mas com certeza, não foi com a ajuda desse locutor. A vontade era tanta, que me virei sozinha.

Apesar do ocorrido, eu acredito na bondade alheia. Existem corações prontos para ajudar. Felizmente, a vida colocou alguém no meu caminho para produzir o que eu precisava, e a pessoa ainda me cobrou um preço acessível.

Não desejo a infelicidade daquele profissional que prometeu me ajudar, e não ajudou. Desejo que ele tenha uma longa carreira de sucesso.

Não importa o que seja. Jamais prometa ajudar alguém se não está ao seu alcance. Criar expectativas nas pessoas, só fazem elas perderem tempo esperando.  Se prometer algo a alguém, honre suas palavras. Elas fazem de você a pessoa que é.

ALMAS BONITAS SÃO RARAS DE SE ENCONTRAR! VALORIZE

15/07/2020 às 09h14

Ligação de almas. Tão difícil de acontecer, mas quando acontece, é mágico. Seja no amor, ou, amizade, relacionamentos saudáveis são aqueles que nos transmitem paz. Pessoas que agregam em nossas vidas, são dignas de nossa atenção e zelo.

Dia desses estava conversando com uma pessoa. Apesar de ser uma pessoa incrivelmente prazerosa para conversar, neste dia, estava distante. Eu falava “A”, ela respondia “B”. Como temos uma amizade de longa data, temos intimidade o suficiente para nos abrir.  Ao invés de permanecer do outro lado da linha com cara de paisagem, eu perguntei se estava tudo bem, e disse a ela que estava desligada. Ela disse que estava sim, mas quando retomávamos a conversa, ela se mantinha em silêncio novamente. E para fechar com chave de ouro, não a procurei para conversar. Foi ela.

Após termos desligado o telefone, a chamei via mensagem e disse mais ou menos assim: “Desculpe, mas se falo contigo, é porque gosto de sua companhia, mas não fale comigo se não está presente. Isso me irrita em qualquer pessoa”.

Se mantenho contato com alguém, é pelo simples fato de me fazer bem, contudo, sou ariana, e a arianos carregam intensidade em si. Na amizade, ou, na vida a dois, gosto de entrega. Não me venha oferecer migalhas, porque delas eu não preciso. Valorizo conversa olho no olho, e encontro de almas. Se for para conversar por obrigação, prefiro nem conversar. E se não está bem para uma prosa gostosa, nem se dê ao trabalho de me procurar.

Talvez, daqui alguns dias, rirei desse desabafo, no entanto, usei esse exemplo porque isso acontece com milhares de pessoas. Inclusive, a pessoa que foi citada no texto, sabe da importância que tem para mim, e ao mesmo tempo, sabe que sou sincera, e digo o que me incomoda.

Prosa gostosa não é aquela onde os envolvidos estão apenas fisicamente ali. Prosa gostosa é aquela que as almas estão totalmente conectadas umas com as outras.

Se a vida lhe presentear com pessoas especiais, valorize. Almas bonitas são raras de se encontrar.

RELACIONAMENTO SEM CONFIANÇA, NÃO É RELACIONAMENTO. É PRISÃO!

03/06/2020 às 12h47

Sofrer por amor. Quem nunca sentiu o coração partindo em mil pedaços, não sabe o que é apaixonar-se verdadeiramente por alguém. Todos nós já tivemos um amor não correspondido, ou, não correspondemos alguém. É uma dor universal.

Semana passada, estava conversando com um amigo de Carapicuíba. Eu e Juninho, estávamos relembrando amores do passado, e ele comentou sobre sua ex namorada. Ele disse que ainda a ama, mas teve que dar um fim no relacionamento porque era muito ciumenta.

Alguns dizem que ciúmes é demonstração de afeto, contudo, sentimentos assim, demonstram o quão inseguro (a) seu parceiro (a) se encontra. É impossível relacionar-se com alguém que fica te ligando a cada cinco minutos para saber onde está, e com quem está. Atitudes como essas, trazem um grande desgaste ao relacionamento. Ninguém aguenta ficar ao lado de alguém que não transmita confiança em você.

Relacionar-se é maravilhoso, entretanto, ambos devem aceitar a individualidade do outro, e ceder em alguns momentos. Hoje vou sair com minhas amigas, amanhã sairemos juntos. Hoje quero assistir à final dos libertadores, e amanhã vamos ao shopping comprar um novo tapete para a sala.

Um relacionamento só funciona se ambos estiverem na mesma sintonia. Não adianta um confiar, e o outro não. Não adianta um ceder, e o outro não. Dialogar sempre será a melhor solução.

Apesar de Juninho ainda amar essa garota, disse que foi melhor assim. Por outro lado, a cada dia, está se recuperando aos poucos, e afirma que está com a consciência tranquila porque está consciente de que ofereceu a ela sua melhor versão. Se ela não soube o valorizá-lo, outra moça mais segura, saberá. Juninho me mostrou que assim como nós, mulheres, homens também sofrem por amor, e lutam para que seus relacionamentos deem certo.

Eu também já sofri por amor, e sei o quanto machuca nosso coração. Por outro lado, sei que assim como ele, lutei para que cada sentimento fosse correspondido como queria. Alguns corações, ganhei. Outros, não. Mas para cada homem que amei, ofereci sentimentos genuínos. Se todos não corresponderam conforme minhas expectativas, o problema não está em mim, muito menos, neles. Certas coisas não são para acontecer.

É preciso deixar o passado no passado, e confiar em um futuro melhor. Só porque sofremos no passado, não quer dizer que todos os amores serão iguais. Um dia, em algum lugar, alguém nos corresponderá da mesma forma.

SEJAMOS NOSSO PRÓPRIO PADRÃO DE BELEZA!

15/05/2020 às 17h17

No último sábado, assisti um filme no Netflix que me fez refletir. O nome do filme é “Felicidade por um fio”.

O filme conta a história de uma publicitária perfeccionista. Vaidosa ao extremo, tem problemas em seus relacionamentos, pois, não consegue ser ela mesma. Ela sente a necessidade de ser perfeita o tempo todo, e ignora o prazer de sentir-se linda sem maquiagem, e cabelo arrumado.

Após algumas lágrimas, ela decidiu raspar seu cabelo em busca de autoconhecimento, e percebeu, que o cabelo é a moldura da mulher, porém, não é tudo.

Me identifiquei com o filme. Quando era mais nova, era muito perfeccionista com minha aparência. De certa forma, isso me fazia mal. Pode parecer vaidade, entretanto, sofria de baixa autoestima.

Para vocês terem uma ideia, deixei de sair, pois, achei que não estava linda o suficiente para tal ocasião.

Olho para trás, e percebo a quão julgada fui por mim mesma.  Queria ser perfeita o tempo todo, sabendo que ninguém é perfeito.

Podemos nos arrumar, contudo, não podemos deixar que nossa aparência no controle.

Haverá momentos em que certas ocasiões revelarão nosso cabelo desmanchado, nossa cara amassada, e nossa face natural. E está tudo bem.

A sociedade prega que devemos seguir padrões. Ela prega que devemos ter uma barriga sarada.  Ela prega que devemos usar as melhores roupas, porque, só assim, seremos notados. Ela pega que devemos esconder as marcas de nossa face. Ela prega que devemos usar os produtos mais caros em nossos cabelos, pois, só assim, não “armarão”. E a beleza natural, onde fica?

Sim, a sociedade diz. Mas, quem é a sociedade para dizer o que devemos fazer?

Após alguns anos, entendi que antes da beleza exterior, devo valorizar minha beleza interior. Meus cabelos que antes eram alisados, estão naturais. E foi uma das melhores decisões que tomei em minha vida. Sinto-me leve, e muito mais feliz.

Não estou dizendo que devemos parar de nos arrumar, no entanto, podemos ser quem quisermos ser. Não temos a obrigação de seguir nenhum tipo de padrão. Ignoremos a sociedade padronizada, e sejamos nosso próprio padrão de beleza.

NÃO SEI, NÃO VI, NÃO OUVI – FUJA DE EMBOSCADAS!

20/04/2020 às 08h40

Dar uma de sonsa. É isso que faço quando ouço comentários negativos da vida alheia.

Semana passada, estava em um determinado local. De repente, minha companhia começou a falar mal de um conhecido nosso. Para não parecer mal-educada, ouvi com atenção cada palavra negativa dirigida a esse conhecido, entretanto, não dei margem para discussão.

Após o desabafo, a mesma pediu minha opinião. Disse a ela que não tenho nada contra o tal “alvo”, porém, prefiro não opinar. Até porque, não tenho nada a ver com isso.

É inevitável. Somos seres humanos, e vivemos uma vida social, no entanto, coisas que não são da nossa alçada, devem caminhar distantes de nós.

Finjo-me de sonsa para não discutir assuntos irrelevantes, e isso tem sido ótimo. “Não sei, não vi, não ouvi”, palavrinhas como essas, tem me ajudando a fugir de verdadeiras emboscadas.

Aprenda que se falam mal de alguém para você, podem falar mal de você para alguém. Sim! Existem pessoas que sentem prazer em falar mal dos outros pelo simples fato de sentirem- se bem. Fuja de pessoas assim.

A gente não perde tempo numa prosa. A gente perde tempo se a prosa não for com alguém interessante. Conversas que não somam em nossa vida, devem ser cortadas.

É preciso ter discernimento do que é bom ou não é. Nessas horas, a sensibilidade é primordial. Ela nos mostra com quem devemos gastar nossa energia, e de quem devemos fugir.

Não dê abertura para comentários maldosos. Mude de assunto, saia da roda, dê seu jeito. Mas não propague energias ruins.

Procure selecionar suas companhias. E se você perceber que não há companhias saudáveis em certos ambientes, opte por sua própria companhia.

NÃO ESPERE POR ALGUÉM PARA ESPALHAR O AMOR QUE HÁ DENTRO DE VOCÊ!

13/04/2020 às 09h20

Sábado à noite, chove lá fora. Um ótimo dia para escrever e tomar vinho.

Hoje, lembrei de uma promessa que fiz quando estava passado por uma fase difícil. Prometi a mim mesma que reverteria toda a frustração que estava sentindo naquele momento em amor. Sim, em amor.

Amar não é apenas amar um homem, uma mulher, um alguém. A gente pode colocar amor nas pequenas ações do dia-a-dia. Na oração, no abraço que damos em alguém, no bom dia sorridente, no carinho que fizemos em nossos bichinhos de estimação, não importa. Depositar amor em qualquer situação.

Gostava de um rapaz que, infelizmente, não poderia corresponder meus desejos de amor. Desistir de quem amei com todas as forças do meu coração, foi uma tarefa árdua, no entanto, decidi seguir em frente. Me recuperei, e a amizade com meu “ex amor” fortaleceu bastante de lá para cá.

Não me arrependo de nada que fiz. Não ganhei o coração do moço, mas a frieza do mundo não me abalou. A sociedade prega o “desapego” como se demonstrar nossos sentimentos fosse o maior erro do mundo. Dizer que espera por alguém, é sinal de desespero. Pregam o tal “amor próprio” como se vulnerabilidade fosse sinal fraqueza. A gente vive em um mundo onde as pessoas preferem “demorar para responder” do que mandar uma mensagem demonstrando que se importa. Há uma terrível competição entre “será que demostro”? Ou “será que guardo para mim e finjo que não sinto”? Isso é tão ridículo. No fundo, todos nós queremos ter alguém para beijar, abraçar e fazer programinhas de casais. Você tem o direito de estar “fechado para balanço”, entretanto, não estrague o desejo dos outros dizendo que a gente nasce sozinho e morre sozinho. Frases como essa não combinam com a intensidade do meu ser.

Tive uma experiência ruim, mas não quer dizer que todas as próximas serão. Se aquele moço não correspondeu minhas expectativas, não quer dizer que ninguém mais corresponderá. Acredito no amor, mas enquanto ele não vem em forma de companheiro, deposito meu amor em pequenas ações do dia-a-dia.

Não caia na conversa de que a gente não precisa de ninguém para ser feliz. Isso é uma grande utopia. A gente pode e deve viver nossa vida enquanto não chega alguém. Enquanto isso, pegue esse amor dentro de você, e espalhe por onde passar. Você precisa de amor, as pessoas, também.

MERGULHE DENTRO DE SI

23/03/2020 às 14h33

Autoconhecimento. Creio que você já tenha ouvido essa palavra por aí, mas você já se permitiu passar por esse processo? O autoconhecimento é simplesmente o ato de se conhecer.

Quem é você? O que te faz bem? O que te faz mal? Quais são suas paixões? Quais são suas qualidades? E seus defeitos? O autoconhecimento responde isso e muito mais.

Há 3 anos atrás, passei por um momento muito difícil em minha vida. Quando a tempestade deu uma acalmada, percebi que não me conhecia como deveria. Porque se eu me conhecesse, saberia lidar com o momento difícil que passei.

Depois do ocorrido, decidi me permitir passar pelo autoconhecimento e está sendo uma experiência maravilhosa. Dei o passo inicial lá atrás, mas ainda estou passando pelo autoconhecimento, é um processo constante. Mas, há 3 anos atrás, dei o primeiro passo.

Quando era mais nova, sair sozinha era uma missão quase que impossível. Deixei de sair várias vezes por falta de companhia. Às vezes, surgia um programa legal pra fazer e como naquele momento não tinha com quem ir, deixava de ir mesmo com vontade. Me peguei fazendo isso várias vezes. Quando me permiti me autoconhecer, comecei a sair sozinha. Sim, é necessário que estejamos sozinhos. Não é que a gente não pode mais sair com outras pessoas, mas se o objetivo é se autoconhecer, é necessário que estejamos sozinhos porque trata-se de um mergulho ao nosso universo interior, e isso nós fazemos sozinhos. Sai muitas e muitas vezes sozinha. Nessas saídas, descobri coisas sobre mim que não sabia. Descobri paixões, hobbies, qualidades, defeitos, o que me faz bem, o que me faz mal, enfim, informações que estavam ocultas dentro de mim.

Para o ser humano, é muito fácil apontar as falhas e os defeitos alheios. Olhar para dentro de si e admitir que você tem defeitos que precisam ser trabalhados, é um ato que requer de nós muita sinceridade. Eu comecei a trabalhar nestes defeitos e ainda estou trabalhando, em compensação, descobri que tenho qualidades e dessas qualidades encontrei coisas que dá para partilhar com outras pessoas. Uma delas é a escrita. Descobri que me conectar com pessoas através da escrita, me faz um bem danado.

Descobri que uma outra profissão me chama atenção. Nunca pensei que outra profissão além da comunicação me chamaria atenção. E como descobri isso, me permiti fazer um curso nesta área.

O autoconhecimento me ensinou a ser mais seletiva. Costumo dizer que conheço muitas pessoas, mas meu círculo de amizade é pequeno. Tenho poucos amigos, mas esses poucos amigos me fazem muito bem. São pessoas com quem converso e saio com frequência.

Para finalizar, o autoconhecimento me fez entender a importância de se ter fé. Eu não sei qual é sua religião, mas sou cristã e descobri um lugar maravilhoso que me faz muito bem. Cada vez que frequento este lugar, sinto a renovação da alma e do espirito em meu interior.

O autoconhecimento me proporcionou experiências maravilhosas. Se permita viver o mesmo. Tenho certeza que você descobrirá coisas inimagináveis.

Quem quiser dar uma olhadinha, fiz um vídeo que fala sobre autoconhecimento: https://www.youtube.com/watch?v=uzmhQcM594s&feature=youtu.be

NÃO PODEMOS CONTROLAR NOSSOS SENTIMENTOS, MAS PODEMOS CONTROLAR NOSSAS AÇÕES SOBRE ELE

13/03/2020 às 10h18

As pessoas se decepcionam por esperarem demais de quem não tem nada a oferecer”. Ouvi essa frase enquanto assistia a uma palestra do pastor Cláudio Duarte, no Youtube.

Apesar do pastor presidir cultos religiosos, a afirmação não ver nada a ver com religião. Foi simplesmente o tema de uma de suas palestras. Achei interessante e decidi compartilhar minha opinião com vocês.

Quem nunca se decepcionou por esperar demais de alguém? Na amizade ou no amor, todos nós buscamos reciprocidade. E quando o outro não corresponde nossas expectativas, nos sentimos frustrados por desejar algo que não está ao nosso alcance.

No caso do envolvimento a dois, a “lei do desapego” tem sido pregada nos últimos anos. Algumas pessoas vivem dizendo que a única forma de não se decepcionar, seria envolver- se sem criar laços profundos. Mas será que isso funciona? É possível conhecer alguém e não criar nenhum pouquinho de expectativa em relação a essa pessoa?

No caso dos “rápidos envolvimentos”, com consentimento de ambos, é possível nos envolvermos para satisfazermos nossos desejos carnais, por outro lado, não temos controle sobre nossos sentimentos. O que quero dizer com isso? Você pode até buscar rápidos envolvimentos pelo simples fato de não desejar algo mais sério naquele momento, no entanto, você não está imune quando o assunto é amor.

“E agora, me apaixonei. Como me entregar sem criar expectativas?” Talvez, o segredo para não se decepcionar seja saber o que o outro deseja viver e viver um dia de cada vez. A gente pode e deve deixar claro para nosso parceiro o que esperamos de um envolvimento, entretanto, deixar as coisas acontecerem de forma natural seja uma atitude sensata.

Não estou aqui para listar motivos para possíveis decepções. O foco do texto é refletir sobre expectativa. Não podemos controlar nossos sentimentos, mas podemos controlar nossas ações sob ele.

Termino esse texto dizendo que ninguém está imune a decepção. Cabe a nós, identificarmos se nossos desejos são os mesmos desejos do outro e vivermos um dia de cada vez, sem atropelarmos etapas.

NINGUÉM É OBRIGADO A DAR CONTA DE TUDO, E ESTÁ TUDO BEM

06/03/2020 às 13h38

Você já foi cobrado por uma atitude que não era obrigação sua? Quando digo atitude que não era uma obrigação sua, não quero dizer a planilha que você tem que entregar para o seu chefe às 17hs. Quero dizer um favor para alguém.

Vivemos em um mundo onde tudo é imediato. Fotos que são tiradas e compartilhadas em questão de segundos, notícias em tempo real, pedidos online. Temos tudo em nossas mãos em questão de segundos. Tudo é mais fácil e mais prático, no entanto, em meio a tanta tecnologia, é difícil passar despercebido o comportamento das pessoas.

Se não respondemos uma mensagem rapidamente, somos cobrados. Se não retornamos uma ligação no mesmo dia, somos cobrados. Se prometemos uma coisa e não conseguimos fazer naquele momento, adivinha? Somos cobrados. Somos cobrados por coisas que nem fazemos. E isso me incomoda profundamente.

E sabe o que é pior? Não são só as pessoas que nos cobram. Nós nos cobramos também. Não é questão de se acomodar, mas por que a gente sai para almoçar com nossa família, pensando no relatório que a gente tem que entregar na segunda-feira? Por que a gente sai com nossos amigos, pensando no trabalho da faculdade? Por que a gente tenta se desligar das coisas, mas não consegue? Por que? Porque fomos ensinados a cumprir nossas obrigações na hora que a gente tem que cumprir, e pronto final. E ai daquele que deixar algo pendente.

Amigos, volto a repetir, não estou pedindo para vocês deixarem suas obrigações pendentes. Peço que não se cobrem tanto por coisas que podem ser resolvidas com calma. Saibam separar as obrigações, dos favores e dos momentos de vocês.

Façam suas coisas, assumam suas responsabilidades no trabalho ou faculdade, ajudem alguém se isso te faz bem, mas por favor, não se cobrem tanto.

Façam o que está no alcance de vocês. Ninguém é obrigado a dar conta de tudo, e está tudo bem.

NÃO FAÇA DE ALGUÉM A CURA DA SUA DECEPÇÃO. A CURA ESTÁ DENTRO DE SI.

03/03/2020 às 20h20

Responsabilidade emocional. Um dos assuntos mais comentados na atualidade. Mas será que as pessoas realmente pensam no sentimento alheio antes de se envolverem?

Navegando as redes socias, encontrei um vídeo da escritora Ivonete Rosa fazendo um apelo sobre ter responsabilidade emocional com os sentimentos dos outros. Após assistir o conteúdo, decidi compartilhar com vocês minha visão sobre isso.

Em meu texto anterior, falei sobre a importância de se permitir viver o luto de término de relacionamento. E hoje, vou aproveitar o ensejo para complementar o conteúdo.

No vídeo, Ivonete Rosa fala sobre a falta de sensibilidade das pessoas que se envolvem umas com as outras após um rompimento recente. Ou seja, almas machucadas que esperam encontrar no outro a cicatrização de suas feridas. Pode ser que você já tenha ouvido falar que um amor cura o outro, no entanto, isso para mim é utopia. Sab e porquê? Por que as pessoas que estão feridas não vão dar tudo de si, enquanto as pessoas que estão com suas feridas cicatrizadas, vão dar o melhor de si. E o resultado, você já sabe. A pessoa que não tem nada a ver com as feridas do outro e acaba pagando um preço alto pelas decepções alheias.

Para quem não assistiu, no Netflix tem um filme chamado “Todas as razões para esquecer”. O jovem Antônio interpretado por Johnny Massaro, é um jovem que acabou de terminar um relacionamento e tenta de várias formas esquecer sua ex. Bebida, sexo, droga são algumas de suas armas, mas, ele descobre que se permitir viver o luto é uma forma de aceitar o que está vivendo. Antônio só conseguiu dar a volta por cima, quando entendeu que precisava fazer isso sozinho.

Não podemos acreditar que nossa cicatrização está no outro. A cicatrização de nossas feridas está em nós mesmos. Nada melhor que deixar o tempo passar para que as coisas voltem a ser como eram.

Romper um relacionamento é uma das experiências mais dolorosas que um ser humano pode ter, mas se envolver para esquecer alguém, é brincar com os sentimentos dos outros.

Não seja uma pessoa mal resolvida. Viva o momento sem prejudicar a vida de alguém. Ninguém é obrigado a ser a solução dos seus problemas. Busque a solução dentro de si.

 

É NOS MOMENTOS DIFÍCEIS QUE A GENTE PERCEBE O QUÃO FORTE PODEMOS SER

01/03/2020 às 22h28

Término de relacionamento. Que atire a primeira pedra quem nunca passou por essa experiência tão dolorosa. A gente tenta fugir da dor, mas não consegue. Onde a gente vai, a dor vai atrás. Talvez o segredo não esteja em “tentar” fugir da dor, e sim, em como encará-la de frente.

Há três semanas, terminei meu relacionamento. Confesso a vocês que foi uma decisão difícil, porém necessária. Nosso relacionamento não estava mais funcionado, então terminar foi a melhor saída.

Nos primeiros dias, foi difícil digerir que aquilo estava acontecendo comigo. Sei que escolhi passar por isso, mas aceitar a situação requer tempo e paciência. Me questionei sobre várias coisas, desabafei com pessoas de confiança, tentei encontrar culpado e inocente, lembrei de momentos vividos ao lado da pessoa, chorei, chorei e chorei, até que finalmente, a deixei partir. Do choro ao adeus, me permiti passar por todas as fases que um rompimento nos exige passar.

O segredo não está em colocar a dor em baixo do tapete. O segredo está em se permitir viver o luto. Sim. A gente tem que se permitir sofrer. Usei minha experiência, mas pode ser em qualquer situação. A gente não poder ter medo da dor. É nos momentos difíceis que a gente percebe o quão forte podemos ser.

Quantas pessoas ficam presas em determinadas situações porque tem medo de “bater de frente” com a dor. Tenho uma amiga que está namorando um rapaz há mais de dois anos, e o relacionamento está de mal a pior. Ambos estão empurrando com a barriga porque não conseguem encerrar o ciclo. Para eles, é mais fácil viver um relacionamento fracassado, do que aceitar que isso já não está mais funcionando.

Gostar é uma motivação para fazer um relacionamento funcionar, no entanto, existem outros pontos fundamentais para que haja um relacionamento feliz e saudável. No caso dessa minha amiga, os projetos a dois não estão batendo. Ela quer uma coisa e ele quer outra. Para que continuar? Foi essa pergunta que fiz a ela. Nem ela soube me responder.

Meu rompimento com meu ex e a situação da minha amiga nos ensina que devemos aprender a encerrar ciclos. Não adianta tentar dar continuidade em algo que já acabou.

Se permitir sofrer é uma das atitudes mais maduras que alguém pode ter. Não é fraqueza olhar para o espelho e assumir que não está bem. Chore, desabafe com alguém, ore, leia, se recolha. Mas não fuja das dores. Se desprenda daquilo que não faz bem para que novas coisas cheguem.