Revista Statto

ACORDA MERCADO – QUARTA

11/09/2019 às 11h56

Ontem o Ibovespa caiu 0,14% e fechou aos 103.031 pontos com um giro financeiro de R$ 17,3 bilhões. Essa queda interrompeu uma sequência de quatro altas consecutivas.

No cenário interno, as varejistas pesaram para a queda da bolsa, por dois motivos: a Semana Brasil, que não teve o efeito esperado, e o lançamento do Amazon Prime no Brasil, que dá frete grátis e acesso a serviços de streaming de vídeo e música. Em uma só tacada, a Amazon ataca as varejistas do Brasil, assim como serviços disponibilizados por Spotify e Netflix, englobando tudo em um custo de apenas R$ 9,90 por mês no pacote anual, sem contar o teste grátis por 30 dias.

Apesar de chegar assustando as varejistas, que caíram bastante no pregão de ontem, a Amazon deverá enfrentar dificuldades em um mercado de e-commerce dominado por quatro empresas, que juntas possuem um market share de 70% e tem artifícios para poder contra-atacar.

Os bancos também voltaram a cair, após várias altas consecutivas com os investidores aproveitando para colocar o lucro no bolso. A queda da bolsa só não foi maior porque as empresas ligadas as commodities foram bem ontem.

Já no cenário externo, a expectativa se volta para a reunião do BCE que acontecerá amanhã, que pode anunciar um pacote de estímulos com corte na taxa de depósito compulsório, assim como vem acontecendo na China e, também, a retomada do programa de compra mensal de ativos, o QE (Quantitative Easing), que foi encerrada em dezembro do ano passado. Se os estímulos forem baixos, a tendência é de queda nas bolsas internacionais, já que o mercado aguarda um grande pacote de estímulos e essa decisão terá influência na reunião do FED semana que vem, para decidir sobre a taxa de juros.

O mercado ontem se dividiu entre varejistas e bancos indo mal, e empresas ligadas as commodities indo bem, o que acabou deixando a bolsa quase no zero a zero, se considerarmos que das quatro ações mais representativas da bolsa, dois são bancos (Itaú e Bradesco) e dois são ligadas a commodities (Petrobrás e Vale).

A começar pelos bancos que fecharam em queda, o Itaú (ITUB4) recuou 1,94%, o Bradesco (BBDC4) caiu 1,77%, o Banco do Brasil (BBAS3) caiu 1,68% e o Banco Inter (BIDI4) recuou 4,47%. Já o Santander (SANB11) subiu 0,42%

As ações da Vale (VALE3) subiram 0,73%, alinhados com a perspectivas de novos estímulos vindo da China. Já as ações da Petrobrás (PETR4) subiram 0,63%, mesmo com a queda do preço do barril de petróleo. As maiores altas de ontem foram da YDUQS (YDUQ3) subindo 3,41%, da Kroton (KROT3) subindo 3,28% e da Gerdau (GGBR4) subindo 3,12%.

Na parte de baixo, as maiores quedas foram da Magazine Luiza (MGLU3) caindo 4,97%, da B2W (BTOW3) caindo 4,82%, da Via Varejo (VVAR3) caindo 3,28% e das Lojas Americanas (LAME4) caindo 3,19%. Ontem as ações em queda pesaram mais, já que das 68 ações do índice, apenas 24 fecharam em queda.

No mês, o grande destaque positivo segue sendo a Ultrapar (UGPA3) com alta acumulada de 11,94%. Já o destaque negativo continua sendo a MRV (MRVE3) com queda de 13,86% em setembro, apesar da Via Varejo (VVAR3) já encostar, com uma queda acumulada de 12,29%.

Indo para o dólar, a moeda ficou de lado, aguardando os pacotes de estímulos na reunião do BCE amanhã – se forem baixos ou considerados insuficientes, podem pressionar o dólar pra cima. O dólar recuou 0,07% a R$ 4,09. Já o euro caiu 0,15% a R$ 4,52.

Os DIs voltaram a subir, também a espera da reunião amanhã do BCE, que poderá influenciar na decisão do Copom na próxima semana. O DI jan 2021 subiu de 5,34% para 5,35%, enquanto o DI jan 2025 subiu de 6,98% para 7,01%.

Vale ressaltar que ontem o Governo elevou a expectativa de PIB para 2019, de 0,81% para 0,85%, como resultado da liberação de saques das contas do FGTS e com a Selic recuando e estimulando a economia.

Indo para os Estados Unidos, ontem as bolsas fecharam de lado pelo terceiro dia seguido. Os investidores estão cautelosos com a atuação do FED na próxima semana. O Dow Jones subiu 0,28%, o S&P500 subiu 0,03% e o Nasdaq caiu 0,04%.

A decisão do BCE amanhã irá pesar bastante para uma decisão do FED na quarta que vem. Por enquanto o mercado terá que digerir os dados do PPI de agosto, divulgados hoje às 9h30, e os dados de estoques no atacado, revelados às 11hrs.

Os índices futuros estão subindo, porém de forma leve, de 0,10% a 0,20%, não indicando ainda nenhuma tendência na abertura das bolsas norte-americanas.

Indo para a Europa as bolsas abriram em alta, com Frankfurt subindo 1,00%, Londres subindo 0,97%, Paris subindo 0,39% e Madri subindo 0,08%. Na Ásia, as bolsas fecharam em alta também, com Tóquio subindo 0,96%, Seul subindo 0,84% e Hong Kong subindo 1,61%. A exceção foi Shanghai com queda de 0,41%.

O preço do barril de petróleo voltou a cair, depois de algumas altas consecutivas, com a decisão da demissão do conselheiro de Segurança Nacional dos EUA – que era mais linha dura com o Irã. Dessa forma, os EUA podem retomar os diálogos com o Irã, elevando a oferta da commodity e derrubando o preço. O WTI caiu 0,78% a US$ 57,40 e o Brent caiu 0,34% a US$ 62,38.

O preço do contrato de 250g de ouro oz1d subiu 1,00%. Já as criptomoedas estão em baixa nas últimas 24 horas, com o bitcoin caindo 2,56%, a ethereum caindo 2,04% e a ripple caindo 2,42%. Para finalizar o IFIX caiu 0,02%, tendo como maior destaque o FII Torre Almirante (ALMI11), subindo 3,02%.

Fabio Louzada – Economista e CEO da startup Eu Me Banco

Ótima quarta e bons negócios!

Compartilhe!