Revista Statto

COMO COLOCAR A MEDITAÇÃO NA SUA VIDA? 7 DICAS ESSENCIAIS

02/09/2020 às 18h02

Realizar práticas meditativas de forma regular é extremamente importante para mantermos um estado mental positivo e estabilizado, assim como para nos fortalecer e prevenir que a mente nos domine – ao invés de nós a dominarmos, como deve ser. Afinal nossa mente é um instrumento, e nós é quem devemos escolher de forma consciente como reagir às situações ao invés de respondermos automaticamente, sem pensar.

Além disso, praticar meditação regularmente nos permite usarmos 100% da nossa capacidade atencional no nosso dia-a-dia, possibilitando resultados muito melhores em tudo o que nos propusermos a fazer de forma plena. No entanto, principalmente no início das práticas é normal nos debatermos com uma dificuldade de incorporar a meditação no nosso dia-a-dia. Assim, considerando esta dificuldade muito comum que diversos alunos me apresentam, gostaria de compartilhar com você 7 dicas essenciais que o ajudarão a incorporar a prática meditativa na sua rotina. Então vamos a elas?

A primeira dica é que, principalmente no início, usar ferramentas como o aplicativo gratuito Insight Timer ajuda muito a nos manter motivados a seguir em frente. Isso porque, em primeiro lugar, encontrar uma comunidade e até mesmo amigos que praticam usando o aplicativo, nos mobiliza muito a continuar, afinal somos seres gregários, que precisam e gostam de se relacionar. Além disso, ter práticas guiadas, de todos os estilos e gostos, podendo variar de prática todos os dias, é instigante, atiça nossa curiosidade e nos impede de cair em uma rotina monótona.

Tenho um amigo que costuma dizer que meditação é como Esporte: tem sempre um ou outro tipo que você gosta e realmente se identifica. Assim, lá no Insight Timer você encontra não apenas o meu perfil com mais de 40 conteúdos gratuitos, desde meditação para dormir, para iniciantes, para reduzir a ansiedade, o estresse, para desenvolver a autoconfiança, entre muitas outras, mas também diversos outros professores excelentes.

Não tenho dúvidas de que você facilmente encontrará a sua linha preferida. Finalmente, com este ou outros aplicativos similares, você consegue monitorar o seu avanço dia após dia, perceber padrões e assim definir as melhores estratégias que funcionam para você, por exemplo: descobrir quais horários você pratica mais, quanto tempo em média costuma meditar, qual tem sido sua frequência e dias preferidos, etc. Isso tudo sem esforço, já que as informações são criadas automaticamente. Conhecendo seus padrões você pode então usar isso a seu favor para definir a sua melhor rotina de meditação.

Agora, minha segunda dica para você é que sim, existem certos momentos do dia que são mais fáceis para meditar. É mais comum que estes momentos sejam pela manhã ou à noite, mas não existe uma regra única. Além disso, isso pode mudar ao longo da vida. Por exemplo, depois que eu tive minha filha, minha prática se intensificou no período da noite, depois que todos dormem e a casa está mais tranquila. Antes disso, eu meditava mais no período da manhã. Assim, com muita curiosidade e sem medo de errar experimente, tente, erre, encontre o seu melhor horário. Seria no meio da tarde? Antes de dormir? Logo ao acordar? E se com o tempo o seu horário mudar ou precisar ser alterado, não tem problema nenhum. O importante é praticar.

A terceira dica é usar o poder do hábito como forma de incorporar a meditação no seu dia-a-dia. Mas como fazer isso? O pulo do gato aqui é você encaixar a prática a encadeando com outros hábitos que você já tem. Por exemplo, acordar pela manhã, tomar um café e meditar. No meu caso, minha sequencia atual é escovar os dentes, meditar, ler e dormir. Note: os hábitos do período da noite de escovar os dentes, ler e dormir já existiam. Apenas aproveitei esta sequência para encaixar a meditação. Assim, quando não realizo uma ação, parece que está “faltando alguma coisa”. De forma prática convido você então a primeiramente descobrir um momento do dia ideal para realizar a sua meditação, em seguida, note que hábitos você já realiza neste período e então “encaixe” a prática junto com estes outros hábitos pré-existentes. E então, quanto mais você realizar a mesma sequência de hábitos, incluindo aí a meditação, mais esta trilha ficará marcada em seus circuitos cerebrais e assim, naturalmente o novo hábito será incorporado.

A quarta dica é: se comprometa a meditar todos os dias. Primeiro porque diversos estudos comprovam que a meditação tem um efeito em nós que dura aproximadamente em torno de 24 horas. Assim fazer todos os dias o ajudará a manter-se sob estes efeitos positivos permanentemente. Segundo porque quando nos comprometemos, por exemplo, a realiza-la dia sim, dia não, no dia “sim” acontece alguma coisa que impede você de meditar, daí no dia seguinte não é dia de meditar e no terceiro dia acontece outro imprevisto que o impede de praticar. Quando você vai ver você simplesmente parou a prática. Então, para não ter dúvida: todo dia é dia de meditar. Se falhar um dia ou outro, não tem problema. Também não precisa pegar pesado com você mesmo. Vão existir dias que simplesmente não conseguimos fazer e está tudo absolutamente bem. Usando esta técnica de se comprometer todos os dias, certamente a maioria dos dias você vai conseguir meditar, o que permitirá que você colha todos os benefícios que a meditação oferece, como: redução do estresse, melhora do sistema imunológico, redução da propensão à depressão, melhora da qualidade do sono, do relacionamento com os outros, promove mais estabilidade emocional, mais foco, clareza mental, aumenta a autoestima, o bom humor, e propicia um bem-estar psicológico geral.

A quinta dica é: se comprometa a meditar todos os dias no mesmo horário. Isso fortalecerá o seu hábito e facilitará a incorporação da meditação no seu dia-a-dia. É claro que você não precisa se frustrar caso não consiga realizar a prática exatamente na hora que se propôs. De novo, o importante é meditar. Definir um horário fixo é apenas mais uma ferramenta para ajudar você a atingir este objetivo final. Se ele for atingido de outras formas, excelente! Era isso o que queríamos.

Sexta dica: Seja gentil com você mesmo. Existem momentos da nossa vida que paramos de praticar por “n” motivos. Isso não significa que você nunca mais vai praticar. Muitas vezes você só precisa fazer alguns ajustes na sua nova rotina até adaptar-se novamente. Também não se cobre caso neste dia, ou em vários dias seguidos, você sinta que “não praticou bem”. Não existe não praticar bem. Pois quando você percebe que sua mente está dispersa, esta também é uma descoberta importante, uma autopercepção crucial que o permitirá se conhecer em maior profundidade e descobrir o que realmente se passa dentro de você.

Finalmente a última dica é: o mais importante é praticar. Não se apegue neste ou naquele formato: talvez você não tenha um “cantinho da meditação”, talvez você não consiga meditar 20 minutos todos os dias, ou ter um horário fixo para meditar, ou uma almofada própria para meditação, nada disso importa. Não importa onde, como, em qual horário, nem quanto tempo, mas sim praticar da forma que está dentro das suas possibilidades. Se for para a meditação ser mais uma coisa pela qual você se cobra e se sente mal consigo mesmo, então o sentido todo dela está errado. Meditação trata-se de ser gentil com você mesmo, com quem está ao seu redor, com se conhecer e tornar a sua vida melhor e mais feliz. Assim, estas dicas todas são apenas ferramentas que permitem que você chegue lá. Mas se isso não está funcionando para você, está tudo absolutamente bem também. Procure outro caminho, o seu caminho, a sua versão da felicidade e simplesmente seja muito, muito feliz!

Espero tê-lo ajudado, mas se você tiver qualquer dúvida, entre em contato comigo pelo Insight Timer (Juliana Zellauy Feres) ou pelo meu Instagram como @simplesmente.seja que será um prazer enorme ajudar você. Um grande abraço e até a próxima!

Compartilhe!
SOBRE O AUTOR
Juliana Feres

Por

POSTS RELACIONADOS
COMENTÁRIOS

0 Comentários

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios.

IMPORTANTE!
As informações recebidas e publicadas são de responsabilidade total de quem as enviou. Apenas publicamos as matérias e notas que as assessorias de imprensa nos passam. Qualquer problema, envie-nos e-mail relatando o ocorrido que transmitiremos aos devidos responsáveis.
desenvolvido porDue Propaganda