Revista Statto

HACKER NÃO… TRABALHADOR INFORMAL

02/08/2019 às 08h49

Caros legentes…

Tem alguma coisa que não encaixa, ou está muito errada nisso tudo.

O hacker fantástico que manipulou, invadiu de forma criminosa, organizada e extremamente eficiente os celulares de grandes autoridades brasileiras são:

Um golpista, um DJ, uma manicure e um motorista?

Nada contra, não quero estereotipar a classe de ninguém, tão pouco a dos hackers, mas fala sério, da maneira como estava sendo vendida essa história, o que se imagina é que uma organização criminosa, com patrocinadores bilionários mantendo investimento na ordem de milhões… Sei lá; você imagina tipo Minority Report, com a equipe da Pâmela Landy, caçando Jason Bourne, e na realidade, o cara que causou esse salseiro todo estava em casa, sussa… Dando umas twittadas de boa?

Afinal, como disse o ministro Sérgio Moro, sobre os poderosos hackers, em sua audiência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), “Não é um adolescente com espinha na cara, na frente do computador [responsável pela invasão], mas sim um grupo criminoso organizado […] É um ataque às instituições”, alegou o ex-magistrado.

Daí a Polícia Federal apresenta pra sociedade os seguintes suspeitos:

Walter Delgatti Neto, conhecido como Vermelho, 30 anos, se diz investidor de bitcoins, mas coincidentemente o “investidor” tem passagens por falsidade ideológica, tráfico de drogas, estelionato, eh… Embora isso não seja exatamente uma “passagem criminal” ele também é (ou era) filiado ao partido democrata (DEM).

Gustavo Henrique Elias Santos, 28 anos, ex DJ que pooor acaaaso, tem passagem por receptação, falsificação de documentos e porte ilegal de arma

Suellen de Oliveira, suspeitamente limpa, sem passagem alguma (até agora), a esposa do ex DJ tem como atividade o ofício de manicure.

Danilo Cristiano Marques, ex motorista de UBER, (…ex motorista?…) de 33 anos, e que… Adivinhe?! Também, já foi condenado por roubo no passado.

Será que tudo isso foi fruto de uma brincadeira mau caráter, e extremamente habilidosa? Ou talvez um acidente de percurso, algo… Por acaaaaso? Afinal, é difícil de engolir que, um pequeno grupo de pessoas extraordinárias, possuidoras de habilidades incríveis, tendo como fonte principal de renda, a mais nobre arte do brasileiro, O BISCATE, sem apoio e com equipamentos pouco sofisticados, hackear a elite da classe política brasileira.

Afinal, de acordo com a Polícia Federal, em entrevista coletiva recente, os suspeitos teriam acessado mais de mil números de autoridades, entre eles, procuradores, ministros e os presidentes da Câmara, do Senado, e até mesmo da República.

A pergunta é: Como essa galerinha, com ocupações tão comuns, conseguiram hackear, toda a elite política brasileira, de maneira tão trivial, além de conseguir acesso a tantos números telefônicos, se valendo de artifícios tão modestos, de acordo com os próprios investigadores.

O que se sabe, é que brincadeira ou não, intencionalmente ou não, o fato é que a operação SPOOFING (nome da operação que significa falsificação tecnológica), apreendeu aproximadamente 100.000 reais, na casa de Gustavo Santos e Suellen de Oliveira, além de uma movimentação bancária muito suspeita, nas contas do casal. Afinal Gustavo Henrique, movimentou em torno de R$ 424 mil, entre abril e junho de 2018, e Suelen movimentou aproximadamente R$ 203 mil, entre março e maio deste ano, quantias que a Policia Federal, habilmente deduziu, ser incompatíveis com a renda declarada do casal, (a não ser que ele seja o ALOK e ninguém saiba).

Agora beleza, supondo que os golpistas, aparentemente comuns, tenham tido uma espécie de epifania e, adquirido habilidades extraordinárias, capazes de descobrir os segredos mais pérfidos dos outros… Surgem as perguntas: quem teve a ideia? Se foi uma encomenda, por que contratar “profissionais” com experiências tão distintas do serviço contratado? Quem contratou? Quem pagou? Com que intuito? Em fim…

Nosso excelentíssimo Ministro, deveria estar mais empenhado em buscar essas respostas, do que dar declarações inapropriadas ou bancar aquele acima do bem e do mal… Será que ele sabe que destruir provas de uma investigação é crime?!?!?

¶ Decreto Lei nº 2.848 de 07 de dezembro de 1940, artigo 305, é crime “destruir, suprimir ou ocultar, em benefício próprio ou de outrem, ou em prejuízo alheio, documento público ou particular verdadeiro, de que não podia dispor”.

Vai que… Ele falou essa aula né não?!

Como um Juiz de carreira, um juiz de Tribunal, com vasta experiência, consegue se perder de forma tão imatura, pelo que se pode ver, a magnífica carreira do nosso mais aclamado e impiedoso Juiz, caçador de corruptos, foi tão gloriosa quanto seu monumental fracasso, na qualidade de Ministro.

Em fim… Se não tá fácil, nem para o excelentíssimo Ministro da Justiça e Segurança Pública, imagina para os meros morais?!?!

Compartilhe!