Revista Statto

UMA EXTENSÃO DE VÁRIOS LUGARES

13/09/2018 às 06h19

Como meta, Florianópolis está na pauta de muitos. Como opção de estilo de vida ainda mais, seja pelas belezas naturais, ou pela oferta das sensações de paz e de prosperidade. Aliada à opção de melhores condições e chances de trabalho, a capital de Santa Catarina torna-se um reduto de seres de todos os lugares.
Nesse sentido, acredita-se que o codinome Ilha da Magia não se limita às lendas de “Bruxas de Franklin Cascaes”, contadas pelos antigos moradores. Ao transitar o cotidiano da Cidade Criativa da Unesco, percebe-se que os nativos, ou estão em seus redutos, ou realmente, já são em menor número. Porém, ainda são eles os responsáveis por deixar a convivência com tudo que Florianópolis oferece ainda mais mágico, seja pelo linguajar, pelo sotaque, pelas trajetórias de vida, seja pelas estórias de pescador.

A economia da capital catarinense é fundamentalmente baseada na tecnologia da informação, no turismo e nos serviços. Tanto que a Newsweek – revista semanal norte-americana – considerou que o município é uma das “dez cidades mais dinâmicas do mundo”, enquanto que o Índice de Cidades Empreendedoras (ICE), elaborado pela filial brasileira da ONG norte-americana Endeavor, elegeu a cidade como o melhor ambiente para o empreendedorismo no país.

Assim, Florianópolis constitui-se como uma segunda casa para muitos gaúchos, paulistas, baianos, mineiros, paranaenses, argentinos, uruguaios, estadunidenses e europeus. Notoriamente, e de certa forma surpreendente, é raro um ambiente de trabalho ou atuação econômica em que não há participação de ex-turistas que ficaram ou de muitos que voltaram. Eles estão dirigindo Uber, lotados em ambientes públicos, a postos no comércio e serviços, ou atuando em inovações rentáveis.
Enfim, os quilômetros de areia e de água azul céu, a imensidão de matas verdes, o sobe e desce de morros, o vai e vem pelas orlas são mais intensos com toda a miscigenação de cultura, valores, cores, crenças e rituais.

Com certeza, bruxa alguma de Cascaes sequer imaginou tamanha magia que a Ilha se tornou.

 

Compartilhe!