Revista Statto

PIOLHO – CUIDADO COM A CABEÇA

22/09/2019 às 18h20

Todo mundo sabe que crianças são vítimas mais atraentes para os piolhos, isso porque elas têm um contato físico muito maior entre si, principalmente em creches e escolas. Nesses locais é bastante comum, por exemplo, a garotada dividir bonés, pentes, escovas, almofadas…Como entre os adultos esse contato entre várias pessoas é menor, os insetos não se propagam com tanta facilidade.

O piolho que infesta os cabelos de muitas pessoas é um inseto que se alimenta do sangue dos mamíferos e se reproduz com grande rapidez. Eles podem ser encontrados em todas as regiões do mundo e podem parasitar as cabeças de pessoas de todas as idades, raças e classes sociais.

Saiba que os primeiros sintomas da infestação aparecem rápido, no mesmo dia ou, no máximo, no dia seguinte ao contágio. Tudo começa com uma forte coceira no couro cabeludo, principalmente na região da nuca e atrás das orelhas.

Glutão, para dizer o mínimo, ele povoa a cabeça de uma em cada quatro crianças, fartando-se de sangue. Isso quando não passa para os fios de gente grande O grande mito a ser derrubado é que o piolho adora um cabelo sujo, ao contrário: o danado costuma adorar fios lavados todo santo dia.

Não faz distinção de classe social, e por isso qualquer pessoa está sujeita à infestação, muitas vezes com medo de discriminação, os pais não avisam a escola e aí a criança acaba transmitindo o parasita aos colegas. Essa omissão está por trás do aumento dos casos.

Embora a garotada seja o alvo preferido, o piolho não despreza hospedeiros adultos e adolescentes. Só que estes, sobretudo, contam com uma vantagem: na puberdade as glândulas sebáceas produzem, além do sebo, um hormônio que é um veneno para o inseto.

O melhor jeito de se livrar da praga é usando loções e xampus à base de inseticidas com substâncias como a piretróide. Esses produtos penetram no corpo dos piolhos e causam reações neurotóxicas que matam os insetos. Além dos remédios, é fundamental o uso de pente fino, a catação (piolho a piolho) e a higiene de roupas de cama e toalhas da pessoa infestada.

Caça às lêndeas: os ovos do piolho encontram refúgio nos fios, mas, como são brancos, podem ser flagrados com uma boa inspeção. E o melhor jeito de retirá-los é com a mão mesmo.

De uma cabeça para outra: engana-se quem acha que piolho voa (ele não tem asas!) ou pula (não é pulga!). Perigoso mesmo é o contato físico, um chamego, um abraço mais apertado e, pronto, ele muda de endereço.

Adquirir o piolho é um fator normal, mas ele pode causar além de muito incômodo, problemas sérios. Vale dar muita atenção à cabeça do seu filho e tratar sempre de maneira adequada.

Compartilhe!