Revista Statto

NEGOCIAR ATÉ QUE POSSÍVEL!

25/02/2019 às 17h49

Já começo dizendo que não apoio Maduro, pois ele é um idiota irresponsável e um criminoso, podendo ser acusado de genocídio do próprio povo.

Mas, surpresa, também não apoio, ao menos por ora, qualquer medida de caráter militar para invadir a Venezuela.

Existem limites, há muito ultrapassados, de respeito à soberania de um país, quando flagrantemente o povo está morrendo de fome, quem tem dinheiro não consegue comprar nada pois nada existe nas prateleiras dos mercados.

Alguns reclamam que o governo brasileiro acolhe venezuelanos que estão fugindo de seu país, outros que o governo brasileiro não invade a Venezuela para salvar o povo de lá. Ora, devemos salvar os venezuelanos ou não?

O exército venezuelano tem lançado bombas que atingem o território brasileiro, visando atingir seus cidadãos e alguns brasileiros que os apoiam e que pretendem ingressar naquele país.

Ao lançar bombas que atingem o território brasileiro, não estaria o exército venezuelano agredindo o Brasil e dando-lhe legitimidade para atacar? Mas, o governo brasileiro ao permitir que cidadãos venezuelanos postados em território brasileiro atirem pedras e bombas caseiras contra os soldados venezuelanos postados do outro lado da fronteira, não estaria apoiando agressões ao país vizinho?

Ou seja, a coisa é muito mais complexa do que parece, sendo uma solução simplista e irresponsável defender que os soldados brasileiros invadam a Venezuela!

Por isso acho que, por ora, agem bem as autoridades brasileiras em investir no diálogo, por maior que seja a vontade pessoal de atirar uma bomba na cara do ditador.

O governo tem que agir, como tem agido até agora, com visão de país, e não de vingador.

Recém iniciamos lenta e dolorosa saída de uma das mais sérias crises econômicas de nossa história, que deprimiu fortemente a atividade de empresas e gerou milhões de desempregos.

Tudo o que não precisamos, nessa hora, é uma guerra suicida, cara e socialmente insustentável com um país vizinho. Não se enganem, no momento em que houver invasão militar da Venezuela, China e Rússia vão mandar tropas. E, daí a lambança será enorme.

Todo mundo sabe a hora de entrar em uma guerra. Ninguém sabe a hora de sair.

Muita calma, pressão política e negociação diplomática que o ditador cai de maduro, mais cedo ou mais tarde.

Compartilhe!