Revista Statto

INCOERÊNCIAS – “MÃE”!!

07/05/2019 às 22h59

Já conheci algumas pessoas cruéis

E pensei que talvez não tiveram uma mãe

Porque se a tivessem tido,

Sobre o amor, com ela teriam aprendido

Já vi uma mãe criar dez filhos

E já vi dez filhos não cuidarem de uma mãe

Já vi gente reclamar da própria mãe

Dizendo que está não soube ser como deveria ter sido

E mais tarde, vi essa mesma gente

Ouvindo as mesmas queixas de seu filho

Já vi a guerra separar mães e filhos

E nesse momento senti desespero

Já ouvi histórias de mães que abandonaram suas crianças

E já vi muitos casos de mulheres

Que de conseguir ter, nem que seja apenas um filho,

Não perdem as esperanças

Já vi a ingratidão mais árdua

A decepção mais dolorosa

Que vêm de quem menos se espera

Por quem se fez de tudo e mais um pouco

Já vi um filho desrespeitando sua mãe

Com palavras sórdidas que rasgavam a alma

E vi essa mãe quieta, suportando cada golpe

Com medo de ser abandonada

Ou por receio de ser ainda mais maltratada

Já visitei asilos

E dos olhos de quem havia sido mãe

Vi lágrimas caindo

Junto com as lágrimas,

Um olhar com a esperança

De um dia terem a notícia de que lhes visitar,

Seus filhos estariam vindo

E deixariam de ser apenas uma lembrança

Já escutei histórias de mães,

Que após perderem seus filhos

Nunca mais foram as mesmas

Uma parte muito especial delas,

Junto se foi

Também já vi mães no leito da morte

E pelo orgulho,

Filhos lá não apareceram

Sobre o amor e perdão, se esqueceram

Em homenagem ao dia das mães,

Já li lindas mensagens em redes sociais

E no outro dia,

Vi o mesmo que homenageou,

Se contradizendo demais

E por fim lhes conto que,

Já vi muitas mulheres terem filhos

Mas vi poucas serem mãe!

Compartilhe!