Revista Statto

TEMOS UMA MAIOR AMPLITUDE INTELECTUAL A PARTIR DOS 40 ANOS DE IDADE

25/11/2020 às 14h12

O envelhecimento humano está sujeito a influências intrínsecas, como a constituição genética individual responsável pela longevidade máxima e os fatores extrínsecos condizentes às exposições ambientais que o indivíduo sofreu (dieta, sedentarismo, poluição, entre outros).

A partir dos 40 anos de idade temos o que chamamos de contagem regressiva, quando nossos neurônios começam a morrer e temos a degeneração natural do envelhecimento com a atrofia dos hemisférios cerebrais entre muitos outros fatores.

Mas os quarentões não têm com o que se preocupar, afinal, de que adianta ter uma caixa com 100 pregos e usar apenas 30 se pode ter uma caixa com 70 pregos e usar 60. Na juventude estamos formando neurônios e fortalecendo sinapses, mas num processo natural de conhecimento, não temos o fator crucial para um intelecto pleno, com o cognitivo desenvolvido para termos uma melhor interação social, aprendizagem e com todas as nuances necessárias para um melhor bem-estar.

Uma pesquisa nos Estados Unidos garantiu que a maioria das pessoas mais ricas do mundo, ficaram ricas após os quarenta anos de idade. Claro, a experiência é crucial para o controle ideal para atingir o crescimento.

Após os 40 anos temos o que é denominado de Inteligência cristalizada; que está relacionada ao conhecimento que vem da aprendizagem anterior e experiências passadas que resultam em uma melhor compreensão de leitura e vocabulário.

Imagina após os 40 utilizar melhor a neuroplasticidade reforçando as conexões cerebrais? É usar 70 pregos e isso se a neurogênese, não colocar mais pregos dentro desta caixa e assim, usar a capacidade cerebral de uma maneira que nenhum jovem conseguiria já que, a inteligência fluída do jovem, aquela que envolve a capacidade de pensar e raciocinar de forma abstrata e resolver problemas, não é suficiente por não ter a mesma responsabilidade que a experiência tem de nos trazer um conhecimento além do teórico, mas através da prática.

Há quem diga que a partir dos 40 anos é a idade do medo, pois não nos arriscamos mais como os jovens. Eu prefiro dizer que esta idade é a do início da sabedoria, porque não nos arriscamos pois temos conhecimento do resultado não nos submetendo a esforços desnecessários. Quando chegar aos 40 anos, caso veja um jovem de 30 anos num carro a correr e pensar, nossa, não teria coragem disso, não se esqueça que está na idade da sabedoria, a chegar à idade do sábio em que, correr não vai mudar em nada a sua vida pois vai chegar no lugar independentemente da velocidade e escolhendo os melhores caminhos.

Compartilhe!
SOBRE O AUTOR
Fabiano de Abreu Rodrigues

Por

POSTS RELACIONADOS
COMENTÁRIOS

0 Comentários

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios.

IMPORTANTE!
As informações recebidas e publicadas são de responsabilidade total de quem as enviou. Apenas publicamos as matérias e notas que as assessorias de imprensa nos passam. Qualquer problema, envie-nos e-mail relatando o ocorrido que transmitiremos aos devidos responsáveis.
desenvolvido porDue Propaganda