Revista Statto

9 DICAS SOBRE COMO AJUDAR PESSOAS QUE ACHAM QUE A ÚNICA SAÍDA É A MORTE

15/09/2020 às 16h47

Um dia todos nós ouviremos ou identificaremos um pedido de socorro e vale a pena saber como ajudar.

Desde 2014, o Centro de Valorização da Vida (CVV) no mês de setembro uma campanha para conscientizar as pessoas sobre o suicídio e suas formas de prevenção. É um tema complexo de um problema de saúde pública e para surpresa de muitos, é mais comum do que muitas pessoas pensam.

O número de suicídios no Brasil é alarmante. De acordo com dados de especialistas, pesquisas e notícias de órgãos confiáveis, a cada 45 minutos ocorre um suicídio, em 3 segundos um brasileiro pratica um atento contra a própria vida e todos os dias são 32 brasileiros que perdem a vida em decorrência do suicídio.

Dessa forma, pelo menos uma vez na vida você ouvirá essas palavras de alguém que você ama ou conhece: “A vida não faz mais sentido”; “ Não aguento mais viver dessa forma”; “ Quero morrer”; “Valho mais morto, do que vivo”.

Certamente, alguma vez você terá a chance de salvar a vida de alguém que está em sofrimento psicológico grave e que por algum motivo, confidencia suas dores e desesperanças para você. Portanto, saiba reconhecer esses pedidos de socorro de alguém que não está em condições de tomar as próprias decisões:

Esses 9 tópicos te ajudam a entender sobre como ajudar pessoas que acham que a única saída é a morte

  • Saiba que as pessoas não querem morrer, mas desejam acabar com a dor que sentem num determinado momento. É como se a vida e o sofrimento não tivessem ligação, assim seria como se fosse possível matar somente o sofrimento e não acabar com a própria vida;
  • Lembre-se que a frase “Quem quer morrer não fala” é um mito. Na maioria das vezes, as pessoas que tentam ou conseguem cometer suicídio, falaram sobre o seu desejo de morrer para outras pessoas, mas foram desacreditadas. Provavelmente, externalizar esses pensamentos, foi a única forma que esse indivíduo encontrou para pedir socorro;
  • Ouça sem julgar. Esteja de ouvidos “abertos” para acolher as dores de alguém que se encontra sem esperança nesse momento da vida;
  • Não aumente a culpa. Não diga que isso é frescura, falta de religião, que a família vai ficar muito triste ou que amanhã, tudo vai passar. Pessoas que pensam em suicídio já se sentem muito culpadas por tudo;
  • Não minimize a dor. Jamais diga frases como “Você tem tudo e está reclamando a toa”, “Pessoas doentes dariam tudo para ter uma saúde como a sua”, “Deus vai te castigar”, “Amanhã, tudo ficará bem”, etc;
  • Resgate. Se você tem vínculo e histórias que foram compartilhadas, vale a pena trazer à tona as memórias e os bons momentos, como uma forma de resgatar a ternura pela vida;
  • Oriente sobre a necessidade de buscar ajuda profissional. É necessário buscar auxílio especializado com psiquiatra e psicólogo para cuidar dessa pessoa e também para dividir a responsabilidade de cuidar de alguém num momento tão fragilizado;
  • Se a pessoa não puder decidir sozinha, agende os profissionais de saúde mental e o (a) acompanhe nas consultas. Muitas vezes, as pessoas com ideações suicidas perdem a força de buscar ou “frequentar” ajuda. Uma forma bem eficaz é acompanhar essas pessoas em suas consultas iniciais;
  • Se preciso “quebre a confiança” pois, em último caso, é melhor contar um segredo do que perder um amigo (a) para sempre. Se você seguiu todas as orientações mencionadas até aqui e mesmo assim o seu amigo (a) ou alguém que você ama continuar resistente em buscar ajuda profissional, vale a pena informar seus parentes mais próximos.

Saiba que 90% das tentativas de suicídio podem ser prevenidas. Portanto, essas informações devem chegar aos amigos, familiares e até ao ambiente de trabalho de qualquer pessoa.

Um dia todos nós ouviremos ou identificaremos um pedido de socorro e vale a pena saber como ajudar. E acreditamos que munidos de informações, todos nós poderemos prevenir tentativas ou suicídios de amigos ou das pessoas que amamos.

Desabafo: sou uma dessas pessoas que ama a vida, mas um dia isso pode mudar e gostaria muito que meus amigos e familiares soubessem dessas informações, cuidados e como proceder se eu perder a esperança em tudo e sentir vontade de desistir.

Hoje pode não ser eu ou você, mas certamente é alguém que está perto de nós e precisa do nosso acolhimento e cuidado. Compartilhe essas informações, abram seus corações e cuide dos amigos ou familiares que pensam em desistir da vida. Acolha e mostre que se importa até que essa pessoa seja capaz de entender que há sempre outra saída, sempre tem outro jeito e que a vida sempre merece mais uma chance.

________________________________________________________________________________________________________________

Edição e revisão: Rafael Henrique da Silva (Jornalista – MTB: 0089369/SP)

Compartilhe!