Revista Statto

AUTENTICIDADE

27/03/2019 às 10h32

 

As tendências ou o que está “fazendo sucesso”, têm conseguido corromper a nossa autenticidade. Não podemos atribuir a culpa a nada e nem a ninguém pela nossa leviandade e incapacidade de discernimento frente ao que nos é apresentado.

Constantemente, mostram-nos tendências, sejam estas, referentes à moda, comportamento, beleza e até mesmo ideias.

Certas coisas que há algum tempo atrás questionávamos e repudiávamos, hoje aceitamos, incorporamos e até mesmo “aplaudimos”. Será isto indício de evolução ou de retrocesso?

O quão influenciáveis somos? O coletivismo tem nos dominado tão facilmente? Será que nos cansamos de hesitar ao que nos é imposto e acabamos cedendo? Ou ainda pior, será que de fato, sentimos necessidade de estarmos inseridos em um meio onde precisamos “passar uma imagem”, nem mesmo que isto custe nossa autenticidade? Lamentável, seja qual for destas hipóteses.

“Odeio amarelo! Ah, mas está na moda. Vou começar a usar! ”

“Maria vai com as outras”, nos define.

Temos vivido muito de aparência, com características que não nos pertencem, deixando-nos levar por tendências ou ideias, que não nos são genuína.

A imagem, a impressão, a necessidade de aceitação, a ânsia de fazer parte de um grupo e o desejo de ser notado, têm nos feito ultrapassar as fronteiras do bom senso, e distanciando-nos de nossa autenticidade, tornando-nos frustrados.

Por indisposição ou vaidade, estamos perdendo nossa essência.

Será que estamos sendo “metamorfoses ambulantes”, ou sendo apenas lagartas tontas andando em círculos?

Compartilhe!