Revista Statto

RESENHA DE SÉRIES: GREENLEAF

15/05/2020 às 10h09

Greenleaf é uma série de drama de televisão americana, com 4 temporadas fortes e carregadas de suspense, controvérsias e até crimes e dramas familiares.

Criada por Craig Wright, e produzida por Oprah Winfrey e Lionsgate Television, também tem Clement Virgo atuando como produtor executivo e diretor. É estrelada por Keith David, Lynn Whitfield e Merle Dandridge.

A série mostra abertamente assuntos como: sexo, adultério, abuso e corrupção em uma mega igreja liderada pela família Greenleaf. Localizada na cidade de Memphis, às margens do Rio Mississipi.

Mas a trama traz um importante debate entre fé cristã e raça: a comunidade negra evangélica e o racismo nos EUA.

A hora da cura: Um funeral faz Grace (protagonista) retornar à propriedade da família 20 anos depois, onde ela descobre que um segredo antigo continua fazendo vítimas inocentes…

Essa série começa muito densa, pesada logo nos primeiros episódios. Embora o pano de fundo seja uma igreja evangélica, o mais chocante é perceber que esses problemas de ordem moral, mental e emocional da vida real, acontecem em qualquer entidade religiosa ou espiritualista (como visto nos noticiários de TV). E em qualquer família, independentemente de seu poder aquisitivo.

Cada personagem é um mundo à parte, que faz refletir seus medos, dramas e história de vida. E ao mesmo tempo, essas personagens se entrelaçam como na vida real.

O mais belo da história é percebido nas entrelinhas. Mesmo em meio a tantas controvérsias e sofrimento, é possível ter fé em uma mudança. E isso vai ocorrendo aos poucos, entre altos e baixos.

No final, entre mortos e feridos, sobra a família, a fé, a integridade em querer ser melhor, vista em personagens que não se esperava isso no início da trama.

É sem dúvida uma história fictícia polêmica e que procura mostrar evidências da realidade. Não muito recomendada para pessoas rigorosas ou melindrosas. Pois é uma trama que arranca a ferida sem anestesia.

É humana, é chocante, surpreendente!

E já está disponível na Netflix.

———————————————

BLOG DANIELA DUARTE

http://duartehousecomunicacao.blogspot.com

Compartilhe!