Revista Statto

SE NÃO FAZ BEM, NÃO É PARA VOCÊ!

09/03/2020 às 22h36

Nossa vida pode ficar muito tóxica se não aprendermos a “fazer faxinas” de tempos em tempos, a colocar limites, a me blindar para não pegar o que não é meu e que me faz mal.

Muitas vezes nos acostumamos a conviver com problemas e adiamos infinitamente as tomadas de decisão para “jogar fora” o que não nos faz bem, o que não presta mais na nossa vida.

Isso pode ser para coisas materiais, emocionais, pessoas, hábitos…

Em muitas situações na nossa vida, os problemas não são resolvidos por não serem vistos.

Você deve estar se perguntando: Como assim? Então vamos a uma história e depois respondo…

Certo dia, num mosteiro zen-budista, com a morte do guardião, foi preciso encontrar um substituto. O grande Mestre convocou, então, todos os discípulos para descobrir quem seria escolhido o novo sentinela.

O mestre, com muita tranquilidade, falou:

– Assumirá o posto o monge que conseguir resolver o primeiro problema que eu vou apresentar.

Então, ele colocou uma mesinha magnífica no centro da enorme sala em que estavam reunidos e, em cima dela, pôs um vaso de porcelana muito raro, com uma rosa amarela de extraordinária beleza a enfeitá-lo. E disse apenas:

– Aqui está o problema!

Todos ficaram olhando a cena: o vaso belíssimo, de valor inestimável, com a maravilhosa flor ao centro! O que representaria? O que fazer? Qual o enigma?

Nesse instante, um dos discípulos sacou a espada, olhou o Mestre e os companheiros, dirigiu-se ao centro da sala e… zapt! Destruiu tudo com um só golpe.

Tão logo o discípulo retornou a seu lugar, o mestre disse:

– Você é o novo guardião. Não importa que o problema seja algo lindíssimo. Se for um problema, precisa ser eliminado.

Muitas vezes temos dificuldade em detectar um problema, por ele já ter sido uma solução em nossa vida. Mas os ciclos passam e é fundamental sempre reavaliar o que ainda está sendo útil e o que não mais nos serve.

Por mais bonito, por mais caro, por mais confortante que algo tenha sido, se não é mais, precisamos reavaliar e reformular. Você pode ter nas mãos um problema disfarçado, um lobo em pele de cordeiro…

Tome consciência! Jung dizia que, quando tornamos consciente algo que não conhecíamos, 50% do problema já está encaminhado.

Muitas pessoas carregam a vida inteira o peso de coisas que foram importantes no passado, mas que hoje somente ocupam espaço e nos tornam ultrapassados ou pouco flexíveis.

Se não faz bem, não receba! Veja como aqui:

https://youtu.be/q3UqaWQx3G4

Pare agora e reflita sobre o que está carregando e que não deveria estar.

Qual problema precisa ser eliminado para você se sentir leve, para melhorar seu humor, talvez seu sono…

O importante é termos em mente que sempre é tempo para mudar e renovar! O que não podemos é deixar para amanhã…

Um abraço bem carinhoso para você!

Compartilhe!