Revista Statto

Geração conectada

13/09/2018 às 10h30

Em meio a correria que vivemos, estamos cada vez mais interligadas às novas tecnologias, e somos constantemente “bombardeados” por enxurradas de informações, e muitas opções de entretenimento.

Porém, temos que ter presente que o convívio interpessoal, às experiências adquiridas são fatores de extrema importância para o nosso desenvolvimento e formação de nossa personalidade.

A cada dia que passa, as pessoas, acabam se isolando do mundo real, vivendo num mundo virtual e fantasioso, direcionando todas as suas atenções e energias para um universo irreal, enquanto sua vida vai passando sem ser de fato vivida.

Temos que ter presente que isso, prejudica não só quem vive esse mundo, mas todas as pessoas que estão no seu convívio, e muitas vezes prejudicando também no seu ambiente de trabalho, podendo inclusive serem despedida por ter baixa  produção, por causarem acidentes, principalmente por não terem o bom senso no uso das tecnologias no momento que teriam que ter atenção voltada para o trabalho.

Não podemos esquecer das crianças que, muitas vezes deixam de estudar e até mesmo brincar com outras crianças, para estarem conectadas às tecnologias, às redes sociais e jogos, deixando de lado este momento tão importante no seu crescimento e formação.

Com isso queremos alertar que, deve haver maior responsabilidade com aparelhos tecnológicos, de modo que o seu uso não prejudique as atividades essenciais do cotidiano. Os pais, por exemplo, devem estabelecer limites aos seus filhos quanto ao uso, os trabalhadores devem deixar de lado e focarem em seu trabalho, enquanto as escolas devem educar seus alunos com o intuito de haver maior interatividade fora das redes sociais e jogos.

Compartilhe!