Revista Statto

2020 – O ANO DO APRENDIZADO

01/12/2020 às 17h33

Olá! Como vocês estão?

Eu sigo bem, apesar dos altos e baixos desse ano maluco que está chegando ao fim.

Pandemia, eleição, distanciamento social, quarentena…, tudo junto e misturado, coisa de louco. E aí…, o que aprendemos em meio a essa doidera?

Bom, aprendi que não é preciso ter muitas roupas nem muitos sapatos e nem muitas bolsas (embora eu ame cada item desse e mais um pouco rsrs). O que vesti em, pelo menos, por 4 meses desse ano de 2020 foram minhas 2 calças de moletom, pijama e chinelo às vezes.

Percebi que cortar o cabelo, no meu caso, pode ser só 1 vez por ano ahhahaha…. Vejam bem, meu cabelo é liso igual espaguete, portanto fácil de cuidar. Mulheres, não me xinguem! Eu imagino que é mais difícil cuidar de um cabelo cacheado ou encaracolado ou qualquer outro tipo de cabelo se não o liso.

Minhas unhas!! Bem, eu nunca fui muito adepta de ir à manicure quando não tenho nenhum evento a participar. E como de março a até setembro foi ZERO evento, minhas unhas respiraram livremente sem esmaltes. A minha sorte é que as cutículas São fininhas e quase não aparecem. Mas as unhas dos pés são um caso à parte. E como junta cutículas nas minhas minis unhas! Socorro!! Mas para quem usou muita meia também nessa pandemia, não fez muita diferença na estética ahah…

Atividade física… ahhh isso me fez falta. Eu confesso que eu não consigo fazer atividade em casa, sozinha, assistindo a algum vídeo no Youtube de alguma profissional ensinando e nos incentivando a nos mexer. Eu preciso ir até o local para me mexer… logo, a única coisa que eu mexi foi meu laptop de um lado a outro para assistir a congressos e aulas online. De resto, foi apenas um subir e descer de escadas dentro da minha própria casa.

Agora a parte que eu acredito ter mexido muito, muito muuuuuuito com muuuuuuitas pessoas: a ALIMENTAÇÃO.

Voltei a atender presencialmente no finalzinho de abril, na maior capenguice (eu sei que inventei essa palavra, mas não achei outra para descrever a falta de demanda de atendimentos), um aqui, outra 1 semana depois… e assim foi até meados de junho. Mas desde abril, vendo os exames bioquímicos dos pacientes, me bateu um desespero e ao mesmo tempo cheguei a uma conclusão.

Vou começar pelo desespero, que eu até já coloquei em algum outro texto que escrevi. De início, todos pensaram (ou pensamos) de que a quarentena seria algo passageira e que acabaria rapidamente, logo, ficaram (ficamos) com a sensação de “férias”. E oras, o que fazemos nas férias independentemente de estar em casa ou viajando é…. COMER!! Comer alimentos diferentes, lanches, pizzas, fast food, junk food… afinal, cozinhar nas férias? Ahh não!! Neem pensar! E assim os indicadores de, pelo menos, 80% das pessoas que eu atendi, estavam desesperadores! Todos alterados, isso sem contar no fator psicológico que afetou todo mundo, em maior ou menor proporção.

Sabe, antes da pandemia, o que mais eu ouvia era: não tenho tempo para cozinhar, chego cansado em casa, não tenho criatividade na cozinha, etc… etc…

Aí.. Quarentena! Tempo para cozinhar, para ler, estudar e fazer tudo aquilo que se reclamava que não tinha tempo… daria tempo para aprender a cozinhar para si, organizar os finais de semana para fazer comida para a semana toda, afinal não podemos esquecer de que algumas pessoas começaram a trabalhar de casa logo de cara e talvez o único tempo que tivessem fosse o final de semana mesmo, já que existia a proibição de sair de casa.

Mas, foi muito mais fácil usar o aplicativo de delivery e esperar pela comida confortavelmente em frente à televisão. Ou então encarar as filas enoooormes de famosos drive thrus espalhados pela cidade (aqui a fila ficava quilométrica e ainda estão, acreditem!!).

E aí a ansiedade começou a aumentar porque ao olhar no espelho, aquela imagem corporal desagradou e causou frustração, levando a alguns casos à depressão. Síndrome do pânico, desânimo, falta de motivação, falta de vontade… todo aquele sentimento de “férias” começou a desmoronar. O medo de adoecer aumentou ainda mais, notícias na TV nada animadoras, eu diria que até prejudiciais à nossa saúde psicológica.

Não adianta falar sobre o que já foi ou sobre o que poderia ter sido evitado, mas podemos organizar nossa “casa” a partir de agora para que SE a segunda onde chegar, estejamos prontos e preparados para não repetir o que aconteceu quando veio a primeira.

É importantíssimo melhorar a alimentação para que não tenha queda da sua imunidade. Tomar sol sempre que possível é essencial. Mesmo que não consiga todo dia, faça-o quando puder. Lavar bem as mãos com água e sabão é de lei!! Álcool somente quando não dispor de torneira água e sabão por perto. Junk food é gostoso? É sim! Mas se faz necessário ser toda semana e quase todos os dias?

Existe mesmo a necessidade de beber tanta bebida alcoólica? O que estou escondendo dentro de mim que dói tanto quando eu estou sem a “ação” do álcool circulando? O doce melhora mesmo a minha ansiedade ou a estou alimentando? Como está a qualidade do meu sono? Será que o lanche que eu como tarde da noite, me favorece? A qualidade daquilo com que me alimento está boa? Com esses tipos de alimentos eu consigo nutrir meu corpo, e quem sabe, a alma?

Geeente, digo aqui novamente que não sou contra lanches, pizzas, chocolate, bolinho de chuva, pastel, … não é isso.  O que me preocupa é realmente a qualidade de vida que levamos. Desde a alimentação até a qualidade do nosso sono.

A conclusão a que cheguei nessa pandemia, e acredito que mais pessoas tenham chegado nessa mesma conclusão, é a de que a qualidade de vida importa muito mais do que tudo! Quem tiver uma vida mais leve, dormir melhor, garantir que a imunidade não desabe, vai passar por uma segunda onda tranquilamente! Pessoas que sempre foram adeptas de atividade física e não cometem exageros gastronômicos são as mais preparadas para passar por situações de estresse e preocupação sem igual.

Então, que tal dar ouvidos ao seu corpo, ao seu coração e à sua mente? Se eles estiverem caminhando juntos, tudo vai ficar bem!

Cuidem-se!!

SUCESSO

19/10/2020 às 18h39

Oooláaaa!! Após um longo inverno e uma primavera doida, a pessoa que aqui vos escreve retorna!

Tudo bem com vocês? Espero que sim!!

Sumi bonito, né? Eu sei…, mas isso não significa que fiquei vegetando ou fazendo nada (bom, tirando os poucos atendimentos na clínica, alguns dias fiz nada mesmo hehhehe). Até que tive uns dias bons.

E os dias bons foram de convite para participar de duas reportagens para a TV local e uma contribuição para uma matéria no G1.

Geeeente, G1!! Parece idiota, mas quando vi meu nome no site do G1, fiquei tão, mas tão, mas tãaao feliz!!! Porque fica meio que “eternizado” ali né? Foi publicado em um site que muita gente visita e aí fica público.

E nessas, a gente acaba adquirindo “fãs” que não são assim tão fãs. Mas só assim para a gente perceber que o SUCESSO não é ter muito dinheiro ou status. Sucesso é aquilo que a gente realmente é e o que realmente faz!

Não sei se vocês acreditam em energias, mas sempre que algo superimportante (para mim!) Se torna público, meu carro quebra! Ou eu faço alguma m#!&@ e não consigo sair com o carro. O carro nas cartas do Tarot significa movimento e se a gente levar ao pé da letra é isso mesmo! Ou seja, parece que tem algum impedimento para me segurar em casa e fazer com que eu não saia para trabalhar. Ainda bem que existe Uber!! E eu tenho 2 pernas, então sair de casa não é problema!!! Mas é que enche o saco, sabe?

Aí eu pergunto para vocês, o que é sucesso para você? É poder? É dinheiro? É o que você passa de bom por onde anda?? O que é esse tal de sucesso que faz os outros quererem para eles também sem ao menos saber o quanto você lutou para conseguir e nem seque faz ideias dos caminhos que percorreu para chegar onde chegou?

Às vezes penso sabe… que se o tanto de boleto que eu tenho para pagar é sinônimo de sucesso ahahahhaahha claro que estou brincando mas olha… os boletos ninguém quer, né? 

Eu pensava que ter sucesso era ter uma conta bancária gorda (ainda não cheguei lá, a minha está meio desnutrida! Ahauhuha), trocar de carro a cada dois anos ou menos, viajar pelo menos

2 a 3 vezes por ano para fora do país, fazer viagenzinhas curtas todos os feriados possíveis e inimagináveis, sabe… tudo materialmente falando…, mas hoje eu vejo que não é assim.

O que fica é o que a gente passa, com boa vontade, leveza e carinho por aquilo que a gente está fazendo. O material a gente vai conquistando e ora em alta, ora nem tanto assim.

Uma vez, participei de um programa de TV que ia ao ar em rede nacional e ouvi de uma certa colega de trabalho: foi de graça? Você não ganhou nada? Eu hein?

Sim, recebi grana nenhuma, pelo contrário, tive que comprar as coisas que eu ia usar na receita que fiz… mas ganhei muita coisa depois!! Ganhei coragem, força, motivação para continuar o que venho fazendo que é cuidar da saúde das pessoas. Deixei o medo de falar em público e de aparecer em vídeos para trás! Ganhei mais vida!!!

Ah!! Sem esquecer de que ganhei de presente do universo e do Roni Riet de ser colunista da Revista Statto. Se eu não tivesse adquirido coragem, jamais que eu receberia esse presente. E junto me veio a segurança de colocar por escrito o que penso e o que passa na minha mente tão ligada no 220 v!

O que eu quero dizer nesse texto é, muitas vezes somos  bem sucedidos sem importar a quantia de dinheiro que temos. Aquela frase de que dinheiro não traz felicidade, eu concordo em partes ahahhha porque vamos combinar que o dinheiro ajuda muito e é mais fácil ficar mais feliz com ele. Mas se o valor às suas conquistas não existir, nem a conta bancária mais gorda vai conseguir fazer seu coração sorrir.

Sejamos bem-sucedidos com amor e carinho, primeiro por nós mesmo e depois por aquilo que lhe couber melhor.

Uma linda semana de muito sucesso para todos!!!

Beijo da magrela!

2020 – ANO ZERO

24/06/2020 às 10h34

Caramba, né… eu estava aqui divagando em meio aos meus pensamentos que vem e vão feito carneiros voltando para a fazenda…

2020… o que foi que eu fiz nesse primeiro semestre? Fato sei que não trabalhei! Foram pelo menos 40 dias sem trabalho.

Mas, … o que foi que eu fiz? Fiz por mim ou pelos outros? Será que fiz o que pude? Não sei dizer.

Agora há pouco, me deu um click no meu amado cérebro e no meu atrapalhado coração uma questão: podemos dizer que 2020 tem sido um ano de Renascimento?

Nesse tempo todo de quarentena e agora “semi quarentena”, conseguimos mudar o sentido da nossa vida? Conseguimos colocar as ideias no lugar certo? Resolvemos as coisas que estavam pendentes, mas que gritavam dentro de nosso ser para ser resolvido?

Ou ficamos parados, reclamando, esperando sair da quarentena para aí sim botar ordem na vida?

É.…, já li bastantes artigos espíritas sobre essa pandemia e todas elas diziam a mesma coisa. A pandemia veio para arrumar a bagunça feita na Terra. E, por conseguinte, a “oportunidade” (desculpe gente, não achei outra palavra) de NOS arrumarmos.

Comparo-me a um guarda-roupas. Quem faz a arrumação do guarda-roupas sabe que para tirar tudo de dentro é fácil, fácil e o primeiro pensamento é: Ahhh vou arrumar isso aqui em 5 minutos.

Ahaaaam!! Vão ser 5 + 5 + 5 e assim vai. E ainda vai faltar lugar!!! Então pergunto: as roupas que ficaram do lado de fora, será que elas são mesmo necessárias de volta para o guarda-roupas??

Nessa arrumação, podemos dizer que o nosso guarda-roupas “renasceu”? Renasceu, foi renovado, limpo e pronto para receber coisas novas?

Eu, guarda roupas em quarentena, cheguei a algumas conclusões. Uma delas foi ontem à noite ao ouvir o agradecimento sincero de uma amiga com quem fiz uma live.

Ela me agradeceu porque apesar da ansiedade toda que ela passou na noite anterior, do nervosismo no dia D, ao vivo, falando para pessoas que a gente não conhece, ela percebeu que ela é muito boa naquilo que faz! Que ela sabe, que ela domina os conhecimentos da profissão que ela escolheu e assim melhora muito a condição física, e por que não mental, dos seus pacientes.

Falei, falei e não disse a que conclusão cheguei. Pois bem, muitas vezes um apoio, um incentivo, um sorriso vale muito mais que o dinheiro em si.

Dinheiro é bom? Ooorra! Se é!! Mas às vezes não resolve aquilo que se encontra preso dentro da nossa alma por medo de exposição, de críticas, de olhares tortos, e pela insegurança que tudo isso acaba causando.

O material acaba, mas as palavras de incentivo, de motivação e de confiança permanecerão na sua eternidade.

Que tal nos abrirmos para o novo? Segundo o calendário Maia, o mundo ia acabar há alguns dias atrás. O meu mundo interior, ou parte dele, acabou mesmo e tem sido substituído por coisas e atitudes legais que aprendi comigo mesma e com grandes Mestres espirituais.

Conectem-se com o que acreditam e…. Renasçam! Renovem! Para ficarem ou ficarmos prontos para o Ano UM!

Fiquem bem!

Um lindo dia para vocês!

ADAPTAÇÕES

14/06/2020 às 14h58

Nascemos, crescemos e morremos… disso todos sabemos, certo?

Acredito que muitas pessoas, assim como eu, acreditam que reencarnamos com acordos feitos – “prontos” – para serem executados na certeza de termos a missão que viemos cumprir, terminada, linda e zerada. Tipo um jogo de vídeo game que aparece ao final: Mission Accomplished!

Há, há, só que não, né?

Primeiro porque não sabemos o que foi acordado quando soubemos que iríamos nascer de novo e, pensa comigo, imagina se soubéssemos de tudo?? Nooossa, acho que viraria um pandemônio e a ansiedade seria 3.000 vezes pior do que atualmente ocorre!

Segundo porque na ânsia de resolver tudo de uma vez, como no vídeo game, a gente perderia “vidas”, o que pode ser traduzido em menos uma perna, menos um braço, etc. Está trágico demais isso aqui, né? Concordo, me desculpem!

E terceiro… na verdade, não existe terceiro ponto. Isso é algo que nunca entendi, por que é que sempre colocamos 3 pontos? Vou adaptar-me e parar no segundo ponto.

Sim, adaptar-me, adaptação frente a tudo, à vida pessoa, à vida profissional, à família, amigos, e tantas outras coisas mais.

Adaptação ao meio e aos costumes! O forte do momento é esse, adaptação ao meio, aos hábitos.

Sim, porque temos um novo adorno que temos que incluir em nosso cotidiano: a máscara! Obviamente usado, de preferência cobrindo a boca e não segurando o queixo para não cair ou como brinco pendurado na orelha.

Uma coisa que eu acho assim, o fim, é a “adaptação” com relação à higiene!! Gente, lavar as mãos é de lei! Desde pequenos somos ensinados a sempre lavar as mãos para tudo! Vai comer? Lave as mãos! Foi ao banheiro? Lave as mãos!

Não vou discutir aqui os pontos sobre saneamento básico que inexiste em locais menos privilegiados porque meu propósito não é discutir política. Porque político … bom, deixa para lá.

Outra coisa, jogar lixo no lixo!!!! O que tem de máscara usada sendo descartada nas ruas, não é brincadeira! Precisa de adaptação quanto a limpeza? Pelo jeito, sim! Qual a dificuldade em carregar um saquinho plástico no bolso ou na bolsa para colocar a máscara usada e jogar em casa? Vai pesar? Vai furar o bolso?

O planeta Terra foi se adaptando a falta de educação das pessoas e ela colapsou! Precisamos sofrer uma pandemia para “Ela” se curar e para a gente entender e perceber como temos vivido todos esses anos.

A Terra nos mostra suas adaptações com os fenômenos da Natureza também, tempestades, furacões, terremotos, porque só assim para percebermos que ela está falando conosco!

Porque perceber que “Ela” fala com a gente quando uma árvore fica cheio de vida, as flores nascem em locais antes impensáveis em ter uma vida, infelizmente, a gente não percebe! Ou, digamos, muitos de nós não percebemos!

Então, caramba!! Quem é que tem que se adaptar aqui? É o planeta? Ou somos nós, seres que moram nesse planeta que já existia há zilhões de anos?

Uma analogia aqui, quando vamos à casa de alguém, a gente segue nossos hábitos ou seguimos os hábitos das pessoas daquela casa? É a mesma coisa!

Esse texto foi meio pesado, né? Mas sabe, é mais chateação mesmo. Vocês sabem que sou nutricionista, né? O que vem à sua mente quando se pensa em uma nutricionista? Emagrecimento, certo? Ok.

Vamos lá, estamos já mais de 2 meses praticamente dentro de casa e saindo somente quando necessário. Muitas pessoas trabalhando em home office, outras sem trabalhar, enfim…. Aí eu pergunto, quem é que foi para a cozinha testar ou tentar novas habilidades culinárias?

Poxa, mas eu não sei nem fritar um ovo! Tudo bem… teve chance de aprende. Tentou?

Eu só sei fazer macarrão instantâneo! Pelo menos já sabe usar o fogão. Que tal tentar fazer um macarrão de verdade? Mesmo que seja com molho de tomate industrializado ou alho e óleo que é mais simples ainda! Vai que rola até uns pedacinhos de bacon no seu macarrão! Oras, por que não? Vai ficar gostoso.

Bacon? Mas aí eu vou engordar… hummmm que estranho… o X bacon do App de delivery de comida, não engorda, né? Ahhh tá!

Adaptem-se! Comprem alimentos no mercado para fazer em casa! Queimou? Ficou muito salgado? Faltou tempero?

Calma, com prática, tudo vai ficar lindo e gostoso de acordo com seu paladar e o seu paladar vai se ADAPTAR aos novos sabores que ele receber.  E assim, seu corpinho agradece te dando de presente o shape que você desejou para ele.

E depois, quem vai ter que se adaptar é o seu guarda roupa!

CICLOS E TROLAGENS (DA VIDA)

21/05/2020 às 13h34

A vida é uma coisa linda, né? E cheia de surpresas. Acho que se não existissem surpresas, ela não seria tão bela!

Há alguns dias, olhando para o nada, comecei a pensar sobre a vida. Nascemos, crescemos e morremos. Isso é fato. Mas o que acontece, aconteceu e acontecerá nesse meio tempo é uma incógnita muito da grande! Diria que é um mistéeerio!

Conheci pessoas que falavam que sabiam certinho o que queriam da vida, sabiam o que queriam estudar para seguir com a profissão que tinham certeza de que era aquilo que desejavam fazer desde sempre! Se seguiram? Não faço ideia!

Quando eu era criança, meu “sonho” era ser dentista. Na adolescência, achei que eu gostava muito de computador e quis ser hacker, o que obviamente não deu certo. Aí eu me indagava como me indaguei há algumas semanas. Para que eu nasci? Por que eu nasci? Quais são meus propósitos? Estou no caminho certo? E se eu estiver no caminho certo, eu estou fazendo certo?

Caraca! É muita coisa para se pensar! Conclusões? Nenhuma! Ou quase nenhuma.

Digo quase porque nesses pensamentos todos, observei o andar da carruagem da minha vida. Acredito que burlei o destino algumas vezes. Que mesmo sendo burlado ou por mais que a gente tente desviar dele (mesmo que inconscientemente), a gente vai voltar para ele cedo ou tarde. E se for algo legal que seja logo! Hahaha e se nem for tão legal assim, que seja mais rápido ainda para resolver o mais rápido possível!

Enfim, vemos pessoas que fazem tanta coisa, passam por tanta coisa, e quando elas se dão conta, uma dessas coisas (quanta “coisa”, né? Coisa é minha palavra preferida!) Simplesmente se finaliza. Seja um trabalho de que se gostava muito, seja um namoro que era até então agradável e se tornou “sem graça”. Elas simplesmente acabam!

Uma amizade que vai se apagando, não por desentendimentos, mas simplesmente porque… porque… apagou!

Não sei vocês, mas eu acredito muito em ciclos. Não somente no ciclo da vida que citei acima, que é o nascer, crescer e morrer, mas nos ciclos que a gente coloca e passa dentro dele.

Eu já cheguei a falar há muitos anos coisas do tipo: nunca vou deixar de fazer isso! Ou sempre vou ter isso!

E hoje, olho para trás e o que eu falei na época, PLUFT, sumiu, se desintegrou e foi parar não sei onde.  Sabe coisas do tipo: eca! NUNCA vou comer jiló na minha vida!! Hahaha capaz! Hoje em dia eu adoro jiló! Frito, refogado, assado, do jeito que estiver eu como. E olha que eu disse que eu NUNCA ia comer. Que ilusão!

O NUNCA e o SEMPRE nos iludem!!

Quantas pessoas vocês conhecem, ou até mesmo vocês, já falaram coisas parecidas e hoje está tudo diferente do que foi dito?

Outra coisa que eu dizia muito: Capaz que eu vou dar aula para um monte de gente numa sala só. Que horror!

Bem feito, cuspi bem alto e caiu bem em cima da minha testa! E já dei aula pra uma turma de quase 30 alunos.

E aí mudei meu discurso e passei a dizer: nossa! Gostei disso aqui e não vou parar nunca!

Aí veio o destino e Páaaa! “Háhá! Já cumpriu seu ciclo, agora espere o próximo. Chega de aula. Já aprendeu a falar para um monte de pessoas de uma vez só.”.  Pelo jeito, lição dada e aprendida é passagem para uma nova fase.

É como se estivesse em uma **Torre, mas ao invés de subir e chegar ao topo, é o caminho inverso. Porque depois do topo não tem mais para onde ir. E se fizermos o caminho inverso, chegaremos à porta que nos levará a um caminho novo, incerto, cheio de surpresas, que se bem trilhado, trará muitas alegrias e o melhor de tudo, MUITO APRENDIZADO e MUITO CONHECIMENTO.

Aprendizado e conhecimento que, se guardados, não serão de valia nenhuma, mas que podem e devem ser passados para a frente em uma conversa com amigos ou na fila do cinema.

É … o que virá agora, eu ainda não sei. Está tudo tão incerto para mim como deve estar para muitos de vocês. Principalmente na questão do trabalho, do emprego e de como vai se seguir a vida daqui para a frente.

Com essa percepção na mente, de que os ciclos da nossa vida mudam, meu coração ficou menos apertado. Porque aquela coisa do apego, se foi. E a certeza e a fé de que coisas melhores virão, aumentou e muito!

Continuem bem! Beijocas!

**A lâmina da Torre das cartas de Tarot saem quando estamos numa fase conturbada de nossa vida, de nosso ciclo, com aquela sensação de prisão e ar perdido. Para onde ir? O que fazer?

DESMISTIFICANDO UMA CONSULTA COM UMA NUTRICIONISTA

14/05/2020 às 18h11

Olá!!! Tudo bem com vocês??

Ai, e essa quarentena que não acaba nuncaaaaa!! Confesso que há algumas semanas eu tive uns dias de surtada porque a clínica reabriu mas pacientes mesmo… olha… só por milagre do Universo!!

Aí eu parei para pensar e cheguei à conclusão que eu já tinha chegado anteriormente, mas que esqueci no meio do caos interno: não adianta surtar! A situação não vai mudar porque um ser humano deu uma surtadinha.

Então pronto, voltei ao meu normal que é surtadinho por natureza! Haha

Aí comecei a pensar nas pessoas que estão em casa, na maior ansiedade e com isso, na maior comichão de comer o dia todo! E que, alguns, realmente comem mesmo a todo momento.

E com isso, vem junto o aumento de peso que somente é percebida quando aquela roupa linda que você adora, no caso de mulheres, começa a emperrar para subir ou fica apertada na região dos braços.

Ou no caso dos homens, aquele cinto que era usado para segurar a calça se torna desnecessário.

Aí bate o desespero! Meeeu anjo da guarda!!! O que é que eu vou fazer?? Como é que eu vou fazer essa roupa voltar a servir como servia?

Gente… não foi a roupa que mudou… foi seu corpinho…

E de repente, navegando pelas mídias, encontramos aquela blogueira que não estudou nutrição mas dá altos pitacos com uma chamada no post escrito: quem quer emagrecer 5kg em 2 semanas, comente QUERO!

E aí, aqueles que nessa pandemia aumentaram de tamanho, colocam ali QUERO!

Mas eis que surge uma boa alma, consciente do próprio corpo, com uma alimentação boa, sem exageros e que come de tudo (mas não tudo!!) e diz: ei, por que você não procura uma nutricionista para te orientar sobre uma alimentação melhor pra você?

E a resposta: o queeeee?? Nutricionista??? Você está brincando!!! Ela vai me mandar cortar um monte de coisa, não vou poder isso, nem aquilo e etc…

Hummm… a “nutricionista vai cortar um monte de coisa”… tá… certo… mas então quando a blogueira diz: gente, não comam arroz, feijão, pão, macarrão, não bebam leite e tirem o glúten da sua vida… isso se chama como??

Ahhh ela não cortou nada… ela só mandou não comer… ahãaaaaam

O “como” a gente interpreta e entende o que está sendo falado ou escrito é bem individual. Individual também é a consulta com a nutricionista.

É muito comum o paciente comer e beber tudo que ele acha que nunca mais vai poder sentir o sabor daqueles alimentos antes da consulta, justamente por causa da ideia do “cortar tudo de que eu gosto”.

Talvez, logo no início da profissão nutricionista, tenha sido assim mesmo. Da mesma forma como perdurou por muito tempo que o diabético não podia de maneira nenhuma comer um pão francês porque tinha farinha branca!

Muitas das coisas mudaram, diferentes protocolos foram criados não para punição, mas sim para ajudar a todos tratando todo mundo da melhor forma possível e sem sofrimento.

Porque, vamos combinar, alguém te dizer que você está proibido (a) de comer ou beber aquilo de que você mais gosta, causa um sofrimento do cão!! Parece que uma parte da gente foi destruída! E isso causa, sim, estragos!! Isso é traumático!!

Aí eu pergunto: por que que eu causaria um trauma (mais um!!), ao meu paciente? Será que já não é bastante traumático o fato da roupa preferida não servir mais? Nossa, gente! Já passei por isso! A sensação é péssima!

Poxa, como profissional da SAÚDE, o próprio nome diz SAÚDE, é dever melhorar as condições de bem-estar do organismo, é entender a razão do processo que levou o paciente a chegar a tal estado, seja de gordura no fígado, hipertensão, colesterol nas alturas, sobrepeso, a diabetes. E hoje em dia tratamos também da depressão, ansiedade, falta de concentração e muito mais.

Tudo isso tratado a partir do melhor consumo alimentar e de mudanças de hábitos tanto alimentares como comportamentais.

O comportamento é muitíssimo importante em todos os setores da vida! E isso inclui a alimentação!

Posso estar sendo repetitiva aqui nessa pergunta, mas quantos de vocês se atreveram a cozinhar mais, a comer mais comida feita em casa, experimentar vegetais e frutas as quais nunca haviam experimentado?

Quantos de vocês deixaram de pedir comida por delivery?

E quem ficou mais adepto por fast food? Eu vi filas e filas de carros nos Drive Thru daqui da minha cidade. Para comprar aquelas promoções de 3 hambúrgueres a quase preço de 1, sabe?

E aí quem vai ficar com a saúde melhor quando passar toda essa pandemia? Aqueles que, de alguma forma, se esforçaram para se alimentarem bem ou aqueles que consumiram altas “doses” deliveries e fast food?

Digo sempre e repito: não sou contra lanches, deliveries, fast food, doces e pizza!!! De maneira nenhuma!!! Porque quando tenho vontade, vou lá e compro! E mato a minha vontade com gosto!

Mas existe o bom senso sabe. Em que investir meu dinheiro? Se investir em alimentos de verdade, em comida de verdade, sua saúde e sua imunidade te agradecerão profundamente!! E aí vai ser legal investir na estética em seguida!! Porque vai ter e ver resultado!

Mas se for um maior investimento em “fraude” como os industrializados, a parte estética vai ficar em segundo plano! Porque a saúde está deficiente.

E se a saúde não estiver em PRIMEIRO LUGAR no seu ranking de vida, vai ser um pouco mais dolorido para cuidar dela ao longo do tempo.

Ser nutricionista é muito mais do que falar de comida, cardápio e lista de substituições. É compreender o paciente e ajudá-lo da melhor forma possível! É ajudar a ter uma noite de sono reparadora como há muito tempo não tem! É tratar de um intestino que insiste em ser preguiçoso! É cuidar da pele da adolescente que está com muita acne!

Se todos olhassem para a nutrição como a base da saúde, certamente muitas dores, muitos desconfortos sentidos pelo organismo nem ocorressem ou ocorreriam de forma menos exacerbada.

Meu lema é: Nutrição é saúde e não Neura!!!

Fiquem bem!! Cuidem-se!

Beijinhos

SIMPLES ASSIM!

09/04/2020 às 08h40

Por que que a gente complica tudo? Por que seguir modinhas tornou-se praticamente uma “regra” principalmente quando o assunto é emagrecimento? Por que que a gente se “esquece” dos alimentos que nos faz bem? Será que o que é mais fácil para minha vida, é o que mantém minha saúde no seu melhor?

Quando eu era criança, a refeição de casa era arroz, feijão (às vezes), uma carne ou frango ou peixe ou porco ou ovo, salada de folhas verdes sempre, legumes refogados sempre e uma fruta de sobremesa. Para deixar eu e meu irmão mais felizinhos, minha mãe dava para a gente DUAS balinhas. Acabou, acabou! Mais, só no dia seguinte!!! É.… era fácil não ahahahahhaha mas a gente cria o hábito e fica tudo bem!

Claro que a alimentação mudava aos finais de semana, a gente ganhava refrigerante! E quando a gente ia para a cidade, a gente ganhava sorvete ou chocolate. E ficávamos felizes assim! Tudo se tornava uma alegria! Uma bala ou um chiclete a mais, era motivo para comemoração!

Atualmente, nós adultos, e as crianças também, temos tudo à mão quando quisermos, a hora que quisermos. Aplicativos de fácil manuseio, só escolher o que queremos, pagar e aguardar a entrega. Não estou condenando esse tipo de serviço, que eu acho fantástico por sinal, mas se usado rotineiramente, vai acabar entrando no piloto automático como quase tudo ultimamente.  E aí o prazer de comer aquela coisa diferente, de beber algo diferente, vai cair na rotina e fazer parte do cotidiano.

E isso acontece com as dietas da moda também. A dieta low carb por exemplo. O nome já diz, LOW carb, ou seja, BAIXO carboidrato! Acho bem válida porque dá para fazer isso sem muito sofrimento.

O grande problema é quando ela se torna NO carb, ou seja, praticamente carboidrato zero!! O que acaba levando para uma dieta da proteína e que leva pra cetogênica, jejum intermitente e por aí vai.

E isso acaba levando ao medo de comer. Geeeente, vamos ter medo de picada de escorpião, de terremotos, de qualquer outra coisa, mas não do medo de comer!!!

O prazer de comer precisa estar presente antes, durante e depois. Nossa, Simone! Como assim?

  • Antes: o pensar no que comer, como fazer aquele alimento, que tipos de ingredientes agregar, que horas fazer, com a companhia de alguém ou com a companhia de uma música, enfim, agregar no antes aquilo que você gosta, que te faz sorrir só de pensar;
  • Durante: prato pronto, lindo, maravilhoso e cheiroso! Hummmm vou me sentar à mesa que coloquei com o maior carinho do mundo porque agora é a hora de eu me cuidar por dentro. Vou me dar o prazer de me nutrir com os alimentos que EU escolhi fazer, com os temperos que EU quis colocar para agregar sabor e cor aos alimentos, com as mãos que EU sei como EU lavei e os alimentos que EU sei como EU higienizei. E ter a certeza de que não cortou a cebola pensando na pandemia que nos assola. O antes é muito importante por causa disso! Para o DURANTE ser calmo, relaxante e ser como uma terapia.
  • Depois: que delícia! Comi devagar, mastiguei tudo muito bem e com calma, vou me dar ao luxo de relaxar um pouco. Tenho a certeza de que o que comi não só me alimentou como também me NUTRIU e me sinto extremamente bem por isso.
  • Importante ressaltar no DEPOIS que o sentimento de culpa tem que passar láaaa longe! Se tem culpa, significa que não teve prazer em todas as etapas acima. Era um prazer disfarçado!

Quando a gente retira da nossa vida e/ou evita o consumo de grande parte dos produtos processados, ultra processados, mega processados, ultra mega processados de montão que são sempre cheios de aditivos químicos, conservantes, sódio, gorduras trás, gorduras saturadas de monte, o nosso corpo agradece se tornando menos inflamado e menos ácido. Fala-se em dieta alcalina, mas o nome já diz DIETA, ou seja, tem tempo para acabar.

Então gente… é SIMPLES ASSIM! Não precisa parar de tomar seu sorvete preferido, não precisa deixar de ir à sua hamburgueria favorita, não precisa deixar de comer o seu chocolate preferido, não precisa deixar de comer a sua fatia de bolo da sua doceria preferida.

É o que eu digo sempre nos textos que escrevo: volte-se para dentro de si. A busca por um “milagre” é tanta…, mas o “milagre” está ali guardadinho a sete chaves dentro de nós mesmos. Só a gente tem a chave para abrir esse baú. É a chave do “vou me dar a chance de mudar”, seja na alimentação, no comportamento, em tudo! Porque mudanças assustam, mas se a gente não der uma chance a ela (s), vai tudo continuar na mesma!

Como dito antes: SIMPLES ASSIM!

LIVE COM SIMONE KOMATSU

05/04/2020 às 11h28

Embora as confirmações contidas em nosso DNA sejam importantes, o habito alimentar define muito o que seremos.

Quando falamos em longevidade com qualidade devemos cuidar do que colocamos em nosso prato.

Como está sua alimentação?

Quais são os mitos e verdades de uma dieta rica em saúde?

O que posso fazer na quarentena para elevar minha imunidade?

Dieta radical… como funciona? Aliás, funciona?

Traga suas dúvidas para nossa LIVE que acontece amanhã, dia 06 às 18:00 no Instagram da clínica @moura_pancini (https://www.instagram.com/moura_pancini/?hl=pt-br)  e nossa convidada mais que especial Simone Komatsu (nutricionista da equipe) através de um papo bem tranquilo vai esclarecer nossas dúvidas!

MUDANÇAS: TE ASSUSTAM?

02/04/2020 às 21h31

Confesso para vocês que estes últimos dias não tem sido nada fáceis. As incertezas quanto ao dia de voltar ao trabalho, de poder sair livremente sem o risco de contrair o COVID-19, tudo isso tem me deixado meio baixo astral de quando em quando.

Quando percebo que estou sendo quase vencida pelo desânimo e pela deprê, paro para pensar o quanto a minha vida vale a pena e o quanto ela mudou de uns anos para cá, mais de precisamente a partir de 2009.

Vou contar uma estorinha para vocês, espero não os entediar. Formei-me em janeiro de 1998 em Nutrição. Em 1999, ganhei uma bolsa em uma universidade localizada na província onde a minha mãe nasceu. Sim, minha mãe é importada! Como ela é de lá, eu passei em uma prova que fiz aqui no Brasil e ganhei uma bolsa do governo da província dela. Fiquei 11 meses, engordei horroooooores gente! Tipo, muito, muito, muito mesmo. O estresse emocional me consumiu e eu fiquei parecendo o Patrick do Bob Esponja, sem exageros!

Enfim, aí voltei para o Brasil e caí na real de que eu precisava muito emagrecer porque tudo me cansava, subir as escadas de casa me deixava ofegante e as minhas roupas não me serviam de jeito nenhum. Do tamanho 38 pulei para o 42 e eu me recusei a passar para o 44. Foi a gota d’água para mim e aí tomei a decisão de emagrecer e disciplinada e com perseverança (e não insistência), emagreci 7kg em 7 meses. E assim fui emagrecendo, até que quando percebi, tinha chegado aos 49kg e hoje, depois de 20 anos, peso entre 45 e 47kg. Adoro!

Na época, porque eu não me sentia bem comigo mesma, sentia o que sinto hoje com essa situação, deprimida, pensamentos chatos que vem assombrar, impotência em não poder trabalhar… tá.. Situações totalmente diferentes, sim eu sei… mas os sentimentos… iguais.

Continuando… voltei ao Brasil, fiquei desgostosa com a nutrição e decidi dar aulas de inglês porque eu sou simplesmente, loucamente apaixonada pela língua inglesa. Tenho profundo amor mesmo (amor nisso eu reconheço! Rsrs)! Ainda dou algumas aulas, mas hoje não é mais a minha fonte de renda. Eu estava indo bem, mas gente… financeiramente sou muito desorganizada, sou burra nessa área! E aí como a burrice foi enorme, não poupei e em 2008, perdi 90% dos alunos que eu tinha. Conclusão, professora de inglês consumista falida! E novamente deprê, frustração, desânimo…

Em 2009, uma amiga minha me chamou para conhecer um centro religioso onde eu continuo indo até hoje, mas dede 2013 como membro da casa. Um lugar lindo e mágico aqui em Mogi das Cruzes. O sítio fica à beira da represa e o pôr do sol ali é fantástico!!

Na época eu ainda continuava deprimida, chatinha, desanimada, mas com os ensinamentos e os conselhos recebidos nos atendimentos, tudo foi mudando. E mudanças assustam, e eu, descendente de japoneses sou, digamos, teimosa e era bastante inflexível e orgulhosa porque detestava admitir um erro que eu cometesse. Que horror, né? Pois é…, também acho. Concordo plenamente.

As mudanças me assustavam muito, me assustam hoje ainda, mas menos.  O que eu quero dizer com tudo isso é que quando a gente sai do trilho da nossa vida, quando a gente deixa nossa missão de vida de lado e segue um outro caminho, a algum ponto de sua vida, o Universo te traz de volta para o seu caminho.

Como tive ajuda para me conhecer, saber quem eu sou, pude trazer de volta os conhecimentos adquiridos quando ainda estava na faculdade e em 2014 comecei a atender como nutricionista. Foi um ano que eu fui fazer um curso multidisciplinar de fitoterapia e aprendi muita coisa maravilhosa de legal!

Em 2015 comecei a trabalhar em uma clínica de fisioterapia onde estou até hoje e, gente! Ver o rostinho de pacientes que pararam de sentir algum desconforto gástrico ou alguma dor articular ou até mesmo aquela dor de cabeça chatinha de final de tarde, não tem preço (clichê, né? Mas não achei outra expressão!)! É tão, tão, tão mágico sabe? Olhar para o paciente que, há um mês, estava pálido, sentia-se cansado e comia doce como se não houvesse amanhã e no mês seguinte, ele chega sorrindo, corado e com os olhos brilhando! É fantástico!

Pensemos nesse paciente, será que nos 30 dias de mudança ele também não se sentiu como eu? Deprê, desanimado, sem ânimo, afinal como é que uma consulta e com algumas mudanças em sua rotina alimentar, poderia trazer tanto benefício e ainda tirar aquela dor de cabeça que ele sentia havia anos!?

E voltando ao começo de nossa conversa lá em cima, será que o Covid-19 trouxe somente desgraças? Tenho acompanhado notícias, mas no modo oposto, fico vendo notícias de que São Paulo está com o céu mais azul, a China (pasmem!) Conseguiu acabar com a poluição, que Veneza tem peixinhos e a água dos canais está límpida, o ar está mais respirável. A Natureza está voltando de onde nunca deveria ter sido tirada!

Ficar confinado em casa enche o saco, eu sei. Mas também acredito muito que é temporário e que tudo tem um propósito. Vocês já pararam para pensar que o propósito de todo esse acontecimento é para pensarmos em nosso ser? Em saber quem somos, do que gostamos, se gostamos mesmo daquilo que falamos que gostamos… e será mesmo que o que sentimos é depressão? Ou seria uma ansiedade vista com olhos e pensamentos pessimistas?

Ao mesmo tempo que ouvimos que é hora de pensar no próximo, eu completo aqui dizendo, que tal trazer o seu eu mais para perto de você? Se conheça, se conecte com você mesmo e assim quando precisar ajudar o próximo, vai conseguir conduzir a ajuda maravilhosa e verdadeiramente como você mesmo gostaria que fosse com você.

Coisas ruins passam de uma pessoa para 10. Coisas boas, vão de 1 em 1. Mas se esse 1 em 1 se fortalecer, logo chegaremos a 10, 100, 1000 e assim ficamos ainda mais fortes sem dar lugar para o negativismo total.

Fiquem bem! Cuidem-se!

OBS: caso queiram conhecer o lugar do pôr do sol mais lindo do mundo, é só procurarem por Nova Ordem do Sol no Google.  Lugar simplesmente mágico.

VAMOS FALAR DE COMIDA? A SUA COMIDA!

30/03/2020 às 09h16

E continuamos na quarentena!

E aí, me conta? Como anda a relação de vocês com a comida? Vocês têm cozinhado mais? Tem pedido mais deliveries? Tem comprado comida congelada de supermercado (eca para muitos deles!)?

Não… não vou falar que precisamos comer de 3 em 3 horas, não vou dar aula de educação nutricional, pelo menos hoje não! Ahahah Mas também não quero dizer que é pra gente acabar se esbaldando em um monte de coisa de baixa qualidade, mesmo porque, quando tudo isso passar, a gente vai precisar de uma P%[email protected] de uma energia para trabalhar e voltar à nossa rotina que tanto nos faz falta hoje.

Então bora lá que eu vou passar umas receitinhas para vocês brincarem na cozinha junto de seus maridos, esposas, filhos ou até mesmo sozinho (a). Ah! E caso façam e gostem (ou não), deixem um comentário!

Vamos começar por uma alternativa para passar no pão? Que tal um patê de cenoura? Ahhh calma, não torça o nariz vai. Parece entranho, mas eu te juro que é bem gostoso e rende um montão!

VOCÊ VAI PRECISAR DE: 1 cenoura média picada, 2 colheres de sopa de azeite com 0.5% de acidez ou menos, 1 pitada de orégano ou outra erva desidratada que preferir, ½ tomate sem pele e sem sementes picado, ¼ de cebola picada, 1 colher de sopa rasa de gérmen de trigo*.

O MODO DE PREPARO É “MEGA DIFÍCIL”, NOSSA SENHORA.

Vai ser só bater tudo no liquidificador e depois levar o liquido ao fogo e deixar ferver até formar um creme e desprender da panela. Vai precisar mexer de vez em quando, está? Para não grudar. Depois de pronto, colocar em um pote de vidro de tampa hermética devidamente limpa e esterilizada e manter refrigerada.

Imagina passar esse patê no pãozinho caseiro que você fizer e adicionar ainda algumas folhas de rúcula ou outro verdinho que tiver na geladeira? Humm delícia!

Ahh Simone, … sabe o que é, … eu prefiro maionese, sei lá, … algo mais consistente e mais cremoso…

Tudo bem! Pedido atendido! Vou passar 2 receitinhas, uma de abacate** e outra de leite, ok?

PARA A MAIONESE DE ABACATE, PRECISAREMOS DE:

½ abacate, suco de1 limão, sal a gosto, 1 dente de alho (opcional) ou 1 colher de sobremesa de mostarda Dijon (opcional), azeite até dar o ponto. Bater tudo no liquidificador e Voilá, só saborear! Fica uma delícia comer com pão sírio torradinho!

PARA A MAIONESE DE LEITE, VAMOS USAR:

½ copo de leite integral gelado, suco de ½ limão, óleo de girassol até dar ponto, sal a gosto, 1 dente de alho ou manjericão ou hortelã ou salsinha (todos esses são opcionais, faz 1 de cada vez! Ficam todos muito bons!! Meu favorito é o de hortelã porque deixa a maionese bem refrescante).

Modo de preparo: Comece batendo só o leite com o limão e em seguida vá despejando o óleo em fio até obter a consistência desejada. Se deixar mais líquido, dá até para temperar salada! Fica bem bom! Depois de pronto, guardar em um pote de vidro com tampa hermética lavada e esterilizada.

OBS: por falar em leite, …. Qual o leite que vocês consomem? Se consumirem de caixinha, experimentem trocar pelo leite de saquinho/pacote. Sabe aquele que fica na geladeira? Isso, esse mesmo! Esse ainda tem sabor de leite, cheiro de leite e ainda estraga como leite. Experimentem!

Como tem sido o clima onde vocês moram? Tem feito friozinho? Aqui na minha cidade tem feito frio à noite, o que pede uma sopinha ou um caldo. Tem uma sopa que eu aaaamo de paixão, caldo de abóbora kabotchá, conhecida como abóbora japonesa. Aquela da casca bem verde e dura.  A abóbora com gengibre fica uma maravilha!

CALDO DE KABOTCHÁ:

½ abóbora japonesa, 1 pedaço de gengibre, mais ou menos 5cm, 1 cebola, 3 dentes de alho, 1 ½ de água, azeite e sal e pimenta a gosto, salsinha para decorar.

Modo de preparo: Lave bem a abóbora e cozinhe-a em 2xícaras de água por uns 10 min. Assim fica mais fácil descascar e menos perigo de cortar a mão. Enquanto cozinha a abóbora, corte a cebola em 4 partes, pique o gengibre e descasque o alho. Retire a abóbora da água e descasque-a com um cortador de legumes ou uma faca. Reserve a água pois ainda irá usá-la para fazer a sopa. Corte a abóbora em pedaços e coloque-a de volta na panela junto com os outros ingredientes mais o restante da água. Cozinhe em fogo médio com a tampa aberta até ferver. Ao ferver, tampe a panela e cozinhe por mais ou menos 40 minutos. Depois de cozida, bata no liquidificador até virar um caldo. Volte para a panela e verifique o tempero. Caso necessite, adicione mais sal e pimenta.

Oba, caldinho pronto, falta fazer o cróton. Opa, opa, … tenho uma ideia melhor. Vamos experimentar? Sabe quinoa em grãos? Tanto faz a cor. Vamos fazer pipóquinha de quinoa*** ou amaranto****!

Hã? Quê? Pipoca de quinoa? Ou amaranto??

Não… pipóQuinha porque são pequenininhas! É facinho.

Olha só: pegue uma panela (se o fundo dela for bem grosso, melhor. Mas se não, dá para fazer com outra do mesmo jeito), aqueça bem, deixando beeeem quente, ok? Aí abaixe o fogo e despeje um pouco do grão de quino e vá mexendo a panela para que os grãos “dancem” lá dentro. Você vai vê-las estourando, é tão fantástico! Apenas tome cuidado porque elas são bem sensíveis e pode queimar muito facilmente. Estouraram? Pronto, pode colocar sobre o seu caldo junto com a salsinha e saborear tudo junto!

Poxa, então agora eu tenho o que passar no pão, molho para salada e um caldo, … mas tem algo doce?

Siiiim! Bom… eu adoro isso aqui!

Banana quente com canela, aveia, mel (opcional) e lascas de amêndoas ou castanhas do Brasil picadas. Eu gosto de esquentar a banana na frigideira com um pouco de manteiga (e não margarina, pelamor!!). Dê uma douradinha em ambos os lados e pronto! Coloque em um prato bem fofo e monte a sua banana com o restante dos ingredientes.

Prefira comer a banana do meio para o fim de tarde. Sabe quando dá aquela sensação de que se não comer 1 tonelada de caloria não vai sobreviver até o dia seguinte? É esse o momento! Banana, venha cá e me salve!

Porque que isso acontece?

Bem, final de tarde, é o momento que a nossa serotonina começa a diminuir para dar lugar à melatonina. Sim, pessoal!! Melatonina! A nossa rotina e estilo de vida mudaram, mas o funcionamento do corpo é aquele do tempo das nossas tatáras, bisas, avós, tempo aquele em que eles jantavam por volta das 17:30/18:00 e às 20h já estavam dormindo. Eles dormiam no pico da melatonina e acordavam muito bem obrigada junto com as galinhas (literalmente) no dia seguinte.

Mas atualmente, esse horário, a gente está ali, firme e forte trabalhando! Eu mesma, quando vou dar aula, meu dia acaba somente às 22:30.  E vamos em frente, né?

Agora vou colocar aqui a funcionalidade de alguns elementos que citei acima e marquei com um asterisco:

*gérmen de trigo: fonte de proteína, rica em vitamina E e vitaminas do complexo B. Vai deixar o cabelo e a pele lindos!

**abacate: rico em vitamina E, cheio de gorduras boas. Ótimo para quem tem diabetes por ter uma carga glicêmica baixa.

***quinoa: fonte de proteína e de fibras solúvel e insolúvel. Tem minerais como cálcio, ferro e magnésio.

****amaranto: ótima fonte de cálcio!! Não tem glúten! Fonte de fibras solúveis.

Beijocas!

PERCEPÇÕES

28/03/2020 às 15h17

Com todo esse alarde do COVID-19, todo mundo dentro de casa, sem usar seus carros ou motos, menos ônibus nas ruas, menos pessoas fumando publicamente… vocês perceberam que o ar está um pouco mais leve e mais respirável?

Perceberam como o cabelo está mais solto e leve? Tudo bem vai… não sou parâmetro para falar de cabelo porque meu cabelo é mais liso do que espaguete ao alho e óleo e ele é fininho. Mas como tem tinta, é um pouco ressecado. Mas, incrivelmente dessa vez, mesmo sem a ajudinha do condicionador para deixar o cabelo macio, ele está macio e mais solto.

Não, por favor, não estou me gabando do meu cabelo. O que estou tentando dizer é que apesar do que estamos passando, nosso ar mudou e nossa água também! Se não houvesse uma mudança desses dois fatores, o cabelo continuaria seco e duro.

Olhem para vocês, se observem, percebam as mudanças exteriores e percebam o quanto isso pode mexer com o seu interior.

A gente vem vivendo por tanto tempo no piloto automático, que agora é a hora de pensarmos na gente. Isso não é egoísmo, é se conhecer, se PERCEBER.

Perceba o quanto come, perceba o quanto bebe de água, perceba o quanto esquece de beber água! Pobre água, tão esquecida, mas tão importante para o nosso corpo todo!!

Ah! Percebam o que tem comido atualmente. Uma amiga me disse que tem comido menos processados e com isso notou que sua pele está menos oleosa, mas em meio a nossa conversa, percebeu que não tem bebido água como normalmente bebe e com isso consequência como gases tem ficado muito frequentes.

DICA: se você tem gases em excesso, experimente fazer um chá de erva doce com camomila. Pode ser de saquinho mesmo. Faça os dois juntos. Beba morninho e sem adoçar com absolutamente nada!! Olha… recomendo beber à noite… vai por mim (risos). Mas se tiver algum compromisso, beba depois que voltar para casa, ok?

O que essa minha amiga percebeu foi muito importante para ela porque assim ela vai se policiar e fazer o melhor para o corpo dela novamente. Beber água não é incômodo para ela, porém, ela simplesmente se esqueceu.

Quando a gente se habitua a se perceber, as coisas vão se transformando para o melhor. E aí a gente diz para a gente mesmo: nossa, eu faço isso? …caramba, nunca tinha percebido isso ou nunca tinha pensão nisso…

E isso é tão legal porque nos dá a chance de sermos melhores pessoas com a gente mesmo e por conseguinte com os outros ao nosso redor.

Percebam-se!!!

ALIMENTO X DESPERDÍCIO

25/03/2020 às 17h41

 

Tempos difíceis… tempo onde temos tempo para cozinhar, mas não podermos ir às feiras livres e supermercados para nossas compras devido ao distanciamento social.

Mas temos a sorte de termos pessoas que se dispuseram a fazer o serviço de Delivery e assim não ficamos totalmente sem suprimento dentro de nossas casas.

Como vocês tem se preparado com relação à sua alimentação? Tem planejamento sobre o que vão comer e/ou cozinhar? Do que tem se alimentado?

Hoje, almoçando, olhei para a mesa onde tinha uma mistura, um tipo de salada, arroz e feijão. Comi pensando no que tinha na mesa. Terminei de me alimentar e cheguei à conclusão de que o que tinha ali tinha sido o suficiente para me alimentar e me nutrir. Sem contar a laranja de sobremesa! Uma laranja!

Então, continuei indagando se é realmente necessário ter uma variedade de pratos todos os dias, às vezes pratos diferentes duas vezes no mesmo dia, no almoço e no jantar.

Para quem não gosta de comida requentada, a comida de ontem ou da hora passada, isso seria um total desperdício.

Mas para quem não se importa em comer comida requentada, talvez seja uma solução. Eu não ligo em requentar ou congelar a comida, não vejo problema alguma em comida do dia anterior ou da hora do almoço para comer no jantar. Aliás, deixo aqui uma dica para os diabéticos: o arroz amanhecido ou congelado é melhor do que o arroz fresco, porque a carga glicêmica dele (a quantidade de açúcar) baixa um pouco.  Existem benefícios nos alimentos amanhecidos!!

Estamos em um momento em que os hábitos com relação aos alimentos devem ser reavaliados para não ocorrer o desperdício. Moramos em um país onde a fartura de frutas, legumes e hortaliças é bastante grande, mas isso não significa que podemos jogar fora metade do que compramos. Aí temos um desperdício de alimento e de dinheiro.

Mudanças assustam sim, mas neste caso, com relação aos alimentos, acredito que seja uma mudança benéfica a todos. Por que digo isso?

Porque a partir de agora nós passamos a enxergar a importância de fazer nosso próprio alimento, a maneira como ele é feito. A importância dos produtores, porque sem eles não teríamos nada! E sem os alimentos que nos dão vitaminas e sais minerais teríamos outros tipos de problema de saúde.

É um ciclo! Comer bem, beber água, dormir bem, acordar bem, trabalhar bem, sentir-se bem e assim ter a imunidade boa como já mencionado no artigo anterior.

Façam com amor, cozinhem com carinho, ofereçam a seus filhos alimentos de boa qualidade, alimentos que nutram e não somente alimentem. A nutrição se faz necessária em um momento tão delicado como o que estamos passando atualmente.

Não economize sorrisos, já que os abraços e beijos estão fora de questão.

Não economize nutrição, já que o momento pede uma nutrição mais adequada.

Não economize tempo quando o assunto for nutrir-se e nutrir aqueles que queremos bem.

Não economize afeto, mesmo sendo apenas pelo se olhar. Aliás, vou ser cliché agora: “um olhar diz muito mais que mil palavras” e um tapinha nas costas.

Olhe nos olhos, fale com o olhar! Aquele brilho lá de dentro do olho vai trazer um calorzinho gostoso na sua alma!

É tempo de colocar para fora a força que temos guardada dentro de nós.  Essa força que pode ser usada quando estamos na cozinha preparando nossa comida. Força da coragem, do afeto, do carinho. Força essa que nenhum alimento industrializado pode nos dar.

Fiquem bem, se alimentem bem! Alimentem-se de sentimentos bons também! Jogue fora o que não te serve, isso não é desperdício!

SENSIBILIDADE, BOM SENSO E BOA ALIMENTAÇÃO

21/03/2020 às 15h55

Estamos vivendo a Terceira Guerra Mundial, mas essa sem armamento, sem tanques de guerra, sem soldados atirando uns nos outros, sem bombas nucleares…

Estamos vivendo uma guerra pior porque simplesmente não conseguimos identificar de onde ele vem, com quem vem, onde está e se já está conosco…

Estamos vivendo em uma época, em pleno ano de 2020, uma guerra contra o invisível, o inesperado, o previsível imprevisível…

Estamos vivendo um momento em que o mundo precisa de cooperação nas atitudes de cada ser, de cada indivíduo para que esta guerra termine o mais rápido possível…

Temos crianças na família e não podemos abraça-las ou beijá-las. E como fazê-las entender que essa é apenas uma fase e que logo, assim espero, LOGO tudo vai voltar como era com muitos abraços e beijos.

Mas também percebemos que todos estão muito despreparados para esse tipo de evento. Muitas pessoas acham que não é nada, que nada vai acontecer, que é “apenas uma gripezinha” e nada mais.

Infelizmente, para algumas pessoas com esse tipo de pensamento, seja necessário sentir na pele o real perigo que nos ronda para tomar as devidas providências que devem ser tomadas de acordo com normas governamentais.

Onde está a sensibilidade e o bom senso dos seres humanos? Onde está aquela compaixão, a empatia, a resiliência que a grande maioria posta em suas redes sociais, mas que pelo visto, não são usadas por elas? Cadê?

Cadê a solidariedade em deixar para o outro também adquirir um pote de álcool em gel nos mercados? Produto este necessário para todos! Para justamente evitar que a doença se alastre!

Onde estão as pessoas verdadeiramente preocupadas com a saúde, mas que no momento tem estocado comidas congeladas que são lotadas de sódio e gordura saturada?

Como a parte alimentar e nutricional é a minha praia, coloco aqui que a NATUREZA nos oferece TUDO aquilo de que precisamos! Ela é nossa provedora! Serviços essenciais como supermercado estarão funcionando, tome seus devidos cuidados e, caso necessite, saia para comprar suas frutas e verduras. Elas não serão afetadas pelo COVID-19.

Se em nossa alimentação, 70% for de alimentos industrializados, poderemos adquirir outros tipos de doenças e, consequentemente, fazendo com que a nossa imunidade comece a baixar.

Imunidade baixa hoje em dia é um perigo! Aumenta-se muito o risco de adquirirmos aquilo que estamos evitando nos isolando dentro de nossas casas. E pior! Acabar contaminando aqueles que estão por perto.

Bombas vitamínicas, shots para aumentar a imunidade, … as redes sociais estão cheias de receitas milagrosas que fazem parecer que tomando tudo isso estaremos imunes a essa doença horrível que nos assola. Shots de imunidade ajudam a melhorar a imunidade DESDE QUE sua alimentação seja baseada em alimentos de BOA QUALIDADE livre de aditivos químicos, sódio em excesso, gorduras trans, gorduras saturadas, conservantes e o intestino trabalhando bem, sem inflamações e sem ressecamento. Aí conseguimos MELHORAR o que está bom.

No caso das vitaminas, vamos preferir a vitamina C que a gente sempre consome para prevenir a gripe. Ela é fácil de ser encontrada! Compre limões, laranja pera, acerola (serve a polpa congelada), faça uso delas! Tempere sua salada com limão, chupe a laranja (coma inclusive o bagaço) como sobremesa do almoço, faça um suco de acerola para o lanche da tarde!

Aproveite este tempo, em que temos tempo (mesmo forçado) para se dedicar à cozinha. Faça seu pão! Existem receitas fáceis em que não precisamos ficar sovando a massa (eu, particularmente, não gosto de sovar massa de pão. Sempre erro a mão e o pão vira pedra!). Acrescente sabor às receitas que você considerar fácil. Deixe o alimento perfeito para o SEU paladar.

Vamos fazer tapioca colorida utilizando suco de beterraba ou de cenoura ou espinafre ou outro alimento que desejar. Faça o suco do legume ou da verdura escolhida, coe em um voal (ou outro pano bem fininho), misture com polvilho doce e deixe-o de molho por 24h na geladeira. Tampe o recipiente e deixe lá na geladeira. No dia seguinte é só desprezar a água e começar a soltar a sua tapioca colorida e pronto! Só colocá-la na frigideira e rechear com o que desejar.

Agora não é um momento para pensar em calorias e dietas restritivas. É um momento de se alimentar bem, com alimentos do bem e pensar na sua estética INTERIOR. A estética EXTERIOR vai colaborar de acordo com o agrado que a gente der para o nosso INTERIOR. O corpo agradece o que recebe de bom!

O estresse também é um fator que coopera na baixa da nossa imunidade. Já perceberam que pessoas bem-humoradas ficam doentes com menos frequência do que pessoas mal-humoradas? Entendo perfeitamente que o momento não está lá bom para peixe, mas se a gente deixar a nossa peteca cair, não há milagre, shot ou vitamina que vai fazer a peteca voltar para a nossa mão.

Cuide do seu templo sagrado que é o seu corpo.  E para dar vida a esse templo, é preciso que cuide de sua saúde. Não é errado sorrir porque estamos vivendo uma pandemia. Sorria por você, pela sua vida, pela vida daqueles a quem você quer bem.

Fiquem bem pessoas do bem! O momento requer paciência! Se cada um pensar positivo, colocar isso para o Universo e seguir as normas de higiene e de segurança, tenho certeza de que sairemos dessa mais rápido e melhores!

ÁGUA – JÁ BEBEU HOJE

16/03/2020 às 14h19

Já bebeu sua água hoje?

Água, líquido incolor, inodoro e insípido, representada pelo símbolo químico H2O. Quem não conhece essas frases da aula de ciências na escola? Parecia tão complexo decorar tudo isso para ir bem na prova, não é mesmo?

Na prática, a água é um alimento super necessário na nossa vida, no nosso dia a dia! Ela é muito importante para evitar que nosso organismo se desidrate ou que a gente tenha alguns sintomas do tipo, dor de cabeça, tontura, mal humor e FOME!

Sim, fome!! Acreditam?? Na verdade, o corpo emite sinais nos dizendo que precisa de água, mas nós nunca pensamos que faz horas que não colocamos nenhuma gota de água na boca e dizemos: aí, quero comer um DOCINHO. Quem nunca?

Aquela frase: quando você sentir vontade de comer um doce, beba água, é super válida! Ao se hidratar com água (e não suco, refrigerante, etc), se a vontade do doce passar, era porque o corpo necessitava de ÁGUA!

Somos constituídos de quase 70% de água, nosso sangue é líquido, nossa urina é líquida. Para não ficarmos ressecadas e com o intestino preso, precisamos de água! Para a pele ficar viçosa e sem partes ressecadas, precisamos de hidratação, mas nos enganamos a pensar que um hidratante corporal vai fazer o serviço.

O hidratante forma uma camada para impedir que a pele desidrate, mas se não bebemos água o suficiente, ele não tem nem o que impedir. A pele vai ficar ressecada do mesmo jeito, mesmo passando aquele creme caríssimo comprado em Paris.

Como sei se estou bebendo água o suficiente?

Repare na cor da sua urina. Ela precisa ser de cor amarelo claro.

Mas quando eu bebo água, após 2 minutos eu já quero fazer xixi!

Vocês possuem plantas em casa? Daquelas plantadas na terra? Pois então… já se esqueceram de aguá-las? Ok…, notem que quando aguamos nossa plantinha que está ali à beira da morte de tão seca que ela se encontra, a água que colocamos na terra passa tão rápido quanto encher o regador. A terra estava tão seca que a capacidade de absorção dela estava praticamente nula! Perceberam alguma semelhança da sua plantinha com você?

Ao aguarmos a planta com mais frequência, a água não passa com tanta rapidez quanto a primeira aguada depois de uns 5 dias esquecida.

E assim acontece com a gente também. Quando você se habitua a beber água, o líquido vai se distribuindo melhor entre os tecidos e aquela sensação de querer urinar após segundos, diminui.

Nosso cérebro trabalha melhor, nossa pele fica mais hidratada, o cabelo fica mais bonito e a sensação de comer doce toda hora passa (ou diminui consideravelmente, é preciso considerar outros fatores que pretendo abordar em outro artigo).

Além de nos hidratar, ela também vai fazer uma “limpeza” no nosso corpo lindo. Uma limpeza por dentro. Pergunto: vocês lavariam o chão da sua casa com refrigerante ou suco? O raciocínio é o mesmo, para limpar, use ÁGUA!

A melhor água é aquela filtrada no FILTRO DE BARRO!! Isso mesmo, meus queridos! FILTRO DE BARRO do tempo dos nossos avós. A vela contém a prata coloidal e o carvão ativado, juntos eles conseguem praticamente acabar com os microrganismos prejudiciais à nossa saúde. E o barro termina de fazer o serviço retirando todos e quaisquer tipos de metais pesados restantes contidos na água.

Mas que água eu coloco no filtro?

Sabe aquela água que pagamos religiosamente todo mês? Aquela que passa por tratamento e que você recebe em casa, na sua torneira? Essa mesma!!! O grande cuidado que você terá, será na higienização do seu filtro e na troca da vela que vai varia de região para região por conta da qualidade de água que chega até a sua casa.

Não é necessário nenhum produto químico em sua higienização e nem açúcar como diziam os antigos. Utilize apenas a parte amarela da esponja e água.

O filtro de barro é produto brasileiro! Mas foi preciso, pesquisadores Norte Americanos publicarem sobre ele no livro The Drinking Water Book para darmos valor.

E então? Já bebeu água hoje?

Abraços hidratados para todos!

COMER OU NÃO COMER, EIS A CONSCIÊNCIA

12/03/2020 às 08h04

Gente… comer é tudo de bom, né? Eu adoro! Mas tenho que confessar que eu só como quando tenho fome de verdade. Sabe aquela? Que faz seu estômago te fazer passar vergonha por causa do roncar dele? Juro que é assim!

O fato de gostar de comer, não significa que precisamos acabar com toda a comida que tem na mesa de casa ou no buffet do restaurante ou de uma festa. O ato de comer precisa ser agradável, divertido, nutritivo e prazeroso.

O prazeroso não significa que precise ser alguma guloseima, daquelas melecadas de creme e superlotadas de açúcar. Existem pessoas que sentem prazer em comer uma fruta!

Ahhhh não ria! É sério! Vamos testar? Pensem numa fruta de que gostem? Não… não naquela fruta que vocês comem antes de ir à academia! Ou pode ser também, se for dela de que gostem bastante.

Pensaram? Imaginaram? Seus lábios sorriram? 🙂

Não sou contra doce não. Pelo contrário!! Sou a favor de tudo um pouco! Principalmente na vontade do ronco estomacal!

Quando chega a TPM então?! Nossa senhora!!! Doidera!! Já acordei com vontade de comer um bolo de chocolate recheado com merengue e morango e com cobertura de ganashe, daqueles bem cremosos. Foi um dia infernal de vontade desse bolo, maravilhoso por sinal. Como que eu sei que é maravilhoso? Ahhh, é porque eu comi uma fatia! E aí a vontade de doce passou. Simples assim!

O que eu quis dizer acima foi que, se você ouvir o seu desejo e conhecer seu corpo e suas vontades de verdade, é super possível parar em 1 só. Comer devagar, saboreando o produto do seu desejo, faz toda diferença!!

E assim, começamos a criar consciência em saber o que queremos comer e o quanto daquilo queremos.

Será que eu quero tudo mesmo?

O que vale mais a pena: comer conscientemente e sentir-se feliz depois OU comer tudo como se não houvesse amanhã e sentir uma culpa do tamanho do Universo?

A escolha cabe a você!

Acredito que conta mais entender das suas vontades e desejos do que o alimento propriamente dito.

Como escrito acima, às vezes uma fruta satisfaz, outras não. E como saber? Só se conhecendo!

Voilá! Bisous!

A NÓS, MULHERES

06/03/2020 às 13h55

E o dia das Mulheres chegou! Eu ainda acho que todo dia é o dia das mulheres, mas como isso é uma opinião minha, vamos seguir o que diz o calendário (risos).

Mulheres que trabalham fora ou em casa, que acordam cedo, que cuidam de uma família, da casa, do seu parceiro, dos seus filhos, da roupa que vai usar para trabalhar, das refeições de casa, das compras no mercado, da feira, …. enfim, MULHER!

Na clínica onde trabalho, atendo várias mulheres casadas ou solteiras, jovens ou na melhor idade e percebi que cada uma, em determinado estágio ou ponto da vida, esquecem-se de que são mulheres e que não cuidam mais de si.

Ok, entendo que quando se casa e vem os filhos, aquela liberdade de se passar horas no salão fazendo cabelo e unhas fica um pouco mais prejudicada porque a atenção fica toda voltada à (s) criança (s) e todo pensamento com relação a tudo é para ela (s).

Gostaria de lembrá-la (s) que mesmo com mais atribuições familiares, vocês continuam sendo mulheres, com um corpo que merece um hidratante, um cabelo que merece ser cuidado, as unhas que merecem ser tratadas. Talvez com menor frequência de como era antes, mas o cuidado é merecido e sempre será.

Quanto mais carinho nós nos dermos, mais carinhosas nos tornaremos e mais amor demonstraremos junto àqueles que nos cercam.

Ao nos “maltratarmos”, ficamos de mal com o dia, de mal com a vida, de mal até com o coitadinho do pet que queria apenas um afago na orelha.

E aí nos alimentamos mal também porque nos queixamos de que não temos tempo de comer porque as crianças precisam ser alimentadas ou nos atrasaremos para o trabalho.

Ao fazermos isso, acabamos comendo, literalmente, qualquer coisa! E essa qualquer coisa, vai ser aquele tipo de alimento pobre em todos os tipos de nutrientes.

A maior queixa das minhas pacientes é: “que horas eu vou conseguir preparar minha comida”?

Como sou nutricionista, procuro dar dicas que sejam as mais práticas possíveis e dentro da vida real de cada uma.

Por exemplo, existem preparações que podem ser feitas em casa e serem congeladas. Elas ficam pré-preparadas no congelador só te esperando para estar totalmente prontas para serem consumidas.

“Então já que eu posso comer comida congelada, eu vou comprar no supermercado porque já estão prontas e é só esquentar no micro-ondas”!

Por favor, não faça isso! Produtos ultra processados estão cheios de gordura saturada, sódio, temperos que não são temperos, aditivos químicos, tudo aquilo que vai favorecer NADA a sua saúde e seu bem-estar.

Ao preparar sua própria comida em casa, se tiver filhos, chame-os para ajuda-las na cozinha.  Sim, vai ter bagunça, mas aproveite este momento para ensiná-los e mostrá-los os alimentos que eles comem. Muitas crianças e até mesmo adultos não conhecem e não sabem o que estão comendo.  E divirta-se com as respostas, com as caretas, com tudo!

Por que não fazer um bolo de cenoura? Ou de banana? Bater um suco natural com uma fruta e um legume ou verdura (beterraba com laranja ou couve com laranja, por exemplo).

As mulheres que moram sozinhas e vem até a clínica se queixam do mesmo problema. Quando o assunto é alimentação, a queixa parece ser a mesma: que horas mesmo que eu vou conseguir cozinhar para mim?

Outra grande queixa é: mas fazer comida para uma pessoa só é muito chato e eu detesto comer sozinha. Então eu como o que tiver na geladeira ou no armário, o que normalmente acaba sendo pão com frios.

Aprecie a sua companhia. Aprecie fazer comida para si, agrade-se. Faça desse momento consigo, um momento único, agradável, prazeroso! Aproveite para se conhecer, saber de suas vontades e seus mais profundos desejos, daqueles do fundo da alma e que somente ouvindo seu coração é que a descoberta vai ser feita.

Você pode até se produzir para jantar! Oras, por que não?

Mulheres, a conexão principal é você com você mesma. Não é esse ou aquele ou qualquer outra coisa que vai nos trazer a felicidade ou nos fazer felizes. É a gente com a gente mesmo.

Então, desejo que sejamos todas felizes, de dentro para fora.

Feliz Dia Internacional das Mulheres!

AMOR

03/03/2020 às 08h27

Amor… uma palavra tão pequena, de apenas 4 letras, mas com um significado tão complexo e tão misterioso…

Confesso que eu não sei qual o significado desta palavra que todos falamos quase que todos os dias. O “eu te amo” falado, tem tantos significados dependendo do contexto em que é usado… mas será mesmo que é AMOR?

O que é o AMOR?

Amor dos pais, amor do seu parceiro (a), amor de irmãos, amor de primos, amor de professor para com o aluno, amor pelos seus filhos, sobrinhos… tantos amores!

É tudo igual? Tudo na mesma intensidade? O Amor tem cor?

Se eu fosse imaginar a cor do amor, esta seria cor de rosa. Meio clichê, mas na minha concepção, na minha alma e coração, essa é a cor do amor. Na sua, pode ser de outra cor e tudo bem também, porque para você, a cor escolhida pode ter um significado enorme para ti da mesma forma que a cor Rosa tem para mim.

Mas o que é Amor mesmo? Ai que difícil! Consigo escolher uma cor para ele, mas não consigo defini-lo! Bem, talvez não haja definição mesmo, talvez seja o SENTIR que conta nessa hora.

E mais! Por que precisamos colocar significado em tudo, colocar explicação em tudo? Ahhh, acho que porque SENTIR nos traz descobertas que não queríamos descobrir tanto assim. Pode trazer junto uma dorzinha que está ali escondidinha de algo que aconteceu em alguma fase de nossas vidas.

Então, será que sentindo a dorzinha, digerindo o incômodo que ela causa, conseguimos sentir o AMOR ao final da “digestão”?

Quando eu sinto fome, me alimento com alimentos que me nutrem, que foram feitos com muita vontade, estou me alimentando de amor?

E quando estamos bravos, ansiosos, nervosos e comemos qualquer coisa para nos “acalmar” numa rapidez sem nem perceber o que estamos comendo, me alimentei com AMOR ou com raiva?

Quando um docente que adora a sua profissão chama a atenção de um aluno cujo potencial é imenso, mas pouco aproveitado, é AMOR?

Quando os pais chamam a atenção de seus filhos, fazem isso porque são maus pais ou porque apenas querem o bem deles, é AMOR?

Complexo, não é?

Atualmente, por mais atentos que estejamos, acabamos entrando no piloto automático e esquecemos de sentir. Eu esqueço! E quando lembro, fico nestas indagações sobre sentimentos.  E hoje, indago sobre o AMOR.

Essa palavra pequena de significados e sentimentos amplos poderia render um livro, mas mesmo assim, ao final dele, será que o autor teria chegado a alguma conclusão?

A minha conclusão com esse texto? Bem, escrevendo essas poucas palavras, me dei conta de que não sei se realmente um dia AMEI algo ou alguém. Ou se neste momento, amo algo ou alguém.

Digo que amo a minha liberdade, mas por vezes me pego pensando como seria bom ter um namorado e poder compartilhar momentos que eu considero felizes e prazerosos.

Digo que amo minha profissão, mas por vezes me pego pensando se é isso mesmo, ou de que área eu amo mais.

É.… apesar das indagações que cada um tenha, o importante é aprender SENTINDO.

E quem sabe, a gente descubra que o primeiro e principal AMOR que devemos SENTIR é por nós mesmos e a partir daí reconhecer os outros AMORES.

Que o amor descoberto por cada um de vocês continue vivo dentro de suas almas, da cor que vocês quiserem, da maneira que desejarem.

Não sou Darth Wader mas vou adaptar a sua frase máster: “que o AMOR esteja com vocês”.

DO QUE VOCÊ TEM VONTADE?

28/02/2020 às 08h25

Vontade é uma coisa estranha, não é?

Em um dia dizemos: tenho vontade de cortar e pintar o cabelo como aquela atriz famosíssima de Hollywood. No outro segundo, dizemos: tenho vontade apenas de deixar meu cabelo com um corte mais leve, com leve luzes para dar apenas um tcham.

Com relação à alimentação, acontece a mesma coisa. Na empolgação, porque lemos algo milagroso em alguma rede social, dizemos: tenho vontade de ficar assim, magérrima como essa moça depois que ela comprou esse produto, e no instante seguinte, a vontade passa como um rajar de vento que chegou do nada e passou muito rapidamente entre nós.

As vontades sem motivação real não duram. Elas vêm e vão assim como o trem vai e vem de estação em estação.

Mas aquela vontade que vem bem de lá de dentro da sua alma, lá do fundo do se coração, … ahhhh essa vontade sim tem todo o potencial para se tornar real! Aquela vontade sentida de verdade na pele, aquela vontade que pede para ser ecoada para fora do nosso ser para o Universo ouvir, aquela vontade que nos faz chorar de alegria, na certeza de que tudo vai dar certo. E que vai MESMO dar certo!

Uma vontade cheia de fé e de esperança junto com a nossa força de vontade e perseverança tem tudo, tuuuuudo para se realizar!

Mas é preciso colocar a mão na massa! A vontade sozinha não vai acontecer se não houver o nosso movimento de andar para frente e de fazer acontecer. Um livro de autoajuda não vai fazer com que sua vida mude da água para o vinho assim que terminar de lê-lo se não houver um passo seu em direção àquilo de que se tem vontade.

Nosso esforço vale muito! Valorize as suas conquistas, seja os 100g emagrecidos (e não perdidos, porque corre-se um risco grande de encontrar se dissermos que os perdemos) ou aquela mudança radical na cor do seu cabelo! Nossas atitudes podem não ser nem enaltecidas por outros, mas também… para quê? O importante é o que sentimos quando agimos conforme nossas vontades!

Minha vontade é de conhecer o mundo! E vocês? De que tem vontade?