Revista Statto

VOCÊ NÃO É TODO MUNDO

09/08/2020 às 21h35

Se você busca qualidade de vida, saber (e principalmente, reconhecer) o que faz sentido para você fará toda a diferença na sua vida e nos seus resultados.

Logo…. Não é porque algo virou moda e está todo mundo fazendo, que você vai se precisa fazer também – nem tudo é para todos. #ETaTudoBem

Por exemplo: eu uso óleo essencial no difusor pessoal e só. Já florais, comprei e acabei não usando, por descaso mesmo. Acordar cedo, só se necessário (prefiro o sono da manhã, um luxo que é possível por aqui). Não como Nutella e dispenso KitKat (sei lá, apenas não gosto, são gostos/preferências pessoais). E por aí vai.

São coisas que fazem SENTIDO PARA MIM.

NÃO importa o que está acontecendo no mundo lá fora, é comigo que convivo todo o santo dia, e RESPEITAR meus GOSTOS e NECESSIDADES faz parte do meu processo de AUTOCUIDADOS – deveria fazer parte do seu também!

Além do que, se conhecer traz BENEFÍCIOS de TEMPO (você já sabe o que sim, o que não e o que nunca) e FINANCEIRO (ninguém paga por algo que sabe que não vai usar), isso até é uma forma de economia. E isso só para citar dois, tem muito mais benefícios em se autoconhecer, como entender porque você pensa dessa ou daquela maneira e entender como o seu modo de pensar interfere nos seus comportamentos, e ainda tem o autocuidado com os cuidados da saúde física e mental, o aumento da produtividade e etc.

– E sobre experimentar? Eu sempre quis meditar, Paula

Se fizer SENTIDO para você vai fundo! Super apoio, experimenta mesmo!

Mas, vamos combinar… POR FAVOR, FAÇA POR VOCÊ e, não porque sua amiga quer que você experimente porque mudou a vida dela.

RESPEITE A PESSOA QUE VOCÊ É!

****

Autoconhecimento também se aprende & Autonomia se conquista.

Vamos juntas!

AMOR-PRÓPRIO O TERMÔMETRO DO BEM-ESTAR

07/07/2020 às 16h34

Sempre que falo às pessoas em meus atendimentos que elas são “a pessoa mais importante das suas vidas”, elas primeiramente aceitam com a cabeça e logo em seguida questionam.

Mas, Paula…. Isso não é egoísmo?

Não, definitivamente não. Porque o fato de querermos o melhor para nós, não implica em querer o mal do outro, apenas reconheço que também sou merecedora de coisas boas.

Apesar de muitas vezes, superestimarmos ou subestimarmos os outros, na realidade está todo no mesmo patamar de igualde, somos humanos e temos o mesmo valor.

No Brasil, temos uma cultura muito forte que se baseia no “outro”. Frases do tipo, “receberemos visita, vamos usar a melhor louça”, “o primeiro pedaço, o mais suculento será da visita” entre tantas outras, acredito que você conheça várias frases desse tipo.

E, assim de uma forma não verbal “o exemplo” é sempre o melhor exemplo, entendemos que o outro merece mais do que nós e, acabamos por nos contentar com menos.

Uma xícara lascada, uma camiseta surrada, um chinelo meio capenga quem não têm?!

O problema não é ter essas coisas, eu mesma tenho camisetas que são meu xodó, o problema é quando você não se permite ter outra melhor. Pensamentos do tipo, porque vou gastar comigo, se essa camiseta/xícara/chinelo ou o que for ainda pode ser usado.

A questão aqui é que você vai esquecendo o prazer de se agradar, de se acolher, de se dar atenção, de se amar. Se seu filho pede uma camiseta de super-herói, acredito que a probabilidade de você comprar a tal camiseta será bem grande, pois você imagina a felicidade do seu filho em vestir e exibir a tal camiseta – então, porque raios você pensa diferente quando se trata de você?!

Amor-próprio ou autoamor nada mais é do que aquele “se permitir” que dá um calorzinho no coração, sabe?! Não precisa ser um restaurante caro, mas uma comida que lhe preencha a alma, uma companhia agradável, a roupa que lhe devolva o conforto de um dia cansativo ou o travesseiro que lhe devolva a paz.

Em suma…. Tudo aquilo que lhe faça bem – podem ser coisas, pessoas ou situações, basta que lhe aproximem da pessoa que você é.

É SEGURO SER FELIZ

23/06/2020 às 09h11

Há tempos atrás, ouvi a frase que a vida reage ao modo como reagimos a ela.

Se acreditarmos que a vida é fácil, ela se apresenta com facilidade, se acreditamos que é difícil, então se apresentará dessa forma, resistente.

Falando assim parece que estou falando de acaso, mas não, falo de foco e posicionamento perante a vida, ação e reação.

Vivemos uma cultura muito forte de que a vida é luta, que “precisamos matar um leão por dia”, que “nada vem fácil” e, assim por diante. Você deve conhecer ou mesmo proferir alguma dessas frases, não é mesmo?

Se nós colocamos nessa perspectiva de dificuldade, de escassez, realmente, dificilmente, conseguiremos ver as coisas por outra ótica. E as coisas não terão outro modo de chegar até nós se não dessa forma, pois é o único caminho que estamos oferecendo para que nos encontre.

Mas, o que difere as pessoas que sempre encontram uma vaga para estacionar ou vão longas distâncias com todos os sinais abertos, o que têm de diferente?

Minha observação e pesquisas me levam a eleger o modo como essas pessoas enxergam a vida e vivem as situações.

Elas confiam/acreditam em si mesmas, pois sabem que já possuem todas as habilidades necessárias para se desenvolverem.

E, a parte que elejo como diferencial – amam e são gratos por tudo o que possuem, desde uma camiseta surrada aos mais valiosos bens de que dispõem. Ou seja, se sentem merecedoras, vivem plenamente em todas as áreas da vida e absorvem o melhor de tudo aquilo que experimentam.

Todos podem viver assim. Somos ótimos do jeito que somos.

Deixe os complexos de lado, seu cabelo já é ótimo e seu corpo perfeito para te levar a todos os lugares.

Você pode até não ter o corpo torneado do jeito que gostaria, mas o quanto você está trabalhando e se responsabilizando por isso, hein?!

Sem ação, não terá reação.

Viver na facilidade é acreditar que sou merecedor do melhor que a vida pode me ofertar.

Sem esforço, sem resistência, as coisas fluindo levemente até você…. Lógico, que a gente vai se envolver, criar, mover, afinal se não se mexer não se tem vida.

Mas, acredite, é seguro ser feliz.

Agora, me diga como seria você com tudo de melhor que esse mundo tem a te oferecer?

O EXERCÍCIO DA GRATIDÃO

08/06/2020 às 19h42

Gratidão não é moda.

Gratidão não é um “jogo do contente”, e nem mimimi de gente chata.

Gratidão é gentileza, com você e com o outro.

Gratidão é um estado da alma de quem descobriu que pode ser mais feliz, mais completo e mais pleno.

Gratidão é ver mais longe, é ficar feliz pela felicidade alheia, é dividir e respeitar os espaços (os seus e os dos outros).

Gratidão é paz de espírito, é um sossego da alma.

Gratidão é prática, é exercício de quem decidiu se reconectar consigo mesmo e com sua espiritualidade.

Gratidão consiste no controle do seu lado sombra, das suas imperfeições, não é esquecer os defeitos, ou menosprezá-los, mas conviver em harmonia com o seu verdadeiro eu – o positivo e o negativo, que compõe quem você é.

Gratidão é um exercício de vigia constante, seja de alterações dos hábitos, de pensamentos e atos, ou ainda, tudo isso junto.

Para se “exercitar”, sugiro que comece devagar…

Agradeça cada vez que se lembrar de agradecer (não importa o motivo), ou exercite trocando os pensamentos negativos por gratidão ou apenas olhem para suas vidas com mais carinho, e veja o tanto de coisas maravilhosas que você possui e, agradeça!

Não importa a forma que você irá escolher para começar (não há certo ou errado – descubra qual o meio faz sentido para você), apenas deixe sua alma fluir, se elevar e se encher de amor, transbordar.  Essa é a consequência da gratidão em nossas vidas – nos inundamos de amor, e assim vemos o mundo com mais sabor, mais cor, mais luz.

Peço que você seja paciente com você mesmo, respeite seu ritmo, suas convicções. Não precisa acreditar, apenas exercite a Gratidão e as mudanças começarão a ocorrer.

Ações positivas começarão a pipocar em sua vida, acendendo um melhor estado de satisfação em você. E, se você está bem consigo mesmo, acaba por seu mais agradável com os outros e consequentemente eles serão mais gentis com você – é um ciclo.

Cada um só dá o que tem, e só recebe o que acha que merece” – quem vive amor, só recebe e só dá amor, pois é o que possuí no coração.

Pratique, você não irá se arrepender!

O PODER INEBRIANTE DO RISO

27/05/2020 às 13h47

Não conheço nada mais contagiante do que o som de uma boa gargalhada.

Rir ilumina, inspira, conecta. Além de ser instantâneo e se transmitir com maior rapidez do que qualquer espirro ou bocejo.

Potencializa nossa felicidade, proporcionando uma maior camaradagem, visto que, o riso faz você se sentir bem consigo mesmo e com os outros.

Ao compartilhar o riso e a diversão, acrescentamos alegria e vitalidade em nossas vidas, e consequentemente, diminuímos a resistência. Uma vez que, o bom humor e a comunicação divertida são capazes de estreitar os laços e desencadear sentimentos positivos promovendo uma maior conexão emocional entre as pessoas.

Rir nos ocasiona alegria e felicidade, uma sensação gostosa de relaxamento (de não julgamento, de não crítica), de paz, de tranquilidade, e de descontração.

Ria mais, permita-se ser mais espontâneo – o bom humor afasta os problemas – não que eles deixem de existir – mas, por que você desvia seu foco do lado defensivo, dos julgamentos, das críticas e das dúvidas, ou seja, você para de focar nos seus temores, medos e resistências.

E, assim, passa a potencializar mais o seu humor, passando a enxergar o mundo de uma perspectiva mais relaxada, positiva, criativa, e alegre, sendo capaz de expressar seus verdadeiros sentimentos, e explorar melhor suas emoções.

Consequentemente, torna-se menos ansioso, irritado ou triste, e manterá uma visão otimista e positiva diante de situações difíceis, decepções e/ou perdas.

Mais do que apenas um alívio perante a tristeza e a dor, o riso lhe proporciona coragem e entusiasmo para encontrar novas fontes de significado e esperança.

À medida que o riso, o humor e as brincadeiras passam a fazer parte da sua vida sua criatividade floresce e a leveza torna-se presente como um meio para descontrair em suas relações interpessoais diariamente.

O antídoto para você ter uma vida mais leve e equilibrada está em suas mãos, ou melhor, no seu rosto, SORRIA (sua saúde física e mental agradece), bem como, as pessoas que convivem com você. Afinal, ninguém gosta de estar ao lado de alguém triste, sisudo e pessimista, não é mesmo?!

 

A LIBERDADE DE SER VOCÊ

20/05/2020 às 18h08

Você já pensou que liberdade tem tudo a ver com autocuidado?

Se você der um Google e procurar por autocuidado, o resultado será um paralelo de cuidados físicos, mentais e emocionais.

Mas… Paula e a liberdade?

Explico… Liberdade não se restringe a espaços ou movimentos, mas se expandem a ideias, necessidades, vontades e desejos.

Falo de liberdade para você viver a sua vida, viver aquelas coisas que te deixam alegre, cheio de saúde, te empurram para frente, para construir, que te enchem de amor e bem-estar.

Você não precisa estar ou ser só para ter liberdade. Liberdade é com a gente mesmo, é se libertar das amarras, das opiniões alheia, da vitimização – daquele “comigo tudo é sempre mais complicado”, sabe do que eu estou falando, não é mesmo?!

Geralmente, o desconforto, a vulnerabilidade, a instabilidade emocional vem de vivermos mais no outro do que na gente, porque vivemos a mercê da opinião, do achismo, do amor, da compaixão, do reconhecimento do outro. E, quando ele não vem, tendemos a nos diminuir, tendemos a achar que somos inadequados, imperfeitos e que falta algo em nós.

Mas… A liberdade é a chave da prosperidade.

Liberdade é viver a sua mais sincera verdade, ouvi-la, respeitá-la e acolhê-la no seu dia a dia, na sua vida. Porque viver a liberdade profundamente enobrece, dignifica, clareia e remove o sofrimento. Além de te apresentar a pessoa maravilhosa, cheia de oportunidades, talentos, luz e beleza que você é.

Em suma, você praticar o autocuidado centrado em sua liberdade é a chave para sua felicidade pessoal, profissional e familiar.

A liberdade inspira mais harmonia e tempo de qualidade, superar limites, confiar mais nas suas habilidades, aspirar novas e maiores transformações, além de criar condições para concretizar as mudanças que deseja ter na sua vida.

Quer descobrir como ter uma vida mais liberta e autoral com uma rotina sustentável…. Cuide-se, ouça-se, respeite-se esse é o diferencial para uma vida próspera e de resultados.

LINHA DE CHEGADA PARA OS SEUS SONHOS

14/05/2020 às 14h35

Eu não sei qual o seu sonho…. Se trocar de carro, comprar a casa própria, trocar de emprego, abrir um negócio, ter mais tempo para seus filhos ou para si mesma, ou apenas chegar com sua saúde mental em dia no final da quarentena. O que eu sei é que se você não fizer o que precisa ser feito, dificilmente, você terá seu sonho realizado.

Você lembra qual foi a última vez que sonhou?

Eu sei…. Faz tempo, né?!

E, sabe por que isso acontece?

Porque as demandas do dia a dia, as exigências pessoais e profissionais, os “apagar incêndios”, priorizar outras pessoas e coisas acabam por nos afastar de nós mesmos e dos nossos sonhos.

E, como tudo que não é visto não é lembrado, você acaba por se perder de si mesma e do que faz sentido para você.

Mas… Paula, como posso fazer diferente?

Comece escolhendo qual o objetivo/sonho irá querer realizar. Aqui, quanto mais sincera e clara você for consigo mesma melhor, esse será o seu propósito. Propósito nada mais é do que a soma de todos os porquês você faz o que faz, uma espécie de farol, que nos dias mais difíceis e nós momentos mais desconfortáveis fará você seguir adiante.

Depois, determine um passo a passo POSSÍVEL para fazer seu sonho se materializar, o tirar do papel, sabe?!  Um plano que caiba na sua rotina semanal de atividades e demandas.

Terceiro, mas não menos importante, junte essas atividades relacionadas ao seu sonho com as demandas pessoais e profissionais já existentes no seu cotidiano e faça uma classificação – sim, olhe para essa lista com a mesma clareza e sinceridade lá do início e determine urgências, importâncias e prioridades e vá alocando na sua agenda conforme o tempo que você disponha.

Outra dica importante aqui é flexibilizar e aceitar, se você tem 30 minutos diários, 3x por semana para uma atividade que vai te aproximar do seu objetivo – mesmo que não seja o tempo que você gostaria – faça! Todo o movimento que irá te aproximar do que você quer é melhor do que ação nenhuma, afinal, as pequenas conquistas te levam a grandes realizações.

Sugiro que você seja paciente e carinhosa com você mesma, vida é processo e consistência, seus sonhos não irão se materializar num passe de mágica. É necessário persistência e ações contínuas.

E, se tiver difícil de começar…. Lembre-se é caminhando que se faz o caminho – descubra o que faz sentido para você, para sua vida, e vá fazendo o que precisa ser feito para realizar seu sonho. Seja fiel a você e siga firme em direção as suas conquistas e realizações, a linha de chegada te espera!

RESPONSABILIDADE CRIATIVA

07/05/2020 às 18h05

O cenário atual exige do indivíduo uma nova forma de administrar problemas pessoais mediante as novas perspectivas da sociedade.

Isso acontece em função de uma maior visibilidade que a entrada de uma nova forma de se comunicar nos proporcionou, bem como, o aumento da taxa de inovação, que exige novas formas de administrar velhos problemas.

Se antes, podíamos viver seguramente nos esquivando de nossa responsabilidade, hoje, nossos atos provam que a organização é item fundamental no desenvolvimento da autonomia.

Organização, planejamento, ação, resultados e reavaliação são itens de uma mesma equação matemática. E, essa conta só será positiva se todos os passos forem seguidos.

Se responsabilizar, não é ser um super-herói ou a perfeição em pessoa – definitivamente, isso não existe. Responsabilizar-se é entender que fizemos o possível para atingir os resultados que desejamos.

É assumir todas as consequências de nossos atos e escolhas. É ter o coração leve, sabendo que fizemos o melhor que podíamos.

O mercado atual exige que as pessoas determinem seus passos, desenvolvam autonomia e, principalmente, o que os move e seus valores.

Desenvolver e organizar objetivos são o início de uma vida com propósitos claros e definidos. Sendo está demanda solicitada pelo novo ambiente digital na busca pela autenticidade.

Se antes desenvolvíamos uma única atividade durante toda a vida, hoje, o mercado de trabalho nos permite explorar nossos potenciais e talentos.

Podemos trocar, ir e voltar, de tarefas quantas vezes desejarmos. No entanto, seria interessante, que esse deslocamento estivesse alinhado com o propósito de vida que pré-estabelecemos mediante nossa organização pessoal e profissional.

A organização serve como uma espécie de GPS da inovação, atuando como um meio de possibilidades na busca por soluções alternativas na trajetória da descoberta e aperfeiçoamento da identidade pessoal.

O desejo por estabelecer uma responsabilidade mais criativa (na qual o sujeito deixa de nomear terceiros como culpado por seus resultados e assume as rédeas da sua vida) proporciona um aumento significativo da sua capacidade de conseguir aumentar a taxa de significado e realização em sua vida pessoal e profissional.

Processo desafiante, mais extremante libertador!

MUDANÇAS, O MUDAR E A NECESSIDADE DE PERTENCER

29/04/2020 às 11h18

Mudanças são a constante da vida, a única certeza que temos – “tudo muda o tempo todo no mundo“, já dizia o poeta.

Mudanças são sobre alterações de coisas, situações ou pessoas. Já, o mudar, aqui, se refere às transformações estruturais em cada ser humano de cunho particular e individual.

Eu já passei por muitas mudanças, só de residência foram 12. Também, teve mudança de bairro e cidade, de emprego e de carreira, de ideias e ideologias, e até de amigos. Sou praticante uma metamorfose ambulante! (Risos)

Quer mudar de vida, de casa ou de ideia conta comigo. Mas…  Essa febre que vemos por aí, de acharem que as pessoas precisam mudar a qualquer custo, como se tivesse algo de errado com elas, me enlouquece e me faz desacreditar completamente na humanidade.

Ninguém “tem que” nada.

Liberte-se!

Comer esse ou aquele alimento, fazer esse ou aquele exercício específico, trabalhar CLT ou empreender – cada um sabe o que é melhor para si e quais são as escolhas possíveis para o seu ritmo de vida.

Seguir qualquer modismo que vá contra sua realidade é como querer vestir uma roupa 2 números menores…. Você até pode vestir, mas será no mínimo desconfortável.

Quando você se adequa a algo ou alguém você se desrespeita, humilha, adoece. E, se esse for o preço pago para pertencer, acredite, é alto demais.

Não queira participar de nada, nem de coisa alguma, que não te aceitem como és.

Se você pensa milimetricamente no que vai falar, o modo mais adequado de se vestir ou de se comportar… Atenção, você pode estar vivendo uma situação de tendência a se diminuir.

Cada um é o que pode ser, e deve ser respeitado por isso. A primeira aceitação vem de nós, orgulhe-se da pessoa que você se tornou – você é a sua melhor versão!

Desejo, que as necessidades de mudança venham, e lhe tomem como um arrombo festivo. Contudo, que venham de dentro, da busca por novos e diferentes resultados. Mas, nunca impostas, exigidas ou chantageadas.

Se não me aceitas como sou, não mereces minhas mais sinceras metamorfoses, evoluções e, consequentemente, minha companhia.

ACEITAR NÃO É SOBRE DESISTIR

23/04/2020 às 16h09

Se, mesmo que inconscientemente, vínhamos chorando pelo que já não temos ou podemos fazer, agora o momento é de aceitar o que se tem e pararmos de agir como crianças mimadas…

Se só temos o amarelo, nada de chorar pelo azul.

O que podemos fazer com o que temos? (Re)conhecer, inventar, interagir, descobrir novas formas de usar ou explorar?

Definitivamente, aceitar não é esmorecer ou estagnar. Aceitar é sobre as coisas não serem do jeito como você quer, mas do jeito que elas podem ser. Sem expectativas, apenas fatos.

Na minha humilde leitura, esse é mais um momento da quarentena – O ACEITAR.

Pare de brigar com seus filhos, com seu par ou com você mesmo – o momento nos exige, aceite a responsabilidade – agora é a hora de levantar e agir.

Responsabilidade tem a ver com o que precisa ser feito – não o que você quer, nem o que gostaria de fazer – Mas, a ação imprescindível que fará toda a diferença para você realmente ter o resultado que deseja.

– Você sabe me dizer qual, ou quais ações, realmente fariam diferença nos seus resultados, na sua empresa, nos seus lucros, nos seus relacionamentos, na sua vida?

– Não se preocupe em saber as respostas agora. Uma conversa sincera com você mesmo (a) pode ajudar a desatar esses nós e te levar a outro nível.

Pode ser uma avaliação de suas atitudes, entregas e o quanto você realmente se dedica a conquistar seus objetivos. Na vida familiar, essa avaliação pode versar sobre a convivência com as crianças, se a convivência intensa foi o início de uma linda e longa conexão de amizade ou apenas a divisão do espaço geográfico. Ou, ainda, no trabalho, onde você passa a ser mais cirúrgico e volta seu olhar para os pontos que realmente farão diferença no modo como você pensa, age e executa suas ações.

Falo em avaliar por se tratar do primeiro passo para a organização, pois permite que você identifique o que precisa ser feito, realizado. Aí você monta a estratégia de como irá executar suas demandas e parte para ação. Depois da batalha, vem à avaliação dos resultados, bons ou ruins, motivarão outros insights e novas formas de agir. E, seguimos nesse ciclo de organiza-estrutura-ação-reavaliação –reorganização – até nossa linha de chegada.

Dessa forma você deixa de viver o zecapagodismo de “deixar a vida te levar” e, passa ser protagonista da própria vida. Sabendo os reais porquês que te movem e te levam a fazer o que faz – o famoso propósito, aquele que te faz a alma sorrir.

A grande diferença é que com aceite e responsabilidade você entende que não está perdendo algo quando simplesmente aceita o fato e, que também nem tudo depende de você. Mas, ao mesmo tempo, se responsabiliza por todo o resto que depende, de você e de sua proatividade.

FAZER O POSSÍVEL, JÁ É FAZER O BASTANTE

15/04/2020 às 17h28

Acredito que entramos num segundo momento de quarentena. O frenesi do mundo online e suas possibilidades se tornaram algo comum ao alcance de nossos ansiosos dedinhos.

Se precisamos de 21 dias para que novos hábitos sejam incorporados a uma nova rotina, não sei para você, mas, para mim, lá se vão 30 dias de confinamento.

Acredito que o entusiasmo inicial das “férias forçadas” para maratonar séries, ler os livros que se amontoavam nas estantes, testar receitas ou se aventurar em atividades físicas online deram lugar a um querer mais real, menos intenso e mais possível.

O que quero dizer com um “querer mais real” é que mediante a ansiedade do confinamento, emoções a flor da pele e relacionamento nem tão perfeitos assim, se manter emocionalmente equilibrados já é um a grande realização digna de condecoração.

Assim, nomeei esse momento como o período das possibilidades. Porque, nesse momento, apenas fazer/realizar dentro de nossas possibilidades já é fazer muito. É uma verdadeira ostentação conseguir casar nossos desejos com nossas necessidades.

E, vamos esclarecer que necessidade é respirar, já o desejo é aspirar o ar nas Maldivas, entendeu a diferença?!

Vou explicar melhor com alguns exemplos…

  • Casa organizada, silêncio e massagem relaxante x crianças em homeschooling, home office e a rotina doméstica.
  • Mundo cor de rosa/ideal x realidade na veia.
  • Necessidades de sobrevivência x sonhos e desejos.
  • O ideal versus o possível. Acredito que agora você tenha entendido meu raciocínio.

Resumindo, volto a afirmar que esse não é momento de exigências ou de nos exigirmos, estamos longe de um cenário ideal, a realidade está a gritar muito alto.

Definitivamente, o controle e o perfeccionismo não fazem parte desse momento de quarentena, assim como a culpa e a cobrança pessoal já não fazem parte do dicionário de nenhuma mãe, ou mulher, ou pessoa.

Talvez, você nunca tenha ouvido a frase: “cada um só dá o que tem”. Mas…. Em momentos em que as emoções estão exacerbadas, a ansiedade se manifestando através da insônia, o comer frequente e intenso, o cuidado extremo com a limpeza das mãos e utensílios, preocupações com saúde, economia instável, sobrevivência e tantos outros pensamentos – se alguém estiver ao seu lado e, mesmo que permaneça em silêncio, agradeça! Pois pode ser uma grande e profunda manifestação de amor.

INFELIZ E DESCONTENTE, SIM SENHOR!

07/04/2020 às 15h58

Provavelmente, em nenhum outro momento de nossas vidas, nos foi permitido estarmos em contato tão direto com nossas emoções e sentimentos. Agora, podemos estar entristecidos ou infelizes sem culpa.

Indagadores de plantão nos questionariam o porquê de estarmos assim, e se preparariam para ouvir as mais terríveis das histórias. No entanto, o vírus COV-19 nos poupa de maiores explicações.

O momento de desconforto geral, seja pelo medo assombroso da contaminação com consequências graves, ou pela liberdade limitada, ou ainda pela sensibilidade exacerbada já são motivos suficientes para dispensarmos qualquer explicação. Isso, apenas para citarmos alguns exemplos, há muitos outros de caráter econômicos, social e etc.

– “Como você está?

– Confinamento, sabe como é?!”

E tudo fica subentendido…

Agora, podemos abrir nossa caixa de Pandora particular e ter contato direto com nossas mais diferentes emoções, sentimentos e pensamentos. Podemos explorar nossas necessidades e desejos, rever nossos valores e até (re) ver nossas crenças – o que ainda faz sentido?

Assim, aliviaremos nossa bagagem (de vida) e seguiremos viagem mais leves de traumas, mimimi ou desculpas que tanto nos separam de alcançar a realização pessoal e profissional que tanto desejamos na vida.

Se você nunca praticou o autoconhecimento, ou nem sequer se olhou com carinho, sugiro que destine esse momento para isso. Porque, talvez, qualquer dia, você cruze com você mesmo no espelho do corredor e quem sabe não se reconheça… KKKK

A mudança é a constante da vida, e independe se a queremos ou não – ela sempre chega. Raul Seixas tinha razão, somos uma verdadeira metamorfose ambulante e, em pouco mais de 20 dias de confinamento, certamente você já mudou em algum aspecto.

Pode ser um hábito novo, uma nova comida predileta, uma posição mais confortável para sentar/deitar, uma nova amizade, novos ou diferentes pontos de vista, não importa. O que importa é você se sentir livre, livre para sentir – o que bem desejar!

Lembre-se, não é hora de ter medo de errar. Cada um sente de um jeito e exterioriza suas emoções de formas distintas. E, tá tudo bem!

E, se mesmo depois de ler todo esse artigo, você ainda não se sentir confortável em dividir seu desconforto – tudo bem, também – pode chorar seus medos, incertezas, desconfortos por qualquer coisa (ou tudo isso) e colocar a culpa no coronavírus, certamente ele não se importará.

EQUILÍBRIO E FLEXIBILIDADE

01/04/2020 às 19h25

Mulher, mãe, dona de casa, faxineira, cozinheira, profissional e etc. Muitos são os papéis, demandas e atividades que nós mulheres desenvolvemos no nosso dia a dia.

Nem sempre conseguimos equilibrar todas as exigências que essas funções no impõem, ainda mais quando o mundo virou de cabeça pra baixo com o coronavírus e a estratégia de confinamento.

Estamos todas nos adaptando para conseguir realizar simples tarefas cotidianas, aprender a trabalhar remoto ou home office e conviver harmonicamente com nossos filhos, companheiros, familiares e nós mesmos.

São muitos os aprendizados e modificações em tão pouco tempo.

A tendência é nos exigirmos, cobrarmos e até culparmos com questionamentos do tipo: “mas, como não dou conta?!”, “porque me sinto tão cansada”, “que vontade de fugir”! E etc.

Esse looping de cobranças e exigências pode gerar muita frustração e estresse e, às vezes, de tanto dar aos outros (e situações) acabamos por deixar pouco ou quase nada a nós mesmas.

Pensando em nossa saúde mental e emocional, nesse momento delicado que vivemos, e nas exigências que a matemática da vida nos entrega diariamente, elaborei um e-Book intitulado EQUILIBRANDO PRATOS – Saúde Emocional de Mães – Reflexão para Quarentena.

O e-book é baseado em minha experiência em consultório com mulheres, que buscam alinhar as diferentes exigências da vida sem precisarem escolher entre ser mulher, mãe ou profissional (podemos ser tudo o que desejarmos). O método Equilibrando Pratos devolve o equilíbrio entre vida pessoal e profissional para que se sintam (e sejam) realizadas e realizadoras.

Na elaboração do e-book, utilizei duas palavras norteadoras para os diferentes temas: Equilíbrio e Flexibilidade. Palavras que escolhi para transmitir aquele #ETaTudoBem ,  aquele fazer possível, dentro das possibilidades de cada um, sem cobrança, culpa ou desconforto.

Você encontrará algumas dicas e sugestões. Talvez, não sejam fáceis de realizar, mas são todas possíveis de materializar no seu dia a dia.

Vale lembrar, que a “REFLEXÃO” é o objetivo maior  desse material.

Desejo que você repense suas ações, seu comportamento, sua vida.

Nunca a vida nos permitiu parar, agora desacelerou (teoricamente) – não adianta negar – o tempo é de transformação.

Então…. Sugiro que aproveite para repensar seus comportamentos, suas escolhas, se olhe com mais carinho e respeito. O momento nos pede autocuidado.

Desejo que apesar de ser um período desconfortável, de limitação da nossa liberdade, você possa usar esse tempo a seu favor e descobrir novos e geniais talentos e características que você sequer sonhava que já existiam aí dentro.

Obs: O e-book tem distribuição gratuita e pode ser solicitado através do WhatsApp (51)9 9566.6999.

HOME OFFICE COM SUCESSO

24/03/2020 às 14h48

Cada vez mais, chego à conclusão que um bom home office depende de inúmeros itens para ter sucesso. Mas, definitivamente a perfeição não é um deles.

Delimitar horários e espaço físico são o começo do sucesso. Fazer com que sua família entenda e respeite suas tarefas e atividades é o começo de um caminho direcionado ao sucesso.

Estabelecer dias e momentos para o arrumar, guardar, limpar, comprar ou fazer é outra superação. Aqui um pouco de organização e listas podem ajudar bastante. Acumular um pouco de louça e roupas pode contribuir até na economia do lar.

Já o item conflitar agendas e demandas, talvez seja a parte mais delicada, até porque todo mundo acha que suas coisas são as mais importantes. Mas, nada que uma boa conversa e organização de demandas não deem conta.

E, as crianças…

Aqui em casa a demanda por atenção é grande. Estar na mesma peça que nossa criança não é suficiente, geralmente o pedido por “colinho” consome o pouco tempo que tenho para destinar ao trabalho, sem falar nas tarefas domésticas.

Realizar um quadro de programação com as crianças pode ajudar a aliviar a expectativa e diminuir a ansiedade nesse momento de confinamento. E, ao mesmo tempo estruturar melhor os dias sem conflitos ou tensões.

Algo que facilita muito a minha rotina, já que vivo de escrever e produzir conteúdo, é o uso do bloco de notas no celular. Uso para tudo, desde a lista do supermercado, até frases, ideias, dicas, filmes…. Nem sempre consigo revisitar as anotações, mas muitas colunas (como está) já foram escritas assim.

Nesse momento crítico de quarentena, onde o desconforto é geral, falar em home office estruturado parece ser como sonhar com o paraíso.

No entanto, enquanto fugimos da perfeição continuamos a buscar soluções POSSÍVEIS para nossas demandas e #ETaTudoBem. Nossa sanidade mental agradece esse equilíbrio entre o que podemos realizar e nossas realizações.

A VIDA EM TEMPOS DE CORONAVÍRUS

19/03/2020 às 09h10

Minha estação do ano preferida sempre foi o outono, daqui mais uns dias ele chega…. Confesso que, quando me dei conta, uma tristeza me tomou a alma.

Esse ano será diferente, os tons de dourados de fim de tarde não serão preenchidos pelo barulho das crianças ao sair escola. Não temos aulas, estão suspensas.

As manhãs geladas regadas a blusas quentinhas, estarão guardadas…. Estamos reclusos em casa.

Pra quem é gaúcho, o lagartear ao sol após o almoço com uma boa bergamota e uma roda de conversa com os colegas de trabalho, também estão suspensas.

O chimarrão, o café, o happy hour… tudo nos foi suprimido. Escolhemos recolher, para termos todos os outonos que bem desejarmos no futuro.

Eu sei, nossa saúde vem primeiro. E, agora é uma questão de prioridade, bom senso, respeito, empatia, de salvaguardar vidas mesmo.

Mas, continuarei a ver da janela o pôr do sol e abri-la para sentir a brisa pela manhã. Acompanharei as árvores, mesmo que a distância, se desfazerem de seus tons verdinhos para florescer daqui há pouco – como nós.

Nos abrigaremos e reaprenderemos a viver esse novo cotidiano que nos é imposto e, renasceremos muito em breve.

Usaremos mais o celular – agora não mais o vilão, mas o herói – herói de nós possibilitar interagir, dividir e confraternizar com os que amamos, nós aproximando mesmo que distantes.

Usaremos mais a imaginação, provavelmente, teremos novas e sensacionais ideais e criaremos novos hábitos para resolver velhas demandas.

O mesmo tédio que imaginamos ser o companheiro poderá ser o item determinante de transformação de momentos solitários em dias incríveis de superação e descobertas.

Desejo que essa temporada não seja apenas um período de medo, dor, desconforto ou estresse…, mas, também um período de oportunidades, de olhar para dentro, desatar nós e fortalecer laços.

Sempre temos escolhas, qual será a sua?

A VIDA TE TRATA DA MANEIRA QUE VOCÊ SE TRATA

13/03/2020 às 08h35

Vamos diretamente a um teste rápido: você esqueceu-se de pegar um item no supermercado para fazer uma receita que você pegou no Google e pretendia fazer no jantar. Como você reage ao seu esquecimento?

Se xinga de idiota e coisas bem piores, se humilha como se o item fosse realmente fazer diferença na sua existência pelas próximas três encarnações. Ou, apenas fica um pouco chateado por ter esquecido, mas tudo bem fará a receita em outro momento?

Não precisa nem responder…. Se você é o tipo de pessoa que tudo é difícil, que tudo precisa de muita luta e batalha para ser conquistado na sua vida, se nada vem fácil…. Já sei que você está no time da chicotada e do xingamento.

Mas, Paula…. Também não é assim… Realmente, eu preciso me esforçar mais que a média…, mas, não me trato tão mal assim…

Será mesmo?! Vejamos…

Sabe como você trata as visitas que chegam a sua casa, o melhor lugar na mesa, o quarto mais arejado, o lençol mais branco, a comida mais saborosa?! Pois então…. Agora imagine que essa visita é você e verifique que cuidados e zelos você tem por sua pessoa.

Você é a única pessoa que convive com você diariamente desde que nasceu e vai até o ultimo dia – Tem certeza que você está se ofertando o melhor que pode a você e a sua existência? Como você quer que as coisas sejam fáceis para você, na sua vida, (e, sim, elas podem ser fáceis) se você não tem o menor respeito com você mesmo?!

Você falaria com alguém que esqueceu um item na lista do supermercado, como você se refere a você quando esquece algo, ou faz uma bobagem, erra ou algo do gênero? Provavelmente, não…

Então…. Sugiro que se olhe como expectador das situações que vivencia e, observe o modo como vem se tratando, o que oferece a você mesmo. O maior ou mais gostoso pedaço do bolo, no melhor e mais belo prato, naquele que mais lhe agrada aos olhos. Ou uma comida qualquer mastigada em pé às pressas no quando da sala enquanto cuida o relógio ou mexe no celular?

Chega disso! Por mais que o povo brasileiro tenha uma cultura de agradar ao “outro”, você já chegou numa idade que suas experiências provam que olhar mais para fora do que para dentro não funcionam, mão é mesmo?!

Então para com isso de esperar a data, o dia, o momento ideal ou perfeito – isso só existe na sua cabeça – te faz sofrer, cria falsas expectativas e te faz estar sempre à mercê do outro.

Se cuide, se acarinhe você é a melhor versão que conseguiu ser até aqui com as habilidades que tinha. Para de se desmerecer, de comparar seu bastidor com o palco dos outros – a grama mais verde pertence a quem mais se dedica ela.

Você PODE mais, SER mais, TER mais, se trate como alguém realmente de valor e que merece atenção, apreciação e dedicação, que – quando você menos esperar – a vida vai te devolver todo esse valor que você passou enxergar em você, seja na forma de facilidade, coisas boas, bonitas, belas ou agradáveis.

O dia que você reconhecer a pessoa fantástica que és, a vida vai te responder na mesma moeda, te ofertando o tanto de amorosidade, respeito e tudo mais que você desejar. E, aí…. É só pedir, que ela vai providenciar.

VIVA MAIS SUAS EMOÇÕES

06/03/2020 às 11h36

Havia o tempo em que as emoções embalavam as canções românticas e eram cantadas e enaltecidas nas diferentes etapas da vida. Infelizmente, tenho percebido – seja em conversas descontraídas, seja nos atendimentos em consultório – uma verdadeira desconexão das pessoas com suas emoções.

Pessoas vivendo totalmente no mental – guiadas, assustadas e, muitas vezes, perdidas no meio de tantos pensamentos (na maioria das vezes, projeções/idealizações irreais), sem dar atenção as reais situações que estão vivenciando. Parecem viver buscando o ideal, uma perfeição inatingível nos mais diferentes e amplos escopos da vida.

Nossas emoções são o contato direto com nosso corpo e, consequentemente, são elas que dão conta de nos direcionar (como uma bússola, mesmo) para aquilo que nos faz bem e promove harmonia de nosso viver.

É aquele sentir mais primitivo, ainda do nosso contexto animal, mas que norteia e dá sentido à qualidade do que se experimenta viver.

Não há emoções boas ou ruins, há emoções.

O modo como nós relacionamos com elas, que podem ser positivo ou negativo. Uma raiva, por exemplo, quando bem canalizada pode ser a chave de virada de uma situação abusiva ou vitimista, um verdadeiro basta – o que é extremamente benéfico e revigorante para quem vive situações como essas. Resgatar seu verdadeiro poder de desenvolver e aprimorar habilidades – se descobrir, se autoconhecer.

Alice Ruiz tem um verso glorioso para nós lembrar a importância do sentir… “Lembra o tempo que você sentia e sentir era a forma mais sábia de saber e você nem sabia”.

Na infância essa conexão é muito forte, mas a medida que vamos crescendo, vamos nos adaptando as convenções sociais. E, consequentemente, passamos a viver mais para os outros e acabamos por nos perder de nós mesmos (uns mais, outros menos, mas… todos passamos por esse processo).

Reconecte-se com você, permita-se compreender o modo como as palavras, ideias e situações chegam até você e ressonam no seu corpo, na sua essência. A melhor e, mais fácil, forma de fazer isso é prestar atenção como seu corpo reage na presença de diferentes pessoas e situações.

Ouça seu corpo, ele sabe o que é melhor para você. Afinal, ele NÃO é regido por convenções sociais e, nem se preocupa com o que sua mãe ou seu chefe vão achar ou pensar sobre você perante qualquer situação. Seu corpo é a conexão direta com seus desejos e quereres mais íntimos.

Confie no seu corpo, no seu instinto, na sua intuição. Eles, sim, trabalham a seu favor para lhe proporcionar conforto e o bem-estar que você tanto deseja e merece.

QUANDO VOCÊ SE ACEITA, TODO MUNDO TE ACEITA

26/02/2020 às 14h43

A realidade é instável e só nos permite ter impressões. Ela, a realidade, não é real, está embasada nas suas crenças, seus valores e na sua bagagem de vida, se resumindo a uma percepção.

Nessa vida, tudo flui, tudo muda – só a mudança é constante.

Então, não se exija coerência.

Quem disse que você precisa ser coerente? Com o quê? Para quem?

Somos múltiplos!

Você não sabe como você vai acordar, como vai reagir diante das mais diferentes situações. Ou, vai me dizer que você age da mesma forma em 100% dos casos?! Não, né?!

Por isso, se aceitar do jeito que você é, é o primeiro passo para evoluir como pessoa.

Estar insatisfeito cansa – aceitar é bem mais gostoso e, mais simples também!

E, a vida pode ser simples, tranquila!

As coisas não são ruins, é o jeito como você olha para elas, que é ruim – seu estado interior determina seu entendimento.

Falta de aceitação é optar pelo padrão alheio para olhar para a coisa mais importante da sua vida: sua essência.

Largue esse padrão alheio de olhar para si mesmo, isso te destrói aos poucos, te distancia de tudo que você pode ser e realizar.

Você já parou para pensar em qual a diferença entre uma pessoa insistente e outra persistente? O primeiro olha de fora, criticamente o chama de teimoso, cabeça dura; o segundo olha de dentro para fora, pois só quem está dentro compreende o modo como age e o porquê age de tal forma.

Virtude ou defeito depende dos valores de quem observa!

Rótulos são visões negativas de quem nos olha. E, as pessoas veem de formas diferentes.

Então…. Qual o certo?!

O que faz sentido para você. #ETaTudoBem

Sua vida, suas regras, sua essência!

É preciso se responsabilizar por quem se é. Esse é o começo de uma vida com propósito, com entendimento, #FELIZ.

Olhar do seu jeito, sua sexualidade, seu modo de gostar, de se relacionar com as coisas da vida, é mais do que válido, porque tem sentido, tem alma para você. Então, é mais do que apropriado.

Você não precisa viver procurando defeitos em si mesmo, com um chicote na mão. Mutilando sua saúde mental e emocional.

Quando você se aceita, nada te incomoda.

Você se aceita, os outros te aceitam – isso é autenticidade, autonomia.

SE AJUSTAR AO MUNDO É UMA PERCEPÇÃO EQUIVOCADA.

Consideração, atenção – você não precisa se abrir para tudo que vem…. Aí quando vem algo negativo, você se sente destruído, diminuído, pequeno, com medo. E, passa a viver seus dias assim – um mendigo emocional.

“O que os outros vão dizer? ”

– Pare de ser escravo da opinião, do julgamento, da desconsideração alheia. Porque é você que vive tenso, azedo, irritado com Deus e o mundo.

– Pare de se vitimizar e achar que as coisas ruins só acontecem com você, que ninguém te respeita, te tratam mal, não tem consideração, etc. – O respeito que você emana é diretamente proporcional ao respeito que você oferece a si mesmo.

Não, entendeu? Explico: lei do retorno, vale para tudo!

Se você não se respeita, porque o outro deveria te respeitar?!

Agora entendeu, né?!.

VIVER EM SI É PERMANENTE, VIVER NOS OUTROS É SECUNDÁRIO.

Se comparar é minar sua autoestima. Imagino o desconforto de viver o dia inteiro num corpo que você só vê defeitos.

É claro que você não vê nada de bom em lugar em nenhum, nem poderia. Pois, você só encontra defeitos e cega para suas virtudes.

Você já avaliou há quanto tempo você vem fazendo isso e, as consequências disso na sua vida?

Tanto desconforto, por nada.

Responsabilize-se por sua vida!

Para de querer salvar o mundo, SE PRIORIZE!

É possível jogar no seu time, se aceitar, vibrar em harmonia.

Sugiro, que exclua os pensamentos que te escravizam, que te rebaixam, que te limitam, que tiram sua dignidade de ser humano.

Não faz diferença para o mundo se você for assim ou assado, a DIFERENÇA É PARA VOCÊ.

Você tem liberdade, com responsabilidade, pelos seus atos.

Pense, sinta o seu melhor o seu melhor!

Preencha-se de amor, luz, energia ou do queira chamar.

Estar sempre sobre a tutela do certo ou errado, do adequado, do crivo do pode e do não pode, apenas te retorna milhões de hora da sua vida gastos em autotortura.

Paz é quando a gente opta para a gente. Para com o jogo, com a ilusão e relaxa, aceita!

Quando a gente se aceita, a gente reconhece a nossa significância (de significado, mesmo). #ETaTudoBem

Acredite, você fará muito mais #diferença no mundo sendo do seu jeito, do que com uma latinha recolhendo esmolas.