Revista Statto

O QUE PODEMOS APRENDER COM A PANDEMIA DO CORONAVÍRUS

16/03/2020 às 14h57

Em entrevista à CNN Brasil o Ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta afirmou que a pandemia não é um jogo, não haverá ganhadores e que o mundo sairá “diferente”. Essa fala me impactou de forma efetiva e me fez pensar no que depende de cada um de nós para que essa diferença seja positiva, embora tantos prejuízos e sofrimentos.

Higiene

Todo mundo sabe que a boa higiene é imprescindível para manter a saúde, mas será que levamos isso com seriedade? Uma senhora lavando as mãos do meu lado num banheiro de aeroporto sorriu e me disse: “Eu não aguento mais lavar tanto as mãos”. Eu pensei: “Não lavava antes”? Melhorar os cuidados com a nossa higiene pessoal, bem como com o nosso ambiente, é um aprendizado efetivo com ou sem o Coronavírus.

Disciplina

Obedecer a regras, nesse caso, protocolos estabelecidos pelos profissionais de saúde de forma sistemática é de suma importância para deter o avanço da epidemia.  Persistência e constância no conjunto de medidas e comportamentos sugeridos por especialistas pode ser o marco divisor desse período. A disciplina é de extrema importância em qualquer processo de mudança e superação. Certamente, um ótimo aprendizado de vida.

Equilíbrio

Não há razão para pânico que só piora qualquer situação, inclusive baixa a imunidade, mas todo cuidado é essencial. Vale lembrar a importância de buscar informações verdadeiras, sempre checando fontes. Manter o equilíbrio diante das crises é fundamental para a superação. Desenvolver a Inteligência emocional e manter a serenidade farão real diferença agora e no futuro.

Responsabilidade

Toda essa crise é mundial, representa um todo, mas ao mesmo tempo chama cada um a participar ativamente contra essa epidemia. Não basta que o Estado se comprometa em ações pertinentes, precisamos nos unir através de atitudes condizentes. Assumir responsabilidades sociais, exigindo mudanças de comportamentos que vão muito além do cuidar de si próprio é redescobrir a solidariedade. Grande ganho!

Diante da dor somos mais suscetíveis a buscar a espiritualidade. Quem sabe seria interessante aprendermos que a fé é uma filosofia de vida e não algo que se procure apenas nos momentos difíceis?

Eu fiz uma pequena lista, você pode ampliá-la e juntos somar forças. Vamos lá?

www.suelyburiasco.com.br

Compartilhe!