Revista Statto

PROFISSÃO: ENGENHEIRO CIVIL

22/03/2019 às 17h57

 

– “Você trabalha com o que?”

– “Sou engenheiro Civil.”

– “Ah, sim! Desenha casas e prédios. ”

Breve conversação de um transeunte com um engenheiro civil.

O engenheiro civil é genericamente visto como profissional que “desenha casas e prédios”. Sim, engenheiro civil também pode desenhar casas e prédios, mas não é limitado a isto e por trás de cada engenheiro civil, há muito estudo e responsabilidade.

Na construção civil, além de uma fachada exuberante, por exemplo, existe uma estrutura que sustenta não somente esta fachada, mas toda a edificação.

Constantemente, somos influenciados por nossa própria natureza humana, a falar e opinar com base no que inicialmente nossos olhos conseguem alcançar.

Ficamos extasiados com uma arquitetura harmônica, condizente com a necessidade da edificação. No entanto, raramente questionamos o que sustenta tudo aquilo que visualizamos. Não vemos, portanto não importa muito, o que vale que é o que está a nossa frente.

Sendo assim, o engenheiro civil raramente é lembrado e quando é anunciado, é visto como arquiteto, “Ah sim! Desenha casas e prédios.”

O pilar que não fica no centro de uma sala, a sacada que impressionantemente parece ficar suspensa para fora da edificação, o teto que não sucumbe às nossas cabeças, enfim, a compatibilização eficiente da arquitetura com a estrutura de sustentação, e a estabilidade de tudo isto, cabe ao engenheiro civil. Papel importante deste indivíduo não é mesmo?

É uma lástima que o engenheiro civil seja, na maioria das vezes, lembrado somente quando surge um problema em uma obra. “Chama o engenheiro que ele resolve”.

No momento de o cliente assinar o contrato de prestação de serviços com o engenheiro civil, o tal contrato parece uma piscina, de “tantas lágrimas” que caem dos olhos cliente para que o engenheiro reduza o valor da proposta. “Mas está muito alto este valor, é uma coisa simples.”

Pode-se ainda acrescentar que a atual situação econômica do país, não tem contribuído positivamente para esta profissão.

São diversos engenheiros civis saindo da graduação e não encontrando trabalho na área.

É pouca demanda para o número de engenheiros civis que existem.

Quem já atua na área, se mantém. Quem está em busca de uma oportunidade, infelizmente tem se deparado com muitos “não” ou até mesmo ficando sem respostas. Quando, quase que milagrosamente, se consegue uma inserção neste mercado, a responsabilidade do engenheiro civil continua sendo grande, porém o salário é incoerente com a função.

Levando-se em consideração a clássica desvalorização do profissional e a economia atual, pode-se concluir então, que hoje em dia ser engenheiro civil não é fácil!

Meu nome, Ana Roberta.

Minha profissão, engenheira civil.

Compartilhe!