Revista Statto

NÃO ESTAMOS PREPARADOS PARA CRESCER…

26/06/2020 às 16h07

“Ah, como desejo aprender mais sobre mim”!

“Como eu quero aprender mais sobre as relações humanas”!

“Quero construir um trabalho coletivo, no qual todos estejam incluídos”.

Desejos lançados levam a consequências pessoais nem sempre suportáveis…

Tudo dependerá de como você compreende a vida. Não há como fugir das nossas crenças na hora de interpretarmos os acontecimentos, de nos conectarmos ou não aos outros, de agirmos.

Nesse ano atípico, podemos ver acentuar-se muito aquilo que está dentro de cada um de nós, seja em desejos, seja em desespero.

É evidente que nesse período os conflitos internos e externos se manifestam muito mais. Por quê?

Porque a nossa organização de tempo e de espaço também se modificou, e em decorrência disso estamos todos, em alguma medida, fora da nossa zona de conforto.

Nossa zona de conforto se remete àquele estado ao qual estamos acostumados e que possui os seus “confortos”, que nos proporcionam o desejo de continuar ali. Sair dessa zona não é fácil, tranquilo e confortável. Requer um gasto de energia para vivermos e nos adaptarmos à mudança.

Sair dessa zona de conforto, às vezes, é uma necessidade, às vezes, é vital, mas por mais que em um primeiro momento se tome essa decisão, na sequência dessa decisão muitas pessoas desistem da mudança e voltam para o lugar onde estavam, porque é preciso um gasto de energia grande, um investimento no pensar diferente, um enfrentamento de conflitos internos e externos para que haja crescimento.

Além disso, precisamos viver os benefícios da nossa decisão, pois se decidimos ir para um outro lugar desejamos experienciar tudo de bom que pode haver lá. Mas nada é imediato, mesmo que a cultura atual plante crenças que nos fazem esperar resultados “para ontem”, tanto em nível pessoal quanto em nível social. O imediatismo nos distancia de um sólido desenvolvimento pessoal.

Assim, nesse momento, sair da zona de conforto se tornou algo que é maior do que uma escolha, é uma necessidade, mas para isso acontecer precisamos estar preparados para crescer. E talvez nós precisemos de algumas ressignificações em nossas crenças para podermos pensar e agir de forma diferente.

É fato e é fundamentado em pesquisas que crescemos ao enfrentarmos conflitos. Contudo, nem sempre conseguimos ver como fonte de crescimento os nossos conflitos internos. Da mesma forma, pensando em nossas relações interpessoais, vemos pessoas, em diferentes grupos, rechaçarem quem pensa diferente. Vemos, também, gestores em cargos de liderança ignorando questionamentos em relação a erros que cometeram, vemos distorções de falas e vemos também uma grande vaidade em detrimento da humildade para o reconhecimento de erros.

Cada uma dessas condutas, as quais você já deve ter presenciado, assim como eu, ignoram o desenvolvimento coletivo e até o atrasam. A habilidade de construir frente a cenários e posicionamentos diversos é parte de um mindset de desenvolvimento (pessoal e coletivo).

Num momento como esse, em que estamos distantes fisicamente, há a necessidade de proximidade de sentidos, de buscas, de conexão para o bem comum e não o distanciamento causado pela incoerência entre falas e ações. Nós nunca precisamos de tanta coerência quanto nesse momento que atravessamos.

A coerência entre aquilo que falamos e fazemos é a força motriz para a saúde mental, que precisa ser cuidada em nível individual e coletivo.

Sendo assim, percebemos que nem sempre estamos preparados para crescer. Um grupo cresce quando todos aqueles que fazem parte de seu sistema se sente incluídos, quando os conflitos são encarados como parte do processo humano, quando há cooperação e gerenciamento para o crescimento de cada um naquilo que possui de melhor.

Uma pessoa cresce quando se gerencia de modo semelhante à forma como gestores de grupos precisam agir. Mas é fato que, frente aos desafios, nem todo mundo está preparado para crescer.

No entanto, nada nos realiza mais (e nos faz estar em paz) que o nosso crescimento.

Amo uma frase que diz: “é impossível diminuir de tamanho após crescer cinco centímetros”. Essa frase simples retrata a beleza de cada movimento de crescimento que temos, não há como voltar atrás!

Desejo que esse texto faça sentido para você!

Um forte abraço!

Com carinho, Daniela Peroneo.

#eudigosimparamim

#aprendaadizersimparavocê

Compartilhe!
SOBRE O AUTOR

Por

POSTS RELACIONADOS
COMENTÁRIOS

0 Comentários

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios.

IMPORTANTE!
As informações recebidas e publicadas são de responsabilidade total de quem as enviou. Apenas publicamos as matérias e notas que as assessorias de imprensa nos passam. Qualquer problema, envie-nos e-mail relatando o ocorrido que transmitiremos aos devidos responsáveis.
desenvolvido porDue Propaganda