Revista Statto

Você sabe o que é monotonia alimentar?

30/10/2018 às 11h21

Você já se perguntou o quanto varia as opções de vegetais, frutas e carnes que consome ao longo da semana? O quanto cozinha, compra e escolhe sempre os mesmos alimentos?

O ser humano é onívoro, ou seja, consegue metabolizar tanto alimentos de origem animal quanto vegetal, porém, a base alimentar precisa vir de vegetais e frutas (nossas maiores fontes de vitaminas e minerais), o que, na grande maioria das vezes, não acontece, levando ao que chamamos de Monotonia Alimentar, que é um grande perigo à nossa saúde.

Primeiro, porque cada alimento é fonte de determinados nutrientes e, ao comer sempre os mesmos, acabamos predispostos a desenvolver mais déficits ou excessos nutricionais; segundo, porque deixamos de consumir, muitas vezes, os alimentos da época natural de safra, os mais em conta, mais ricos em nutrientes, mais saboroso e nutritivo. Além do mais, em muitas situações, pessoas com esse hábito alimentar, são as que chegam ao final de semana, ou até mesmo em dias da semana, e exageram nas refeições, desenvolvem compulsão, viciam seus paladares em função da baixa variação de sabores e repetição de alimentos.

Precisamos sempre cuidar, independente de onde estamos, se festas de família, jantar com amigos, praia… para não perder a noção e a conexão com o corpo, lembrar que fome e vontade de comer são situações absolutamente distintas e que, nesses encontros, a comida será secundária à comemoração, à celebração, não o principal.

O perigo da monotonia alimentar vale para todas as idades, principalmente à criança que está formando seu paladar com novos hábitos alimentares. Neste momento, os pais deverão ter cuidado para não oferecerem somente o que agrada o paladar deles ou que tenham o hábito de consumir (dos pais, no caso).

Independente da sua dieta ou estratégia, seja você vegano, vegetariano, fazendo a estratégia low carb, cetogênica, paleo ou qualquer outra, a base é o vegetal, mais do que isso, a diversidade de vegetais. E passar a vida inteira consumindo sempre os mesmos, porque agrada mais seu paladar, definitivamente não será suficiente para te nutrir, e incluo aí a diversidade de frutas.

Como escolher então:

  • Prefira os orgânicos;
  • Caso não tenha acesso, consuma vegetais e frutas da época, os que estão em maior abundância no período, pois, além de conservar a maior quantidade de nutrientes, eles certamente terão menos veneno;
  • Procure variar toda vez que for comprar, por exemplo, se nesta semana optar por cenoura, beterraba e alface, na seguinte compre outros;
  • Vá mais a feiras do que em supermercados;
  • Não esqueça de ter cores diversas no prato;
  • Evite vegetais congelados, enlatados e pré-cozidos prontos;
  • Não coma somente para agradar seu paladar;
  • Caso não possa variar tanto, varie menos ou nem varie, mas coma vegetais.

Observe suas escolhas no desjejum. Não é porque ovos são bons, que devem ser consumidos todos os dias da mesma forma, temperos e com as mesmas combinações. Isso serve também para almoço, lanche e janta.
Portanto, a variação deverá ser de alimentos, refeições, preparações, temperos e tudo mais que puder.
Equilíbrio, constância e boas escolhas mudarão sua vida, sua disposição e sua saúde.

 

Compartilhe!
Graziella Albuquerque

Por

@nutrigrazielaalbuquerque Nutricionista Clínica. CRN2/6517. Santa Maria/RS