Revista Statto

TATUAGEM: ARTE E HISTÓRIA SOBRE A PELE

29/04/2019 às 09h20

A tatuagem é uma das formas de modificação do corpo humano mais conhecida e cultuada do mundo. Trata-se de uma arte permanente feita na pele humana, a motivação para os cultuadores dessa prática é ser uma obra de arte viva e temporal tanto quanto a vida.

Tatuagem significa a arte de introduzir debaixo da epiderme substâncias corantes, vegetais ou minerais, para produzir desenhos indeléveis. Assim, a tatuagem evoluiu em termos de desenhos, formas de aplicação e, principalmente, em relação à sua aceitação na sociedade.

O que era estereotipado, antigamente, é amplamente apreciado, atualmente, entre as mais diversas classes sociais, culturas, identidades, entre outros. Durante a história, várias tribos e civilizações utilizavam as tatuagens para contar as suas proezas de guerras, bem como para se embelezar.

Os marinheiros dos Estados Unidos aderiram fortemente ao estilo como uma forma de expressão pessoal, bem como de reconhecerem os corpos dos que permaneciam perdidos no oceano e se protegerem do recrutamento forçado na Inglaterra.

Em 1959, o dinamarquês Lucky Gregersen (também conhecido como Lucky Tattoo) se tornou o primeiro tatuador profissional a atuar no Brasil, pintor e tatuador, Lucky teve sua 1ª loja nas proximidades do cais (Rua João Otávio, transferindo seu ateliê logo depois para a General Câmara), onde na época era a zona de boemia e prostituição da cidade, gerando um estigma de arte marginal que perdurou por décadas.

Reconhecido como “o Pai da Tattoo” no Brasil, Lucky formou um clã de tatuadores na sua família. Sua filha Erna, que adotou o nome brasileiro de Ana, já era tatuadora profissional aos 20 anos. Ana faleceu em 2008, mas também ficou conhecida como a primeira mulher tatuadora profissional de todo o Litoral Paulista nos anos 80;

O dia 20 de junho ficou conhecido como “Dia do Tatuador” em homenagem a Lucky Tattoo. Foi o dia em que ele chegou no Brasil.

Estilos em alta e seus significados

Maori, tribais, animais repletos de simbolismos, frases em outros idiomas. Existem as tatuagens tradicionais, que não saem de moda, mas, cada vez mais, surgem estilos diferentes, que fascinam os que entendem do “riscado”.

A tatuagem 3D, que já era produzida na década de 80, voltou com tudo e atrai pelo realismo que transmite. Com ela, são criados objetos, que parecem estar em movimento, e ilusões, que simulam uma pele arrancada, dentre outros.

O estilo da aquarela, em que a tatuagem é preenchida com cores vivas, dentro do desenho escolhido para se tatuar, também ganhou espaço, atualmente.

A técnica colore com manchas leves, respingos e fusão de cores, como em uma tela de pintura. As geométricas utilizam traços finos e pequenas formas para criar um desenho maior e o pontilhismo abusa dos detalhes em torno das imagens tatuadas.

Esses três estilos têm sido frequentemente usados com desenhos de animais selvagens e flores.

COMO AS TATUAGENS SÃO FEITAS?

Nos métodos mais antigos, cortava-se a pele da pessoa e aplicava-se cinzas sobre o ferimento. Depois disso, as tribos passaram a fazer uso de palitos, pregos, cinzéis e lanças para perfurar a pele e injetar os pigmentos na derme.

Em 1891, Samuel O’Reilly adaptou urna máquina de gravação, inventada por Thomas Edison, e criou a máquina de tatuar rotativa.

Pouco se alterou depois da invenção de O’Reilly, que contava com um motor elétrico para guiar o eixo rotatório, levantando e abaixando a agulha. As máquinas mais modernas possuem uma bobina que aumenta a eficiência do condutor e causam menos danos à pele.

O que o mercado oferece de mais moderno compreende as máquinas pneumáticas, movidas a gás e com riscos mínimos de infecção.

Veja o significado de alguns modelos populares de tatuagem e inspire-se:

Âncora: Era utilizada por marinheiros, porém, foi amplamente difundida. Pode ser interpretada como segurança, firmeza e esperança.

A caveira mexicana: Que está em alta, surgiu da ilustração do artista José Guadalupe Posada e possui como objetivo lembrar que mesmo os mais ricos enfrentam a morte. Além disso, remete à paz de espírito daqueles que já se foram, não com pesar, mas com alegria.

Carpa: O peixe colorido, tradicional da cultura oriental, simboliza prosperidade e alegria. Alguns a tatuam simbolizando a força para lutar e alcançar seus objetivos (apontado para cima) ou que seus objetivos já foram alcançados (apontado para baixo).

Flor de Lótus: Simboliza superação de dificuldades. É considerada sagrada na Ásia, e, no hinduísmo, está relacionada à criação do universo e é um dos oito símbolos mais promissores do ensino budista.

Lembre-se que quando o assunto é tattoo, moda é o que menos importa: o mais interessante é o que você acha bonito, instigante e até mesmo significativo – apesar de não haver necessidade de significado atribuído a cada tatuagem, muitas pessoas consideram a representatividade de algum sentimento e ideia como parte do processo de se tatuar, mas é claro, você não precisa se limitar ao que é tendência para fazer uma tatuagem.

Compartilhe!