Revista Statto

O “CORPO DE DOR FEMININO” E COMO AS ESSÊNCIAS FLORAIS PODEM AJUDAR

14/09/2020 às 22h19

Imagine uma gota. Agora imagine que essa gota está carregada de informações importantes para a expansão da sua consciência, por ser capaz de vibrar e operar em dimensões que o seu ego (imagem limitada de si mesmo) é incapaz de chegar. Agora imagine flores colhidas e colocadas em uma vasilha de vidro com água durante algumas horas. Cada flor atua dentro de um padrão de consciência, trazendo em sua assinatura um arquétipo específico. Se você observar bem a natureza de perto, vai perceber como elas nos contam de si. Porque será que o girassol procura o sol? Já pensou nisso? Quando tomamos o Helianthus (girassol) a informação que colocamos dentro de nós é desenvolver o contato com o nosso Self, nosso centro autorregulador, aquele que traz paz, equilíbrio, bem-estar, pois devolve o nosso centro, assim como o sol faz conosco. E a água é um dos veículos mais potentes para fazer chegar uma informação no nosso sistema. Assim se estabelece a atuação das essências florais dentro de nós.

Informação + Água

Imagine agora quantas informações distorcidas foram sendo passadas para nós mulheres ao longo dos milênios, para sofrermos de inúmeras dificuldades como carência afetiva, ciúmes, mágoas, baixa autoestima, sentimento de inferioridade, dificuldades de relacionamento, autoritarismo, ruminação mental, indecisões, pesadelos, medos diversos, descontrole emocional, impulsividade, letargia, impaciência, entre outros, fora todas as somatizações que geram fortes crises de TPM, doenças localizadas na região do ventre e aparelho genital feminino.

Criamos um corpo de dor feminino e não pudemos achar as saídas para isso. Na minha prática diária, observo mulheres com potenciais incríveis, mas na maioria do tempo condicionadas ao seu corpo de dor, impossibilitadas de celebrar a sua condição de mulher plena e potente que são, por muitas vezes não perceberem que estão sendo exploradas, desrespeitadas no seu tempo e ritmo. O não conhecimento das fases e ciclos femininos gera doenças de diversas naturezas ao longo da vida da mulher. Ainda não pudemos expressar no mundo a nossa missão de parir a Consciência de Sophia – Sabedoria.  Nossa Luz é capaz de transformar o mundo através da inspiração e da ação pelo coração, mas ainda operamos em um estado de consciência de obediência à uma ordem que nos rouba de nós mesmas, sem percebermos. Precisamos dar às mãos e formarmos uma rede de resistência através da linguagem do coração. E esse coração precisa estar ligado ao nosso centro de poder: nosso ventre.

Coração vem da raiz em latim cor – coragem. Despertar as forças do coração = coragem. E o que nos tira esse poder?

A ausência de confiança.  Esse aspecto é a maior consequência dessa distorção do feminino, pois tentaram cortar as raízes da ligação do coração com nosso ventre para nos tirar o poder. Muitas vezes observo mulheres mais preparadas que homens para o mesmo cargo, com o curriculum muito superior, que na hora da entrevista de admissão escondem seus talentos e dons por medo de ser julgada ou mal interpretada.

Na mesma entrevista, aquele homem, mesmo tendo menos habilidades que daquela mulher, se coloca confiante e consegue a vaga.

Precisamos pegar nossa vida, saúde e equilíbrio na nossa mão, pois caso contrário ficamos reféns de um sistema que não tem interesse nos valores femininos.

Uma mulher pode estar na política, ser líder de comunidade, ser arrimo de família, ser executiva do mundo corporativo, e ainda assim ter ligação com sua cor (cor/ação), e essa ação estar ligada a esse centro que tudo acolhe, tudo transforma, pois tem coragem de manifestar o que lhe foi outorgado, exatamente por estar encarnada em um Corpo de Mulher.

Atualmente trabalho muito apoiando jovens mulheres e mulheres em seus ciclos femininos, desde a menarca (primeira menstruação) até a menopausa. Existe um ciclo vital feminino que precisa ser respeitado nas dimensões, física, energética, emocional, mental e espiritual, que se regula com os ciclos lunares também.

Toda mulher é linda, atraente, curandeira, xamã, sacerdotisa, anciã sábia, mas esquecemos disso. Esses arquétipos vivem em nós. Necessitamos acreditar em nós mesmas, no poder que temos de integrar todas as facetas do nosso feminino, aspectos que foram considerados perigosos por uma cultura patriarcal que tentou amordaçar a voz e o poder feminino. Precisamos curar o inconsciente coletivo feminino que traz memórias de dor e os florais ajudam muito.

Há mais de 15 anos não prescindo dessa presença na minha vida, pois descobri aqui uma fonte eterna de conexão com a mais alta frequência consciencial, vinda diretamente da Natureza.

Experimente essas Gotas de Luz, permeadas de informações puras vindas de registros autênticos que ativarão em você virtudes que equilibrarão seu corpo emocional e mental, gerando ações mais sábias e equilibradas.