Revista Statto

MÍDIA BARATA E EFICIENTE

13/11/2020 às 12h29

Você já parou para pensar que o seu nome pode chegar até outras pessoas, que talvez nunca ouviram falar do seu trabalho, sem ser intermediado por qualquer pessoa das suas relações?

As redes sociais são excelentes para tornar seu trabalho mais conhecido, basta você saber operar o marketing digital, estratégia excelente para diversos segmentos.

São várias as mídias sociais disponibilizadas, cada uma delas com suas particularidades, permitindo que você escolha onde expor o seu material de acordo com a sua necessidade e seu público alvo. Existem muitas estratégias a serem observadas para se obter maior visibilidade nesse mercado. Algumas mídias são mais visitadas em determinado horário e por determinado segmento social, sem contar as próprias lógicas de funcionamento da plataforma.

Para cabeleireiros vale apostar no Instagram. Ele oferece vários recursos bacanas de edição e ainda conta com ferramentas de negócios as quais permitem que você gerencie os resultados das postagens impulsionando, assim, o seu trabalho. Você pode mostrar para o seu público o que ele exatamente quer ver. Os stories que o aplicativo oferece podem exibir sua rotina, sendo possível alterar imagens com mais frequência, o que torna agradável a visitação a sua página.

Eu optei por duas páginas no Instagram, uma de uso pessoal e outra profissional. No espaço profissional constam as publicações do salão, dos trabalhos, sempre seguindo algum critério, um estilo próprio, pois postagens aleatórias não trazem um bom resultado. Não existe uma fórmula secreta para isso. Vale testar imagens diferentes para ver as que agradam mais, publicar em diversos horários para ver os de maior movimento na sua página. Assim você vai construindo um trabalho próprio e voltado a quem você deseja atingir. Você pode apostar em algumas fotos de bom gosto que digam respeito ao seu trabalho de uma forma indireta. Como o que faço tem a ver com arte, às vezes coloco uma postagem de um café bonito após o almoço, uma dica de beleza ilustrada ao final da tarde, uma foto da minha bancada de trabalho de um ângulo que a valorize, da minha mão segurando o secador.

Se você já faz postagens e não está conseguido o resultado esperado talvez esteja na hora de investir em um apoio técnico.

Eu contratei meu enteado, Matheus, que manja tudo de internet. Dou uma grana para ele, que vai uma vez por semana no salão, e ele vai tirando fotos, fazendo filmagens enquanto eu trabalho. A partir daí é feita a edição e, após, as postagens.

Certamente, você deve ter uma pessoa que está precisando de uma grana extra que poderá cuidar das suas redes sociais.

Outra dica é apostar nas promoções do Instagram, onde você pode alcançar um número maior de seguidores com um investimento irrisório.

Estas são dicas simples, porém valiosas para dar um ponta pé inicial na estratégia de marketing para o seu salão de beleza, valendo-se das redes sociais que estão aí ao nosso alcance.

QUEM DITA A MODA?

11/10/2020 às 17h48

A moda começa na rua, entre nós, pessoas comuns. Depois de elaborada pelo mercado, ela nos é devolvida.

Trabalhei por dez anos no “Donna Fashion Iguatemi”, na equipe do Hugo Beauty, num período de transição, de inversão de poderes. Naquela época quem ditava a moda eram os “fashionistas”, momento em que tiraram o monopólio das decisões sobre o tema das mãos dos detentores das grandes marcas. A propósito, esses mesmos “fashionistas”, mais tarde, passaram a buscar nas ruas o que colocam nas passarelas. O “street style” é quem manda nos desfiles.

Seguir uma tendência não parece ser uma prioridade entre as pessoas mais modernas; todos estão adotando seu próprio estilo – graças a Deus.  Ao invés de copiarem os “looks” dos “inspiradores”, adotam, na linha reta, o que lhes faz bem, inspirando os próprios influenciadores. Hoje o “cool” é ser exclusivo, ditar sua própria moda. Mesmo que você encontre alguém usando uma camiseta igual a sua, sempre haverá uma pegada diferente de acordo com o estilo de cada um.

A propósito, você sabe qual é o seu estilo?

Sim, todos nós temos um, o que tem muito a ver com nossas características físicas e traços de personalidade, bem como com o meio em que vivemos.

A moda pode não ser uma prioridade, principalmente no atual contexto em que vivemos, de pandemia, mas sabemos que é um forte instrumento para a nossa autoestima.

Estranhamente, mesmo isolados, estamos todos interligados, sintonizados. Os pensamentos estão conectados e o conhecimento está sendo dividido com o planeta inteiro.

Somos animais sociais, temos uma identidade social que acaba se definindo no modo de se relacionar com os outros e, a roupa, é a primeira informação nessa forma de se comunicar.

ALGUMAS REBELDIAS SÃO NECESSÁRIAS

13/09/2020 às 13h38

É sabido que a quarentena mexeu profundamente com nossas cabeças, trazendo desejos de mudança.

Estamos há muito tempo em casa e com isso nosso vestuário, nossos cabelos vêm tomando novo formato.

Com relação aos cabelos, há os que se atrevem a cortar desde uma franja até diminuir drasticamente o comprimento.

Quando acontece algo importante em nossas vidas, inicio de novos ciclos, muitas vezes temos atitudes que mais parecem um ato de rebeldia do que propriamente a busca da solução do problema. Muitas mulheres quando terminam um relacionamento mexem na cor e corte de cabelos, o que é saudável, afinal de contas querer fazer um “up grade” no visual ajuda a deixar o ex para trás. Como diz uma amiga minha, “estou na pista”. Além do que, cortar os cabelos em casa passa a sensação de domínio sobre a tesoura e o que vai resultar desse gesto é a certeza de que você controla a situação.

Outro exemplo foi minha filha na fase de colorir os cabelos, nas mais diversas cores. Vim a descobrir depois, em um congresso, que isso nada mais é do que uma forma de protesto contra o que nós adultos estamos fazendo com o mundo que iremos deixar para eles, contra o racismo, contra todas as formas de agressão e preconceito.

Durante uma pandemia, por certo, não poderia ser diferente. É um momento em que estamos de mãos atadas, isolados, entretanto, não devemos ter medo dessas mudanças, de admitir que queremos algo diferente. Mesmo não sendo fácil, pois está no nosso DNA crescer esperando julgamentos (você só usava preto, agora quer tudo rosa. Usava salto, agora All Star. O que irão falar?), devemos nos permitir quando tudo parece não ter solução. Então, se você tem cabelos longos e agora quer um Chanel, aproveite e faça tudo o que lhe vem à mente, ouse antes de usar, sinta-se livre.

Quanto às roupas, não é diferente. São meses usando abrigos, roupões, pantufas que, quando desentocarmos, num primeiro momento, vamos querer manter esse mesmo padrão de conforto, havendo mais liberdade no vestir.

O ano de 2021 promete trazer mudanças muito importantes na moda.  Vai ser a vez das malhas, moletons, pantalonas, calcas pijamas, cabelos desconectados.

SEU CABELEIREIRO DELIVERY

12/08/2020 às 18h33

Com tanto tempo de pandemia, a prestação de serviços pelos profissionais da beleza precisou ser reinventada. Para manter seus ganhos, cabeleireiros e manicures também entraram para o mundo delivery. Sim, agora nós vamos até sua casa.

Nas cidades em que os salões estão abertos, os profissionais, mesmo redobrando os cuidados e tomando todas as precauções para evitar a contaminação, sentem-se muito inseguros, assim como os clientes. O maior problema é o fluxo de pessoas e o compartilhamento de objetos, o que aumenta as chances de disseminação do vírus.

Para que esses serviços possam continuar acontecendo, o momento é de testar o atendimento domiciliar, ou seja, receber os profissionais no conforto da sua casa, pois o contato social fica limitado a apenas uma pessoa, sendo mais fácil eliminar os vetores de contaminação.

Nesse momento, surge uma preocupação muito grande com a segurança tanto do cliente como do profissional e de como tornar o desempenho da atividade possível. A saúde, sem dúvida alguma, é prioritária nas nossas vidas, mas como já dizia nosso poeta Vinícius de Moraes, “beleza é fundamental”.

Equipados com máscaras, luvas, álcool em gel, pro-pé (ou deixando os sapatos do lado de fora), o profissional é possibilitado de entrar na sua casa para oferecer alguns serviços de estética, seguramente.

Dê preferência aos profissionais que já atendem você para que haja confiança e liberdade para que se cobre as medidas sanitárias. Vale até o questionamento a respeito dos cuidados tomados em prol de reduzir as chances de transmissão do vírus.

Uma vez que ele esteja lhe atendendo em casa, é indispensável que todos permaneçam de máscara o tempo todo. Se possível, procure o atendimento em lugares arejados ou até mesmo ao ar livre. Você também está sendo observado, afinal de contas, a pandemia não veio só para alguns.

Não só os adereços de segurança, mas também equipamentos que facilitam a execução do trabalho estão sendo adaptados. Exemplo disso é o lavatório portátil, que confere o atendimento ao cliente como se estivesse no salão.

Dessa necessidade, surge uma nova forma de atendimento, pois há várias pessoas que já estão preferindo o atendimento domiciliar independentemente do vírus. Alguns dos clientes estão pensando seriamente em manter essa forma de atendimento no pós-pandemia, pois estão gostando da tranquilidade que isso traz, sem pressa de chegar, tendo a atenção totalmente voltada a eles.

Eu, particularmente, tenho um olhar bastante otimista para o futuro do home care, muito embora não veja a hora de voltar a dar expediente no salão. O salão tem vida, tem cheiro, tem moda, tem network. O certo é que existirão opções para todos os gostos. Vamos ver o que o futuro dirá.

VAMOS FALAR DE VISAGISMO

15/07/2020 às 15h53

Nos salões de beleza é muito comum as clientes quererem um corte que viram em artistas de TV. Mas qual o corte que realmente combina com você?

Aí o profissional se vale das técnicas do visagismo, usando make, corte, penteado, valorizando os traços do rosto, colocando a imagem em sintonia com cada pessoa.

Num primeiro momento, o profissional analisa os traços do rosto para definir o corte ou penteado, mas isso, por si só, não é determinante. Tem que ser avaliado também o temperamento e os elementos da personalidade de cada um. O profissional experiente precisa de cinco minutos para descobrir o que a cliente deseja. Enquanto conversa observa bolsas, sapatos, roupas, chaves do carro, o que gostam, o jeito de ser. A partir disso é possível definir o estilo como sendo clássico, contemporâneo, esportivo, moderno, conservador. Sem empregar o visagismo não é possível se obter um bom resultado. Por isso que algumas pessoas quando chegam em casa e se olham no espelho acham que tem algo errado. O corte ou a tintura podem estar perfeitos, tecnicamente impecáveis, mas não são os que melhor atendem o conjunto de elementos que resumem aquela determinada pessoa, ou seja, esse corte ou tintura não servem para você.

É claro que existem alguns elementos externos, de consenso médio, estabelecidos dentro de um padrão cultural, social que ditam um estilo padronizado. Por exemplo, é desaconselhado que as loiras usem cabelos muito escuros, morenas com cabelos muito claros, mulheres altas com cabelos bastante curtos. Também se sabe que os rostos ovais são os melhores para todos os tipos de corte e armações de óculos. Os rostos redondos aceitam menos volume, cuidando-se para se dar leveza nas laterais. Rostos quadrados ficam muito bem em cortes Chanel ou de comprimentos variáveis, aconselhando-se o não uso de franjas retas. Para os rostos triangulares ficam muito bem fios desconectados, assimétricos, com todos os comprimentos de franjas. Cortes com linhas verticais e retas passam estrutura, os de linhas horizontais já dão ideia de estabilidade. Os cortes com linhas inclinadas passam dinamismo. Os cabelos com linhas curvas como os da Gisele Bündchen transmitem sensualidade e romantismo enquanto os de linhas quadradas (encaracolados) passam uma idéia lúdica, reportando-se à infância.

Mas como visagismo não é só isso, é preciso saber reconhecer as mensagens que o outro nos transmite. Aqui entra a sensibilidade do profissional que é adquirida com a experiência. Não raro algumas pessoas sustentam um estilo que permite usarem algo que não seria indicado para o seu porte físico, mas sua personalidade autoriza concluir que é o que realmente querem. Aí o profissional pode executar com tranquilidade, pois estarão oferecendo a satisfação que foi buscada