Revista Statto

RECEITA DO FRACASSO

12/06/2020 às 21h14

Quem nunca teve um fracasso na vida que atire a primeira pedra. Não importa a área da vida, mas alguma coisa não saiu como você queria. Isso foi decepcionante, não é mesmo? E o que você fez – insistiu ou largou tudo?

O fracasso é visto de forma negativa por muitas pessoas e pode ser motivo para desistir de tudo, inclusive, da própria vida. Para outros, é o incentivo necessário para aplicar maior esforço e dedicação, analisar possibilidades e tentar de novo de forma mais inteligente.

A maneira como você encara a situação é que vai fazer toda a diferença na sua história. Thomas Edson, o criador da lâmpada elétrica, fez 1.200 experiências para que tivesse resultado almejado. Se ele tivesse desistido logo na primeira tentativa, a humanidade passaria na escuridão por mais alguns anos. A grande lição que ele nos deixou é que aprendeu mais com os erros do que com os acertos.

O fracasso não pode ser considerado culpa ou fraqueza. Muitos se envergonham por terem falido, mas isso não é vergonha. É mais uma experiência da qual inúmeras lições ficaram para que se possa subir para o próximo nível.

No mundo dos negócios, o empreendedor encara diversos desafios. Uns são mais leves e outros mais pesados. Já vi casos de pessoas que cogitaram desistir no negócio que acabaram de começar porque não fizeram vendas na primeira semana. O plano B era começar um novo negócio porque era mais lucrativo que o atual. Não faz sentido algum. Se o outro negócio lhe parece mais lucrativo, faltou fortalecer a base com pesquisa e planejamento.

Desistir sem tentar faz parte do fracasso porque não houve tempo suficiente para o negócio crescer e dar frutos. É preciso tentar de todas as maneiras possíveis, estudar muito, buscar por ajuda especializada de um consultor ou mentor, apostar na inovação, pesquisar o que a concorrência tem feito, entender como o mercado funciona e como seus clientes podem ser atraídos.

Um outro ingrediente desta receita é dar ouvidos a conversas inúteis e julgamentos a seu respeito. Muitos vão te criticar pelo que você faz, da maneira que faz, do seu preço, do seu produto ou serviço, do seu site, da fachada da sua empresa, do seu corpo, do seu cabelo, da sua roupa ou modo de falar. Algumas críticas são boas já que nos ajudam ter mais clareza de alguma situação e, com isso, podemos aplicar alguma mudança necessária, mas outras dispensam comentários. Se for dada a devida atenção, vem a desmotivação, a tristeza e o fracasso.

O medo e a vergonha são ingredientes perigosos e podem paralisar as pessoas. Medo de se expor, medo do que as pessoas vão falar, vergonha de vender o produto ou serviço, vergonha em dar entrevista, vergonha de gravar um vídeo ou fazer uma live. É mais vergonhoso não tentar. Aqueles que se arriscam são encarados como pessoas corajosas.

O planejamento é muito importante, mas se não vier acompanhado de ação pode levar ao fracasso também. Conheci uma empreendera que planejou muito bem o seu curso online, porém, não fez o lançamento quando estava pronto porque se sentia insegura já que não havia muitas referências no mercado. Quando resolveu lançar, muitas empreendedoras já estavam vendendo cursos semelhantes. Lição: agir e aproveitar a oportunidade agora.

O sucesso nunca acontecerá se não houver planejamento, um trabalho bem feito, coragem, ação, esforço, dedicação, fé em si mesmo e no que faz.

Você é a única pessoa que pode escolher se o fracasso será uma tatuagem ou apenas um leve hematoma.

Compartilhe!
SOBRE O AUTOR

Por

POSTS RELACIONADOS
COMENTÁRIOS

0 Comentários

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios.

IMPORTANTE!
As informações recebidas e publicadas são de responsabilidade total de quem as enviou. Apenas publicamos as matérias e notas que as assessorias de imprensa nos passam. Qualquer problema, envie-nos e-mail relatando o ocorrido que transmitiremos aos devidos responsáveis.
desenvolvido porDue Propaganda