Revista Statto

ADOÇANTES – VILÕES OU MOCINHOS

11/07/2019 às 14h41

Vivemos dias de preocupação com o corpo, saúde e com o que comemos. E na hora de adoçar sua bebida ou sobremesa, você prefere açúcar ou adoçante? Essa resposta não é tão simples. Saiba que muitas pessoas sentem uma diferença considerável no paladar entre eles.

Devemos evitar exageros com o adoçante, assim como em relação ao açúcar também. Quando exageramos na quantidade de adoçante ou açúcar, não conseguimos sentir o sabor real dos alimentos.

Os adoçantes são produzidos a partir de um edulcorante que confere sabor doce aos alimentos e podem ser nominados em naturais e artificiais.

Os adoçantes naturais apresentam menor quantidade calórica em relação ao açúcar comum ou são isentos de calorias.

Os adoçantes artificiais não apresentam calorias, portanto forte aliado à saúde e dietas.

Porém deve-se ter muito cuidado quem tem problemas de diabetes e outros problemas relacionados a ingestão de substancias adocicadas, pois a insulina (hormônio que transporta o açúcar para a célula) é liberada pela presença de carboidratos ou pela presença do sabores doces.

Atualmente existem 7 tipos de adoçantes liberados no Brasil (ANVISA). Veja abaixo os principais ativos e marcas dos adoçantes comercializados no País:

SACARINA: foi descoberta em 1879. Está aprovada para utilização em produtos industrializados e como adoçante de uso geral. Pode ser utilizada também em preparações assadas.

ASPARTAME: foi aprovado em 1981. Atualmente seu uso está liberado como adoçante de uso geral, mas não deve ser utilizado para alimentos que necessitem ser assados.

 

ACESSULFAME K: Esse adoçante é um sal de potássio que possui poder adoçante 125 vezes maior que o açúcar e não é calórico, em 2003 foi aprovado como adoçante de uso geral e intensificador de sabor em alimentos, sob algumas condições de uso. Pode ser utilizado como substituto do açúcar em produtos assados. – O acessulfame K não é indicado para portadores de doenças renais. Conheça alguns produtos que possuem essa substância.

SUCRALOSE: foi aprovada para utilização como adoçante de uso geral em 1999, sob algumas condições de uso. É encontrada em alimentos como: produtos de padaria, bebidas, chicletes, gelatinas e sobremesas congeladas à base de leite. É um substituto do açúcar para produtos assados.

XILITOL – De sabor semelhante ao açúcar, é usado na composição de outros adoçantes com o objetivo de atenuar o gosto amargo deixado no paladar. O consumo de xilitol causa uma sensação de frescor, diferentemente dos demais. Possui 2 cal/g e em doses altas, pode causar diarreia.

FRUTOSE – Com 4 cal/g, esse é um adoçante extraído de frutas maduras, vegetais e mel e desaconselhável para regimes de emagrecimento. Apesar disso, pode ser consumido por diabéticos sob orientação médica.

Por ser natural, a frutose é o mais indicado para consumo, mas seu excesso pode causar aumento nos triglicerídeos sanguíneos e provocar cáries.

STÉVIA: Seus testes foram realizados em 2008 e a Organização Mundial da Saúde (OMS) reconhece seu uso. Pode ser utilizada como adoçante de uso geral e como substituta do açúcar para produtos assados.

CICLAMATO: ciclamato foi um dos primeiros adoçantes descobertos, sendo que a sua aprovação também contou com a análise de inúmeros estudos científicos. Por isso, mantém-se a aprovação e dosagem atribuídas ao ciclamato. No Brasil, é permitido também o uso de ciclamato. Pode ser utilizado como substituto do açúcar e para utilização em produtos assados.

QUANDO DEVO USAR ADOÇANTE?

As especificidades de cada adoçante, sua origem e objetivo do usuário alteram a forma como devem ser usados.

O Ministério da Saúde orienta o uso de adoçantes na alimentação de diabéticos, pessoas com excesso de peso ou com o intuito de controlarem o ganho de peso. Mas o melhor adoçante para diabéticos são os líquidos, de zero caloria.

Uma colher de chá de açúcar tem aproximadamente 100 kcal, enquanto um sachê de adoçante, 20 kcal. Em um ano, essa diferença significa até 5 kg a mais na balança. Por isso, na hora de escolher qual o melhor adoçante, opte pelo mais satisfatório ao seu paladar e o mais efetivo em longo prazo para o seu objetivo.

Compartilhe!