Revista Statto

A LINGUAGEM DOS ANJOS

23/11/2020 às 09h04

Quando falamos a linguagem dos anjos, nós falamos em termos de energia;

Quando falamos a linguagem dos anjos, nós falamos sobre nosso contato com as coisas que importam.

Ela falava a linguagem dos anjos e por isso, ninguém a compreendia“.

Essa foi a minha frase por eras.

A linguagem dos anjos segue um princípio unilateral. Anjos não possuem livre arbítrio porque estão aqui para guiar. Os reencarnados aqui passam por provas e situações adversas para guiar os humanos.

A linguagem dos anjos foi feita a partir dos princípios divinos para guiar seres de diferentes vibrações neste plano.

A linguagem dos anjos pode ser sentida no chakra do coração. É aquele “calorzinho” que nos faz sentirmos abraçados e a intuição forte.

Quando pensamos que estamos sozinhos, há sempre um anjo que está pronto para nos guiar. E no significado da vida eles estão por perto camuflados de Amor e Bondade que este mundo não compreende. Anjos são justos e deixarão o karma agir pelo livre arbítrio das pessoas.

Eles estarão por perto para auxiliarem na compreensão de todos que estarão prontos para ouvirem suas intuições.

A linguagem dos anjos não passa por mentiras humanas e todos nós podemos perceber a linguagem dos anjos através dos espíritos que sofrem pelas falácias humanas por aqui.

A Linguagem dos anjos jamais poderá ser sentida se estamos em baixa vibração e por outros espíritos. Por isso, os anjos-humanos são os chamados anjos caídos e sentem muito neste planeta em suas missões de guiar a humanidade.

Sinta em seu coração e no chakra cardíaco a linguagem dos anjos e a conversa que pode ter com eles.

ELO ENTRE ALMAS

03/11/2020 às 15h04

As conexões divinas podem ser afastadas pelos egos, mas jamais quebradas. Os egos causam a dor nas almas, mas no fundo eles não podem causar mais do que isso. Eles não podem afastar quem é unido em essência e por elos cósmicos.

As forças que são contrárias a isso tentam destruir e confundir.  Mas jamais podem afastar corações destinados a ficarem juntos.

As forças por propósitos maiores são superiores.

Todo o medo se vai quando todos estão realmente prontos para amar. Elos entre almas não são quebrados por coisas que fogem da essência de ambos.

Durante esse tempo há apenas o tempo de evoluir. E esperar pelo futuro pode ser um erro, se já sabemos o desfecho…

Conexões espirituais são moldadas na essência e podem ser sentidas até o final dos dias de cada corpo. Elas são feitas na luz e podem ser empoeiradas por mentiras e por outras forças contrárias da luz. Mas jamais podem ser desmanchadas.

Os elos entre almas são formados no princípio.

Eles podem deixar as almas cansadas, mas quando conscientes os elos deixam as almas livres e soltas.

Os elos entre almas as conduzem para os verdadeiros princípios e as ajudam em suas missões.

Os elos entre almas não podem ser afastados por terceiros por um longo período de tempo.

São sutis e sentidos na essência e para sempre podem se comunicar através da energia e forte conexão entre ambos.

ESCREVER FANTASIA

08/09/2020 às 09h54

 

Escrever Fantasia é conhecer e viver demais na realidade e utilizá-la como uma grande loja para projetar outros mundos de acordo com sua criatividade e vivências.

Trabalhar com a criação de histórias, ou apenas lê-las, é muito mais do que imaginação ou algum tipo de válvula de escape, mas é um exercício viril para a percepção humana e para com todos os amantes da leitura. Escrevemos aquilo que gostaríamos de ler, lemos aquilo que gostaríamos de viver.

Escrever fantasia é compreender a realidade e saber transformá-la em novos propósitos.

É uma preparação à paz de espírito e uma celebração de propósitos novos. É a conexão com as nossas raízes lúdicas que sabemos que nunca morrerão, mas são destreinadas pelos aspectos da sociedade de acordo com a nossa idade. O que é triste. Porque a imaginação que sempre levou a humanidade a ter coragem de enfrentar os caminhos mais difíceis. Eu diria até que a imaginação é sempre a irmã da esperança. E onde podemos encontrar nossos sonhos é onde devemos encontrar nossas forças para realizá-los.

Nunca devemos limitar a nossa imaginação em nenhum momento de nossas vidas e não devemos comparar a imaginação a idade que temos ou às idades que teremos.

Eu comecei a escrever fantasia sem saber que assim eu escrevia. Comecei escrevendo pensando que seria uma cientista e gostava de narrar meus inventos. Logo depois eu escrevi o que gostaria de viver; aquilo que sonhava e queria colocar no papel de alguma forma. Primeiro, eu desenhava, depois a dança das palavras me levou aos universos mais profundos e cheios de história. Até hoje me pergunto se eram mesmo sonhos ou acessos a mundos que realmente existem em algum lugar, seja em outra dimensão ou em outra vida. De qualquer forma, eu ousei chamar tudo aquilo de Fantasia.

Então, escrever fantasia, quem sabe, seja uma porta privilegiada para acessar esses mundos. Mais do que isso, é um teste a diferentes modos de aprendizado da humanidade, assim eu acredito.

É possível escrever a história da humanidade de diferentes formas, sejam elas mais didáticas ou artísticas. E com certeza, contar (ou recontar os sentimentos) a história da humanidade de forma lúdica nos leva a um patamar de poder falar todas as linguagens, porque o lúdico é uma das primeiras formas de comunicação humana.

Sempre acreditei que as pessoas precisam do lúdico para sua sobrevivência e saúde mental. O lúdico nos leva a não ter limites para a imaginação e a criar soluções no nosso dia-a-dia. Já foi provado que o cérebro é capaz de criar a realidade. Então, teríamos nós a capacidade de criar as nossas realidades primeiramente pelo poder da imaginação.

Se você quer viver, basta primeiro imaginar.

DESPERTAR ESPIRITUAL

06/09/2020 às 09h05

Uma vez que o despertar espiritual acontece em você, ele acontecerá pelo resto de sua vida. Não há fim ao reencontrar sua conexão com a Origem Cósmica que está em sua alma.

Uma vez que o despertar espiritual começa em você é normal se sentir confuso, como se você não pertencesse a esse mundo. É muito normal se sentir distante e procurar mais isolamento. Mas ao mesmo tempo quando se está com as pessoas você as quer sentir por completo.

Você sente saudades de algo ou de algum lugar que não consegue explicar.

Saiba, que sua alma não tem a mesma origem terráquea, porque todos temos a origem divina. Essa saudade que sentimos durante o despertar é normal e nos transporta para dentro de nós mesmos.

É no momento que nos sentimentos sozinhos na imensidão do Universo, que procuramos as respostas dentro de nós.

Durante o despertar espiritual seus sentidos começam a estar mais aguçados. Isso porque sua preocupação com o mundo a sua volta se torna maior. Os detalhes e os questionamentos são presentes e você não aceita o mundo como ele é, mas é nesse processo que começa a entender a aceitação de estar reencarnado aqui e que o fato de que cada um possui sua própria jornada é um dos grandes segredos da vida.

Você sente seu corpo muitas vezes tão leve como se fosse flutuar, mas também o sente pesado como se não conseguisse sair do lugar.

Seus sonhos são intensos e muitas vezes cheios de significados e mensagens. Muitas viagens astrais podem ocorrer involuntariamente durante o sono, também.

Você sentiu uma grande motivação de realizar a sua missão ou de encontrar a sua missão.

Você perde laços tão facilmente, como percebe que a vida começa a atrair pessoas de acordo com sua evolução pessoal. E você finalmente entende que conhecer alguém, por mais rápido que seja, tem sempre um motivo por trás.

Você vai “separar” seu corpo muitas vezes deste mundo, como vai perceber que ele é um sonho com o ambiente. E você sente que pode se comunicar com a Natureza de forma única. Você pode!

Isso porque mais profundo do despertar espiritual, quando aprendemos a controlar os nossos 7 corpos (Físico, Etérico, Astral, Mental, Casual, Búdico e Átimo), aprendemos a nos tratar como almas em Templos Sagrados (nossos corpos) e a tratar este Planeta também como Templo Sagrado.

A ALMA DE UM ESCRITOR

09/08/2020 às 21h40

Calculadamente, os sonhos se tornam palavras. E calculadamente, um escritor é um leitor que escreve o que gostaria de ler.

Calculadamente, há uma beleza em cada linha e em cada ponto. Na dança das palavras e na dança de cada mistério. Calculadamente, há uma missão em cada história; ou a missão seja apenas um ponto de partida para o amanhã.

Calculadamente, entre rascunhos, princípios e finais. Nas novas formas de enxergar os sentimentos e o mundo à volta. A alma de um escritor pode gritar da forma mais intensa e da forma que nenhum outro ser humano é capaz de entender; um escritor vê mundos como se fossem de vidas passadas e os transforma em novos mundos;

Um escritor ouve, além de seu mundo, outros mundos e recomeços. Um escritor quer entrar nesses mundos e não ser apenas o protagonista, mas ainda assim sempre o contador. Porque a alma de um escritor foi feita como ferramenta para iluminar caminhos e avenidas de sonhadores.

Um escritor enxerga além. Assim, como um poeta tem seu mundo particular de amor. Uma vez eu acreditava que o amor apenas poderia ser sentido no mundo dos poetas, hoje eu sinto ele no meu coração.

Uma vez, eu achava que escritores eram seres intocados, hoje sinto que o que eles mais querem é tocar o mundo.

A alma de um escritor é capaz de vagar, de sentir e de iluminar como a chama da Vida eterna faz . Porque tudo aquilo que for escrito e catalogado, jamais será perdido se alguém ler.

A APARIÇÃO DE UM SER ELEMENTAR

26/06/2020 às 17h12

Esse relato eu escrevi há alguns anos para meu blog, exatamente em um domingo do dia 27 de outubro de 2013. Atualmente, como escrito de fantasia e como uma pessoa que é ligada ao mundo espiritual e místico, eu sei que esse relato é apenas destinado a uma parcela de pessoas que acreditam em seres elementares e suas missões. Não são todos que têm acesso a esses canais de outras dimensões. Mas caso não acredite, você pode ler isso como uma crônica, digamos, fantástica.

A APARIÇÃO DE UM SER ELEMENTAR

Você acredita em duendes, seres mágicos e outras criaturas de distantes dimensões que ora e outra compartilham da mesma Terra que nós? Pois eu sim!

Bem, antes de eu dizer qual é a minha relação com os duendes eu preciso salientar que: Há tantas notícias ruins que são compartilhadas mundo à fora, todos os dias; tantos relatos de gente que tem o prazer de odiar, de transformar suas mãos amigas em garras; Pessoas, nas quais, estão destruindo o mundo por causa dos karmas de suas almas. Eu acredito em forças mágicas que estão em algum lugar nos mostrando um caminho, guiando-nos nessa realidade, muitas vezes, imunda. E essas forças mágicas estão presentes para quem quer acreditar nelas.

Há tantas outras coisas mágicas que presenciei e senti ao longo da minha vida que afirmo que existe bem mais do que nós vemos ou lemos. Eu acredito, firmemente, que em toda lenda há um fundo de verdade.

Dizem que os duendes aparecem para quem está muito sensível e conectado com a Natureza. É uma mensagem de um mundo mágico para essas pessoas. Um bom sinal e por isso, eu me sinto honrada que uma criaturinha assim apareceu para mim.

Tudo ocorreu em uma manhã de agosto, de 2013. Naquela manhã eu despertei. Foi um despertar sem querer abrir os olhos, depois de uma tranquila e profunda noite de sono. Eram 6A.M. e eu estava sozinha no meu quarto. Tomei coragem e decidi levantar da cama. Afinal, eu teria um longo dia de trabalho e estudos, mas algo não deixou que eu me movesse. Senti um peso sobre mim e algo me impossibilitou de ver. Uma estranha força obrigou-me a fechar os olhos. De repente, o peso de cima de mim foi embora, consegui abrir as minhas pálpebras e foi aí que avistei um estranho e pequeno vulto que tentava atravessar a porta do meu guarda-roupas. Fiquei imóvel. Algo me dizia apenas para observar. Eu não tinha forças, como se uma energia maior tivesse tomado conta do meu quarto e de todos os mortais ali presentes, no caso, EU.

Em questão de segundos o vulto sumiu e reapareceu sobre meu peito. Eu me virei e tentava encará-lo, mas cada vez que eu tentava isso, eu recebia tapinhas em meu rosto. Não doía, na verdade fazia cosquinhas, mas eu entendia que não era para olhá-lo. Eu me irei olhando para o colchão, porque continuava não conseguindo mover-me direito. REPITO: Eu não conseguia levantar-me. Alguma força maior mantinha-me deitada. Então, eu apenas consegui focar, novamente, na única direção que eu tinha por direito: meu guarda-roupas, já que no meu outro lado apenas tinha uma parede. E olhando para o móvel, lá estava o estranho e nervosinho vulto, de aparência deformada, com o que seria a cabeça em formato de cone, (não era um chapeuzinho) e ainda ele não parecia possuir roupas. Era uma figura viva, mágica de uns quarenta centímetros que “vibrava”, tremia e tornava-se quase transparente em segundos.

“UM DUENDE NO MEU QUARTO!” – Eu gritei em pensamento.

Digo que foi uma das sensações mais mágicas da minha vida. Poucos minutos depois, eu me senti mais fraca e com sono, mas não adormeci. O duende subiu mais uma vez no meu rosto e logo depois desceu e foi para o canto do meu quarto, foi quando eu deixei de sentir a energia que rodeava o meu quarto, estiquei as pernas e estava com os sentidos recuperados outra vez.

Acendi a luz e tudo voltou ao normal. Tenho certeza que não foi sonho, ou alucinação. Apenas a certeza de que forças maiores estão a nossa volta.

E você, acredita em seres elementares?

POR QUE ESCREVO?

15/06/2020 às 19h08

O que seria do ser humano sem a Arte que o circunda? O que seria do ser humano sem os gestos e bravura se sua intelectualidade?

O que seria de nós, sem o poder da comunicação?

A comunicação em comunidade. A comunhão de sentimentos que nos faz vivos e sermos vistos.

O ser humano que não faz arte a presencia de alguma forma, a ouve e interage com ela. A arte em seus ofícios de fazer bem feito na cozinha, à cura, ao regar uma planta ou na construção de um prédio. Fazer Arte é amar os detalhes em desenvolvimento e amar a modificação do mundo graças à essência das almas. A Arte vive em cada um de nós como um sentido oculto pronto para ser aflorado a cada instante.

Primeiro aprendemos a desenhar, a cantar, a dançar e a imaginar formas, ações e histórias. Desde pequenos fazemos Arte e desde os primórdios da humanidade, contamos a nossa História através da Arte. Somos o belo e o colosso ao mesmo tempo. Somos sempre duas partes a serem escolhidas.

E hoje eu escrevo como forma da Arte que habita em mim. Então…. Por que escrevo?

Eu escrevo por tudo aquilo que não tenho o controle, mas apenas posso observar. Eu escrevo para o coração, para os amores, para aqueles que se vão, para os já eternos em meu mundo e para aqueles que quero eternizar. Eu escrevo pelo amanhã, pelo hoje e pelo ontem. Eu escrevo por aquilo que estava encubado, por aquilo que estava entalado na garganta e por tudo aquilo que não mereceria apenas voz, mas eternidade no ato escrito.

Eu escrevo como catalisadora da minha alma e como código com a linguagem dos anjos.

Eu escrevo para o riso tímido e para as lágrimas que ninguém vê; eu escrevo para o mundo ser visto de outra forma dentro de mim e assim outros mundos serem tocados por causa da nova realidade.

Eu escrevo pelo toque das sutilezas e pelos limites que as vozes têm.

Eu escrevo por aqueles personagens que existem em alguma dimensão e merecem viver nesta, também. Eles apenas podem existir depois que forem tocados pela magia. E essa magia é feita por nós, escritores.

Eu escrevo como sendo a cura de mundos internos e externos e escrevo por todos que querem fugir desse.

Há tantos sentimentos, há tantas vivências e há tantas incertezas…

Eu escrevo como elixir para a minha energia vital e assim aumentar a minha luz e ajudar a iluminar outros…

Eu escreveria como missão, se isso também não fosse a minha salvação. Mas, talvez, a salvação seja salvar a nós mesmos e “sem querer” poder salvar os outros com a nossa vocação.

Eu escrevo pelo contexto que vivemos e pelas estranhezas que sinto.

Eu escrevo por aquilo que não pode ser gritado e pelo que se perdeu em soluços ou silêncios. Talvez sejam lidos, relidos ou mais ainda esquecidos esses sentimentos;

Mas eu escrevo pelo equilíbrio da minha alma. Por aquilo que é mais importante em minha vida: O legado da linguagem dos anjos na Arte que vive em mim.

FATOS SOBRE O PRIMEIRO LIVRO DA AUTORA SUZY HEKAMIAH: CÓDIGO DOS MARES.

29/05/2020 às 19h04

Código dos Mares é um romance de Literatura Fantástica que foi lançado em 2013 e circulou como estudo em escolas do Rio Grande do Sul e Ceará.

O livro conta a história de piratas e dois reinos que disputam a posse de um mapa que levaria ao lendário reino de Equalium, na qual é o reino das criaturas mágicas que controlam as forças naturais da Sociedade da Alvorada, onde todos vivem.

A seguir, algumas curiosidades desse livro que será relançado em novo formato.

– O livro possui inúmeras criaturas mágicas; algumas conhecidas de outras mitologias, outras apenas pertencentes à mitologia do livro;

– A versão final do livro levou sete anos para ficar pronta;

– A Sociedade da Alvorada pertence a um mundo planeta irmão da Terra, mas em uma época que a humanidade terrestre ainda estava nos primórdios;

– O nome do protagonista “Allan Thaos” refere a um nome que a autora lembrava desde criança, porém não sabe exatamente de onde;

– Todas as Constelações citadas no livro, de fato, existem;

– Os leões alados do mundo de Hoje são inspirados na civilização Suméria;

– Os dragões brancos do Reino de Nevue são inspirados na Constelação Draco;

– Cada passagem do livro tem inspiração a uma constelação;

– Allan Thaos, é o alter-ego da autora Suzy Hekamiah.

– Os mapas do livro foram esboçados pela autora e então passados para ilustradores;

– A autora acredita que o que chamamos de ENERGIA na vida real, se refere à magia nas histórias fantásticas;

– Assim como outros trabalhos da autora, a jornada do herói passa por uma jornada espiritual, mas contada através da Fantasia;

– Os personagens do livro citam em sonhos que temem que a Sociedade da Alvorada vire um mundo onde humanos não consigam mais enxergar as forças da Natureza e criem suas próprias doenças. Esse mundo é uma alusão ao planeta Terra.

CURIOSIDADES SOBRE O NOVO LIVRO DE SUZY HEKAMIAH

06/04/2020 às 20h57

Démodée é meu novo romance. O livro que sairá pela editora Ella de São Paulo trata de mistério, terror no Universo da Moda.

Separei algumas curiosidades sobre o processo de escrita e personagens do livro:

– Busquei inspiração para escrever o romance após visitar uma tecelagem de mais de 100 anos na Serra Gaúcha, durante o período que cursou algumas disciplinas do curso de Design de Moda na UCS.

– O livro demorou cinco anos para ser escrito, em virtude da busca de visitar pessoalmente alguns lugares citados no livro, como São Paulo, Los Angeles e New York e pesquisa com o pessoal que trabalha em alguns setores de Moda e desfiles.

– Todos os lugares citados no livro de fato existem.

– A Borboleta monarca retratada muitas vezes no livro e na capa é símbolo da metamorfose e desejo de beleza da sociedade

– Preto e branco também são cores muitas vezes descritas no livro e trazem o reflexo do “yin and yang” que todos temos dentro de nós;

– Todos os personagens foram criados inspirados em personas que observei trabalhando em suas respectivas áreas de atuação;

– Há uma forte crítica contra o mercado de peles de animais na história;

– Démodée é um termo que significa “velho”, “fora de moda”. Contudo é o nome do meu novo livro que tenta trazer das mazelas da História alguns pontos que sempre refleti quando adolescente e até escrever o livro.

 

QUANDO ISSO PASSAR…

28/03/2020 às 08h35

Quando isso passar

Quando isso passar, lembre-se que ninguém está acima de ninguém;

Quando isso passar, lembre-se que as pequenas ações mudam sim o mundo de outra pessoa; às vezes perto, às vezes do outro lado do mundo;

Quando isso passar, lembre-se que um dia você envelhecerá e sempre poderemos viver os dois lados da história;

Quando isso passar, lembre-se que nem todo poder compra saúde;

Quando isso passar, lembre-se que silêncio e estar “só” não é realmente estar só. Muitos estão na mesma situação de que você, em várias situações;

Quando isso passar, lembre-se que nosso ego é nosso eco;

Quando isso passar, lembre-se que a Natureza também sempre esteve aí pedindo sua cura e ela pode viver sem nós, mas nós não podemos viver sem ela;

Quando isso passar, lembre-se que o equilíbrio parte da gente e então para o mundo ao redor;

Quando isso passar, lembre-se de fazer detox de seus pensamentos também. Não deixe a ansiedade tomar conta; Pensamentos positivos melhoram nosso sistema imunológico;

Quando isso passar, lembre-se que momentos com as pessoas que amamos realmente são especiais e as memórias que levaremos para a vida;

Quando isso passar, lembre-se que ninguém tem a vida maior e melhor do que ninguém;

Quando isso passar, lembre-se que tudo passa e tudo tem uma importância para refletirmos sobre quem somos, o que fazemos, de onde viemos, para onde vamos e o que deixamos;

Quando isso passar, lembre-se que às vezes é preciso o SILÊNCIO obrigatório, para percebemos como estávamos rápidos demais sem nos permitimos sentirmos a nós mesmos e aos outros;

Lembre-se que enxergar ao outro é enxergar a si mesmo;

Quando isso passar, lembre-se que não há fronteira e distância que pode separar um problema ou uma solução ou um amor;

Quando isso passar, lembre-se estamos todos em uma grande teia energética;

Quando isso passar, lembre-se que algumas pessoas vieram para auxiliar, servir e outras serem servidas e em todas as situações todos são importantes;

Quando isso passar, lembre-se que quando se “está fora” ainda se está dentro da grande casa: A Mãe Terra.

Quando isso passar, lembre-se que o riso, a Arte e cuidar do corpo são tão importantes quanto nossos afazeres diários sem tempo definido;

Quando isso passar, lembre-se que realmente temos tempo. A questão é o que fazemos com ele.

Quando isso passar, lembre-se que cada ação pode começar algo coletivo para o bem ou para o mal;

Quando isso passar, lembre-se tantas importantes coisas acontecem a todo momento, para todas as vidas, em todos os lugares, sob o mesmo céu. E não é porque você sabe, que não exista ou que não seja importante;

Quando isso acabar, lembre-se que a única coisa que realmente separamos é nosso egoísmo e o que mundo o mundo é a compaixão para com todos os seres e espécies.

VOCÊ RECEBEU DONS…

12/03/2020 às 09h29

Foram lhe dados dons para que pudesse seguir o seu caminho e pudesse proteger o seu destino. Você recebeu dons para que não trocasse sua vida por migalhas e não suplicasse que o mundo estaria contra você.

Um ser humano sem reflexão é fadado a petrificar sua alma sem viver a essência Universal.” Nossa alma possui uma história que reflete no nosso atual espírito (a definição de espírito é diferente que alma.). Essa história é catalogada no Universo com milhões de outros trabalhos únicos que são destinados para cada um de nós.

Não há almas em essências iguais e não há uma missão espiritual que não possa ser cumprida. Tudo sempre foi uma relação entre nossa particular jornada e Deus, entre nossa fé e nossa vontade. Tudo sempre se refere ao resultado sobre o quanto aprendemos sobre os nossos limites e o quanto respeitamos os de outrem e de onde vivemos.  Tudo sempre entre karma e dharma.

E não se assuste com o caos que vier pelas mudanças que forem necessárias. É por causa do caos que há as estrelas. E atrás de todo esse “caos”, há uma perfeita ordem universal.

Nosso livre arbítrio nos define em consequências que nos obrigam a refletir o que fazer com o tempo que nos é dado.  Mas a maior certeza é que a Origem – que criou a nossa alma – acredita, confia e espera que nós podemos compreender e, em cada desafio neste plano material, manter a nossa essência, porque é na nossa essência que há o nosso elixir e força vital para mantermos o equilíbrio interno e fazermos a nossa parte neste mundo.

Você recebeu dons e talentos para iluminar caminhos, tal como seguir a luz de seu conhecimento e aprimorar ele.

Para ter uma vida de propósito, concentre-se no que te faz feliz.

Você recebeu dons para que quando lhe tirassem tudo, você saberia que isso seria a única coisa que jamais poderiam roubar de você;

Você recebeu dons para reerguer-se em sua própria fé e energia;

Você recebeu dons para equalizar, fortalecer, transformar e transmutar energia. Energia na qual jamais poderá ser substituída e NINGUÉM pode ser substituído de suas reais funções e missões.

A sua real conexão é no que pertence a si mesmo; sua linguagem no mundo é no que você irradia quando conhece do que é capaz. Foram lhe dados dons pelo bem que esperam de você, na grande teia que conecta a todos nós. Pela parte que depende de seus passos.

Você recebeu dons para olhar para si mesmo e perceber o quão forte pode ser. Por padrões, por dogmas ou por sobrevivência tentarão apagar de você as raízes de seu Ser, as vontades de sua

Alma, e tudo aquilo que faz suas vibrações aquém do seu espaço. Eles tentarão limitar seus talentos, enquanto você não descobrir o que é internamente.

Você recebeu dons para um dia estar além de onde está hoje.

Você recebeu dons para enfrentar as ameaças do tempo e quebrar obstáculos.

Você recebeu dons para entender sua conexão nesta época em que vive e que nada suplique seus dias, senão a vontade de seguir evoluindo dentro e fora do sistema.

Você recebeu dons para que sua perspectiva não seja pelos olhos dos outros, para você usar as coisas e não ser usado por elas.

Você recebeu dons para que outras vidas sejam inspiradas e aclamadas por sua passagem neste mundo e nesta era.