Revista Statto

CONSCIÊNCIA NEGRA: LANÇAMENTO DO LIVRO “PRETA PATRÍCIA”, DA ESCRITORA GAÚCHA CAROLINNE OLIVEIRA

20/11/2020 às 13h16

Hoje, dia 20/11/2020, é o lançamento oficial do mais novo livro da escritora gaúcha, Carolinne Oliveira. Nascida na capital do Rio Grande Sul, Porto Alegre, além de escritora é atriz, modelo internacional e reconhecida por seus trabalhos de empoderamento feminino.

Sobre a definição que intitula o livro, “Preta Patrícia”, Carol explica que uma “Preta Patrícia nada mais é do que uma mulher insaciável, que tem sede de ser a melhor versão de si mesma”. A autora ainda comenta sobre o termo patricinha. “No Brasil, esse termo veio a se popularizar nos anos 90 e geralmente o termo remete a mulheres que levam uma vida luxuosa, o que obviamente não é a realidade da maioria das mulheres negras“, afirma Carol.

Em seu livro, Preta Patrícia ela conta como uma menina preta que nasceu em uma família de classe média baixa, decidiu lutar contra o preconceito racial tornando-se uma referência de preta rica brasileira, vivendo em 5 países diferentes, desfrutando de uma vida que a maioria das mulheres só viu em revistas.

Em entrevistas realizadas durante a semana Carolinne Oliveira afirma que:

O livro traz verdades que todo mundo pensa, mas ninguém tem coragem de falar, porque admitir a verdade, muitas vezes vergonhosa em nosso país, é enfrentar todo um sistema que foi projetado para te calar. Isso requer coragem e um pouco de loucura, já que eu corro o risco de ser mal interpretada por muitas pessoas, mas alguém precisa ter essa iniciativa e levantar essa bandeira. É necessário“!

O lançamento do livro que ocorre hoje 20 de novembro, dia da consciência negra no país. Para o lançamento do livro, em função do Coronavírus, não haverá evento presencial e, por enquanto, o livro estará disponível apenas na versão online. Através do link: @carolinneoliveira | Linktree

Mais uma consagrada atitude dessa incrível mulher! Parabéns Carolinne Oliveira, nos sentimos orgulhosas.

SORORIDADE FEMININA, ENTENDA!

09/11/2020 às 14h33

A origem da palavra sororidade está no latim sóror, que significa “irmãs“. Esse termo pode ser considerado a versão feminina de fraternidade, que se originou a partir do prefixo frater, que quer dizer “irmão” – Significados

Relação de irmandade, união, afeto ou amizade entre mulheres, assemelhando-se àquela estabelecida entre irmãs” – Dicionário Online de Português

Sororidade é a ideia de solidariedade entre mulheres, que se apoiam para conquistar a liberdade e a igualdade que desejam. É respeitar, ouvir e dar voz umas às outras sem julgamentos” – Escola Educação

Refere-se sobretudo a ter empatia e sobre o exercício de cada mulher se colocar no lugar umas das outras, respeitando seus respectivos contextos. Sobretudo queremos desconstruir a rivalidade que foi colocada para as mulheres e nesse contexto resgatarmos o sentimento de união.

Sim, eu me sinto feliz quando vejo que mulheres conseguem alcançar aquilo que almejam. Vibrei com a conquista da Kamala Harris eleita a vice-presidência dos EUA. Chorei com o caso da menina Mariana Ferrer, sorri e chorei por muitas vezes em casos desconhecidos da mídia, mas que fazem parte da luta do nosso dia a dia. Nós mulheres sabemos os preconceitos que passamos e a força que temos para enfrentar com serenidade os desafios. Mesmo quando tudo parece desabar sobre nós, estamos em pé e com um sorriso no rosto. Sabemos o que é a alegria de ter um filho e a dor imensa de perder um. Mesmo que isso ainda não tenha acontecido com você, conseguimos sentir sim.

Falar sobre o universo feminino e poder abraçar outras mulheres através dos meus textos tem sido uma das formas que encontrei de praticar sororidade.

Com os avanços tecnológicos, estamos conseguindo alavancar cada vez mais nossa luta, com as famosas hashtags #mexeucomumamexeucomtodas  #nãoénão…essas redes de apoio  tem viralizado na internet com casos de abusos e absurdos que sempre aconteceram, mas muitas vezes não chegavam ao nosso conhecimento, é sobre essa empatia que a sororidade diz respeito.

Sabemos que as desigualdades de gênero são estruturais na sociedade. A problemática da baixa proporção de mulheres na política é uma questão de desigualdade no acesso aos cargos de liderança e poder na sociedade. A ausência de mulheres nesses patamares no mundo corporativo já é bastante estudada sob este aspecto, que ao meu ver na política esse fenômeno é bem parecido.

O importante é incentivarmos as mulheres a ocupar esses espaços de debate, e é responsabilidade das mulheres que já estão na liderança acolher outras mulheres. O nosso papel é votar em candidatas que apoiam as pautas femininas. Todas nós sabemos como é ser mulher, conhecemos as cobranças, os sofrimentos pelos quais passamos; e essa união é uma forma de demonstrarmos umas às outras que estamos juntas e podemos nos apoiar.

Mas, ainda precisamos mais… O espaço que as mulheres vêm alcançando é resultado de uma luta incansável e estaremos cada vez mais fazendo parte de lideranças importantes, principalmente por nós mulheres.

APRENDA A GOSTAR DAS SUAS SARDAS

05/11/2020 às 09h15

As efélides, popularmente conhecidas como sardas, são manchas causadas pelo excesso de melanina na pele. Especialistas explicam que a melanina é produzida pelos melanócitos, células presentes na epiderme e responsáveis pelo pigmento que dá cor à pele. As famosas sardas são mais comuns em pessoas de pele clara, ruivas e com predisposição genética, mas elas também aparecem em pele negra. O aparecimento em peles negras é mais raro. Para evitar que elas aumentem e se espalhem em outras partes do corpo, é preciso manter alguns hábitos simples no dia a dia e adotar o uso frequente do protetor solar. Geralmente as manchas causadas pelo sol começam a aparecer na infância e na adolescência. As minhas sardas começaram a surgir por volta dos meus 5 anos de idade.

Quando entrei na adolescência usava truques para escondê-las e passei a usar maquiagem como pó compacto e posteriormente excessivas camadas de bases para cobri-las. Não gostava de tê-las comigo. Eu era a única da minha família e também das minhas amigas que tinha o rosto coberto por sardas.

Com o passar do tempo, passei a dar menos importância para elas e foi quando comecei a ver modelos e atrizes que valorizam ter sardas e percebi que as tendências estavam mudando. Atualmente a beleza está em valorizarmos tudo aquilo que temos de mais precioso e que certamente nos difere das outras pessoas.

As sardas podem ser um charme a mais para quem quer valorizar o brilho e a textura do rosto. Existem dicas de maquiagem para revitalizar as sardas e torná-las mais evidentes.

Confiram:

  • Batons de tons vivos e intensos são os mais indicados, cores quentes como o vermelho e o laranja realçam as sardas.
  • Use corretivos em camadas finas e suaves, para não ofuscar as sardas.
  • As bases apostem nas de baixa cobertura.
  • Blushes de cores mais intensas, como um rosa ou laranja bem vivo ajudam a valorizar com intensidade as manchinhas.

Sigam as dicas que mais se encaixam no seu tom pele e arrasem nessa estação, evidenciando o que você tem de belo.

VALORIZE QUEM VOCÊ É, SEM FILTROS

29/10/2020 às 10h51

 

Filtros de aplicativos de celular têm se tornado cada vez mais populares para alterar fotografias e selfies, principalmente por aqueles que querem se mostrar dentro dos padrões convencionais de beleza no mundo virtual.

A maioria de nós já experimentou algum tipo de filtro e nos preocupamos com a nossa autoimagem. O problema é quando isso se torna cada vez mais compulsivo, as pessoas estão vivendo literalmente de aparências, ou melhor de falsas aparências, se apropriando de peles, cor dos olhos, espessura do nariz, formato do rosto, cor do cabelo…, que não são seus.

Quando você não consegue mostrar o seu verdadeiro rosto e valorizar quem você é, há um problema e com sinal de alerta por aí.

Outro dia fui a um laboratório de análises clínicas e ouvi o relato de uma mãe cuja a filha não queria participar das aulas on-line por não conseguir aplicar os filtros e não gostaria que os colegas a vissem sem eles.

Naturalmente há uma razão para que os filtros personalizados sejam tão fascinantes, é muito atraente você sentir-se tão bela quanto atrizes e modelos que você admira, porém gera consequências para sociedade quando uma massa de pessoas passa a viver uma vida filtrada.

Há algum tempo atrás foi publicada uma matéria sobre uma estudante de 19 anos que passou durante 2 anos realizando selfies e postando em sua página nas redes sociais, somente com filtros, o fato foi que devido a problemas no seu aparelho celular as funções dos filtros pararam de funcionar e segundo relatos a estudante não conseguia mais se olhar no espelho e entrou em um quadro de depressão que exigiu um longo tratamento. Os dados em torno dessa temática são cada vez mais alarmantes e crescentes. A obsessão por uma aparência irreal pode representar graves riscos psicológicos principalmente às gerações que são nativas da Internet. Atualmente vemos a depressão e a baixa autoestima ligadas a insatisfação com a própria imagem.

Precisamos ficar mais atentos e ajudar os adolescentes, estimulando-os a gostarem da sua beleza natural salientar que o mais belo que temos é a nossa essência aquilo que nos caracteriza e nos difere das outras pessoas, qualidades que são intrínsecas a cada indivíduo.

Ainda não existe nenhum filtro que nos torne tão belo quanto a beleza de sermos autênticos. Mostrar por aí um rosto ou um corpo que não é seu, é estar submergindo em mundo falso e utópico. Aceite-se, cuide-se e ame-se. O primeiro amor e o maior de todos deve ser sempre o amor próprio. Pense nisso!

 

O AMOR AO PRÓXIMO É A ESSÊNCIA DE SER MÉDICO

14/10/2020 às 22h59

18/10 – Dia do Médico

No dia 18/10 a alegria irá pulsar mais forte é momento de celebrarmos a vida daqueles que mais prezam por ela. No Brasil essa data foi instituída em homenagem a São Lucas, o santo padroeiro da medicina.

Ser médico é ser responsável por descobrir as enfermidades que atingem a vida das pessoas, estender suportes, atenção, indicações e procedimentos adequados para que haja melhora ou até mesmo a cura.  Os médicos também têm a responsabilidade por indicar formas de prevenir doenças e nos orientar para que tenhamos uma vida mais saudável.

Nesse período em que o mundo inteiro foi acometido por uma pandemia, nossos médicos foram verdadeiros heróis, doaram suas vidas para nos proteger. Dedicam tempo integral na busca de melhores condições para os pacientes, acalentam famílias que perdem seus entes queridos, abdicam momentos com suas famílias para cuidarem das nossas.

A sociedade aplaudiu esses profissionais e prestou o devido reconhecimento, diante de situações de pouca infraestrutura, falta de medicamentos, locais inadequados para atender os pacientes. Talvez tenha sido nesse momento que vimos mais de perto a necessidade de investimentos adequados na saúde. Em meio a disputas políticas e mudanças de pastas no governo, diante de tantos desafios os médicos continuaram convictos da sua nobre missão.

A medicina, sem dúvidas, é uma das áreas do conhecimento que exigem maior comprometimento e responsabilidade por parte do profissional. São eles que estão conosco nos melhores momentos da nossa vida como a chegada de um bebê e também nos momentos tristes de partida de alguém que amamos.

Escolher exercer a medicina, vem junto com um amor profundo pelo ser humano. Uma dedicação intensa ao aprendizado que visa salvar vidas. Uma opção por estudar e aprender todos os dias, tendo como foco tornar melhor o atendimento e a relação entre médico e paciente.

Agradecemos e parabenizamos todos os médicos que exercem a arte de cuidar da vida com respeito amor e dignidade.

Feliz Dia do Médico!

Foto arquivo pessoal, Dr. Jusiel Vasconcelos.

VOCÊ MORA EM UMA CASA OU EM UM LAR?

10/10/2020 às 21h09

Felicidade não é TER é SER

Há alguns dias atrás, assisti ao filme Ruth e Alex, protagonizado pelos atores Morgan Freeman e Diane Keato, a comédia dramática me fez pensar e refletir sobre princípios, valores, sentimentos, apegos, desapegos, lares e casas.

Na maioria das vezes, tentamos deixar nossa casa personalizada, se não conseguimos fazer isso em toda ela, pelo menos temos um cantinho, um quarto ou um espaço que é exatamente a “nossa cara”, e a transformamos em “Home Sweet Home” o filme mostra a dificuldade do casal em mudar de casa, após terem vivido na mesma durante 40 anos desde o dia que se casaram.

Algumas pessoas optam por decorações altamente modernas com variadas tecnologias, requintes demasiados e sofisticação exagerada, que na minha opinião, se torna artificial, sem aconchego e talvez sem personalidade.

Fiz uma visita a uma casa que me senti desconfortável, pois em cada ambiente parecia que algo iria estragar ou sujar, e para intensificar essa sensação eu estava acompanhada de minha filha, que na época tinha 5 anos de idade, logo ao chegarmos a pequena quis comer as bolachas que eu carregava na bolsa, aquelas bolachas folhadas cobertas de açúcar que esfarelam quando você morde (caberia aqui agora aquele emoji dos dentinhos cerrados para ilustrar o tamanho do meu desespero). Enquanto conhecíamos os cômodos, a proprietária nos apresentava os detalhes e as cores: o piso era marfim, os armários eram neve, as paredes foram pintadas na cor de casca de ovo (ovo branco), os sofás eram em tons de talco, o quarto baunilha e o que não mencionei era White.

Durante a conversa ela relatou que alguns espaços o casal ainda não havia ocupado, para não sujar.

Fiquei pensando em qual parte da casa estão os objetos que os tornam felizes?  Como ser feliz em uma casa tão séria, tão branca, sem plantas, flores, cachorros ou gatos?

Adoro gente que tem compromisso com a felicidade e com a alegria, que não revitaliza coisas chatas.

A beleza de qualquer cômodo, não está no valor que gastamos para decorá-los, mas na intenção que temos em dar a esses ambientes a sensibilidade e o espírito de quem vive ali.

Por esse motivo, os protagonistas do filme, não conseguiram mudar após visitarem e participarem vários Open Houses, pois nenhuma outra casa era tão eles quanto a deles.

Existe beleza em coisas simples e você é capaz de reconhecer o valor sublime naquilo que é essencial, não que seja errado obter, mas não esqueça de ser agradável e tornar a sua casa em lar doce lar.

Casa pode ser o local onde as pessoas entram para fazer as refeições, usar o banheiro ou dormir. Onde temos pressa para sair e demoramos para voltar.

O lar é o lugar onde gostamos de estar, onde temos carinho, afeto, acolhimento e boas energias. É onde temos pressa de chegar e não temos vontade de sair.