Revista Statto

VAMOS FALAR DE VISAGISMO

15/07/2020 às 15h53

Nos salões de beleza é muito comum as clientes quererem um corte que viram em artistas de TV. Mas qual o corte que realmente combina com você?

Aí o profissional se vale das técnicas do visagismo, usando make, corte, penteado, valorizando os traços do rosto, colocando a imagem em sintonia com cada pessoa.

Num primeiro momento, o profissional analisa os traços do rosto para definir o corte ou penteado, mas isso, por si só, não é determinante. Tem que ser avaliado também o temperamento e os elementos da personalidade de cada um. O profissional experiente precisa de cinco minutos para descobrir o que a cliente deseja. Enquanto conversa observa bolsas, sapatos, roupas, chaves do carro, o que gostam, o jeito de ser. A partir disso é possível definir o estilo como sendo clássico, contemporâneo, esportivo, moderno, conservador. Sem empregar o visagismo não é possível se obter um bom resultado. Por isso que algumas pessoas quando chegam em casa e se olham no espelho acham que tem algo errado. O corte ou a tintura podem estar perfeitos, tecnicamente impecáveis, mas não são os que melhor atendem o conjunto de elementos que resumem aquela determinada pessoa, ou seja, esse corte ou tintura não servem para você.

É claro que existem alguns elementos externos, de consenso médio, estabelecidos dentro de um padrão cultural, social que ditam um estilo padronizado. Por exemplo, é desaconselhado que as loiras usem cabelos muito escuros, morenas com cabelos muito claros, mulheres altas com cabelos bastante curtos. Também se sabe que os rostos ovais são os melhores para todos os tipos de corte e armações de óculos. Os rostos redondos aceitam menos volume, cuidando-se para se dar leveza nas laterais. Rostos quadrados ficam muito bem em cortes Chanel ou de comprimentos variáveis, aconselhando-se o não uso de franjas retas. Para os rostos triangulares ficam muito bem fios desconectados, assimétricos, com todos os comprimentos de franjas. Cortes com linhas verticais e retas passam estrutura, os de linhas horizontais já dão ideia de estabilidade. Os cortes com linhas inclinadas passam dinamismo. Os cabelos com linhas curvas como os da Gisele Bündchen transmitem sensualidade e romantismo enquanto os de linhas quadradas (encaracolados) passam uma idéia lúdica, reportando-se à infância.

Mas como visagismo não é só isso, é preciso saber reconhecer as mensagens que o outro nos transmite. Aqui entra a sensibilidade do profissional que é adquirida com a experiência. Não raro algumas pessoas sustentam um estilo que permite usarem algo que não seria indicado para o seu porte físico, mas sua personalidade autoriza concluir que é o que realmente querem. Aí o profissional pode executar com tranquilidade, pois estarão oferecendo a satisfação que foi buscada

Compartilhe!