Revista Statto

PERSONAL FRIEND: AMIZADE PARA AS ALEGRIAS E DESABAFOS

24/03/2020 às 14h22

Renata Cruz conta mais sobre essa novidade no Brasil, que já virou febre em todo o mundo

Embora seja um serviço novo no Brasil, o personal friend é uma grande solução para diversos momentos e ocasiões.

Renata Cruz, que oferece este serviço de “amiga de aluguel” e também é coach em desenvolvimento pessoal, explica que nem sempre a vida atribulada das pessoas permite que haja a companhia de um amigo “de verdade” para determinados eventos ou simplesmente para um desabafo.

Este serviço surgiu no Japão, ganhando notoriedade em outros países logo em seguida, como nos EUA e Europa, chegando agora ao nosso País. Ou seja, de companhia até aconselhamentos, ninguém mais fica sozinho: agora há o personal friend.

Com seriedade e sigilo, os encontros são sempre feitos em locais públicos, para a segurança de ambos, além de o preço e o tempo serem determinados mediante um contrato, garantindo credibilidade e confiança na prestação do “ombro amigo”.

Diferentemente do que muitos pensam, contratar um personal friend não é sinônimo de falta de amigos: talvez a pessoa apenas queira desabafar com alguém alheio aos seus problemas, que não conheça a sua rotina de vida ou que tenha uma visão mais neutra da situação.

Aliás, é importante levar em consideração a idoneidade da prestação de serviço do “amigo de aluguel”, que por ser uma profissão não regulamentada, pode fazer com que golpistas se aproveitem da situação.

A personal friend Renata Cruz salienta que uma das grandes missões de quem oferece esse serviço é a de evitar que transtornos se agravem, sendo o isolamento um grande potencializador de problemas psicológicos. Portanto, um bom “ombro amigo” está sempre reciclando seus conhecimentos para entender a mente humana da melhor maneira possível.

Qual o valor da empatia?

Vale ressaltar que existem muitos profissionais, como cabeleireiros, manicures, esteticistas, advogados, diaristas ou empregadas domésticas, babás, personal trainers, massoterapeutas, terapeutas holísticos, funcionários de bar, entre muitos outros, que escutam e aconselham as pessoas muitas vezes sem ganhar uma gratificação extra e somente suportam a situação para não perder o cliente.

Aliás, essa “empatia” muitas vezes vem somente pelo lado do profissional, já que alguns clientes acham que “escutar o desabafo” faz parte do pacote e, infelizmente, se aproveitam dessa situação e pensam que tudo deve ser de forma gratuita, sem ao menos agradecer a atenção adicional desprendida pelo profissional enquanto cuticulava suas unhas, faxinava sua casa ou massageava o seu corpo, por exemplo.

Ou seja, o profissional acaba por fazer dois trabalhos num só para executar um bom atendimento, por isso, esse serviço se paga (ou deveria ser pago) pelo tempo que a pessoa perde.

Muitas pessoas não compreendem, mas o tempo perdido de uma pessoa nunca mais volta, então, há uma desarmonia social nessa questão de respeitar o serviço do outro e achar que tudo é de graça. Afinal, todos trabalham para pagar as suas contas, certo?

Logicamente que um personal Friend não substitui aquela amizade de anos, que você tem histórias para contar de infância ou peripécias juvenis, mas pode ser a forma mais certa de você ter “um amigo de verdade”, que realmente queira te ouvir.

Sendo assim, se você é daquele tipo de pessoa que vai à manicure, ao cabeleireiro, utiliza seus funcionários como “ouvidos” para os dias de lamúrias, lembre-se de que agora você tem uma excelente alternativa para desabafar, ouvir palavras de conforto assertivas e, de quebra, não virar fofoca: um personal Friend!

Serviço:

Renata Cruz – Personal Friend

Tel.: (13) 99669-9091

@renatacruz_personalfriend

O QUE É PERSONAL FRIEND

23/03/2020 às 16h44

Renata Cruz conta mais sobre o que é personal friend, que já virou febre em todo o mundo

Embora seja um serviço novo no Brasil, o personal friend é uma grande solução para diversos momentos e ocasiões.

Renata Cruz, que oferece este serviço de “amiga de aluguel” e também é coach em desenvolvimento pessoal, explica que nem sempre a vida atribulada das pessoas permite que haja a companhia de um amigo “de verdade” para determinados eventos ou simplesmente para um desabafo.

Este serviço surgiu no Japão, ganhando notoriedade em outros países logo em seguida, como nos EUA e Europa, chegando agora ao nosso País.

Ou seja, de companhia até aconselhamentos, ninguém mais fica sozinho: agora há o personal friend.

Com seriedade e sigilo, os encontros são sempre feitos em locais públicos, para a segurança de ambos, além de o preço e o tempo serem determinados mediante um contrato, garantindo credibilidade e confiança na prestação do ‘ombro amigo’”, conta Renata, fundadora da Agência InnVoga Personal Friend.

O que é um personal friend?

Diferentemente do que muitos pensam, contratar um personal friend não é sinônimo de falta de amigos.

Talvez a pessoa apenas queira desabafar com alguém alheio aos seus problemas, que não conheça a sua rotina de vida ou que tenha uma visão mais neutra da situação”, pontua.

Inclusive, Renata ressalta que é primordial levar em consideração a idoneidade da prestação de serviço do “amigo de aluguel”, que por ser uma profissão não regulamentada, pode fazer com que golpistas se aproveitem da situação.

A personal friend Renata Cruz salienta que uma das grandes missões de quem oferece esse serviço é a de evitar que transtornos se agravem, sendo o isolamento um grande potencializador de problemas psicológicos.

Portanto, um bom ‘ombro amigo’ está sempre reciclando seus conhecimentos para entender a mente humana da melhor maneira possível”, observa.

Qual o valor da empatia?

Por acumular muitos anos como personal friend, Renata conta que existem muitos profissionais, como cabeleireiros, manicures, esteticistas, advogados, diaristas ou empregadas domésticas, babás, personal trainers, massoterapeutas, terapeutas holísticos, funcionários de bar, entre muitos outros, que escutam e aconselham as pessoas muitas vezes sem ganhar uma gratificação extra e somente suportam a situação para não perder o cliente.

Então, em diversas ocasiões, essa ‘empatia’ vem somente pelo lado do profissional, já que alguns clientes acham que ‘escutar o desabafo’ faz parte do pacote e, infelizmente, se aproveitam dessa situação e pensam que tudo deve ser de forma gratuita, sem ao menos agradecer a atenção adicional desprendida pelo profissional enquanto cuticulava suas unhas, faxinava sua casa ou massageava o seu corpo, por exemplo”, exemplifica.

Segundo ela, o profissional acaba por fazer dois trabalhos num só para executar um bom atendimento, por isso, esse serviço se paga (ou deveria ser pago) pelo tempo que a pessoa perde.

Muitas pessoas não compreendem, mas o tempo perdido de uma pessoa nunca mais volta, então, há uma desarmonia social nessa questão de respeitar o serviço do outro e achar que tudo é de graça. Afinal, todos trabalham para pagar as suas contas, certo”? questiona.

Logicamente que um personal friend não substitui aquela amizade de anos, que você tem histórias para contar de infância ou peripécias juvenis, mas pode ser a forma mais certa de você ter “um amigo de verdade”, que realmente queira te ouvir.

Sendo assim, se você é daquele tipo de pessoa que vai à manicure, ao cabeleireiro, utiliza seus funcionários como ‘ouvidos’ para os dias de lamúrias, lembre-se de que agora você tem uma excelente alternativa para desabafar, ouvir palavras de conforto assertivas e, de quebra, não virar fofoca: um personal friend!”, finaliza.

Quem é Renata Cruz?

Renata Cruz é coach de PNL e liderança, coach em desenvolvimento humano e fundadora da Agência InnVoga Personal Friend. Acumula 17 anos de experiência como personal friend, dando início em sua trajetória em Lisboa (Portugal), passando pela Espanha e agora traz para o Brasil uma agência com a prestação do serviço de maneira idônea e de credibilidade. Saiba mais em innvoga.com.br e @renatacruz_personalfriend.

ACONSELHAMENTO SENTIMENTAL

23/03/2020 às 15h27

“Aconselhamento Sentimental”, passa pela higiene física e mental que é necessária para permanecer saudável.

Gostar de si, nunca perder sua autoestima, compreender o outro, obtendo um bom diálogo, para que exista uma boa comunicação, colocar limites quando as coisas não estão bem, sobretudo respeitando-se mutuamente.

Amar condicionalmente, nunca esquecendo de si mesmo.

Admirar, elogiar, respeitar, partilhar a vida lado a lado, com lealdade e fidelidade, não considerar a relação como segura, mas sim, que deve ser regada como se fosse uma flor, dia-a-dia.

Nada é para sempre, é importante ter consciência disso, para evitar sofrimentos caso a relação termine, tentar evitar dores e aflições futuras, mas nunca sofrer por antecipação, deixando o universo fazer a sua obra.

Cortar com a rotina, sempre inovando a relação, criando novos ideais, sejam criativos, acreditem no vosso potencial.

Renovem seus sentimentos a cada dia, buscando novos ideais.

Vivam com alegria, brinquem, se amem e façam tudo diferente, inovando a cada dia.

Respeitem o espaço de cada um, sabendo que ninguém é igual a ninguém, mas sempre procurando o meio termo e, aprendendo a saber ceder, porque dois corpos não podem ocupar o mesmo espaço ao mesmo tempo.

Sobretudo ter cumplicidade e química, lealdade e fidelidade, porque só assim poderão ser sempre amigos, mesmo que um dia acabe a relação.

A união perfeita de um casal, só é possível quando se complementam, mesmo com os defeitos que todos possuem, temos que aceitar aprendendo a conviver.

CONTRA VÍCIO POR TECNOLOGIA: CONSELHEIRA É A NOVA SOLUÇÃO!

16/03/2020 às 16h35

Em um país que possui mais celulares ativos do que habitantes, as pessoas deixaram de reparar no mais importante: umas nas outras.

Na era da tecnologia o número de pessoas conectadas à internet aumenta a cada ano, ainda mais quando se trata do Brasil. Segundo um estudo realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2015 o país bateu a marca de 100 milhões de usuários com acesso à internet. Um exemplo claro desse crescimento são as redes sociais que estão cada vez mais inseridas no dia a dia dos cidadãos, seja para lazer ou trabalho.

O mundo digital vem num crescente constante, dos computadores e notebooks para os smartphones, que trouxeram ainda mais mobilidade e – consequentemente – a possibilidade de passar mais tempo nas redes sociais.

Segundo uma pesquisa feita pela Universidade de Pittsburgh, pessoas que ficam mais de duas horas conectadas ao ambiente cibernético têm o dobro de chances de desenvolver isolamento social, por ser um espaço mais confortável e não precisar encarar seus problemas. Ao mesmo tempo, aumenta a sensação de exclusão, fazendo com que se sintam sozinhas, o que gera ansiedade, depressão e problemas de baixa estima.

Com essa mudança do plano real para o digital, as pessoas estão perdendo – cada vez mais – a prática em se “relacionar socialmente”, sentindo-se mais solitárias e desamparadas.

Assim como todas as áreas se desenvolvem para atender as necessidades da população, “Renata Cruz – A Conselheira”, enxergou nesse contexto um nicho promissor para atuar.

“Vejo muitas pessoas precisando de ajuda, de um ombro amigo para compartilhar as suas angústias ou, até mesmo, as conquistas”, destaca. “Como os brasileiros estão cada vez mais conectados, estão perdendo a afinidade com pessoas importantes em suas vidas e recorrendo a uma nova alternativa para a inclusão novamente no mundo real. É nessa hora que eu entro como Personal Friends”, explica.

Licenciada em Direito, com formação em Coaching e Desenvolvimento Pessoal, Renata faz um atendimento dedicado e sigiloso, a fim de entender a necessidade do seu cliente e aconselhá-lo da melhor forma. O encontro é agendado em local público – mas que dê para conversar tranquilamente – e dura, em torno de 1 hora. “Durante esse período, abordamos os assuntos de maior necessidade do meu cliente, é ele quem conduz o diálogo.

Eu o escuto e aconselho nos momentos oportunos, o deixando sempre à vontade e fazendo com que se sinta de fato amparado por uma amiga”, finaliza a Personal Friends que atua na área há 20 anos.

A Conselheira já atendeu inúmeras pessoas durante a sua trajetória, com os mais diversos dilemas, tendo experiência em aconselhamentos de problemas familiares, afetivos, dentre outros dos quais causam desconforto quando conversado com alguém próximo, sendo a amiga de aluguel a melhor opção nessas horas.