Revista Statto

PANTERA NEGRA

20/11/2020 às 16h19

Se a cor da pele não tivesse importância existiria o crime racial? Precisaria de uma lei, falando: Perante ela todos os homens são iguais?

Precisaria de direitos humanos se meter, para garantir apenas o simples fato de um negro sobreviver?

Trabalhar, estudar, comer? Negro já nasce na luta!

Seria que existiria o legado da escravidão, ou melhor, será que teríamos opção? Sim! Poder escolher sair na noite, sem medo do que carregar, poder escolher o lado da calçada que vai andar, ou até mesmo a loja que vamos entrar?

Será que existiria, a opção de não ser confundido com ladrão? E não ser enquadrado na sentença da indiferença, onde o tom de pele faz sim total diferença.

Indiferença que tira direitos, que causa efeitos, a indiferença que mata, segrega, afasta, estrangula em rede mundial. Negro nasce matando um leão por dia, por que na maioria das vezes somos sempre os leões.  Negro nasce morrendo um pouco a cada dia!

E ainda tem aquele olhar… O olhar que só um negro sabe diferenciar. Aquele que juraram ser paranoia, aquela nóia que só negro tem.  Nóia que espanca, nóia que atira, a nóia que mata, e confunde guarda-chuva com fuzil, nóia que leva inocentes e crianças, e faz meu povo perder a esperança.

Será que o olhar é nóia mesmo?

Será que não temos motivos de temer ser negro?

Será que é nóia é nossa?

Ou do branco racista que jura que sofre racismo, ataques do povo oprimido que ainda sente o peso das correntes, e tenta correr do tiro.

Mariele, Ágata, Miguel, a lista é grande, nem decorei os do dia. Todo dia, dia e noite, a cada minuto um de nós vai morrer, apenas pelo simples fato de ser negro, não devia fazer diferença, mas faz. E digo mais, mata sem deixar vestígios, ou uma mínima explicação.

O negro estar sempre perdendo o ar, na mira dos sedentos para matar.

Quando as pessoas vão entender, mesmo sendo de uma pele mais clara, você não tem o direito de…. Estrangular, escravizar, segregar, sufocar, diminuir, ou matar absolutamente NINGUÉM.

E existe que diga, que dia da consciência negra é inferioridade.

É um povo querendo mostrar suas verdades!

Para cada lágrima negra derramada!

#CONTACOMIGO

19/09/2020 às 10h57

Estar doendo: Ela não vai te falar mas queria que soubesse

Mas ela era tão feliz. Que estranho não? As pessoas conseguiam vê-la, só não conseguiam ver quem ela era de verdade, só não conseguiam ver o tamanho da ferida, que sangrava e que ela precisava de ajuda.

Lembra quando ela sumiu?  Ela só achava que seria melhor assim, para você. Você era tão bom para ela, e ela não sabia como retribuir.

Lembra quando ela marcava, e desmarcava as saídas? É apenas um dom de pessoas que sofrem muito, elas por muitas vezes querem, querem muito, mas…, mas… Muitas vezes nem eles sabem a razão do, mas.

Lembra os cortes, e as feridas? É que a dor é a sua zona de conforto, eles conhecem, já são íntimos, e muitas vezes acham que é a única coisa que merecem.

Você já parou para pensar: “Grande parte das pessoas que pensam em suicídio, não querem morrer, só querem que a dor pare”, idiotice? Fácil falar, difícil sentir, principalmente quando dói, dói desesperadamente, e exatamente nesse momento que tudo acontece.

Quando temos uma ferida passamos uma pomada? Quando estamos com dor tomamos um remédio? Esse é o grande mal da depressão e de qualquer outro transtorno, as feridas são na alma, e sim as pessoas são insensíveis as feridas da alma, como não se ver, não se acredita que doa tanto, as pessoas são capazes de estar com um lindo sorriso e desmoronando por dentro. Sei lá, sorrisos enganam muito.

E imagina uma dor, que só cresce, te corrói, não tem remédio. Uns suportam dores mais que os outros, e sei que vai soar estranho, mas depressão é sinônimo de luta e não de fraqueza, e então uma hora cansa, uma hora a força acaba, se a dor não passa, e ninguém lhe é sensível…. É nessa hora que você pode fazer a diferença.

Sentir dói, sentir é sempre difícil, talvez seja fácil julgar quando se acredita em algo, ou tem pessoas ao seu lado, e quando não se acredita em nada? Quando não se tem ninguém que te escute e acredite que dói? Sua base simplesmente cai? Ou o seu mundo cai? Todos ao seu redor somem? A pessoa que mais amava não volta? Seu para sempre acabou?

Não importa a dor, não te cabe julgar, todos temos uma cicatriz que dói algumas vezes, por várias vezes, às vezes tudo dói o tempo todo.

Se você sabe lidar com seus sentimentos, ótimos! Parabéns! Sério, isso é muito bom, mas não desmereça quem não consegue, quando ele se importe demais com algo banal a seu ver, por que é banal para você, para ele não, se não pode ajudar não piore tudo. Todo mundo pode se perder, mesmo que tenha uma bússola na testa, todo mundo pode sofrer, sabia que as coisas possuem significados diferentes para cada um? Isso não é falta do que fazer, falta de Deus, dramatização, ou qualquer outra coisa que te falaram, é apenas Dor! E ele precisa de ajuda, ajude por favor.

Seria bom, se as pessoas procurassem saber, ou apenas falassem

“conta comigo”, conversasse mais, escutasse mais, observasse mais: Quando o sorriso foi embora, quando a presença física é escassa, quando a voz abaixou o tom até quase sumir, quando o olhar é distante, quando a lágrima caiu. São vários os por quês e talvez você seja um deles. Pergunto-me como seria o mundo se as pessoas amassem mais, ouvissem mais. Quando alguém tira a sua vida, é sinal de extrema dor, algumas pessoas falam que é falta de amor próprio, mas julgo que é mais falta de amor entre os homens, no mundo, nas famílias, nas relações, enfim. Pois se os homens estivessem menos preocupados com seu orgulho, de ser maior, de levantar as sobrancelhas, e ao invés disso falassem: vem cá o que houve? Porque está assim? Quer conversar? Está tudo bem? Tudo mesmo?  Se respeitassem mais uns aos outros, a dor do outro, de entender que não se passa pelo mundo sem se ferir…. Talvez a pessoa não fale, mas você fez a sua parte, se perguntar depois tem certeza que não poderia ajudar? Seria bem pior.

Quem sabe assim quando a dor for sufocante, quando ela achar que se fechasse os olhos para sempre tudo iria se resolver, no momento que seu peito apertasse com a força de um trator passando por cima, ela lembraria que em algum momento você se preocupou com a dor dela. Por que no fundo ela precisava de alguém que percebesse que estava doendo.

E se ela pode contar com você, comenta #contacomigo. Assim ela pode não falar, mas ela vai saber.

FUI CONDENADA MAIS SOU INOCENTE

13/07/2020 às 19h04

Eu fui condenada por não ser que nem as demais meninas de capa de revista, por casamento nunca ser um objetivo em minha vida, e por apesar de querer um dia encontrar alguém, não fazer disso a coisa mais importante do mundo, eu fui condenada por ser feliz sozinha, por gostar da minha própria companhia.

Eu fui condenada por estudar demais, me falavam que pobre, negro, escola pública, nunca iriam chegar onde cheguei, por criar a minha opinião, por não abrir mão dos meus sonhos doa a quem doer, por ser uma pessoa emocionalmente independente. Ou seja, a minha vida quem traça sou eu, meus amigos quem escolhe sou eu, e isso também significa que meus problemas, seja com quem for, e o que for quem resolve sou eu.

Eu fui condenada quando ganhei um CID, falavam que seria diferente a partir daquele momento eu era especial, que deveria desistir de alguns sonhos, pois minha vida iria durar pouco, vi pessoas se afastarem, e terem medo de mim, simplesmente por que meu fígado se reusava a trabalhar como devia. Era um CID, mas me rotularam contagiosa.

Fui condenada por me afastar de pessoas que quando fiquei sem chão em um leito de hospital, também se afastaram de mim. Pois eu sempre achei que quem não te ajuda a levantar na queda, não merece ser convidado para o baile.

Eu fui condenada quando emagreci, engordei, troquei de religião, quando abro a boca seja para dizer amém, namastê, ou laroiê. Eu fui condenada quando disse não gostar de Carnaval, fui condenada até quando pirei, e me perdi sem saber para onde ir. Vi dedos que me julgavam, e não apontavam a direção como eu achei que seria. Eu fui condenada, mas sou inocente de tudo que me acusam, em todos os momentos fui apenas eu.

As pessoas vão falar de você independente do que acontecer, com por que, sem por que, elas vão apenas falar. Por isso não se preocupe com o que falam, ou as condenações que carrega, se você foi apenas você, é inocente.

Não precisa, e nem queira agradar aos outros, isso é impossível, também aceite que nem todos vão te agradar e a maioria das pessoas vão te machucar, mas cabe só a você saber quem vai perdoar, quem vai ganhar mais uma, duas, três, milhões de chances que seja.

Apesar das condenações que carrego, eu bato no peito e grito: eu sou inocente, eu sou apenas eu, por isso pode gritar, levantar uma ou duas sobrancelhas, me olhar de cara feia, ou com um sorriso amarelo, falar de mim quando não vejo, isso não me assusta. Eu assumo minhas histórias, com vitórias e derrotas, aceitei o que não podia mudar, e fui trilhando o caminho para a minha felicidade, mesmo que às vezes tivesse que retirar algumas peças e refazer todo trajeto. Recalcular rota faz parte da vida. Eu fui condenada, mas sou inocente.

A TERRA PEDE LICENÇA PARA EVOLUIR.

22/04/2020 às 17h40

Eu já vi o fim do mundo algumas vezes, para poder falar que nem tudo se acaba com os créditos. The End! Pode ser o início de uma bela história, e ao meu ver é isso que estamos passando, o fim de uma era para início de outra mais evoluída como sociedade. Seria por vezes muito complexo pedir que olhos humanos, enxerguem toda essa mudança, a tão chamada roda da vida girar, se muitas vezes não é possível ver o simples ato de amar.

Uma mãe fala uma, duas ou três vezes, e se no final o filho não ouvir, ela gritar. Então escute o grito da mãe natureza, pedindo socorro, a sua ajuda, a minha ajuda, para que possamos mudar o modo como nos relacionamos com ela, com seus filhos, que por ação dos homens muitos deixam de existir. Por que temos o prazer de viver, e eles não? Por que respeitamos nossas vidas, e as deles não?

Em algum momento, em algum lugar, os animais perfeitos, se encontraram com o homem perfeito. Por que estávamos juntos? Se cada um tem o seu local.  Simplesmente pelo motivo que um acabava com o habitat do outro, e esse por sua vez invadia os espaços do primeiro. E por que um não respeitava a vida do outro?

E como resultado, em uma mágica biológica perfeita, um dos grandes medos da biologia acontece. O vírus de um, passa para o outro, e cada vez que ele cruza uma espécie fica cada vez mais perfeito, que biologicamente é quase sinônimo de imortal. Você consegue entender que foram necessárias espécies de animais silvestres, mais o homem dividindo o mesmo espaço e fluidos? Você consegue entender que enquanto não mudarmos a forma como nos relacionamos com a natureza outros COVID vão assolar a humanidade? E sim! A Gripe espanhola não está em um passado distante.

Altamente contagioso, começa uma corrida contra o tempo para impedir o caos. Enquanto ele corre o mundo, tentamos entender quem é ele? Quem é o reservatório? Como surgiu? Como freia a transmissão? E como se cura? As pessoas morrem em dias, e respondemos essas perguntas em no mínimo meses. Enquanto quebramos a cabeça, oramos, e nos isolamos. Ele segue viagem, o inimigo invisível aos olhos, o vírus que desconhece fronteiras, muros ou muralhas.

Bate um medo, uma vontade de amar, beijar e abraçar. E a única arma que até agora se sabe que é eficaz, é isolamento. E que mesmo isolados possamos demonstrar o amor além dos beijos e abraços. Um telefone, uma mensagem, a simples frase: Tudo bem? Perguntar se aquela senhora que fica sozinha precisa de algo. Ajudar quem não tem água e sabão, que não podem montar sua barraquinha, aos que nos dias movimentados quase não são vistos, quem dirá em época de ruas desertas. E acreditar, que um dia vamos acordar as ruas ainda estarão escuras, as cinzas vão cair mais tudo terá passado, e aos poucos vamos nos reconstruímos.

O mundo nesse momento é obrigado a refletir suas escolhas, e pensar se vamos guardar tudo como aprendizado, ou caminhar a passos largos e rever um filme, onde todos já sabem o final. Somos convidados para rever o significado das palavras Coletivo e individualista. Será mesmo que a vida do meu irmão, lá na comunidade não atrapalha minha vida? Não temos que cuidar somente de nós, mais de uns aos outros. O mundo consegue enxergar que na balança da vida, todos têm o mesmo peso. Nos tornamos uma sociedade capaz de construir muros, estabelecer fronteiras, levantar prédios enormes, só não formos capazes de amar.

Aprendemos com sofridas lágrimas que o outro lado do mundo interfere na minha vida, Sim! Não somos vários países, divididos em alguns continentes, entre alguns oceanos. Somo um planeta, a terra. E ela pede licença para evoluir.

O TIC TAC DO SEU RELÓGIO

03/02/2020 às 11h03

Você não deve responder as expectativas dos outros, e tudo bem. Não seja opção de alguém, seja a escolha dela.

Eu acredito que internamente na hora da nossa criação, Deus colocou um relógio interno em cada um, cada um com um fuso horário diferente.  Por isso cada um tem o seu tempo, e tudo bem isso. Você não deve responder a expectativa dos outros.

Da sua vida só você toma conta, você escolhe o que vai fazer, e no momento certo para isso. Não precisamos nos precipitar para responder as expectativas dos outros. Cada um tem o seu tempo, na hora certa acontece. Por mais que corra o badalar do seu relógio, não será igual ao de ninguém.

Imagine, se você quer sair de casa às 15h00minh, e são 14h45min, você tem duas escolhas ou se adianta ou espera chegar as 15h00min. Ninguém vai até o relógio muda os ponteiros para 15h00min, abre a porta e sai.

A mesma coisa é a vida, se um dia te exigirem mais do que você puder dar, você não deve adiantar seus ponteiros, por que em algum momento a hora errada vai te atrapalhar. A pessoa tem duas escolhas: Ou espera a sua hora, ou segue a vida de acordo com a marcação dela.

O triste dessa história, é que ela tem o direito de seguir sem você. Assim como você não é obrigado a correr, ninguém é obrigado a ficar, ou andar para trás. Sim! É a pior maneira de descobrir que perdeu tempo e energia com a pessoa errada.

Às vezes quando choro, eu me pergunto baixinho: Não devia sorrir? As pessoas que por sua vez escolheram seguir, iriam mais cedo ou mais tarde. Ao invés de fazer birra, quando alguém sai da minha vida, eu sempre falo: Fica bem! A pessoa me deu a honra de diminuir um estrago que poderia não ter limites. Olhando bem é um favor.

Os relógios não são iguais para todos, então quando alguém decidir seguir não se culpe, ela tem esse direito. É triste mais é o direito dela, ninguém pode ditar o compasso que o outro levar sua vida. A dois, ou escolhemos esperar e nivelar o compasso com o outro sem cobranças, afinal acordos não são promissórias, ou a vida seguimos no nosso ritmo, fazendo tic tac quando bem entender. Nem atrás, nem na frente, ao lado sempre ao lado. Se não puder ser assim, melhor que não seja.

O cuco, vive muito bem em sua casinha, por longos anos, no ritmo do seu tic tac. Não devemos nos esforçar para nivelar nosso tempo com ninguém, por que simplesmente as dimensões se encontram no tic tac do tempo.