Revista Statto

SERZINHO DE LUZ

04/04/2019 às 17h51

De todos os presentes que já ganhei,

Tu és o mais precioso

Uma criatura divina

És sobretudo, repleta de luz

De tudo o que conheço, és o que há de mais amoroso

Confesso que, tinha certo receio em te ter

E hoje, parece-me que sem ti, desaprendi a viver

Tu tens o olhar mais sincero,

Um coração tão doce e puro

Por perto de mim, sempre te quero

Palavras, tu não sabes pronunciar

E nem precisas,

Dizes tudo e muito mais, apenas com um olhar

Em certos momentos, preciso de alguém que apenas esteja comigo

Que não me critique,

Que não me julgue

E tu sempre estás lá,

Me olha, me beija, me consola

Faz-se o meu melhor abrigo

Minha companheirinha,

Se existe melhor terapia que a tua amizade, desconheço

Contigo, nunca estou sozinha

Tantas vezes tenho que sair e preciso te deixar

Tu ficas triste, eu sinto

Mas mesmo assim, sempre me esperas

Não é por isso que deixas de me amar

Minha criança,

Com tua luz,

Tu renovas minha esperança

Em minha vida, tu és uma benção

Me ensina a ter paciência,

Me arranca risos, me diverte,

Traz amor e paz ao meu coração

Eu te conto sobre as coisas deste mundo,

Tu prestas atenção

E pareces compreender tudo em um segundo

Tu tens cama e sofá para se deitar,

Mas tua singeleza mostra que o essencial não está nas coisas

O piso te basta para descansar

Quem me dera eu fosse tão extraordinária o quanto tu tens concluído

Sou muito imperfeita

Mas contigo, tenho evoluído

Eu preciso mais de ti do que tu precisas de mim

O que eu levo tempo para aprender, tu já tens para me ensinar

Tu és luz, de magnitude sem fim

Obrigada por existir

E em mim sempre insistir

Se o destino me contrariar e antes de mim te levar,

Vou plantar contigo, um ipê amarelo em um jardim

Minha árvore preferida

Com a amizade mais verdadeira que tive em minha vida

A inspiração deste poema,

Um anjo em minha vida

Sem asas, mas com quatro patas,

Que ficarão para sempre, em meu coração desenhadas…

 

P.S.: Dedico, com todo o amor que há em meu ser, este singelo poema, a minha querida cachorrinha “Luna”, e também a tantos outros seres que assim como ela, são luz em nossa existência.

Compartilhe!