Revista Statto

OS ASTRONAUTAS SÃO OS MAIS CORAJOSOS

02/03/2021 às 10h11

Quem nunca na vida quis ser astronauta, nunca sonhou em entrar em um foguete e ser lançado para além da atmosfera da terra, sentir os efeitos da falta de gravidade e voltar para casa cheio de histórias para contar? Mas ser astronauta é para poucos e esses ainda precisam de muito treinamento para realizarem suas missões no espaço, quando conseguem sucesso em seus treinamentos.

Quando somos crianças achamos que a vida do astronauta é fácil, é só sentar a bunda no foguete e ir passear onde ninguém foi ainda, talvez encontrar um marciano perdido por aí, um venusiano acolá e depois voltar para casa com sentimento do dever cumprido. Eu mesmo já quis ser astronauta, maquinista de trem, varredor de rua, piloto de fórmula 1, piloto de avião, motorista de ônibus, piloto de helicóptero, artista e mais um monte de coisas, mas ser astronauta deve ser o que eu mais quis, sempre acreditei que o homem foi à lua, claro que foi! Eu nunca fui lá e acho que nem vou, o mais próximo que cheguei do satélite natural foi em um avião de carreira a dez mil metros de altitude, acho que faltou pouco para eu chegar ao espaço, já fiquei feliz, mesmo não sendo eu o piloto.

Eu acho que os astronautas são os caras e as mulheres mais corajosos do mundo atual, entrar em uma nave que vai ser lançada a milhares de quilômetros por hora rumo ao desconhecido, com todos os riscos que estão envolvidos nessa operação, haja vista que duas naves explodiram ao vivo na televisão há uns tempos atrás matando todos os ocupantes. E o que dizer daqueles que vão e ficam meses a fio embarcados na estação espacial, lá naquele fim de mundo, longe de sua família e sem saber se conseguirão voltar um dia, pois pode haver algum problema naquele trambolho ou não haver mais condições de buscá-los por motivo de guerra ou outra maluquice pertinente aos homens, daí como fica?

O cara para encara uma viagem dessas tem de ser muito corajoso, e coragem não é ausência de medo, mas sim seu controle, tem que ter a fibra de um herói e uma força mental gigante, vai que no caminho encontra com um Dart Vader qualquer perdido no espaço, com sua espada de luz e sem nenhum Jedi para lhe ajudar? Ou se encontra um Listak maluco que lhe deseje a cabeça, não gosto nem de pensar nisso, imagina só! A nave Apolo 11 teve problemas e seus tripulantes quase não conseguem voltar à Terra, depois de uma dessas eu não entraria em outra nave nem amarrado, nem que fosse a última coisa a fazer e me fosse dada a possibilidade de fazer a viagem de alguns meses sozinho com a Luíza Brunet, minha musa inspiradora, daí eu acho que pensaria com calma e sendo essa a única possibilidade de poder falar pelo menos com ela, eu acho que iria sim, me cagando todo, mas mantendo a firmeza aparente do macho que sou.

Só não acho os astronautas mais corajosos do que os navegadores descobridores de Portugal e Espanha, aqueles sim eram muito mais corajosos, porque se metiam em embarcações frágeis com destino ao desconhecido, sob a possibilidade de chegar ao horizonte e de lá cair no vazio, pois achavam ser a terra plana como alguns ainda acreditam hoje em dia. Nessa eu não iria mesmo, me recuso a entrar em um navio, venho adiando isso desde que me casei, minha esposa quer porque quer que façamos um cruzeiro e eu digo a ela que já estamos no Real, que o Cruzeiro nem existe mais e o que ainda existe está na segunda divisão e invento outra distração para ela me deixar em paz. Um dia ela ainda consegue me dobrar, toda mulher consegue, mas espero que este dia esteja bem longe. Daí você me diz que hoje os navios são dotados de toda tecnologia, que é mais fácil acontecer um acidente com uma espaçonave do que com um navio, mas eu prefiro voar, tenho algo de pássaro e nada de peixe ou de aventureiro, a minha maior aventura foi seguir o curso d’água no Parque de Ibitipoca, fiz toda a volta acompanhando o leito do riacho que corre lá, foi legal e arriscado, mais que isso só correr vinte e um quilômetros em montanha, pois já que pagaria o mesmo valor para correr cinco, resolvi fazer valer o dinheiro e corri vinte e um, cheguei bem estropiado, mas feliz, além de ficar dois dias com as pernas literalmente para o ar.

Voltando aos astronautas eu os admiro por diversos motivos, são pessoas multifunção, sabem um pouco de cada coisa e estão preparados para resolver vários problemas, eu mal sei trocar um chuveiro ou uma bucha da pia de casa, eles sabem consertar painéis solares, circuitos elétricos, fazem estudos científicos, pilotam aquelas naves e ainda por cima filmam a nossa Terra lá de cima. Verdadeiros heróis e pessoas corajosas ao extremo, porque, veja bem, em comparação com os navegadores antigos, em caso de um naufrágio, os descobridores tinham botes salva-vidas, podiam muito bem encontrar uma ilha paradisíaca perdida pelo oceano e ficarem lá vivinhos da Silva esperando o socorro. Já os astronautas, em caso de pane na nave, não têm nenhuma alternativa senão a morte quando aquilo explodir ou se perder pelo espaço, sem chance de encontrar nem um asteroide onde possa ficar esperando socorro. E eles sabem disso, mas mesmo assim embarcam nessas viagens malucas, mas aí vem você de novo e me diz: “mas, Celso, tem uma tecnologia porreta nessas naves, daqui da Terra o cara pode pilotar aquele troço, a possibilidade de explodir aquilo tudo é bem remota”, é remota mas existe, é real, eu sei disso e sabendo, dou aos astronautas o título de caras mais corajosos do mundo, heróis de verdade atualmente. Quando eu vejo as imagens de um astronauta rodopiando dentro da estação espacial eu fico cheio de inveja, e inveja não tem a boa ou a ruim, inveja é ruim mesmo, não é rosa e nem branca, é inveja e ponto final, não é bom, mas fazer o quê se é o que sinto. Abro aqui um adendo: não acredite quando te disserem que estão com inveja boa, isole na madeira porque é ruim mesmo. Mas fico resignado porque não tive competência ou força de vontade para tentar ser um astronauta, poderia ter tentado entrar para a aeronáutica, fazer a EPCAR, que é aqui pertinho, ser piloto e depois tentar uma vaga para treinamento lá na NASA, foi assim que fez o astronauta brasileiro, que também me causa uma inveja danada. Talvez não tenha tido toda a coragem que admiro nesses caras malucos, o medo superou o sonho, mas coragem não é ausência de medo, mas sim seu controle, é, me descontrolei nessa.         

Compartilhe!
SOBRE O AUTOR
Celso Ciampi

Por

POSTS RELACIONADOS
COMENTÁRIOS

0 Comentários

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios.

IMPORTANTE!
As informações recebidas e publicadas são de responsabilidade total de quem as enviou. Apenas publicamos as matérias e notas que as assessorias de imprensa nos passam. Qualquer problema, envie-nos e-mail relatando o ocorrido que transmitiremos aos devidos responsáveis.
desenvolvido porDue Propaganda