Revista Statto

COMO REINVENTAR O SEU NEGÓCIO EM MEIO À CRISE DO CORONAVÍRUS

09/06/2020 às 20h14

A pandemia do Covid-19 trouxe um cenário complicado para os comércios, indústrias e empresas em geral. Além da própria preocupação com as vidas perdidas, a dúvida de muitos empresários é como reinventar o seu negócio em meio à crise do Coronavírus.

Para os profissionais autônomos e os empresários de diversos setores, houve um grande prejuízo financeiro. Por isso, é comum enxergar apenas um tempo de escassez e crise econômica, mas será que há uma forma de superar ou minimizar esses danos?

Acompanhe soluções práticas e ideias para aplicar ao seu negócio e conseguir ultrapassar a limitação imposta pelo avanço dessa doença.

Ajuste a sua visão

Em meio a tantas notícias com dados alarmantes é difícil ter um olhar positivo. Porém, enquanto o foco estiver no problema será complicado achar uma solução. Com isso, um passo importante para reinventar seu negócio é olhar para o ponto certo.

Sendo assim, ajuste a sua visão para o que sua empresa pode fazer para sobreviver e prosperar no cenário atual. A vida do empreendedor é lidar com desafios, então encare essa fase como mais uma barreira para ultrapassar e vencer.

Evite focar em negócios que faliram ou perderam clientes. Tenha como espelho os casos de sucesso e inovação. A Sexy Vinte e Oito, por exemplo, aumentou suas vendas online nessa época de crise. Apesar do ticket médio ter baixado, o crescimento da demanda online torna possível o resultado positivo. Os benefícios de frete grátis, take-away e atendimento individualizado que já eram oferecidos antes da quarentena fazem a diferença na hora do cliente escolher uma loja.

Além dela, a Imobiliária Bridge também se superou ao criar soluções digitais para manter o contato com clientes e fechar negócios, aumentando as vendas de produtos como imóveis com escritório para home office, coberturas, apartamentos estilo Garden e com sacada.

Organize a sua empresa

Agora que você já mudou o seu ponto de vista, observe o que os empresários do seu ramo estão fazendo. Esse é um bom ponto de partida para reinventar o seu negócio em meio à crise do Coronavírus.

Feito isso, realize uma análise financeira. Talvez seja preciso conseguir mais crédito ou renegociar com fornecedores. Observe também as leis trabalhistas e impostos que pode vir a pagar de acordo com as medidas que aplicar a sua empresa.

Faça bom uso do tempo sem funcionamento. Para isso, analise o maquinário e veja o que precisa de manutenção. Também repense os processos e layouts do seu negócio. Esse tempo é ideal para fazer os ajustes que sempre ficavam para depois.

Com essa parada presencial é possível aperfeiçoar o trabalho home office. Logo, muitos empreendedores que tinham resistência ao uso da tecnologia estão aprendendo e crescendo nesse período.

Dicas para reinventar o seu negócio

Após reavaliar seu negócio, é o momento de investir em soluções para a baixa nas vendas e atendimentos. Então, confira 5 dicas práticas para você inovar o seu empreendimento nessa época de pandemia.

Faça promoções

Se trabalha com produtos, veja o seu estoque e repasse ou venda com desconto o que estiver perto da data de vencimento. Com isso, aproveite as datas comemorativas para vender kits.

Crie sua presença online

Outra solução interessante é explorar o Marketing Online e as Mídias Digitais. Isso faz sua empresa ser reconhecida por mais pessoas. Então, esteja nas redes sociais e crie ou aperfeiçoe o seu site.

Otimize o delivery

Uma ótima ferramenta para vendas é otimizar o delivery. Além do tradicional telefonema, os pedidos podem ser feitos pelo Facebook, WhatsApp e Instagram.

Crie vouchers de consumo

Para negócios presenciais, como bares, restaurantes e clubes, uma alternativa apropriada é investir em vouchers (vales) para venda, uso ou consumo futuro.

Capacite seus funcionários

Com um volume menor de trabalho, uma boa ideia é realizar treinamentos online para os colaboradores. Assim, é possível atualizar o conhecimento e estar ainda mais preparado para cada função depois da quarentena.

Agora que você já sabe como reinventar o seu negócio em meio à crise do Coronavírus, coloque essas dicas em prática. Esse tempo é complicado para todos, mas tendo uma visão estratégica é possível contornar esse período desafiador.

Se gostou desse artigo, você pode compartilhar nas redes sociais. Com certeza, outros empresários e profissionais liberais precisam conhecer essas táticas para superar a instabilidade financeira. Que tal ajudar?

VALE A PENA CRIAR UM NEGÓCIO OMNICHANNEL?

20/02/2020 às 14h19

Pode ser que você nunca tenha ouvido o termo “omnichannel” ou ainda não tenha entendido direito o que significa. Talvez você saiba o que é, mas tem curiosidade para conhecer mais sobre o assunto. Se você é empreendedor e se enquadra em um desses casos, esse artigo é para você.

Atualmente, as empresas precisaram estabelecer vários pontos de contato com os clientes. Com o multicanal de vendas, por exemplo, as companhias podem disponibilizar diferentes maneiras para o consumidor adquirir seus produtos ou serviços, por meio de uma interação física e ou virtual. Apesar da grande flexibilidade, cada plataforma atua de forma independente, não havendo a integração dos canais. Já no conceito de omnichannel, os canais de venda são interligados e atuam juntos na prática do negócio.

Se você ainda está se perguntando se vale a pena criar um negócio omnichannel, vou contar aqui como a Sexy Vinte e Oito adotou esse modelo e quais são os resultados obtidos nesse período.

A Sexy Vinte e Oito nasceu em 2017, em Porto Alegre, fruto da minha experiência pessoal na busca de lingeries especiais. Apesar da procura em várias lojas no Brasil e no exterior, as peças íntimas femininas costumavam ser muitas parecidas, sendo difícil encontrar produtos de estilos e cores diferentes, fugindo das rendas pretas, brancas e vermelhas tradicionais.

A partir deste momento, resolvi criar um e-commerce que reunisse itens exclusivos e especiais de lingerie e artigos voltados principalmente para o prazer feminino de forma elegante e assertiva. A ideia era ter um canal acessível e moderno, com uma operação de baixo custo. Com a plataforma pronta, surgiram muitos desafios! As clientes perguntavam se havia um local para experimentar as peças, queriam comprar online e retirar na loja, ficam em dúvida se era uma empresa confiável porque o endereço não estava informado no site, e assim por diante.

Foi aí que idealizamos montar um showroom em um prédio comercial, com a possibilidade de agendamento para experimentação ou compra, que ocorrem das mais diferentes formas, via telefone, Whatsapp, Direct do Instagram ou e-mail. Conseguimos trabalhar com um baixo custo fixo mensal e pequena estrutura de recursos humanos.

Os preços na loja são os mesmos praticados no e-commerce e todos os produtos do estoque estão catalogados no site. Na maioria das vezes, quando o cliente chega no showroom já mostra para atendente as fotografias do que gostou, seja acessando o site ou o Instagram, o que facilita muito o atendimento e filtra os clientes que não se enquadram no nosso estilo de produtos ou faixa de preço.

O banco de dados do cadastro de clientes é único, tanto no e-commerce quanto na loja física, política que aumentou muito a nossa base de e-mails para newsletters. Além disso, as informações também são usadas para segmentação de públicos em anúncios nas redes sociais. Como tudo fica registrado no mesmo sistema, a atendente pode consultar o tamanho e o gosto do cliente em tempo real.

Em menos de um ano de operação omnichannel, aumentamos em mais de 200% o faturamento e a nossa base de clientes teve um crescimento de 150% em relação ao crescimento apresentado no período anterior. E será que vale a pena criar um negócio omnichannel?