Revista Statto

FALANDO DE MISS BRASIL

15/04/2019 às 11h17

Há 65 anos elegemos a representante brasileira no maior concurso de beleza da atualidade, o MISS UNIVERSO. Nossa primeira representante foi a baiana Martha Rocha, que se tornou uma lenda ao perder o concurso por ter duas polegadas a mais no quadril. Nas décadas de 50 e 60, o Brasil era considerado uma das maiores potências do concurso. Nesse período era comum nossas representantes chegarem no top 10, top 5 e até mesmo a duas honrosas vitórias em 1963 e 1968. Nas décadas seguintes fomos perdendo fôlego, o concurso quase chegou ao fundo do poço na década de 90. A partir do início do século, o Miss Brasil voltou a ser televisionado para delírio da galera que ama esse tipo de evento. Em todos esses anos, seguimos elegendo aquela que tinha o rosto e/ou o corpo mais bonito. O grande problema é que o Miss Universo mudou, as exigências mudaram, os padrões se inverteram, o concurso universal busca uma mulher contemporânea, inteligente, carismática. Demoramos pra “pegar” o espírito da coisa, mas acho que finalmente chegamos lá. Recentemente elegemos a nova Miss Brasil, e a vitoriosa foi JULIA HORTA , uma mineira de 24 anos que é jornalista e apresentadora. Julia já representou o Brasil em dois concursos internacionais, conquistando um top 5 e um segundo lugar. A mineira é a personificação da Miss moderna.É bonita sim, tem um belo corpo sim, mas suas principais características, carisma, inteligência, cultura e humildade é que realmente a credenciam pra ser uma representante a altura do nosso Brasil.

Compartilhe!
Giovani Becker

Por

@giovani.becker.9 Santa Maria/RS