Revista Statto

CORAÇÃO MOLE

11/06/2019 às 17h11

“A gente descobre que está ficando com o coração mole,

quando não tira o gato que dorme preguiçoso,

em cima do saco de pão”.

A gente nota que começou a ceder

quando derruba uma lágrima

Pela carcaça na estrada,

pelo menino sem nada,

pelo cavalo sofrido,

pelo irmão denegrido,

pelo olhar do coitado.

Ou por qualquer filme triste,

por uma vida passada,

por quem não tem quase nada

e tropicando resiste,

pelo enfermo encolhido

meio com medo da morte,

por quem nunca teve sorte

ou um amor proibido.

Pelo maluco da esquina,

pelo pranto compulsivo

ou por qualquer um motivo

que não seja sua sina,

ou pelo mundo nocivo

que a criança explora,

pela mãe triste que chora

0 filho no mundo vil.

Quando sente no seu peito

sem que lhe diga respeito,

a dor que o outro sentiu

Compartilhe!