Revista Statto

A INVEJA É APENAS MAIS UM SENTIMENTO: A PSICANÁLISE PRECISA FALAR SOBRE ISSO

03/03/2020 às 08h52

A inveja, sentimento de cobiça ou injustiça em relação àquilo que o outro tem ou é, talvez seja um dos maiores promotores da angústia humana. Ela normalmente é associada à vilania e quase ninguém admite experimentar este sentimento, mas a maioria acusa as outras pessoas de sentirem. Diante de uma crítica, é muito confortável pensar que o outro está com inveja. Às vezes, realmente está. Em outros casos, pode ser que a crítica seja autêntica.

A inveja como qualquer outro sentimento é normal.  O preocupante é quando ela ganha proporções descomunais e começa a travar a vida de quem a sente ou até mesmo impelir a pessoa a prejudicar o seu ou os seus alvos.

Invejosos num nível patológico ocupando posições de poder na sociedade podem fazer estragos homéricos, pois, muitas vezes, para se preservarem, podem delegar uma função para alguém menos competente por medo da concorrência e negar a outro mais preparado uma boa oportunidade.  Em resumo: por causa de um problema interno, a pessoa pode colocar em risco o sucesso de um projeto ou até mesmo de uma empresa.  Ou na melhor das hipóteses, impedir um maior desenvolvimento.

Muitos podem estar se perguntando: quem ocupa lugares de poder na sociedade sente inveja?

Ninguém está fora do grupo de risco quando o tema é inveja porque por mais bem-sucedido que alguém seja, sempre existirão pessoas mais competentes, mais inteligentes, mais carismáticas, mais atraentes, com relações mais felizes e saudáveis.

É um mito acreditar que apenas ricos e famosos sejam alvos deste sentimento. Qualquer pessoa pode sentir ou ser alvo da inveja. Vou mais longe: ela não ocorre apenas entre colegas de trabalho, amigos, irmãos e primos, pessoas com idade parecida, com o mesmo gênero e profissão. Obviamente, que ela tende a ser mais frequente entre os semelhantes que pleiteiam as mesmas oportunidades. Mas é relativamente comum encontrá-la entre casais.  Com as mulheres conquistando um espaço cada vez maior na sociedade, muitos homens se sentem inseguros diante das realizações das parceiras. A grande questão é como lidar com este sentimento doloroso sem que ele prejudique as pessoas.

Pela crença popular, a inveja seca até planta e muitos temem a convivência com invejosos porque acreditam que o sentimento negativo alheio pode atrapalhar os projetos e relacionamentos. Conviver com invejosos crônicos realmente não é prazeroso, da mesma forma que não é agradável conviver com pessoas autoritárias, arrogantes e egoístas.

Por outro lado, ninguém se machuca mais com este sentimento do que o próprio invejoso. Quem sente inveja de forma crônica, provavelmente, gostaria de ter outra vida ou de ser outra pessoa. É uma espécie de exilado de si mesmo. É alguém que precisa ser escutado sem julgamento.  Muitas vezes, é simplesmente alguém que pouco se conhece, que não consegue se amar o bastante por dificuldade de visualizar o seu desejo ou de como obtê-lo.

Compartilhe!
SOBRE O AUTOR

Por

POSTS RELACIONADOS
COMENTÁRIOS

0 Comentários

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios.

IMPORTANTE!
As informações recebidas e publicadas são de responsabilidade total de quem as enviou. Apenas publicamos as matérias e notas que as assessorias de imprensa nos passam. Qualquer problema, envie-nos e-mail relatando o ocorrido que transmitiremos aos devidos responsáveis.
desenvolvido porDue Propaganda