Revista Statto

08 PILARES PARA UMA AUTOESTIMA ELEVADA

21/07/2020 às 13h50

Tanto se fala em autoestima, mas o que realmente é? Como saber se ela está baixa ou alta? E o que fazer para elevar?

A autoestima é opinião e a estima que temos por nós mesmos, seja positiva ou negativa. É o quanto nos sentimos merecedores de coisas boas e quanto somos capazes de realizações. Ela é construída na infância a partir das experiências vividas. Da forma como nos amaram e demonstraram afeto por nós, os incentivos que nos encorajavam ou repressões desencorajadoras.

A autoestima não é estática, ela oscila o tempo todo, de acordo com os acontecimentos do momento presente, influenciando o sentimento em relação a nós mesmos.

CAUSAS DA BAIXA AUTOESTIMA

Dizer sempre SIM quando queria dizer NÃO, para agradar ou por medo de magoar a outra pessoa. Cada sim para o outro, é um não para si mesmo;

Guardar ressentimento – não falar quando algo te desagrada para não gerar desconforto relacional;

Se comparar com outras pessoas – quanto você se aceita ou acha que o outro é sempre melhor do que você? Mais bonito, mais inteligente, mais magro, mais alto ou qualquer outro tipo de comparação que as vezes fazemos;

Autocritica – quantas vezes achamos que só com a gente que as coisas dão errado? Que tudo que fazemos nunca dá certo?

Culpar-se por tudo – quantas vezes te fizeram acreditar que você estava errada (o)? Ou que sempre você é o responsável por algo dar errado?

Sempre colocar a culpa no outro, se deu errado nunca foi você;

Ser indeciso – sempre deixar o outro escolher. Porque afinal já que tudo está bem, melhor o outro fazer o que quiser para não dar briga;

Deixar de fazer algo por se preocupar com a opinião dos outros;

Não reconhecer conquistas próprias por dificuldade de aceitação;

Não saber receber críticas, leva tudo para o lado pessoal.

PILARES PARA ELEVAR A AUTOESTIMA

Além da ajuda de um especialista, existem outros caminhos que você pode começar a trilhar e experimentar os resultados que o ajudarão no crescimento pessoal e aceitação de si. Você acreditar que pode melhorar sua autoestima, já o fará perceber que você é capaz de tudo o que quiser.

Busque ajuda especializada e técnica

Realizar um processo de autoconhecimento pode ser o primeiro passo, para conhecer suas habilidades, limitações e pontos a serem melhorados é essencial para o cultivo do amor próprio.

Pratique o auto perdão

Muitas vezes nos sentimos mais capazes de perdoar o outro do que a nós, principalmente em relação ao passado. Você não poderia pensar como pensa hoje, então não poderia escolher o que escolheria hoje.

Faça coisas que gosta

O que você gosta de fazer? Dançar? Ler livros? Cozinhar? Assistir filmes? Faça muito daquilo que dá prazer.

Comemore suas conquistas

Aprecie suas conquistas e pare de olhar e achar que “a grama do vizinho é mais verde”. Pare de comparar sua vida com o que as pessoas postam nas redes sociais.

Faça uma lista

Escreva os elogios que as pessoas fazem a você. Isto contribuirá para perceber que tens muitas qualidades.

Se olhe no espelho pela manhã

Pergunte: O que eu preciso fazer para que você se sinta feliz hoje?

Invista na pessoa mais importante da sua vida

Priorize sua saúde física e mental. Atividades físicas não só estimulam a produção de endorfinas superimportantes para nosso organismo, como nos traz mais disposição, energia e satisfação com a autoimagem.

Respiração

Encontre hábitos para relaxar e técnicas de respiração para trazer o foco da sua atenção para o momento presente e voltar-se para dentro de si, acalmar os pensamentos e dar uma pausa na agitação do mundo externo.

Com estes 08 pilares eu acredito que sua autoestima irá se elevar te trazendo mais autoconfiança, segurança, amor próprio, menos necessidade de estar certo, autoaceitação, menos solidão, menos carência e mais felicidade.

Nós não precisamos dar conta de tudo, ter o cabelo perfeito, o corpo perfeito, acertar sempre ou estar equilibrado emocionalmente sempre, porque isso não existe. O que precisamos é aceitar que somos humanos e esta é uma condição que nos leva a erros, falhas, desencontros, inseguranças e decepções. No entanto, é possível estar satisfeito com quem somos, nos amar, praticar o autocuidado e ser feliz, ainda que estejamos sempre em busca de melhorias, acertos e vitórias.

Eu acredito no seu potencial de lapidar seu diamante e transformar seus sonhos na realidade da sua vida, resgatando o prazer de viver e de ser feliz.

No meu Instagram tem muito conteúdo @ansiedadelapidada.lurdez

HAPPY HOUR DURANTE A QUARENTENA PODE SER UM TIRO NO PÉ

09/04/2020 às 08h57

Traduzindo literalmente “happy hour” significa hora feliz, mas pode se tornar um tiro no pé pela frequência e excesso da ingestão de bebidas alcoólicas durante a quarentena.

O coronavírus tem assustado a todos nós e não é para menos, pois seu estrago muitas vezes é irreversível, nos obrigou a um distanciamento social, ficar em casa e sair somente por questões necessárias.

Ao mesmo tempo isso nos obrigou a ficarmos de frente com nossas dificuldades, nossos relacionamentos, a tirar a peneira do sol, sabe aquelas questões não resolvidas? Tanto conosco, como com as pessoas de nosso convívio? Ainda tem o medo de contrair o vírus. Isso levou muita gente a ter sentimentos de ansiedade, angústia, insegurança e solidão.

Tudo isso pode influenciar as pessoas a ingerir bebidas alcoólicas, pois traz um alívio imediato, causando relaxamento e esquecimento dos problemas, e é aí que mora o perigo, porque não resolve nada, arruma mais um problema.

O álcool reduz a capacidade do corpo em evitar infecções, baixa a imunidade e deixa a porta aberta para a entrada do corona, além de contribuir para doenças cardiovasculares, hipertensão, doenças gastrointestinais, alterações no fígado, pulmões, ossos, no cérebro, aumenta o risco de AVC (Acidente Vascular cerebral), confusões e violência doméstica, sem contar no exemplo para os filhos, desestruturação familiar, se não tiver ansiedade ou depressão, poderá vir a ter, porque o álcool é depressor do sistema nervoso central.

O que fazer durante a quarentena do covid-19?

  • Evitar bebidas alcoólicas;
  • Criar rotina com horários de dormir e acordar;
  • Alimentar-se o mais saudável possível;
  • Movimentar o corpo, mesmo que seja só alongamentos;
  • Se desapegue da televisão;
  • Ver informações uma vez por dia é suficiente;
  • Beber bastante água;
  • Não ouça áudios e vídeos recebidos, na maioria das vezes não são verdadeiros e te levarão a preocupações com o que você não tem controle;
  • Se estiver com problemas de relacionamento, converse com a pessoa e tentem acertar os ponteiros, fingir que está tudo bem só piora;
  • Se não estiver satisfeito com algo na sua vida, mude, sempre existe um jeito de mudar.

Não coloque mais uma peneira no seu sol e nem de um tiro no seu pé, procure ajuda psicológica e se torne autor da sua história, lapidando o diamante que existe em você!

GRATIDÃO, O HÁBITO PARA ATRAIR COISAS BOAS.

26/02/2020 às 21h25

OBRIGADO (A) vem do latim obligatus, obligare, ligar, amarrar, forma abreviada da expressão: fico-lhe obrigado, ligado pelo favor que me fez.

Usamos quando um serviço ou favor nos foi prestado. Mas podemos usar a palavra AGRADEÇO ou invés de obrigado (a) para não ficar o sentimento de obrigação.

Gratidão também vem do latim e significa graça, gratus ou agradável.

É uma emoção com sentimento de que não há obrigações. É sentida no fundo da alma pelo que acontece na vida, por objetivos alcançados, por tudo o que possuímos, pela vida e pelas realizações das outras pessoas, seja material, espiritual ou relacional.

GRATIDÃO vai além de estar agradecido, está diretamente ligada com a BONDADE.

Como nosso cérebro não tem a capacidade de sentir medo, angústia, tristeza ou pensar em maldade e, ao mesmo tempo sentir felicidade, alegria ou desejar o bem, é importante que agradecer seja um hábito.

Por isso a GRATIDÃO é uma das técnicas para o controle dos sintomas da ansiedade, além de criar o sentido de abundância, também nos faz focar no momento presente, sem que leve nossa mente ao futuro, com preocupações exageradas.

Sugestão: quando for agradecer o alimento que está em sua mesa, de coração e alma, deseje o bem a todas as pessoas pelas quais a sua comida passou até chegar a você, desde o plantio.

Quanto mais somos gratos, mais coisas boas nos acontecem, pois emitimos uma vibração de positividade e prodigalidade que nos retornará.

Outra sugestão: toda vez que re-clamar, lembre-se de refletir o que esta situação o faz ser grato. Tenho certeza de que há muito mais a agradecer do que re-clamar.

A TAL ANSIEDADE!

07/02/2020 às 14h40

Saber o que se tem e querer ser curado, já é parte da cura.

Você já deve ter ouvido falar sobre a tal ansiedade, não é mesmo? E se não ouviu ainda, ouvirá, muito. Ela tem se tornado um assunto recorrente nos meios de comunicação. Algumas vezes na vida podemos ser acometidos de ataques de pânico ou ansiedade, diante de acontecimentos emocionais intensos. Mas dependendo da frequência e intensidade, é considerado doença.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil é o país que tem a maior taxa de incidência do problema, apresentando uma estimativa de que 9,3% (mais de 18 milhões) da população sofre com algum tipo dessa enfermidade.

Cientificamente falando o que é essa tal ansiedade? É um estado emocional com características de medo. É uma vigilância em preparação de ameaça futura, podendo ser real ou imaginária. Na maioria das vezes é medo desproporcional em relação à ameaça, com desconforto físico e subjetivo. Físico por causa dos sintomas e subjetivo porque é percebido e sentido de forma diferente em cada pessoa, pois devemos levar em consideração que cada pessoa é única, já traz em seu DNA herança genética, com suas experiências, personalidade, modo de perceber e se relacionar com ela mesma e com os outros.

Ao contrário do que a maioria das pessoas pensam, a ansiedade não é ruim. Ela tem sua função. Temos as glândulas suprarrenais, localizadas acima dos rins, que produzem o cortisol, conhecido como o hormônio do estresse. É ele que nos põe em estado de alerta toda vez que nos sentimos ameaçados, este é o nosso instinto de fuga e luta que entra em ação para que protejamos a vida.  A produção deste hormônio juntamente com outros, faz com que, ao atravessar a rua, olhemos para os lados para nos certificarmos de que podemos seguir adiante sem perigo.

A ansiedade é reconhecida como patológica quando é exagerada e interfere na qualidade de vida, apresentando desconforto físico e/ou psíquico que interfere no desempenho das atividades diárias da pessoa.

Entre os sintomas, os mais comuns estão: dor no peito, dor de cabeça, formigamento em partes do corpo, tontura, peso na nuca, boca seca, dificuldade para engolir, falta ou aumento de apetite, falta de ar, roer unhas, insônia, inquietação, falar rápido, irritação, aumento ou perda de peso e descontrole emocional.

É estar em um local querendo estar em outro, estar lá e pensamento de preocupação com as pessoas que ama, com medo de que algo ruim possa acontecer a elas na sua ausência, como um “pressentimento”. É querer fazer muitas coisas, e ao final do dia se culpar por não ter feito nada, porque passou o tempo planejando como fazer sem erros, perfeito, ou porque quer fazer tudo o que é de sua responsabilidade e mais o que lhe for pedido, pois tem dificuldade em dizer “NÃO”. O ansioso é aquela pessoa “ligada no 220”, e se não saiu perfeitamente como ela queria, acha que não está bom, mesmo quando lhe elogiam, pois é controlador, o que a leva a autocritica.

É deitar na cama para dormir com sono, cansado e não conseguir “desligar”, pois o cérebro não para de funcionar, pensando em tudo o que aconteceu durante o dia, semana, mês e anos, criando até diálogos do que nunca aconteceu e possivelmente nunca acontecerá. Quando consegue dormir, é acordar no meio da noite com ataques de pânico, achando que está tendo ataque cardíaco e morrendo. O coração saindo pela boca, mãos e pês gelados, falta de ar, vontade de sair correndo sem saber para onde. Levantar pela manhã com a sensação de que nem dormiu, de tanto cansaço.

É se magoar facilmente e guardar como uma “moeda de troca”, esperando o momento para dar o troco. Esquecendo facilmente do que ouve, não guarda na memória o que lhe é falado, pois o cérebro está ocupado demasiadamente com suas criações imaginarias e diz para a outra pessoa, que é “louca”, lhe cobrando de algo que não fora mencionado.

Esta descrição do que é a tal ansiedade, também é parte da minha experiência com transtorno do pânico, lapidado a mais de 12 anos, desde que tomei as rédeas da minha vida através do processo de psicoterapia.

Nosso corpo é muito sábio. Quando sente algo como ameaçador e não nos damos conta, no curso natural, ele nos avisa através de sintomas, para que façamos mudanças no estilo de vida, na forma como pensamos e nos comportamos.

A identificação se faz necessária para que sejam percebidos, o quanto antes, os sintomas e situações ansiogênicas que causam prejuízos no desempenho das atividades diárias. Por isso é essencial a busca por ajuda profissional de alguém que é tecnicamente habilitado a auxiliar no processo de lapidar o diamante que somos.

Se este texto lhe ajudou, peço sua licença para te fazer um pedido: compartilhe! Para que ele chegue ao conhecimento do maior número possível de pessoas. Assim estará junto comigo e com a Statto levando a informação comprovada cientificamente sobre a tal ansiedade.