Revista Statto

OLHAR

12/05/2020 às 09h36

Não se olhe com o olho dos outros, ninguém vai te enxergar além dos rótulos, porque é só você que sabe quem é o produto.

Ainda que muitos te conheçam, e sabe quem você é nunca irá te olhar além do que se vê.

Não porque não querem ou não sabem, mas simplesmente quem você é, e o que você sente, o que você passou, sofreu, sonhou são definições suas refletidas em seu ser, selada em seu íntimo, visto somente com os seus olhos da alma.

Por isso, não se permita te olhar com o olho alheio, aceitando julgamentos reversos aos seus de alguém que sequer imagina os percalços vividos por você.

Se olhar com o olho do outro, é estacionar seus desejos, deixar de valer suas opiniões, e não protagonizar suas experiências, permitindo que a visão de outra pessoa interfira em suas atitudes. Subestimando suas qualidades e inteligência com uma visão distorcida de quem realmente é.

Quando nos vemos com o olho do outro nos desvalorizamos, limitamos nosso projeto pessoal, que nos leva a estagnação. Esquecemos a convivência que tivemos conosco mesmo, os nossos valores e nossas emoções. Anulamos o poder de decisão ao nosso respeito que cabe somente a nossa individualidade, razão e compreensão.

Quando se olha com outro olhar, um olhar que não te pertence, você autoriza uma invasão alheia, consente concepções, ponderações e opiniões com níveis de superficialidade de uma vivência exaustiva, te trazendo um vazio angustiante, uma sensação de pequenez uma autodestruição atrasando sua vida.

Ainda que o outro te olhe milimetricamente, nunca terá o seu olhar, aquele olhar que abre a janela da sua alma, e que te faz reconhecer o ser humano que você foi é e será a cada dia melhor, com seus erros e acertos, suas derrotas e superação, suas grandezas e seus valores planejados, construídos, e conquistados somente por você.

Não menospreze a Divindade que há em ti, mas preze a capacidade que você tem de ir à luta de buscar seus objetivos sem se importar com os obstáculos que aparecem na intenção que desvie seu olhar para seus reais propósitos.

O sagrado que há em você te direciona para o olhar da luz, a luz interior que te habita, que é a sua fonte de inspiração, siga essa direção e não aceite a indução de outros olhos, olhares sem nenhum significado, sem generosidade.

Você é muito mais que um simples olhar alheio, teus olhos não são olhos que somente olham, mas são olhos que veem e nisso há uma grande diferença.

Porque eles veem a preciosidade e a raridade que tu és! Porque eles brilham para você!

Só os teus olhos te mostrarão isso!

Compartilhe!